ALERTA GERAL

2 Comentários

ATENÇÃO, BRASILEIROS DE TODOS OS ESTADOS, ISTO LHES INTERESSA, PRINCIPALMENTE SE ALGUM DE VOCÊS COMPROU OU PRETENDE COMPRAR TERRENOS EM CALDAS NOVAS, GOIÁS!

A cidade das águas quentes em Goiás abriga, ao que parece, alguns  espertalhões gananciosos e oportunistas. É claro que não são todos, mas os “alguns” que há põem em perigo o trabalho da grande maioria. A última trampolinagem partiu da empresa BANCO IMOBILIÁRIO. Esta empresa surgiu de um racha que houve entre os proprietários da antiga FÊNIX IMOBILIÁRIA LTDA.  Se você não deseja se ver envolvido em uma briga jurídica que pode levar anos, NÃO ADQUIRA TERRENOS DA EMPRESA BANCO IMOBILIÁRIO. sem antes tomar todas as informações sobre o lote junto ao Cartório da cidade. Principalmente se estes terrenos forem do JARDIM SERRANO, no municipio de CALDAS NOVAS. Gravem este nome: JARDIM SERRANO.

leia o livro

 

PENSANDO NISSO, CUIDADO COM OS EVANGÉLICOS

1 Comentário

É bom o Brasil ficar atento com o avanço evangélico na política, nas artes (música, principalmente), no Governo (e desgoverno) etc… Do jeito que vai, o Brasil caminha para se tornar um Oriente Médio em pouco tempo. O radicalismo evangélico é algo preocupante mesmo. Veja bem. Um amigo meu, que tinha no espelho de seu carro um escapulário de Nossa Senhora, dado a ele por sua avó (que já está lá no andar de cima), deu carona a um evangélico. Depois de o haver deixado aonde ele queria ir, foi embora. Mas ao estacionar seu automóvel notou que o escapulário tinha sumido. Só o cordão havia ficado. Pasmo, ele se perguntou como é que aquilo podia ter acontecido. Lógico que, cético, ele não acreditou na hipótese de sua avozinha ter-se arrependido da doação e ter descido do andar de cima para vir retomar o que era seu. Lembrou-se do carona e tratou de voltar até o local onde o havia deixado. Meu amigo não é de deixar para amanhã o que tem de fazer hoje. Encontrou o sujeito e perguntou-lhe se tinha sido ele quem havia tirado o escapulário do cordão. Resposta evangelical: “Fui eu, sim. Aquilo é coisa do diabo”. Ora, meu amigo é sensei de karatê e muito esquentado. O evangélico deve estar, até hoje, com um copo d’água nas mãos, careteando feito doido juntamente com o seu pastor, buscando fazer que Deus fluidifique aquela água para que ela lhe cure os hematomas…

Sejam religiosos (vocês, eu não sou isto. Sou eminentemente curioso e questiono tudo, inclusive Deus). Mas respeitem-se mutuamente. Afinal de contas, o tão discutido JESUS jamais indicou uma religião como preferida às demais. Ele PREGOU O AMOR A DEUS E AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO. Amar ao próximo é respeitar seu direito de ter suas esquisitices, inclusive aquelas religiosas. Eu mesmo dou aulas de TAI-CHI-TCHUEN. Um dia, ouvi uma barulhada em meu portão. Fui ver o que estava acontecendo e encontrei conco jovens com a Bíblia nas mãos e chutando meu portão. Perguntei a razão daquilo e a estarrecedora resposta foi: “Aqui mora um enviado do Diabo. Ele dá aula de Tai-Chi-Tchuen, coisa do demônio”. Motivo para aquele ato insano: a camiseta de TAI-CHI-TCHUEN traz, nas costas, um dragão. Perdi a paciência e parti pro pau. A rapaziada deu no pé e eu, depois, tive uma conversinha ao pé de ouvido com o pastor deles.  Não recebi mais visitas tão indigestas… Será que nenhum de vocês conseguiu vencer a lavagem cerebral e perceber que os pastores querem é o dinheiro de vocês? Acordem, antes que sejam levados a uma postura fanática que vai terminar em guerra fratricida. Como acontece entre árabes e judeus. ALERTA!

