Aí a Vovozona. Parece, pelo que se lê na reportagem, que esta "simpatia" é pra inglês ver...

Aí a Vovozona. Parece, pelo que se lê na reportagem, que esta “simpatia” é pra inglês ver…

Eis o que leio em ÉPOCA, na internet: “A personalidade de Dilma – a caminho de completar seu terceiro ano de mandato, com dez de Brasília nas costas e metida na mais grave crise política brasileira desde o mensalão – tornou-se um problema para o país. Não apenas por causa dos abundantes episódios de rispidez com políticos e subordinados – mas, sobretudo, porque esses episódios revelam uma presidente inflexível, aparentemente incapaz de se curvar ao erro, mesmo quando confrontada com as vozes das ruas, que agora chegam a poucos metros do Planalto. Revelam uma tecnocrata obstinada, não uma estadista consciente de que, para liderar o país num momento de crise, é preciso genuinamente buscar o diálogo não apenas com a população, mas também com todas as forças políticas que compõem a democracia brasileira. Se o Brasil estivesse no rumo certo, as inquebrantáveis convicções de Dilma – nas opções de política econômica, na centralização obsessiva da gestão do governo, no desprezo pelos políticos – poderiam ser consideradas corretas. Mas o Brasil está no rumo certo? Não há maquiagem na propaganda oficial que consiga camuflar os problemas no governo, apesar de os gastos com esse quesito estarem em alta no Planalto (de acordo com o jornal Folha de S.Paulo, as despesas com o visual da presidente subiram 681% desde dezembro de 2012 e somam R$ 3.125 a cada aparição de TV em cadeia nacional). (COM LEANDRO LOYOLA, MARCELO ROCHA, MURILO RAMOS E FLÁVIA TAVARES [DE BRASÍLIA]; FELIPE PATURY, JOSÉ FUCS E ALBERTO BOMBIG [DE SÃO PAULO]).

Este namoro, agora, pode ser compreendido.

Este namoro, agora, pode ser compreendido.

Agora eu posso compreender este estranho “beijo esquimó” no mais que antipático êmulo do trio maldito PMDB/PSDB/DEM, José Serra. Não há sujeito mais antipático, grosseiro e desprezível, quando se trata de interagir com gente que seja “goin”. Mas estive pensando que ela está coerente com o que aprendeu no seu tempo de ativista. Comunista não é simpático com quem não comunga de seu modo torto de compreender Democracia. No Comunismo, uma plêiade demoníaca dita à plebe ignara o como, o quando, o onde, o quê e o porque deve ou não, fazer algo. Por isto é que é comunismo, ou seja, o pensar de uns poucos tem de ser COMUM a muitos, senão…

"Gente, eu garanto: os jovens de hoje nunca vão envelhecer e é por isto que sou defensora intransigente do Fator |Previdenciário. Acreditem em mim que não minto!"

“Gente, eu garanto: os jovens de hoje nunca vão envelhecer e é por isto que sou defensora intransigente do Fator Previdenciário. Acreditem em mim que não minto!”

O Lulão da plebe ignara também tem este modo mesquinho de entender “comunismo”. Só que foi tremendamente hábil em esconder suas convicções ditatoriais e disfarçá-las sob a capa de defensor intransigente da “Democracia”. Uma Democracia onde o idoso deve ser massacrado e eliminado o mais rápido possível, pois ele é “peso morto” para o Mercado de Mão de-Obra Produtiva. Por isto, o maldito FHC inventou a fórmula mais maldita ainda, que seus apaniguados chamaram de Fator Previdenciário. E como as “forças ocultas” curvaram o Partidão, sendo a Vovozona e o Babacão seu padrinho políticos eméritos egressos dele, ambos passaram a defender ferrenhamente a mentira do século, inventada pelos “polititicas” do trio maldito: “O INSS dá prejuízo”. Mentira que a Rede Globo de Televisão faz ecoar pelos quatros cantos do mundo. Claro que isto acontece porque ela também é vendida, como todo traidor do povo brasileiro. Nós jamais iremos ouvir uma entrevista levada a efeito por qualquer repórter da Globo com o intransigente defensor dos aposentados brasileiros, o Senador Paulo Païm. Afinal, ele está do lado errado da História, não é?

Seremos, mesmo, peso morto? Não. As empresas estão de nosso lado, ainda que não o digam de modo claro. Em todos os jornais e revistas saem reportagens que mostram que somos nós, os velhos “imprestáveis”, os que se procura para ocupar cargos de chefia e de gerência, devido mesmo à experiência que acumulamos em anos e anos de dura lide em nossa vida sofrida.

"Cumpãeiro, esse negócio não foi criação nossa, não. A gente só mante ele de pé, só isso".

