Exibicionismo, outro atributo inerente ao Elemental Físico.

Exibicionismo, outro atributo inerente ao Elemental Físico.

Estamos aprendendo sobre as qualidades intrínsecas do Elemental Físico e o que elas forçam o Elemental Astral a desenvolver no quesito Reação Emocional. Vimos que:

A Gula é uma qualidade própria do Elemental Físico e  estimula o Elemental Astral a desenvolver reações emocionais que possam dar respaldo ao que o elemental Físico lhe transmite como uma necessidade. Sempre devemos ter em mente que a Emoção Básica do elemental Fisico é o MEDO. Embora a reação emocional de ÓDIO nele também seja forte, ela é secundária e acontece como uma reação complementar ao MEDO.

As principais reações emocionais eliciadas no Elemental Emocional a partir do Elemental Físico (com a intermediação do Duplo Etérico, é claro), são:

Avareza;

– Usura;

– Ganância;

– Mesquinharia;

– Apego.

Algumas pessoas estranham que eu chame de reação emocional a processos como os acima descritos. No entanto, qualquer deles não passa de emoção. O comportamento pode vir secundado por pensamentos característicos e sempre afins, mas isto não faz que esses processos sejam psicológicos. O Elemental Mental é responsivo, com pensamentos elementais artificias poderosos e imaginação magnética, a uma Reação Emocional despertada no Elemental Astral, mas esses processos não levam à ação. Só a energia emocional põe o Elemental Físico em movimento. Nenhum destes processo, nem de outros que vou citar, é um caráter daquilo a que chamam de “Personalidade”, compreendendo-se, aqui, o termo “caráter” em seu sentido real: marca indelével, como a que se faz no gado com ferro em brasa.

Atena, a cadela Rusky Siberiano de meu filho.

Atena, a cadela Rusky Siberiano de meu filho.

Todo Elemental Físico é, de natureza, autocentrado. Como um cão, o animal só percebe a si mesmo, quando se trata de receber prazer. Tenho em casa uma cadela rusky e um cão  labrador. São muito amigos, vivem brincando e correndo juntos pelo quintal, mas quando se trata de receber carícias, ela ataca o labrador a dentadas, se não for contida.

As pessoas acertadamente dizem que ela é uma cadela ciumenta, mas esta emoção nasce justamente do forte impulso pela busca do prazer ilimitado. Para os cães todo afago tem de ser só dele, do que está sendo afagado. O outro não tem direito a nada. Este comportamento é típico do Elemental Físico e está presente também em nossa unidade humana.

Assim, pessoas demasiadamente ciumentas, capazes de ferir ou maltratar rancorosamente seu objeto de desejo por qualquer comportamento que venha a interpretar como perda de prazer, são pessoas totalmente dominadas pelo Elemental Físico. Não têm vida espiritual. Muitos dizem que tais pessoas são doentes, mas na realidade elas não existem nem mesmo como pessoas. Têm uma casca de aparência e é só. Quem as comanda é o Elemental Físico. Não há doença propriamente nisto, mas sim a submissão do Todo que é o Indivíduo a uma de suas partes componentes. As psicoterapias tomam o ciúme como uma disfunção psíquica, quando o enfoque deveria centrar-se no Elemental Físico. O psiquismo somente reflete as fortes emoções que são eliciadas a partir da estimulação do Duplo Etérico pelo Elemental Físico. E essa reflexão é na forma de pensamentos e emissão de frases padrões, que só refletem o “caminho” percorrido pelos átomos ultérrimos emocionais e mentais. A Psicanálise, aqui, vai demorar muito para conseguir algum resultado, pois centra-se no psiquismo e na história pregressa do indivíduo, esquecendo-se do aqui-e-agora, do imediato. Não nos esqueçamos de que o Elemental Físico não tem memória e nossa psique é constituída de Matéria Mental, a qual tende fortemente para os Planos Superiores em densidade, mesmo quando se trata da Matéria Mental dos quatro níveis mais densos, dos quais logo falarei. O Elemental Mental é uma entidade moldada de átomos mentais justamente para servir ao conjunto que forma o envoltório físico de nosso espírito. Mas ele é reativo muito mais que ativo. E reage sempre às estimulações do Elemental Astral ou Emocional. Você pode verificar isto. Seus estudos, seus esforços para aprender, as grandes invenções, tudo é fruto de uma necessidade premente do Elemental Físico. Este estado estimula insegurança, medo, e isto estimula o Elemental Emocional. Através dele, o Elemental Mental entra em estado responsivo e servindo-se de seus processos psicológicos e mnêmicos, atina com o que é necessário fazer para atender ao que está sendo solicitado “lá em baixo”. Então, o Elemental Mental concentra sua atenção na busca de uma resposta imaginativa de modo a satisfazer a necessidade do Elemental Físico. Uma vez que o Elemental Mental é semi-independente do Elemental Físico, ele permanece centrado no objetivo que lhe foi “solicitado” e mantém o Físico trabalhando para alcançar o fim desejado.

