Mato a cobra e mostro o pau. Aí está o teto da escola, no chão.

Mato a cobra e mostro o pau. Aí está o teto da escola, no chão.

Teto de escola em Porangatu desaba e por sorte não mata dezenas de crianças; projeto de estudo de melhora no trânsito de Goiânia sai da gaveta onde ficou abandonado por 10 anos. Só agora, depois do quebra-quebra, o Governo Municipal decide desengavetar um projeto que foi proposto há dez anos. O Prefeito goianiense tem a desculpa de dizer: “Mas ele não foi engavetado no meu Governo”. Sim, não foi. Mas o senhor Paulo Garcia está no Poder Municipal há 6 anos e não mexeu no abacaxi. Enquanto isto, no Planalto, a toque de caixa, eis que um projeto que é tão velho quanto Papai Noel, também é desengavetado a toque de caixa: a tal Reforma Política. Em que ela interessa aos revoltados de agora? Isto parece manobra da Vovozona para desviar a atenção do povo. Conseguirá?

Ei-los, Políticos e polititicas em votação.

Ei-los, Políticos e polititicas em votação.

Há, também, outra concessão que os polititicas foram forçados a fazer, certamente com lágrimas de desespero: abdicar do voto secreto na cassação de mandatos. Isto deve estar doendo como dente infeccionado. Uma das muitas vias de escape à Justiça está quase totalmente vedada aos safardanas de colarinho branco. Leio, em Carta Capital, de 26/06/2013, artigo que diz: Em mais um gesto para acalmar as manifestações populares das últimas semanas, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou, nesta quarta-feira 26, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 196/12, que institui o voto aberto para processos de cassação de mandato por falta de decoro e por condenação criminal com sentença transitada em julgado. O voto secreto nesses casos era motivo de indignação frequente da opinião pública a cada novo escândalo envolvendo parlamentares. Com a votação secreta, o eleitor não podia identificar quais parlamentares tinham votado pela absolvição de colegas vistos como corruptos”.

"Vou-me embora pra casa que essa aí é sacanagem"

“Vou-me embora pra casa que essa aí é sacanagem”

Assombroso. Diante do perigo mortal de serem todos levados à guilhotina por aqueles aos quais vêm tripudiando descaradamente, os polititicas correm para aprovar medidas que são contra eles mesmos. Claro está que entre eles vibram os Políticos de Verdade, que, em minoria sempre, nunca, em mais de 50 anos, tinham conseguido desengavetar este mecanismo de moralidade do nosso sistema político. Bem, embora o Movimento não tenha inicialmente se voltado para isto, surtiu um efeito muito bom. Mas como jamais confio em polititica, fico com 99,5 pés atrás com esta manobra a toque de caixa e me pergunto: o que estarão planejando, concomitantemente com a aprovação da guilhotina para eles mesmos, a fim de driblar tal mecanismo? Porque podemos todos estar certos de que um planejamento estratégico neste sentido está em em pleno funcionamento. Assim como a Lei da Ficha Limpa foi tornada inviável em seus efeitos imediatos, como era o propósito dos que lutaram por ela, também assim este mecanismo de punição do polititica será, com certeza, bloqueada de alguma forma.

E por que eles conseguem tamanha façanha? A resposta é simples: Ninguém se dispõe a mexer no Código “dis”-Penal Brasileiro. O diabo está justamente nesta oculta partícula prefixal “dis”. Ela desdiz o que a Lei afirma. E aí a vaca vai pro brejo com bezerro e tudo.

Ah, sim. Não fiquem alegrinhos, não. A tal PEC-196/2012 só foi aprovada em sua admissibilidade. Ainda terá de ser submetida a uma comissão especial para analisar seu mérito antes da votação pelo plenário da Casa em dois turnos. Hummm… Acho que já começa a surgir o caminho de alegria e esperança para os polititicas. O povo vai esfriar nos próximos dois meses (o movimento passe livre já está morno) e aí, quem sabe? a “Fada do Dente”, importada da América do Norte, vai fazer o milagre de adormecer novamente, por outros 50 anos, esta proposta “indecorosa, imoral e inconstitucional”. Êta fadinha mais fedorenta, né não?

Mas voltando a Porangatu, a Secretária de Ensino apareceu dizendo que a escola que teve o teto desabado e está com as paredes rachadas em iminente perigo de desabamento já está na pauta para reforma a partir de julho. Seria bonito, se não fosse o agravante de que há dois anos a diretora da escola vem informando ao Prefeito de Porangatu as condições precárias e perigosas da construção. Só agora, com a gritaria geral, o Prefeito da localidade corre para apagar o incêndio. Ora, Porangatu, assim como 90% das cidadezinhas do interior brasileiro, é antro de desvio de verbas públicas de quaisquer espécie: verbas de saúde; verbas de transporte; verba de educação; verba do minha casa minha vida… Enfim, é verba pública? Tem uma porção de vereadores e Prefeitos doidos para “naqueá-las” (não tem no dicionário. É neologismo criado a partir de naco = pedaço) devida e furiosamente. Se sobrar algum tostão… Bem, como com tostão não se faz nada, ele também é engolido no bolo. Um mais guloso o “naqueia” e pronto.

"Essa aí é uma boa! Desengaveta essa! Vai dar em nada, mesmo!"

“Essa aí é uma boa! Desengaveta essa! Vai dar em nada, mesmo!”

Em Goiânia desengavetou-se um projeto que estava mofando e que foi criado visando a melhoria das condições de tráfego no Município. Que bom. A furiosa propaganda do “compre-carro, compre-carro, compre-carro” entupiu todas as artérias desta pequena capital, imaginada para ter circulação de carroções de bois e, não, de automóveis. Agora, o bicho tá pegando adoidado. Coloca-se o carro na rua para exibi-lo e satisfazer a PETROBRÁS e suas concessionárias, pois os engarrafamentos mantêm aquelas caixas de metal com pintura reluzente paradas no que devia ser trânsito, por horas. Mas o goianiense não tem como abdicar do carro. Não há ônibus nem decentes nem indecentes, para usar. E a quem reclamar se os donos das duas empresas são os tubarões políticos de ontem e de hoje, que dominam o Estado?

E finalmente temos a notícia que leio no Jornal do Brasil: A Câmara aprovou nesta quarta-feira a proposta que zera as alíquotas das contribuições sociais para o PIS/Pasep e a Cofins sobre os serviços de transporte público municipal rodoviário, metroviário, ferroviário e aquaviário de passageiros.

A expectativa é que a medida contribua para reduzir o valor das passagens de ônibus, trens e metrôs e de embarcações utilizadas no transporte aquaviário”.

Bom? M… nenhuma, Zé Ning. Eles estão preservando o dim-dim dos empresários do transporte coletivo. E quem é atingido? O trabalhador, lógico. Releia o excerto que pesquei no artigo com mais atenção e veja se não estou certo. Vá, deixe de preguiça e pense.

Bom, finalizando, leio na Folha de São Paulo que a Câmara do Município decidiu abrir uma CPI para investigar o imbróglio dos transportes na cidade. E já começa uma rixa danada do PT contra o resto. O Partidão Gulosão quer controlar a CPI e está manobrando furiosamente para conseguir tal intento. Por que será? Deus que nos diga… Mas fica um alerta bem grande: a Polititica petista não vai arreglar, gente. Mexer com eles? Nunca! Mexer na caixa preta que lhes dá rios de dinheirinho bem-vindinho? Nem pensar.

É, os Zé Nings brasileiros ainda terão de tomar muito banho de chuva antes que consigam mandar para a lata de lixo a canalha petista.

Quem mandou votar nos ome?

.