Execrando! Ladrões sem compostura nem patriotismo aproveita a legítima revolta do povo para roubar. Eles devem ser caçados e presos.

Execrando! Ladrões sem compostura nem patriotismo aproveitam a legítima revolta do povo para roubar. Eles devem ser caçados e presos.

Vi pela TV o triste espetáculo que cidadãos mal-educados ou mal-intencionados ofereceram ao Brasil e ao Mundo. E fiquei pensando em como as coisas não mudam. Aquelas pessoas anti-cívicas podem ter duas origens: a) são criminosos que, misturados ao povo, tentam levar vantagem à sua maneira marginalizada. Isto explicaria a depredação no banco Itaú e o assalto às lojas, coisa que a maioria esmagadora dos integrantes dos protestos jamais faria; b) infiltrados — cidadãos sem consciência, vendidos ou a partidos políticos que querem levar vantagem sobre a manifestação espontânea do povo, ou a políticos dos quais são “paus-mandados”, que desejam exacerbar as manifestações para forçar uma ação mais enérgica da Polícia e, com isto, encontrar motivos para detratar o Governo atual, seja o Municipal, o Estadual ou o Presidencial.

Isto é inadmissível. Os responsáveis devem ser entregues à polícia. Não são brasileiros. São baderneiros.

Isto é inadmissível. Os responsáveis devem ser entregues à polícia. Não são brasileiros. São baderneiros.

Que aqueles que vêem as ações deploráveis levadas a cabo por pessoas que não deviam ser aceitas no meio social não lancem à conta do Povo Brasileiro as ações criminosas e sem consciência cívica de tais indivíduos. Que os que os viram agindo e conhecem seus endereços, entreguem-nos à Polícia, para que sejam presos e não continuem a se aproveitar da situação quer para levar vantagem, quer para causar agitação estúpida.

Lamentavelmente tais indivíduos existem em nosso meio. Sei que a opção pela bandidagem não é do cidadão em si. É a condição miserável da P0lítica Nacional que  cria situações onde o cidadão não tem opção. Mesmo assim, a eles não se deve reconhecer o direito de se aproveitar dos justos anseios do Povo para sujar os movimentos cívicos que este tenta levar a efeito a fim de expor ao mundo a violência política que os humilha. Eles devem ser detidos. Devem responder pelos crimes e, o que seria ótimo, devem ressarcir aos bancos e aos logistas, os prejuízos que lhes deram.

Por que ele ainda está solto?

Por que ele ainda está solto?

O Movimento da juventude está lindo. Está louvável, mesmo. É o Brasil civilizado gritando contra a patifaria que domina nossos Poderes Constituídos, desde a vereança até à Presidência da República. Nossos jovens estão de parabéns. É isto que deve ser feito e que não pode cair no esquecimento nem esfriar tão depressa.

Sugiro aos líderes do Movimento dos Sem Partido que promovam comitês organizadores dos pleitos cívicos, a fim de que o Movimento tenha um Norte, um Sentido para as reivindicações. Que o mundo não fique preso aos R$ 0,20 centavos, como vejo que muitos brasileiros ainda acham que é só isso (meu filho é um deles). Ponham em primeiro plano:

Por que ele ainda está fora da cadeia?

Por que ele ainda está fora da cadeia?

a) A imediata prisão dos condenados no Supremo Tribunal. Que eles não mais se mantenham acoitados no Legislativo, ainda que acobertados por asas de morcegos e urubus, como aquele que veio, lastimavelmente, do Piauí, minha terra natal, defecar literalmente a tal PEC-37, a PEC DA IMPUNIDADE;

b) A cassação imediata dos políticos envolvidos em falcatruas e desvio de dinheiro público. Não é nada difícil saber quem são eles. Basta que se faça uma devassa séria nas licitações públicas municipais, estaduais e federais. É aí que os porcos gordos da corrupção deitam e rolam;

Eis o autor da PEC-37, a PEC da Impunidade. Fora com ele!

Eis o autor da PEC-37, a PEC da Impunidade. Fora com ele!

c) A limpeza ética e moral no meio político nacional brasileiro. Não somente os já punidos, mas aqueles que lhes dão cobertura contra todo o povo brasileiro, como é o caso do Dep. Nazareno Fonteles, Piauiense, mau brasileiro e o idealizador da PEC-37, a PEC DA IMPUNIDADE.

Esta PEC está engasgada não somente no gasnete do brasileiro comum, Zé Ning, mas também na goela de muitos políticos que batalham contra a impunidade. Leio, no endereço http://www.ebc.com.br, o seguinte: “Diante da tramitação da PEC 37 na Câmara dos Deputados, diversas organizações lançaram a campanha “Brasil contra a impunidade”, acusando a proposta de beneficiar criminosos. Utilizando dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o grupo alega que apenas 11% das ocorrências sobre crimes comuns são convertidos em investigações policiais e, no caso dos homicídios, somente 8% são apurados.” Ou seja: se deixarmos para as polícias a investigação dos crimes de colarinho branco, jamais teremos qualquer deles levado à barra dos tribunais. E é isto justamente o que desejam José Genoíno, Delúbio Soares, José Dirceu e Nazareno Fontele, o peste que envergonha o Piauí.

A polícia é POVO e tem de estar ao lado do POVO, não defendendo bandido de colarinho branco.

A polícia é POVO e tem de estar ao lado do POVO, não defendendo bandido de colarinho branco.

Finalmente, sugiro aos líderes do Movimento dos Sem Partido, que organize uma força tarefa de pessoas militantes fortes, hábeis no jiu-jitsu ou outra arte marcial, para andar na frente do povo. Quando indivíduos mal-intencionados e que não estão nem aí para as justas reivindicações do povo tentarem abusar das instituições públicas ou privadas, esta força tarefa entra em ação. Domina os sujeitos e os entrega aos policiais. Assim, o mundo inteiro vai ficar sabendo que o Movimento não endossa a violência, depredação gratuita e, melhor, que a PM não deve ficar temerosa de estar ao lado do povo, pois ao fim e ao cabo, todo PM é povo.