"Isso mesmo! Você não entende nada! É um inútil, como todo o resto do povão. É tão inútil que já nem mais vota. Então, cala a boca!"

“Isso mesmo! Você não entende nada! É um inútil, como todo o resto do povão. É tão inútil que já nem mais vota. Então, cala a boca!”

Já começo dizendo que legislação não é minha área. Mas tenho refletido muito na palhaçada que a mídia contra ou a favor do povo está fazendo com este assunto: o Plebiscito. Leio de Reinaldo Azevedo, 02/07/2013,  às 6:09, na VEJA on-line, um libelo contra a Vovozona ter sugerido o plebiscito quanto à REFORMA POLÍTICA. Primeiro: os Zé Nings não foram às ruas buscar soluções que já caducaram nas gavetas de todos os polititicas nacionais, como é o caso da tal Reforma. A introdução deste tema na revolta popular foi uma artimanha da Vovozona, certamente dirigida pelo Partidão, que busca “enquadrar” os anseios políticos no curral do marasmo polititica nacional.

"Porra! Não joga merda no ventilador! Já consegui a polarização da mídia. Agora, é só dar o golpe de misericórdia nos bobões!"

“Porra! Não joga merda no ventilador! Já consegui a polarização da mídia. Agora, é só dar o golpe de misericórdia nos bobões!”

Uma vez caído ali dentro, qualquer revolta popular será “devidamente esfriada”. De repente uma guerrinha de mentirinha entre partidos se alastra pela Mídia. A que é paga para se manter a qualquer preço aliada aos polititicas petistas ou não, como a Rede Globo de TV, fará aquele estardalhaço no ar e na escrita. Aí, os Zé Nings que, como eu, não entendem nada do labirinto de Leis propositadamente criado para confundir e enganar, fica atônito e se recolhe à sua insignificância. É o caso do libelo do Reinaldo. Ele diz que: “Uma Constituinte e mesmo o plebiscito não são a casa-da-mãe-Dilmona — vivendo, é bom destacar, seus dias de Madrasta da Cinderela. Há regras para as duas coisas. É impressionante — estupefaciente mesmo (sim, eu gosto dessa palavra!) — que o Brasil esteja a discutir uma reforma política quando a governante de turno, ao empreender tal esforço, simplesmente ignora a lei”. Bom, eu não sou a favor da Vovozona porque sou visceralmente contra o PT Covil de Ladrões, Anarquistas e Aproveitadores de todos os esgotos do Brasil. Entretanto, caro Reinaldo, creio que se eu estivesse lá em cima e com o Partidão apertando meus calos, com seus êmulos mandando no Legislativo à revelia da Lei (veja-se o caso dos condenados pelo Supremo que continuam arrotando grosso sobre nossa dignidade), também tomaria a iniciativa de atropelar a tal Lei a que você se refere.

"Diabo! A gente tem de voltar a trabalhar com a pistolagem, pra silenciar velhos linguarudos como esse aí!"

“Diabo! A gente tem de voltar a trabalhar com a pistolagem, pra silenciar velhos linguarudos como esse aí!”

O povo foi às ruas, Reinaldo, não em busca de Leis nenhumas. O povo foi às ruas gritar contra o que lhe é imediatamente acachapante (eu também gosto desta palavra, sabia?). Não é o Brasil (entenda-se POVO) que discute uma reforma política, como você diz. Nem mesmo são os polititicas de plantão. Nós, Zé Nings, meu caro Reinaldo, não buscamos imiscuir-nos nos tititis polititicas. Por isto foi que repudiamos qualquer bandeira partidária e seus seguidores, em nossa grita nacional. Queremos AÇÃO GLOBAL (sem vínculo com a Globo, quero deixar bem claro). Queremos HOSPITAIS que funcionem em função da cura das mazelas do povo e, não, como disfarçados crematórios alemães, onde vamos sabendo com quase certeza que dificilmente voltaremos para casa, vivos. Queremos condução decente, pois a que está nas ruas das cidades brasileiras é mais velha que a avó de Matusalém, está caindo aos pedaços e os preços estão nas nuvens. Queremos infraestrutura nas cidades como o Rio de Janeiro e São Paulo que, toda vez que chega o período de chuva “literalmente morrem afogadas”. Queremos estradas boas, seguras, com bom asfalto e sem empresas particulares cobrando acachapantes pedágios sem-vergonhas. Queremos que as verbas destinadas aos infelizes moradores das cidades serranas do Rio de Janeiro e de outros Estados, sejam devolvidas ao povo para que os estragos sejam reparados, as indenizações pagas, as moradias prometidas, construídas. É por isto e foi por isto que fomos às ruas, Reinaldo.