FALANDO NISSO, OS PAULISTANOS ESTÃO ARRASANDO!

1 Comentário

Burroooo!!!

Burroooo!!!

É, estão arrasando o português. Se você quiser ver como é que se dá cacetadas em Camões, ouça os repórteres dos noticiários das TV’s brasileiras. É um arraso! O paulistano adotou festivamente o gerundismo e o dissemina com espantosa assiduidade pelo país todo. Depois, adotou a linguagem pobre dos favelados e menos instruídos e mandou ver. Eliminou de vez os demonstrativos “seu”, “sua” e os substituiu em qualquer construção oracional por DELE, DELA. E aí, a porcaria foi lançada no ventilador. Vejam algumas pérolas jornalísticas teleauditivas: “E aí, (fulana), nenhum sinal de Madona. Aguém aí SABE DELA?” – Repórter Luciana, FALA BRASIL, 18/12 – 09:08h. Outra lindeza: Sandra Anemberg, Jornal Nacional, 10/12, às 13:30h soltou esta pérola: “… QUE CUPIAM…” Que eu saiba, cu não pia, PEIDA. E já que ela esta falando do fiofó e o verbo está no plural deveria ter dito QUE CUS PIAM. Mas aí haveria ambigüidade (com trema, mesmo. Sou contra essa besteira que estão fazendo com nosso idioma. Para esculhambá-lo, basta dar corda aos repórteres das TV’s brasileiras). Não se saberia se se tratava do verbo CUSPIR ou não. No caso dos “cus” da Anemberg, do JN, seria um furo de reportagem o noticiário mostrar um fiofó piando. Vários, daria uma ária, não é? Fala sério!

Ah, e tem mais. O paulistano eliminou de vez o “se” dos verbos reflexivos. A apresentadora Angélica não pergunta: Como você se chama. Ela diz: “Como você chama?” Ora, a resposta poderia ser: “Depende. Se sei o nome da pessoa, eu a chamo pelo nome. Mas se não sei, faço algo assim como psiu, ei, você etc…” Tô certo?

O pior de tudo, gente, é que o GOIANO está indo direitinho pela cartilha paulistanesa. Em Goiânia também já se adotou tanto o gerundismo quanto a eliminação do “se”. É comum ouvir “otoridades” dizer besteiras como “eu preocupo com o trânsito…” e coisas que tais. E aí, em sua cidade, a coisa também está desde jeito? Então, meta o malho. Pode ser que os professores de português se rebelem, afinal é área deles, e se juntem a nós. Afinal, a esperança é a última que morre… Se já não morreu e eu não fui informado.

Tem mais, tá ligado! O paulistanês resolveu inverter a acentuação tônica das palavras. A letra E (pronuncie É, com som aberto, que é o correto) mudou, em São Paulo, para Ê. E se ouve besteiras como TAFMAN-Ê em vez de TAFMAN-É (de vitamina É e, não, vitamina Ê). Mas há palavras que têm o som do E fechado, como em ÊXTRA e eles pronunciam ÉXTRA. Vá entender… Falando nisto, outra pérola televisiva. LUCIANA E FABIANO, repórteres do JN, da Globo, reportando sobre o fechamento de uma ala hospitalar em um hospital do Rio de Janeiro, fizeram uma descoberta sensacional. Vem da Bahia a bactéria que arrasou naquele local. Seu nome? ESTAFILOCÔCOS. É isto mesmo: os repórteres descobriram uma variação da cepa ESTAFILOCÓCUS que, pela “prenúncia”, vem com certeza da Bahia. Cuidado, gente. Principalmente os homens. A tal bactéria pode atacar os seus “côcos” e aí… As mulheres não têm o que temer, pois a tal bactéria é côcôfila” e não “vaginôfila”. Ao menos, por enquanto…