LULÃO COMEU MERDA, FOI?

3 Comentários

"Agora é tarde. Eu te arregacei, bobão!" O sorriso do Maluf Satã parece estar confirmando esta frase.

“Agora é tarde. Eu te arregacei, bobão!” O sorriso do Maluf Satã parece estar confirmando esta frase. Ele mostra os dedos para indicar que enfiou e abriu tudo, lá embaixo, no PT. E a dupla satânica deve estar abrindo champagne por isto.

Não seria ético escrever sobre o Lulão, o “ancora” do PT, se não usasse a letra vermelha. Afinal, o vermlho tanto serve para representar coragem, luta, guerra, quanto serve às mil maravilhas para também representar vergonha. Vergonha que, ao que parece e as fotos mostram, o Lulão “ex-Maravilha” perdeu quando, bêbado de poder, comeu o prato de merda servido por espertos polititicas. A jogada do Maluf, que o diabo o carregue, foi de mestre, temos de reconhecer. Deve ter recebido “aquela baba” por debaixo do panos da dupla satânica PMDB/PSDB para atrair o Lulão “Fracassão” para a armadilha. E o bobão caiu como um patinho. E tudo porque, segundo os entendidos, quer eleger seu indicado à Prefeitura de São Paulo a qualquer custo. Mas que custo, Lulapa!

Não adianta estrebuchar, como você faz na foto, para se livrar do paredão que o abraça, meu chapa. O Maluf trabalha bem. Não é à-toa que ele conseguiu um feito inédito em todos os tempos: tem um país inteiro como cadeia e ainda obteve o prêmio de continuar sendo “Insolência” no “nosso” Podre Poder Público. Você devia ter-se aposentado, Lulão Trapalhão. Mais

A CONSTRUÇÃO DE CONSTRUTOS

9 Comentários

Alfred Adler (1870-1937). Filho de judeus húngaros não sionistas, formou-se formou-se em medicina, psicologia e filosofia, em Viena.

Alfred Adler (1870-1937). Filho de judeus húngaros não sionistas, formou-se em medicina, psicologia e filosofia, em Viena.

À tarde, como eu não voltei à arucaia de Orozimbo, ele veio à minha casa. E mal chegou e me abraçou, foi logo dizendo que queria saber mais sobre os ensinamentos de George Alexander Kelly. Eu sabia que isto ia acontecer. Quando caí na esparrela de lhe falar de Freud fiquei quase seis meses tendo de explicar-lhe o pensamento do grande cientista. Durante muito tempo Orozimbo foi um admirador ferrenho de Freud, um judeu austríaco, turrão, teimoso até não poder mais, que deixou um grande legado de conhecimento profundo sobre a mente mortal humana. Provavelmente não era de família sionista pelo trabalho que realizou. Mas viveu e morreu judeu. Pois bem, apesar de meu propósito, caí novamente na esparrela de falar com Orozimbo sobre um dos dissidentes de Freud, Alfred Adler, um judeu húngaro, filho de judeus não sionistas, portanto, bons cidadãos húngaros até onde a religião e o racismo judaico permite. E Orozimbo, então, apaixonou-se por Adler.

Eu tinha jurado que não mais falaria de nenhum cientista da Psicologia para Orozimbo. Quando ele pegava um osso não largava de modo algum. Agora, por descuido meu, ele estava agarrado a Kelly e ia cutucar o máximo possível para saber o quanto pudesse a respeito. Mas o que me complicava é que eu tinha de colocar as teorias de modo bem simples, para que ele a compreendesse com facilidade e isto era um trabalho duro. Nem sempre o pensamento científico pode ser traduzido de modo simples sem perder sua essência principal. Agora, eu estava novamente às voltas com o problema. Mais

E QUE MAIS KELLY ENSINOU?

20 Comentários

http://www.peticaopublica.com.br,

A simpática arucaia de Orozimbo.

A simpática arucaia de Orozimbo.

Fui à arucaia de Orozimbo e o encontrei atolado entre as ervas medicinais. Ele me fez um chá de alecrim e me fez bebê-lo danado de quente. Depois, enrolou-me numa manta e eu suei como bolo no forno. Mas surtiu efeito. As dores no corpo, a coriza, a dor de cabeça e todo este conjunto de presentes que os “perdigotos” da gripe nos dão se foi como por magia. Então, todo satisfeito, ele nos serviu café e sentamos para conversar.

— Óia, home, véio teve pensando, num sabe? O tar de Kelly dixe que a gente véve percurando predizê e controlá tudo em nossas vida, né não?

Assenti com um aceno. Percebi que aquela história ia dar panos pra manga.

— Bão, cuma é qui véio pode predizê arguma coisa, se véve sozim, aqui?