O autocentrismo do Elemental Físico não tem correspondência emocional direta, tal e qual acontece com a Gula. No entanto, ele também estimula o Duplo Etérico e este reage sobre o Elemental Emocional o qual, buscando rersponder adequadamente à estimulação que o perturba, cria reações emocionais que são correspondências astrais da reação físico-etérica e que só podem ser criadas nos quatro subplanos inferiores de matéria astral mais densa. Tais reações são:

A característica deste homem era a arrogância. Como bom arrogante, era truculento.

A característica deste homem era a arrogância. Como bom arrogante, era truculento.

A Arrogância. Toda pessoa na qual predomina esta reação emocional é profundamente  centrada em si mesma e se valoriza demasiadamente diante de seus próprios olhos elementais. Sua característica autocentrista exacerba a dose exagerada de narcisismo que é outra característica do Elemental Físico. Todo arrogante não é um doente emocional, mas sim um escravo de seu Elemental Físico. A pessoa arrogante gosta de humilhar o outro para se sobressair no grupo. Por detrás deste comportamento está o Medo natural do Elemental Físico. Medo diante da sensação de que, se perder aquela postura, poderá vir a sofrer algum desprazer que não suporta.

O Pedantismo. Toda pessoa pedante é pretensiosa e  vaidosa. Gosta de ostentar um conhecimento que não possui e isto também revela o Medo que, no caso, é de ser desmascarado e humilhado, perdendo, com isto, o prazer narcísico que o comportamento pedante lhe dá. Veja o leitor que a vaidade não é uma característica nem do Elemental Mental nem do Elemental Astral, mas integra o grupo de caracteres tipicamente integrante da Natureza primitiva do Elemental Físico. A mesma coisa se pode afirmar do exibicionismo. Todo vaidoso é exibicionista e só o Elemental Físico tem a prerrogativa de poder exibir-se para os outros.

O autoritarismo. Toda pessoa regida pela emoção autoritária  tende a ser despótica, dominadora, tirânica em seus comportamentos e em suas posturas relacionais. Tudo isto é derivado do impulso de dominação que caracteriza o Elemental Físico de todos nós. Assim, por dedução lógica, despotismo, dominação e tirania são caracteres do Elemental Físico.

Como você pode ver, o que hoje se tem como doença do caráter psíquico, na realidade são reações emocionais que predominam em algumas pessoas devido a que se deixaram ser dominadas pelos seus Elementais Físicos. Despotismo, dominação, tirania, autoritarismo são caracteres do Elemental Físico que se mantêm sob a energia da Emoção de Ódio. Entenda o ódio não com as cognições sociais que lhe são dadas comumente. O Ódio, em si, não passa de uma qualificação da Energia Cósmica Sentimento. Para combater aquelas reações emocionais de baixa tônica é preciso segurar com mão de ferro o Cavalo Físico, como o Dr. Wu Chao-hasiang chamava ao corpo físico. A psique parece adoecer quando entra em afinidade com as reações emocionais estimuladas no Elemental Emocional. Na realidade, ela apenas reage como faz este Elemental com relação ao Elemental Físico: procura emitir imagens e engendrar pensamentos que se coadunem com aqueles caracteres. Seus átomos ultérrimos seguem a Lei do Menor Esforço. Aberto um caminho Mental por força dos caracteres do Elemental Físico, os quais já forçaram um caminho correspondente na Matéria Astral do Elemental Emocional, os átomos que constituem estes dois Elementais tendem a fluir com maior facilidade por esta senda “desviante”. E é aí que se carregam de energia prânica ou Chi doentia. As emoções que se repetem constantemente induzem pensamentos que também se repetem constantemente e isto acarreta um condicionamento tal nos dois Elementais mais sutis de nosso Ser Social, que eles terminam por “adoecer”, isto é, tornam-se demasiadamente responsivos a energias de baixa tônica.

Agora, vamos recordar de um assunto que já foi falado aqui há algum tempo. Trata-se dos subplanos em que cada Plano de Matéria Cósmica se divide. Como todos sabemos, existem Sete Planos de Matéria, no Espaço. Estes planos materiais só se diferenciam quanto à densidade dos átomos de que são constituídos. E cada átomo de cada Plano Material é composto de um grupo de átomos ultérrimos rearranjados de modos específicos. Não vou adentrar este assunto porque é muito cansativo e complexo, mas basta que você compreenda que em todo Plano de Matéria Cósmica só há uma base para suas constituições: o átomo ultérrimo.