“Cumpãeiro, esse negócio não foi criação nossa, não. A gente só mante ele de pé, só isso”.

Nunca é demais insistir neste assunto, pois todos os brasileiros um dia estarão sob o aguilhão mortal desta indecência política, originada em uma Mente Hitlerista, com certeza. Eis o excerto que retirei de um artigo publicado em “CONGRESSO EM FOCO”, datado de 11/06/2013, logo de data bem recente, graças a Deus. Eu pensava que o assunto tinha sido enterrado e nós, velhos abandonados pelos polititicas, estávamos mesmos condenados ao degredo e à morte à míngua  pois nossa entidade representativa está num silêncio sobre esta luta que faz desgosto. Mas ao que parece, não é bem assim. O assunto ainda ferve entre Políticos e “polititicas”.

Leiam.

“Debate que interessa diretamente a aposentados e pensionistas, ou àqueles trabalhadores em vias de se aposentar, a discussão sobre o fim do fator previdenciário no Congresso tem sido travada pelo governo. O projeto que trata do assunto está pronto para ser votado em plenário na Câmara, já recebeu nove pedidos de inclusão na ordem do dia, mas até agora líderes governistas têm conseguido segurar a votação. Criado para manter sob controle as contas da Previdência Social, o fator calcula as aposentadorias por tempo de contribuição e idade, funcionando na prática como um redutor dos benefícios previdenciários. O fim do fator é hoje a principal reivindicação dos movimentos e entidades dos aposentados.”

Mas acreditem: vou vencer. Sou brasileiro e não desisto nunca!

Mas acreditem: vou vencer. Sou brasileiro e não desisto nunca! (Sen. Paulo Paim)

Na mesma reportagem lemos o seguinte trecho que translado para este artigo: “Autor do projeto de lei que acaba com o fator previdenciário, o senador Paulo Paim (PT-RS) não hesita em afirmar que o governo do seu partido (ele é petista, lamentavelmente) quer impedir a votação da proposta. “O governo tem travado a votação. Isso é verdade, fato!”

Mas por que será que se quer tanto e com tanto empenho manter este abantesma dos infernos massacrando os idosos brasileiros? Simples: interesses bancários. Eu já expliquei isto aqui. E o que o PT tem haver com isto? Simples: o Partidão está comprado desde mesmo o tempo do Lulão Espertalhão. O trio satânico deve ter-lhe mostrado a montanha de dinheiro que os bancos estão dispostos a passar para os cofres dos partidos políticos que aceitarem manter o cutelo dos velhos brasileiros no ar e forçarem a bancarrota do INSS.

Por que TODOS os brasileiros, desde a alfabetização, deviam ser informados sobre este maldito carrasco que os espera quando já estiverem idosos, como eu? Porque sem esta informação, eles estarão condenados a uma velhice desgraçadamente sofrida. Por isto é importante que todos acompanhemos o desenrolar desta novela dantesca: polititicas X Aposentados do INSS.

"Ptzgrila! A Dilma está descendo o malho! Eu, hein! Eu não teria sua coragem. O Brasil é como areia movediça. Quem está por cima, hoje, com certeza ficará por baixo, amanhã"

“Eu é que não queria trocar de lugar com a Dilma”

Muitos erros a Vovozona cometeu, mas de todos, o que ela herdou de seu padrinho político foi o maior: manter-se a favor dos bancos e contra o povo idoso brasileiro. A juventude vem acordando para o perigo que paira sobre suas cabeças e que se chama INFLAÇÃO. E esta vai desembestar ainda este ano. Querem saber porquê? Simples: porque o dólar vai aumentar. A previsão é que ele chegue ao patamar assustador de R$ 2,70 e avance a passo acelerado para os R$ 3,00. Isto significa que os combustíveis vão subir. Não há como sustar este aumento, a menos que aja com lisura e verdade no bruto jogo internacional que se joga em torno dos combustíveis. E quando o combustível sobe, todos os preços sobem junto. E com eles, o preço das passagens de ônibus. E elas vão subir sem que as empresas ofereçam absolutamente nenhuma melhora nas conduções que oferecem aos Zé Nings brasileiros. E estes, depois que provaram o poder que têm nas mãos, voltarão às ruas. E desta vez os políticos não vão poder atendê-los. Aí…

É por essas e outras que eu disse que a Vovozona vai de ladeira abaixo que vai danada. E vai danada porque, como comunista enrustida, ela é arrogante (e não sou eu quem o diz, conforme se pode verificar logo na abertura deste artigo) e intransigente. No momento atual, a intransigência é o maior erro que um governante pode cometer. Basta ver o que vem acontecendo nos mundos árabes.

O diabo, gente, é que vamos que vamos na companhia dela…

Arre égua!