Estendi a mão em direção às suas plantações e ele acompanhou o gesto, olhando para elas. Depois, para sua horta e finalmente para suas galinhas que ciscavam por perto. Mais

POR QUE A GENTE SE COMPORTA?

9 Comentários

George A. Kelly, tio da Princesa Grace Kelly, de Mônaco. Ele é um dos Psicólogos que mais admiro. Pena que não seja tão conhecido entre os estudantes brasileiros.

George Alexander Kelly, tio da futura Princesa Grace Kelly, de Mônaco. Ele foi um dos Psicólogos que mais admirei e admiro (Faleceu em 1967). Pena que não seja tão conhecido entre os estudantes brasileiros.

Orozimbo me chegou com esta pergunta na ponta da língua. Eu me lembrei imediatamente daquela que nosso amigo Jesus de Deus me fizera e eu ficara embaraçado para responder. Olhei para meu amigo que, displicentemente, sentado em seu toco, acendia o indefectível cachimbo à espera de minha resposta.

— Orozimbo — perguntei —, de onde você sacou esta pergunta? 

— É qui véi, adispois do que o pade Felício aprontô aqui, arresorveu ir visitá otros centro ispírita, num sabe? Véi nunca saiu do Candomblé pra vê nada lá fora. Entonce, adispois do iscândalo do pade, véi matutô e concruiu qui vancê tá certo. A gente tem mais é qui fuçá tudo, oiá tudo, espiar tudo pra pudê sabê. Entonce, véi arresorveu ir fazê uma visita a um terreiro de Umbanda e lá, falô c’uma  preta véia incorporada. Vancê sabe qui pro Candomblé esses ispritus são eguns e num se deve mexê cum eles, né? Mas véi foi lá, sentô no toco diante da véia, uma tar de Vovó Catarina de Angola, e cunversô um bucadão cum ela. Apois num é qui o egum é danado de simpático, sô? E foi ele, o egum Catarina de Angola, qui me feiz a pregunta. Aí, véi imbatucô, home. Véi jamais tinha pensado nisto. E o egum mandô qui eu preguntasse a vancê. Dixe que vancê pudia arrespondê. Entonce, véio veio cá pra sabê.

Ele ficou-me olhando, expectante. E eu, pensando na resposta a lhe ser dada. Bem podia ser algo simples, mas como conheço bem meu velho, com toda a certeza ele me cobriria de perguntas buscando mais e mais, podendo me enrolar com isto. Então, eu tinha de escolher uma resposta a mais completa possível. Mais

RAIVA E DEPRESSÃO

4 Comentários

É no pano verde que muitos vêm afogar suas mágoas e fugir da dureza de um relacionamento que há muito deixou de ser...

É no pano verde que muitos vêm afogar suas mágoas e fugir da dureza de um relacionamento que há muito deixou de ser…

Estava (e continuo) com uma gripe danada. Olhos lacrimejando, dor no corpo, moleza, febre, sensação de que minha energia vital está abaixo da quantidade necessária para enfrentar os “perdigotos” da gripe, a mulher me enchendo a paciência com tiradas sarcásticas sobre minha “doencinha”, ou o meu “estado de coitadinho” e vai por aí. Para fugir do ataque psicológico de “minha” mulher, que é tirânica, rancorosa e vingativa até não poder mais e está furiosa comigo porque acha que eu andei fazendo trampolinagem com uma zinha, vim-me refugiar no computador. Infelizmente não aprendi a ser jogador de xadrez (para fugir para uma praça e me entregar ao jogo na companhia de outros velhos frustrados como eu), nem apegado a bares (para fugir para um deles e encher a cara até cair, como fazem outros frustrados com suas distintas), nem apegado a mulheres piriguetes (para fazer como o Cadinho da novela Avenida Brasil, que compensa as frustrações de uma nos braços de outra), nem dado a amizades barulhentas e beberronas (aquelas dos amigos do chopp todo final de semana e da pelada indispensável, que safam os homens de suas tirânicas matronas), nem, enfim, apegado a qualquer meio de fuga de que os homens se servem para escapar quando o bicho pega em casa.

No jogo do truco muitos idosos e outros nem tanto dão vazão às suas solidões em casa.

No jogo do truco muitos idosos e outros nem tanto dão vazão às suas solidões em casa.

