VOVOZONA VAI DE LADEIRA ABAIXO QUE VAI DANADA…

Deixe um comentário

Aí a Vovozona. Parece, pelo que se lê na reportagem, que esta "simpatia" é pra inglês ver...

Aí a Vovozona. Parece, pelo que se lê na reportagem, que esta “simpatia” é pra inglês ver…

Eis o que leio em ÉPOCA, na internet: “A personalidade de Dilma – a caminho de completar seu terceiro ano de mandato, com dez de Brasília nas costas e metida na mais grave crise política brasileira desde o mensalão – tornou-se um problema para o país. Não apenas por causa dos abundantes episódios de rispidez com políticos e subordinados – mas, sobretudo, porque esses episódios revelam uma presidente inflexível, aparentemente incapaz de se curvar ao erro, mesmo quando confrontada com as vozes das ruas, que agora chegam a poucos metros do Planalto. Revelam uma tecnocrata obstinada, não uma estadista consciente de que, para liderar o país num momento de crise, é preciso genuinamente buscar o diálogo não apenas com a população, mas também com todas as forças políticas que compõem a democracia brasileira. Se o Brasil estivesse no rumo certo, as inquebrantáveis convicções de Dilma – nas opções de política econômica, na centralização obsessiva da gestão do governo, no desprezo pelos políticos – poderiam ser consideradas corretas. Mas o Brasil está no rumo certo? Não há maquiagem na propaganda oficial que consiga camuflar os problemas no governo, apesar de os gastos com esse quesito estarem em alta no Planalto (de acordo com o jornal Folha de S.Paulo, as despesas com o visual da presidente subiram 681% desde dezembro de 2012 e somam R$ 3.125 a cada aparição de TV em cadeia nacional). (COM LEANDRO LOYOLA, MARCELO ROCHA, MURILO RAMOS E FLÁVIA TAVARES [DE BRASÍLIA]; FELIPE PATURY, JOSÉ FUCS E ALBERTO BOMBIG [DE SÃO PAULO]). Mais

QUAL É O MODELO POLÍTICO QUE SE ADOTOU NO BRASIL?

Deixe um comentário

"Ixi! Rapaz, não é que eu não sei?"

“Ixi! Rapaz, não é que eu não sei?”

Pergunta de prova. Liberalismo, dirão alguns. Presidencialismo, dirão outros. Anarquismo, rebaterão os mais céticos. Parlamentarismo presidencialista, tentarão mais outros. E por aí vai. Mas, antes de sugerir uma resposta, que tal revisitarmos a História?

Vamos a Roma. Só até Roma. Deixemos de lado os antiguíssemos Gregos. A Velha Roma se organizou, à custa de muito sangue derramado nos violentos campos de batalha contra outros povos, como um Império. E nele, as castas políticas eram bem hierarquizadas. Quando teve de manter governadores, pretores e cônsules nas províncias conquistadas, ela lançou as bases do que, muitos séculos depois, daria nascimento ao Feudalismo. Mais

NO TRANCO, MAS VAI. ISTO É A POLITITICA DO BRASIL.

Deixe um comentário

Mato a cobra e mostro o pau. Aí está o teto da escola, no chão.

Mato a cobra e mostro o pau. Aí está o teto da escola, no chão.

Teto de escola em Porangatu desaba e por sorte não mata dezenas de crianças; projeto de estudo de melhora no trânsito de Goiânia sai da gaveta onde ficou abandonado por 10 anos. Só agora, depois do quebra-quebra, o Governo Municipal decide desengavetar um projeto que foi proposto há dez anos. O Prefeito goianiense tem a desculpa de dizer: “Mas ele não foi engavetado no meu Governo”. Sim, não foi. Mas o senhor Paulo Garcia está no Poder Municipal há 6 anos e não mexeu no abacaxi. Enquanto isto, no Planalto, a toque de caixa, eis que um projeto que é tão velho quanto Papai Noel, também é desengavetado a toque de caixa: a tal Reforma Política. Em que ela interessa aos revoltados de agora? Isto parece manobra da Vovozona para desviar a atenção do povo. Conseguirá? Mais

AVANÇAMOS. MAS EM QUÊ DIREÇÃO?

Deixe um comentário

"Vem, vamos embora, que esperar não é saber..."

“Vem, vamos embora, que esperar não é saber…”

O povo continua nas ruas. Mas é preciso que abramos bem nossos olhos, pois há sombras que precisam de muita luz sobre elas para revelar o que está escondido ali. Falo dos baderneiros, dos agressores e dos que avançam sobre os bens patrimoniais públicos e privados depredando tudo sem distinção de nada e em nome de coisa nenhuma.