"Mas nós somos, quer você goste, quer não."

“Mas nós somos, quer você goste, quer não. E quanto à saída da corja, perca as esperanças. Se sai o PT entra, inarredavelmente, o PMDB e a merda vai continuar como está.”

Enfim, meu amigo Reinaldo, os Zé Nings foram às ruas gritar contra os desmandos dos que, eleitos, passaram a acreditar que são senhores feudais e o Brasil é um conglomerado de feudinhos nos quais os feudalistas polititicas mandam e desmandam à granel.

QUEREMOS A SAÍDA IMEDIATA DA CORJA TODA, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, do Senado assim como das Câmaras de Vereadores. Nós não queremos Reforma Política levada a efeito pelos que JAMAIS A DESEJARAM. Nada sairá desta pantomima (gosto desta, também) imoral.

Você ressalta a Lei 8.709 (muito prazer em conhecê-la. Sabe que, até hoje, vivi muito bem sem saber de sua existência?) a qual diz, em um de seus artigos que você cita: “Art. 3o Nas questões de relevância nacional, de competência do Poder Legislativo ou do Poder Executivo, e no caso do § 3o do art. 18 da Constituição Federal, o plebiscito e o referendo são convocados mediante decreto legislativo, por proposta de um terço, no mínimo, dos membros que compõem qualquer das Casas do Congresso Nacional, de conformidade com esta Lei.”

"Ih! O velho matou a cobra e mostrou o pau!"

“Ih! O velho matou a cobra e mostrou o pau!”

Veja, Reinaldo. A tal Lei diz que plebiscito e referendo, segundo a Constituição Federal, são competência do Legislativo. Ora, mesmo sendo um jumento no que toca à interpretação de Leis, penso que minha jumentice me permite compreender que: a) O Legislativo se tornou uma Suserania Absoluta, totalmente desligada do povo que elege seus acólitos ano após ano, os quais aparecem na TV em horário obrigatório e GRATUITO (atenção paulistas; a pronúncia é gratúito, e não gratuíto) sempre com as mesmas deslavadas caras-de-pau; b) Os Suseranos brasileiros acoitados no Legislativo vêm empurrando com a barriga a tal Reforma Política há séculos, pois isto mexeria com toda a estrutura safada que montaram naquela Casa e desmantelaria todo o arcabouço de sem-vergonhices e safadezas que lhes dão base para se sentirem “os reis da cocada preta”. Então, Reinaldo, você entende a razão de a Vovozona, cutucada pelos seus acólitos do Partidão, ter inventado esta fofoca inútil? Ela vai conseguir polarizar a atenção dos Zé Nings ao redor desta isca inútil e, com isto, vai esvaziar as marchas pela LIBERDADE, mais uma vez outra vez.

"Putzgrila! Esse velho é danado de linguarudo!"

“Putzgrila! Esse velho é danado de linguarudo!”

Bom, pela Lei citada a gente é jogado dentro da Constituição e lá eis mais uma arapuca da qual os Zé Nings não escapam jamais: o plebiscito e o referendo são convocados mediante decreto legislativo, por proposta de um terço, no mínimo, dos membros que compõem qualquer das Casas do Congresso Nacional”. Agora, meu amigo, fodeu tudo (com licença do palavrão mais falado do Brasil). No momento em que se obriga o Povão a curvar a cabeça para a plêiade de sacanas que se reúne para decidir contra eles mesmos, a vaca brasileira, juntamente com o Brasil, não somente vai pro brejo, mas atola irremediavelmente nele.

Eis aí, caro Reinaldo, a razão pela qual a esperta Vovozona, ouvido os sussurros dos Chefões do Partidão, tratou de lançar a isca do tal plebiscito para os Zé Nings revoltados, mas ignorantes como eu quanto ao complexo emaranhado de Leis e Artigos e Parágrafos e mais sei-lá-o-quê, que constitui a Babel demoníaca onde eles, que as criam, nadam de braçada.

