Numa espiral, se assinalarmos um ponto em uma de suas curvas e traçarmos uma linha reta para cima ou para baixo, vamos encontrar sempre pontos que lhe correspondem. Assim é a Espiral da História Evolutiva Humana.

Numa espiral, se assinalarmos um ponto em uma de suas curvas e traçarmos uma linha reta para cima ou para baixo, vamos encontrar sempre pontos que lhe correspondem. Assim é a Espiral da História Evolutiva Humana.

A História se repete sempre. E isto não é um dito popular. É uma constatação. A vida é cíclica; a Evolução acontece numa espiral que a nós parece infinita. Começa bem “abaixo”, na Escala Evolutiva Humana e, espiralando-se, chega ao nosso tempo e daqui se projeta para o futuro. Ao que tudo indica, a ilusão que temos de que possuímos Livre Arbítrio, não é verdadeira. Nós nos repetimos sem percebermos claramente que o estamos fazendo.

Na História que escrevemos através do Tempo é possível encontrar sempre pontos de correspondência entre um momento atual e outros momentos do passado. Com base nisto, deve ser possível localizar com mais ou menos grau de acerto os pontos futuros que fazem correspondência com nosso momento atual.

E que lição podemos tirar da linha reta que observamos na Espiral da História Humana? Que se o homem se repete, ele o faz em ambientes que criou e que se diferenciam em estruturas e em graus de amplitude, quer seja psíquica, quer seja tecnológica.

Outrora, os Impérios eram rudes e resolviam suas disputas no confronto direto, homem a homem, olho no olho. Por isto mesmo as guerras eram mais cruéis, porém, paradoxalmente, mais humanas. Temos exemplo desta humanidade no confronto entre Saladino e os Cruzados. Conta-se que quando foi ferido, Saladino foi socorrido por um médico cristão. Para tanto, uma trégua foi feita entre ele e seu adversário, creio que Ricardo Coração de Leão. Depois que foi curado, Saladino deu prosseguimento à batalha. Havia HONRA entre os contendores. Nem por isto a crueldade da Guerra deixava de ser menos terrível. A impiedade era a regra. A vingança era a outra regra. Mas os adversários se respeitavam verdadeiramente.

Os homens se diferenciam apenas nas roupas que vestem. Mas os militares são uniformes nas roupas e nos pensamentos: Guerrear sempre e sempre. O quebe os emburrece.

Os homens se diferenciam apenas nas roupas que vestem. Mas os militares são uniformes nas roupas e nos pensamentos: Guerrear sempre e sempre. O quebe os emburrece.

Asim como o império muçulmano desmoronou, também assim desmoronou o Bizantino, o Mesopotâmico e o Romano. E a derrota sempre começou de dentro do próprio império. Suas derrotas nasceram sempre a partir de seus dirigentes. Diz a História que Roma cresceu tanto em poder e finanças como jamais outro império antes ou depois dela. Mas nos séculos III, IV e V depois do advento do Cristo, seus governantes se perderam na GANÂNCIA e deram asas à CORRUPÇÃO. E isto foi o câncer que fez falir todos os sistemas econômico-financeiros de Roma. Mas houve outro mal a afligir a grande Roma. De braços dados com a CORRUPÇÃO estava o apego às GUERRAS por conquistas de novos territórios, além daquelas, intestinas, políticas, motivadas pela GANÂNCIA e pela USURA dos que mandavam nos destinos da nação. E foi neste terreno que a CORRUPÇÃO grassou com toda sua força e sua destrutividade.

Acho que o Brasil devia se voltar mais atentamente para as lições que Roma deixou para a posteridade. Principalmente a classe polititica brasileira, que repete na íntegra todos os erros que levaram ROMA à falência. Entretanto, somos um país de ignorantes e a classe política está prenhe de burros em instrução e cultura. A maioria veio de baixo e para que se tornassem um arremedo de dignidade a fim de se fazerem grandes aos olhos dos iletrados que os elegeram, eles invariavelmente compram seus diplomas. Assim, tornam-se “doutores”. E os diplomas geralmente são de Direito, que lástima. É por isto que o Brasil está morrendo antes mesmo de ter nascido. 