Em 1960 nosso país estava eivado de sombras que vieram do exterior. Uma, da extinta URSS, com o propósito de levar a juventude à adoção do pensar comunista. Disseminaram esta filosofia macabra entre os jovens da época (de onde nasceu o pensamento de Lula, de seus asseclas e da Vovozona) que, inflamados, deram início à grita geral no momento escolhido pelos cabeças negras, os que se escondiam nas sombras que vieram do exterior. Outra, originária dos eternos caubóis da Liberdade – Os EUA — representada nos escorregadios agentes da CIA que não visavam combater os agentes da KGB ou da GRU, mas sim direcionar os cabeças-ocas brasileiros para uma agitação violenta, que terminasse em guerra civil. Isto daria aos EUA a desculpa para nos inundar com seus “Marines” e seus “Boinas Verdes” e, assim, transformar de vez nosso Brasil em quinta estadunidense. Um quintal privilegiado, riquíssimo, do qual nunca mais se desfariam. Mais

VAMOS RECORDAR? AFINAL DIZ-SE QUE RECORDAR É VIVER…

2 Comentários

"Tem certeza de que este negócio não está grampeado?"

“Tem certeza de que este negócio não está grampeado?”

Quem é Aldo Rebelo? A maioria esmagadora não se lembra mais das falcatruas em que o figuraça andou metido. Agora, sua popularidade cresceu alguns poucos percentuais, pois está mergulhado na palhaçada da Copa do Mundo de Futebol. Mas vamos-nos lembrar da problemática das ONG’s, para a qual ele não encontrou uma “solucionática” satisfatória?

A coisa foi assim: houve um período (no Brasil de tantas trapalhadas tem de haver períodos para tudo) em que as ONG’s andavam assanhadinhas, metendo a mão no fubá público. Isto acontecia na administração de Orlando Silva. Aldo tomou conta da pasta ministerial e correu com as ONG’s. E sem procurar ir a fundo nas maracutaias, passou a valorizar os negócios com Prefeituras, Universidades e outros órgãos públicos. É algo assim como varrer a sujeira para debaixo do tapete, em vez de retirá-la criteriosamente de dentro de casa, pois é sabido nos quatro cantos do mundo que é nas Prefeituras onde acontecem os maiores desvios de verbas públicas no Brasil, “Aldinho” preferiu apenas escoimá-las para o canto e deixou tudo pra lá. E foi serelepe negociar através das Prefeituras. O mecanismo, neste primeiro degrau da Faculdade de Polititicagem, está às escâncaras: as licitações públicas. Qualquer municipiozinho fulera Brasil a fora, se tem Prefeitura, tem desvio de verbas públicas. Feche os olhos, meta o dedo no mapa do Brasil. Abra o olhos e veja: você está mirando um centro de roubalheira institucionalizada. Não há o que duvidar. Mas o “Aldinho” não se deu ao trabalho de ir fundo no negócio das ONG’s. Botou-as de lado e foi em frente. Mais

A QUANTAS ANDA A VOVOZONA E SEUS APANIGUADOS

1 Comentário

"Ai que insônia danada esse povo me deu, rapaz!"

“Ai que insônia danada esse povo me deu, rapaz!”

Tocou rebu geral. Vovozona perdeu o sono. Dois mil e quatorze está balançando na beira do abismo. Lulão está quieto, não fala nada. Nem aparece. Os polititicas estão na berlinda e hesitam em tomar decisões que são contra eles. E eis o que se lê na “Folha”: PREFEITOS QUEREM SOLUÇÃO PARA TRANSPORTE URBANO. Querem, é? Como assim? Quem explica isto? Vejamos a quantas andam os planejamentos dos polititicas. Ainda da FOLHA temos o excerto abaixo: Mais

PARA QUE SERVE O PENSAMENTO?

Deixe um comentário

"La vem pregação contra nós, os santos do pau oco. Mas que droga!"

“La vem pregação contra nós, os santos do pau oco. Mas que droga!”

Para os políticos brasileiros – não todos – o pensamento serve para imaginar maneiras de roubar mais e mais o erário público. Afinal, dinheiro em conta-corrente nunca é demais, não é mesmo? Mas a serventia do Pensamento vai muito além da ganância de poucos. Nós pensamos para conhecer o mundo em que vivemos. Não somente o mundo natural, bruto, perigoso e lento em mudanças, mas também e principalmente este mundo louco que nós criamos para nele vivermos nosso calvário, nossa agonia e nosso desespero.

Entre os budistas o Pensamento é conhecido como Kriya. E é compreendido como o instrumento psíquico que dá à Identidade Pessoal a capacidade de conhecer as coisas e suas relações dinâmicas e funcionais. Entre nós, ocidentais, esta necessidade de conhecer coisas e processos tem um objetivo que se relaciona diretamente com o Medo geneticamente predominante em nosso ser social. Esta relação se traduz em controlar o máximo possível os ambientes em que vivemos e prever os acontecimentos que nele se seguem, de modo a poder também manter controle sobre o futuro mediato.  Mais

Older Entries