Tive um casamento oficial (civil e religioso), que durou seis meses de paz e quatro de guerra, quando, então, ganhei uma galhada maior do que a dos veados reis; e pelo menos quatro “ajuntamentos” com duração entre seis meses e 30 anos (este, o último em que me encontro, não foi mais um ajuntamento. Foi casamento mesmo, visto que consegui mudar meu status de divorciado para desquitado a fim de satisfazer um pedido de minha falecida sogra). Em todos eles, ajuntamentos ou casamentos, dei com os burros n’água. Por que? Simples: não sou homem que se deixe montar nem muito menos ser manipulado pela mulher. Ou ela me respeita como homem ou se dana. Não apelo pra violência física que isto me repugna. Bater não resolve nada num relacionamento. É apenas sintoma de doença emocional grave e eu não sou doente emocional. Quando o relacionamento desanda e o diálogo não surte efeito e, às vezes, vira monólogo, eu me afasto psicológica e fisicamente. Ainda que sob o mesmo teto, passo a ser inalcançável. E é aí que termino enrolado com outra. O coito é o primeiro que esfria. E esfria a tal ponto que mesmo que a madame me masturbe por todo o ano o dito cujo não lhe dá a mínima atenção. Minhas “ex” que tentaram um retorno sabem muito bem do que falo sobre meu falo. Mais

E CHEGA NOVAMENTE O TEMPO DE “RENOVAÇÃO” (UMA OVA!)

Deixe um comentário

Garotinho, que de garotinho só tem o nome. Perpétua nele!

Garotinho, que de garotinho só tem o nome. Perpétua nele!

E eis que os polititicas passaram óleo de peroba na cara e voltaram à TV com a velha cantilena que, de tão desgastada, parece disco de vinil rachado. Prometem as mesmas promessas que jamais cumprem. Porém, quando chega o Dia da Democracia dos Zé Nings, eles as desenterram, dão-lhe um leve polimento apenas passando um espanador de pouca vergonha sobre elas, e aparecem na TV deitando aquela falação inócua que nos vira as tripas pelo avesso. Ah, se nós, os Zé Nigs Brasileiros, fôssemos ouvidos… Certamente que:

a) o voto no cabresto já estaria extinto há muito;

b) as maquininhas que nos cerceiam a liberdade de votar em animais, como faziam os cariocas antigamente, seriam abolidas;

Alkimin - calejado na polititica. Perpétua nele!

Alkimin – calejado na polititica. Perpétua nele!

c) a Prisão Perpétua com trabalhos forçados para safardácios da Polititica seria aprovada e todos eles imediatamente encarcerados, sem direito a nenhuma apelação. Nem o Lewandowisky conseguiria inocentar qualquer um deles. Até porque se o fizesse, arriscar-se-ia a ir-lhe fazer companhia na Perpétua. É isso mesmo: não adianta ser da elite da Lei. Mijou fora do pinico vai pagar o pato como qualquer outro cidadão nacional brasileiro.

O que nos mata é esse negócio de “Excelência”. Fico com as tripas reviradas só de me imaginar chamando o Furioso de “Excelência”. Acho que vou preferir enfrentar um pelotão de fuzilamento antes que fazer me submeter a tamanha ignomínia.

Mais

NÃO SE DEVE MISTURAR ÁGUA E ÓLEO…

2 Comentários

Presos a dogmas, suas mentes param de evoluir. Que lástima!

Presos a dogmas, suas mentes param de evoluir. Que lástima!

Depois daquela estranha aventura meu amigo ficou muito tempo sem aparecer. Ele fora até o Padre Felício e discutira com o presbítero o que tinha ouvido do homem que se intitulava Jesus de Deus. Felício ficara muito impressionado com o relato de Orozimbo e disse que gostaria de conhecer aquela tão interessante figura. Concordava, em parte, com a visão dele, mas tinha algumas perguntas a fazer sobre o que o tal Jesus de Deus afirmava, como, por exemplo, como Deus poderia deixar entregue ao homem determinar seu próprio destino, já que, ele assim o reconhecia, Sua criação era ainda incompetente pela juventude de sua existência? O homem necessitava de um guia e este guia, segundo Felício, tinha descido à Terra na pessoa de Jesus, o Cristo. Ele viera para salvar a humanidade e isto estava bem claro nos Evangelhos. E antes de se ir através do sacrifício na cruz, Jesus preparara 12 homens, aos quais chamou de apóstolos, para pregarem pelo mundo “a Boa Nova”. Em seguimento àqueles homens, a Igreja que fundaram continuou a preparar homens altamente especiais e escolhidos a dedo, para continuar a pregar e manter viva a mensagem de Deus. Felício se regozijara com as idéias do Jesus de Deus sobre o Karma, pois sua Igreja também não sancionava tal idéia. Mas não entendera que ele sancionasse o retorno daqueles que desejassem voltar à carne. Segundo suas crenças católicas, isto era absolutamente impossível. Uma vez morto o corpo, o Espírito não podia fazer mais nada, exceto aguardar pelo Juízo Final. Mais

Older Entries