Imigrantes judeus fugindo da guerra na Europa.

Imigrantes judeus fugindo da guerra na Europa.

Nosso país se gaba de ser o país da imigração. Desde que foi invadido pelos europeus a título de “descoberta” ao acaso, que para cá não parou mais de vir levas e levas de imigrantes fugindo da Europa. Este continente, o europeu, viveu o tempo todo entrando e saindo de guerras. O resultado foi que de todos os países que ali se contêm, milhares de famílias, apavoradas ou que tiveram tudo consumido no fogo do ódio fratricida, se mudaram de malas e bagagens para o Brasil. Na atualidade temos sido invadidos por milhares de haitianos. Vamos recordar de como a guerra começou lá, no Haiti.

Papa Doc, com quem começou a confusão.

Papa Doc, com quem começou a confusão.

O Haiti foi dominado como colônia pelos franceses. O domínio deste sobre a população haitiana, toda de negros africanos, foi de grande violência e humilhação. Os mestiços resultante do acasalamento de brancos franceses com negras haitianas terminaram por ser a elite local. Em 1957 François Papa Doc Duvalier elegeu-se Presidente e implantou um governo de terror na ilha. Passou a perseguir violentamente a Igreja Católica e muitos haitianos católicos morreram sob tortura. Em 1971 ele foi morto e seu filho, Jean Claude Duvalier, o “Baby Doc” assumiu o Poder. Nada mudou no que diz respeito à violência e à perseguição dos haitianos que discordavam do regime ditatorial. Milhares morreram na batalha que se seguiu à assunção do Poder por “Baby Doc”.

Em 1986, “Baby Doc” não aguentou a pressão dos revoltosos e fugiu para a França, que lhe concedeu asilo. O padre Aristide assumiu o Poder e foi eleito presidente em 1990. Foi derrubado por um golpe militar em 1991. Em 1994 uma força multinacional, da ONU, ocupou o país e retornou Aristide ao Poder. Em 2004 a eleição presidencial foi vencida por Aristide e aí o pau comeu nas ruas. A rebelião se alastrou pelo país novamente e Aristide renunciou à Presidência. A ONU aprovou o envio de tropas armadas ao país  a fim de restabelecer a ordem e foi aí que eles conheceram os soldados brasileiros. Estes, como bons brasileiros, logo estavam conquistando os haitianos com futebol e samba. Ao contrário dos norte-americanos que se entrincheiravam em seus territórios militares, os brasileiros se misturavam com o povo e com freqüência não lhes negava ajuda em saúde, alimento e escolaridade. Os haitianos começaram a aprender o português e se apaixonaram pelos brasileiros. Daí à imigração desordenada de agora, foi um pulo.

Imigrantes haitianos que conseguiram a Carteira de Trabalho no Brasil. Isto não quer dizer que tenham emprego garantido.

Imigrantes haitianos que conseguiram a Carteira de Trabalho no Brasil. Isto não quer dizer que tenham emprego garantido.

Tudo bem que nosso país é considerado “coração de mãe”, isto é, sempre cabe mais um. Mas a imigração como está não nos vai trazer uma complicação como a que acontece atualmente na Suíça? Naquele país, a imigração se transformou num problema sério. No Brasil caminhamos para a desorganização geral, visto que está difícil controlar os atravessadores chamados de “coiotes” que dão golpes sujos nos haitianos desesperados e os colocam na América Latina, fronteira com nosso país, ao Deus-dará. E aí eles nos invadem às carradas e, aqui, ficam sem emprego e sem proteção do Poder Público. Marginalizados em nossa sociedade. Como dizem os Protocolos dos Sábios de Sião, a fome faz escravos, mas também cria os marginais e criminosos. Nosso país é continental e o “Des”-Governo petista, à imitação dos des-governos anteriores, continua totalmente perdido em querelas e picuinhas polititicas que não se voltam para as macro-soluções dos nossos encroados macro-problemas nacionais. A começar pelo nosso caduco e sem-vergonha Sistema Legislativo relativo ao Código Penal. Todo o país grita contra as Leis que foram descaradamente aprovadas por um Congresso Corrupto e anti-patriota, que mais protegem os bandidos que os cidadãos, mas não adianta. Os senhores “polititicas” têm ouvidos moucos aos gritos da Nação. Também se tornaram insensíveis às vidas que são perdidas inutilmente justamente porque os bandidos logo aprendem que é vantajoso ser bandido no Brasil. Se os haitianos desesperados descobrem este “veio de ouro”, o que será de nossa gente? Não bastasse os criminosos daqui, teremos novos criminosos estrangeiros, criados pela incapacidade do Governo de controlar a imigração e os imigrantes. 

Isto poderá ser um caos sem tamanho…