Vovozona e o rapapé para o Papa. O custo é que foi de amargar...

Vovozona e o rapapé para o Papa. O custo é que foi de amargar…

“Brasília – A viagem da presidente Dilma Rousseff ao Vaticano para a missa inaugural do papa Francisco custou aos cofres públicos 125.990,00 euros (cerca de R$ 324 mil), informou nesta quarta-feira ao jornal O Estado de S.Paulo a assessoria de imprensa do Itamaraty. A oposição quer explicações sobre as despesas da comitiva presidencial. Os gastos dizem respeito ao valor total do pacote de hospedagem e salas de apoio e reunião.” (Excerto do Exame.com de 20/03/2013)

“O deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) vai cobrar do Palácio do Planalto mais informações sobre o custo total da viagem da presidente a Roma. O partido também quer o gasto total dos deslocamentos da presidente ao exterior desde o início do mandato. “Isso é mordomia pura, é algo que choca. Presidente da República sair do Brasil, ir para uma missa, ficar três dias com uma comitiva desse tamanho, e pagar uma diária que custa R$ 7.700 é algo que choca. É um negócio inaceitável”, atacou Bueno. (Idem, ibdem)

Putz! Jogaram aquilo no ventilador... E agora?

Putz! Jogaram aquilo no ventilador… E agora?

Vovozona ficou uma arara. Como é que pode os fofoqueiros de plantão espalharem aos quatro cantos que ela ousou usar seu direito de esbanjar dinheiro público, quando todos fazem pior que isto: roubam-no na cara de pau?

Ofendida, Vovozona decretou: “De agora em diante, minhas viagens e minhas despesas no exterior serão sigilosas. Nada de espalhar aquilo no ventilador. Eu mando, logo, eu posso. E ‘tamos conversados”. É… Como diziam os velhos milicos da “dita-mole” brasileira: “Manda quem pode, obedece quem tem juízo (ou é covarde, acrescento).

Molecagem à parte, esse esbanjamento de dinheiro público que nós pagamos no chicote durante cinco meses de cada ano está ficando chato. Claro que fico assanhado quando vejo novamente o estopim das revoltadas estudantis pipocando pelo Brasil em protesto contra o aumento das passagens. A coisa sempre começa por aí. Logo vêm as greves mais intensas e mais brigonas, com trabalhadores levando um “amaciamento cacetetoral” nos lombos luzidios e preguiçosos, para deixarem de ser baderneiros e voltarem ao trabalho sem chiar pelo ganho merreca. Afinal, moramos em um país rico em tudo. Menos, é claro, em vergonha e lisura em seus polititicas, mas isto é outra história.

Qual sapatona vai querer que seu ícone resolva retornar às origens? Vai haver o diabo...

Qual “colorida” vai querer que seu ícone resolva retornar às origens? Vai haver o diabo…

Depois das greves e dos conseqüentes “amaciamentos cacetetorais” segue-se um período de baderna total. Agora, quando isto acontecer, as páginas de relacionamento vão estourar, pois brasileiro é bicho sem-vergonha de fofoqueiro. Vão colocar as notícias mais absurdas na internet. Algo assim como “minha avó de 96 anos foi estuprada quando cochilava em sua cadeira preguiçosa por um militar de dezoito anos, taradão”. Os milicos vão cuspir chumbo de tanta raiva. Os quartéis vão entrar de prontidão e um reco qualquer é apresentado ao povão burrão como o tarado da vovó. Mas isto não vai acalmar os terroristas cibernéticos. Eles, então, o que será muito pior, maldosamente, dirão que Daniela Mercury, mandou às favas a amante porque descobriu as delícias da cama com um machão nordestino. Pior: ela declarou que aquele negócio que ela havia esquecido, é danado de gostoso”. O Fim da Picada. Os Gays, as Lésbicas etc… vão arrancar os cabelos e a passeata não será mais pacífica nem colorida. A gritaria será: “Volta, Dany!” Não entra de novo no armário que é fria!” Mais amaciamentos cacetetorais, mas desta vez a coisa fede. É discriminação, é preconceito sexual. Como ousar descer o pau no lombo luzidio da minoria colorida? O pau deve… Deixa pra lá!

Coloridos e coloridas vão bagunçar as forças armadas. Descer a porrada nos iguais, nem pensar!

Coloridos e coloridas vão bagunçar as forças armadas. Descer a porrada nos iguais, nem pensar!

Aí as forças armadas vão enfrentar a Suprema Corte e a gritaria generalizada no Legislativo, onde há um montão de “Armarizados” que ainda não têm coragem de abrir a porta e sair gritando e rebolando: “Enfim! Sou Gay!”. Exército, Marinha, Aeronáutica, a Força Nacional e todas as polícias brasileiras vão se ver na fogueira. Afinal, em suas fileiras, desde não sei de que ano, foram admitidos os alegrinhos e as alegrinhas. Agora, eis que elas e eles também se levantam contra a brutalidade discriminadora. A Bolsa de São Paulo despenca. Gente se suicida porque perdeu até as cuecas da noite para o dia, como aconteceu no tempo do “Furioso” (para os que já esqueceram, Furioso foi o maldito Collor de Melo).

E ai eu acordo todo… Deixa pra lá!

..