Um Plano de Matéria Cósmica “Y” qualquer está assim subdividido: subplano y1, subplano y2, subplano y3, subplano y4, subplano y5, subplano y6 e subplano y7. Este último subplano é fronteiriço do subplano mais sutil do Plano de Matéria Cósmica imediatamente mais denso que o Plano de Matéria Cósmica “Y”. Ou seja: o subplano x7 faz fronteira com o subplano z1. Do mesmo modo, o subplano y1 faz fronteira com o subplano x7 do Plano de matéria Cósmica “X”, cujos átomos de seus subplanos são mais sutis que os do Plano de Matéria Cósmica “Y”. Então, em cada Plano de Matéria Cósmica temos:

O Subplano Atômico – corresponde ao subplano onde só existem átomos do subplano mais denso do Plano de Matéria Anterior (X)  que é muito mais sutil que o Plano de Matéria “Y”, que agora estamos considerando. Só que, aqui, neste primeiro subplano de “X” (o subplano atômico, que chamamos de “x1”), eles não são átomos inteiros, mas pasta atômica, pois os átomos ultérrimos contidos no átomo material do subplano “y7” do Plano de Matéria Cósmica “Y”, aqui, em “x1”, estão em grande ebulição, rearrumando-se para constituírem átomos de densidade maior que aquela do subplano de onde vieram. Neste subplano do Plano Material “X” não há nenhum ser Cósmico em evolução. Também não existem mundos.

Todo primeiro subplano (numa escala crescente de densidade atômica) de qualquer Plano de Matéria Cósmica considerado, só existe como um estágio intermediário entre os dois subplanos contíguos. Nele, neste primeiro subplano, os átomos materiais estão em verdadeira ebulição e não apresentam condições de estruturar qualquer corpo que seja. Assim, todo primeiro subplano em qualquer Plano de Matéria Cósmica considerada é um estágio de criação. Nele, os átomos ultérrimos se desestruturam da formação que possuíam no sétimo subplano do Plano anterior para se reagrupar e formar um átomo mais denso que o do subplano anterior. Digamos, por exemplo, que no subplano “x7” a matéria corresponda à nossa matéria gasosa. No primeiro subplano do Plano Material “Y”, os átomos gasosos do subplano “x7” vão constituir uma “sopa” de átomos ultérrimos em grande agitação e reorganização atômica, de modo a dar origem a um átomo que seja mais denso, “mais pesado” que o átomo do subplano “x7”. Estes átomos formariam o que iria corresponder ao nosso subplano líquido. Deu para entender? Espero que sim. 

O Segundo Subplano do Plano de Matéria Cósmica “Y” – Este segundo subplano nasceu do primeiro subplano atômico deste Plano de Matéria Cósmica. Ele é o subplano onde os átomos deste Plano Material são os mais sutis possíveis neste Plano Material e onde estão os seres mais evoluídos que vivem nos mundos criados nos Subplanos do Plano de Matéria Cósmica considerado. Nenhum subplano tem nome, exceto no Plano de Matéria Densa, onde os teosofistas os denominaram segundo suas densidades, em sólido, líquido, gasoso, etérico, superetérico, subatômico e atômico.

O Terceiro, o Quarto, o Quinto e o Sexto Subplanos de Matéria do Plano Material “Y”. Cada um destes Subplanos do Plano de Matéria Cósmica “Y” tem sua origem no Subplano Atômico ou Primeiro Subplano deste plano material. Eles se diferenciam entre si pela densidade ou peso de seus átomos constituintes e cada átomo mais denso é inteiramente interpenetrado por todos os átomos dos subplanos mais sutis que ele.

Em nosso Ovo Áurico existem, portanto, todos os Planos de Matéria Cósmica com todos os seus subplanos, desde o Plano de Matéria Divina até o Sétimo Subplano do Plano de Matéria Densa, que é este onde estão os átomos químicos que preformam todos os corpos em nossa terceira dimensão. Entretanto, há uma pequena e importantíssima diferença. Enquanto que livre no Espaço os primeiros subplanos de matéria sutil de cada Plano Material não possui seres ali viventes nem têm mundos onde ocorra a Evolução de seres especiais, no Ovo Áurico, quando constituindo os Elementais Astral e Emocional, a matéria dos primeiros subplanos de Matéria Cósmica não dão origem a outros tipos materiais. Aqui, os átomos ultérrimos estão perfeitamente organizados e prontos para serem responsivos a estímulos que não nascem nos estímulos originados no Elemental Físico.

Caramba! Por mais que eu tentasse, não consegui tornar este artigo mais leve. Ele parece confuso, à primeira vista. Mas se você se dedicar a fazer um esquema gráfico do que digo, verá que a coisa não é tão feia quanto parece. De qualquer modo, vou ficando por aqui para dar tempo a que você compreenda esta história de planos e subplanos de matéria cósmica. A gente se encontra em nosso próximo artigo.

Ah, sim. Vou passar a espaçar mais a freqüência de minhas publicações, pois estou com um princípio de L.E.R. em meu braço essquerdo e este dói pra danar quando fico muito tempo escrevendo. Assim, não se espantem se eu demorar a fazer uma nova publicação. Prometo, contudo, que o espaçamento não será demasiadamente longo.

Um abraço e

NAMASTÊ!

.