"Por isso é que você não está cá em cima, cumpan-eiro. Você não tem jogo de cintura! Ah! Ah! Ah!"

“Por isso é que você não está cá em cima, cumpan-eiro. Você não tem jogo de cintura! Ah! Ah! Ah!”

Vovozona atropelou o Congresso? Eu também, no seu lugar, faria a mesma coisa. Só que de modo muito mais radical. Eu mandava a PF juntar todos os processos abertos contra todos os polititicas brasileiros (do Vereador ao Senador) e, munido das provas de seus crimes de lesa-pátria (em primeira instância) e de alta traição (em segunda), mandava prender todos eles tanto no Congresso quanto nos covis onde estivessem escondidos. E não dava nem mesmo ao STF o direito de realizar julgamento cheio de rapapés, onde os Ministros apadrinhados do Partidão se esforçariam para colocar a trupe de safardanas (adoro este vocábulo!) livre novamente. Nada disto. Os safados iriam quebrar pedra de brita com marreta de dez a vinte quilos o dia todo, sem direito a visitas quaisquer, exceto no dia do enterro dos que não aguentassem o tranco. Isto é que é atropelamento, né não?

Você nos pergunta se entendemos que ” O plebiscito tem de contar, de saída com o apoio de pelo menos um terço da Câmara (171 deputados) ou do Senado (27 senadores). Para que se transforme num decreto legislativo, tem de ser aprovado pela maioria das duas Casas.” Você tá de gozação, né não, Reinaldo? Tá de sacanagem conosco, os Zé Nings revoltados. Só pode estar, meu caro. O Brasil já não mais pode marchar de passo certo com o Congresso Nacional, meu partidarista amigo do trio demoníaco. Este Congresso não mais é Nacional Brasileiro há muito tempo. Acorda, Reinaldo!!!

"E foi mesmo! E foi mesmo! O Brasil já era feudo do PSDB e o PT veio escangalhar a gente!"

“E foi mesmo! E foi mesmo! O Brasil já era feudo do PSDB e aí o PT veio escangalhar a gente!”

Revoltado, você nos diz que o que a Vovozona fez foi uma escandalosa invasão de competência, citando o Ministro Gilmar Mendes que, em sua pose magistral, segue à risca a obediência ao que os Polititicas puseram na forma de Leis. Ora, Gilmar Mendes sabe bem que não se pode mudar o Brasil se se fica aprisionado nos meandros das Leis que não foram criadas para solucionar o problema da bandidagem acoimada (êta palavrinha bonita, sô!) nas Casas Legislativas. Eu não entendo a razão de Juízes e Ministros Togados se manterem presos às Leis, às letras das quais estes sisudos senhores se cingem cegamente, quando, de fato e de direito, deviam cingir suas ações e suas decisões ao Comando da Justiça e mandar, em certos casos, as Leis ao diabo que as carregue. De que vale tanta pompa se são obrigados a curvar suas coroadas cabeças ao império do pensamento dos Congressistas plasmado na forma de Leis? Um Juiz é para JULGAR, não para OBEDECER. Ou será que estou totalmente enganado?

"Ih! Você,seu linguarudo, vai-me deixar sem nada nas mãos para enganar os Zé Nings!"

“Ih! Você, seu linguarudo, vai-me deixar sem nada nas mãos para enganar os Zé Nings!”

Reinaldo, você nos diz que “à presidente Dilma Rousseff não cabe enviar mensagem ao Congresso coisa nenhuma, como não cabia também a consulta ao Tribunal Superior Eleitoral”. Ora, sendo você um colunista dedicado à análise política, deve saber muito bem que tudo isto, toda essa encenação não passa de cortina de fumaça que o PARTIDÃO tenta jogar sobre o Povão para desnorteá-lo, com a conivência de todos os demais que lhe dão apoio para se manter tiranizando os Zé Nings brasileiros. Você devia abordar com força este tema escabroso, não escrever desconchavos fúteis (perdoe-me esta tirada, mas é que ela é bonitinha também). 

Vou finalizar este meu libelo tomando suas palavras e dizendo que à Vovozona não cabe a sem-vergonhice de tentar mais uma vez nos ludibriar, lançando-nos iscas com a finalidade de nos confundir e, de quebra, colocar de volta ao Poder todos os que questionamos vigorosamente em nossa grita nacional.

E tenho dito.