Eis o ícone do Poder Bélico da América: o porta aviões Nimtz, uma cidade flutuante  do Mal a serviço da Morte.

Eis o ícone do Poder Bélico da América: o porta aviões Nimtz, uma cidade flutuante do Mal a serviço da Morte.

Atualmente, temos o Império Americano. No início, xerifes do Mundo, eles se lançaram à conquista dos outros povos e ao domínio de outras nações. Fez isto através de GUERRAS, todas motivadas pela GANÂNCIA de Poder. Se alguma nação tinha uma riqueza que os EUA não possuíam, então, para lá iam seus agentes da CIA. Estes, manipulavam a situação política, fomentavam intrigas, lançavam partidos contra partidos, corrompiam os líderes partidários comprando-lhes as consciências com muitos dólares e finalmente conseguiam o que desejavam: a instalação do gérmen da Guerra no meio do povo. Então, eis que os filhos do Tio Sam tratavam de vender armas para os dois lados e mantinham a ambos sempre beligerantes, enquanto seus dirigentes diziam ao Mundo Civilizado que havia necessidade de os EUA, os xerifes do Mundo, intervir no país em conflito por uma questão de humanidade. E assim faziam com o apoio da maioria dos demais países, enganados pela lábia dos políticos de nossos irmãos do Norte.

Agindo sempre com a mesma meticulosa e repetida artimanha, os EUA espalharam seus tentáculos pelo mundo todo. Mas não há mal que sempre dure nem bem que nunca se acabe e o Mal dos EUA não durou tanto quanto durou aquele de ROMA. Em menos de dois séculos eis que os americanos se enrolaram na teia de intrigas que estenderam sobre o mundo todo. Bush, o “guerreiro desastrado”, inventou uma guerra contra os povos do Oriente Médio, desejoso de açambarcar para a América todo o Ouro Negro que os do oriente possuem e este foi o primeiro grande passo para a derrocada americana. Derrubaram um ditador que, anteriormente, tinham tido por aliado. Ele já não mais interessava aos americanos. Começava a se tornar um incômodo. Então, foi acusado de possuir armas de destruição em massa. A guerra foi deflagrada. Saddam Hussein foi deposto e enforcado. Tudo corria conforme os desejos e os planos dos norte-americanos, mas alguma coisa não se encaixou, pois ficou patente para todo o mundo que os EUA não só tinham traído seu antigo aliado, como, também, tinham soltado uma bruta mentira para o mundo todo e enganado pelo menos três quartas partes de todas as nações. A revolta contra os Xerifes do Mundo explodiu. Eles não aprenderam a lição e se enrolaram mais ainda, metendo-se com os Talibãs. O resultado foi um ataque desmoralizador bem no coração mesmo da nação americana: o World Trade Center veio abaixo e, com ele, a coragem do povo que se cria invencível e inatacável. Ficou patente a fragilidade americana. E os guerrilheiros do oriente se encarniçaram contra o tirano do ocidente que, hoje, espadana água para fora da banheira a torto e a direito.

Ajudando os inimigos do Império, a CORRUPÇÃO, alimentada mesmo pelo sistema podre chamado CAPITALISTA e gerida pelo “executivo” chamado MERCADO, com o aval da “assessoria jurídica” chamada DEMOCRACIA À AMÉRICA DO NORTE, nossos irmãos do Norte se debatem para todo lado, como alguém coberto por um bando de abelhas africanas furiosas.

Quando ele discursa, suas palavras expressam pensamentos que foram organizados antes que chegasse ao parlatório.

Quando ele discursa, suas palavras expressam pensamentos que foram organizados antes que chegasse ao parlatório. Na realidade, ele não diz o que gostaria de dizer, mas o que exigem que diga.

E veio a era Obama. Eleito como o salvador da pátria americana, ele, logo, viu-se enrolado com intrigas internacionais que não conseguiu desmantelar, visto que é mantida pelo poderosíssimo sistema voltado para a Venda de Guerras,o que significa a inundação de armas pelo mundo a fora.

