Olha aí o bochechudo da mãezinha, com cara de taradão e que se vendia como homem de deus...

Olha aí o bochechudo da mãezinha, com cara de taradão e que se vendia como homem de deus…

Irmã, você está possuída pelo demônio da luxúria. Não há outro meio de livrá-la dele. Se permanecer com você, este demônio vai arruinar sua vida. Vai transformá-la em prostituta, uma Jezebel condenada por fornicação. Sua alma vai arder na Geena e não terá paz pela Eternidade. Mas para sua sorte eu sou um homem santo, um homem de Deus. Vou fazer o sacrifício de foder sua boceta com todo ardor, com toda fúria, com todo vigor, pois só assim conseguiremos expulsar esse demônio que lhe acompanha desde muito tempo“. Com um papinho fulera como este, o Pastor Marcos Pereira, Rio de Janeiro, andou encaçapando uma porção de “peludinhas” de casadas, solteiras e viúvas deslumbradas e preguiçosas para pensar por si mesmas. Acho que no Rio, atualmente, há alguns maridos evangélicos que andam sentindo um pesinho esquisto na testa, coisa que não tinham sentido desde quando eram solteiros…

Padres ainda se conservam dentro de seus templos. Não se metem acintosamente na Política e quando o fazem é para defender o povo.

Eles batalham para manter as mentes de suas “ovelhas” atrofiadas.

É por essas e outras que eu detesto evangélicos e padres, sejam de que igrejas sejam. Não detesto só as “ovelhas”, mas e principalmente os que se dizem seus “pastores”. E quer saber do que mais? Se algum idiota me chamar de “ovelha” vai levar um supapão no pé do ouvido que é para ficar surdo pelo resto da vida. Desde quando eu ando balindo? Desde quando eu sigo um homem com vara na mão? Mas é nunca, meu! Sei lá que vara é aquela! Vai que é igual ou similar à que o safardácio aí de cima metia nas “peludinhas” das desavisadas preguiçosas? Eu, hein!

Adorar a Deus oferecendo-lhe a bunda? Eu, hein!

Adorar a Deus oferecendo-lhe a bunda? Eu, hein!

Amigo, entre Religião e Espiritualidade escolho a segunda sem titubear. A Religião prega o medo e a covardia; a Espiritualidade ensina a coragem de indagar e questionar; a Religião distancia Deus e nos faz temeroso a Ele. A Espiritualidade nos leva a concluir que Deus é cada um de Nós e somos, cada um, Sua Manifestação na carne. A Religião nos impõe aceitar sem questionar. A Espiritualidade nos estimula a questionar tudo. A Religião ensina a ansiar pela vida eterna de um eterno preguiçoso. A Espiritualidade nos abre os olhos e a Mente para a Imensidão sem Fim de um Universo Eternamente em Transformação, onde não há espaço para a preguiça. A Religião mata a Fé da Sabedoria e a substitui pela Fé da dependência. A Espiritualidade desperta a Fé do Conhecimento que nos conduz ao gozo da Sabedoria. Por isto não há o que hesitar: Religião, não. Espiritualidade, sim.

Que homem santo religioso consegue criar uma simples abelha como esta?

Que homem santo religioso consegue criar uma simples abelha como esta?

É só olhar ao nosso redor e enxergar as maravilhas que nos cercam. Qual homem, por mais inteligente que seja, consegue criar uma flor perfumada em laboratório? Por si mesmo, ninguém. Qual cientista consegue fazer nascer uma abelha sem contar com um gene ao menos para tentar a proeza? Nenhum. Vivemos cercados pala maravilha da Vida que se manifesta em inúmeras Formas. No entanto, ainda que tenhamos inventado um “Aurélio” volumoso e prenhe de descrições sobre cada uma destas formas maravilhosas, de nenhum modo chegamos a definir sua essência mesma = A Vida.

Só Ele,um Deus que nos visitou na carne, pode realmente criar a Forma e lhe infundir a Vida.

Só Ele,um Deus que nos visitou na carne, pode realmente criar a Forma e lhe infundir a Vida.

Quem criou tudo isto também nos criou. Quem deu Amor aos borbotões a tudo isso, também nos deu seu Amor. Mas nós, arrogantes e tolos, sonhamos que somos seus emissários para a Terra. Basta, para isto, que façamos um curso de Teologia, um amontoado de crenças e disparates, e saiamos com um papel que nos diz que somos padres, pastores etc… Não, meus amigos, nada somos senão Espíritos em Evolução. Espíritos que, na maioria das vezes, passa por suas diversas vidas recusando-se teimosamente a aceitar a riquíssima experiência que o viver no planeta Terra lhe proporciona.

E uma das maiores barreiras para estas vivências indispensáveis à Evolução e à Libertação Espiritual é justamente a Religião. Só alguém totalmente tolo e doentiamente preguiçoso mental se deixa levar pelo papo de alguém que se auto-denomina “santo”, “homem de Deus” e outras patacoadas como estas. E tais pessoas bem merecem conhecer a “Vara de Guiar Ovelhas” de espertalhões como o Pastor Marcos Pereira…