Nos EUA os Generais mandam e desmandam no cenário internacional.

Acho que devido ao quepe que usam, suas mentes são antolhadas e não percebem que já passou do tempo de mudar o Norte do barco americano. Como está, o atual Norte pelo qual se guiam levará o país, considerado o mais desenvolvido do mundo, à bancarrota. E parece que o escolho que está furando o casco já fragilizado do navio de guerra americano são os Sírios.

Síria e Egito são as ondas furiosas que fazem adernar o poderoso “Nimitz”. Mesmo assim, nossos “irmãos do Norte” não atinam com um novo Norte a ser dado ao seu país.

O General Abdel Fattah Al-Sisi não está nem aí para o rugido do tigre desdentado norte-americano.

O General Abdel Fattah Al-Sisi não está nem aí para o rugido do tigre desdentado norte-americano.

No Egito desta atualidade, o General Abdel Fattah Al-Sisi deu um golpe de Estado e mandou pra escuridão seu adversário, o Presidente Mohamed Morsi. Claro que Al-Sisi tinha de ser militar e ele o é. Os americanos não gostaram da mudança, pois Mohamed era um serviçal a contento. Mas sua grita não foi ouvida no Egito atual. Al-Sissi fez e andou para os americanos. Então, o “inocente” Obama ameaçou com uma retaliação que funcionaria há cinquenta anos, mas não agora: suspender o programa de assistência anual no valor de U$ 1,3 bilhão de dólares às FORÇAS ARMADAS egípcias (sempre as armas; eles não aprendem nunca!). Danou-se, pois, agora, o Egito conta com o apoio da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes e do Kuwait, todos magoados com a tirania e a mentira americanas. Esse trio entra com nada menos que 13 bilhões para sustentáculo do poderio bélico dos egípcios. E é por isto que aquele povo, de tradição guerreira de milênios, desprezou a ameaça dos senhores Xerifes do Mundo.

E não é somente no Egito que o poderio norte-americano se esboroa. É pelo mundo todo e para isto cidadãos americanos, revoltados com a sujidade da Política de Guerra, Dominação, Tirania e Controlismo desgovernado, estão denunciando o que fazem a CIA e outras agências ditas de “inteligência” dos EUA. E eis que a sarna põe Obama para se coçar feito doido. Até nosso Brasil, fraquinho, fraquinho no que diz respeito a armamento de guerra, anda eriçando os pelos do lombo porque se descobriu que o Tio Sam andou (e talvez continue) bisbilhotando até o peido que a Vovozona soltou de madrugada, sob as cobertas. E se fez isto aqui, ousou fazer em todo o mundo, com todos os povos. Sinal do grande desespero em que se encontra,m os Xerifes do Mundo.

Mas não é o Medo que os tirará da entaladela em que se meteram. É preciso uma guinada de 180º no rumo de sua política “Democrática” mundo a fora. É preciso dizer em voz alta o “mea culpa” e demonstrar que realmente estão dispostos a mudar seu modo de se relacionar com os outros países, pois não é só o Governo dos norte-americanos que possui o tão temido “cacete atômico”. Agora, ele é possuído até por nações muçulmanas e isto é um perigo para todo o Planeta.

Mas faz-se necessário que todo CIDADÃO DO MUNDO, independente de nação ou religião, repense suas ações o mais depressa possível. Se os americanos estão errados, mais errados estão os que, raivosos, pegam em armas e se dão ao desfrute de espalhar o terror pelo mundo todo, sem livrar a cara de ninguém. Não é assim que vamos consertar o que está terrivelmente errado. Neste caminho, vamos direto, todos nós, para a realização da previsão arrepiante de Nostradamus:

“A Civilização anterior foi destruída pela água. Esta, de agora, sê-lo-á pelo FOGO”.

E o fogo atômico está a um passo de ser aceso pelo ódio, pela cobiça e, principalmente, pela CORRUPÇÃO dos poderosos que mandam em nossos destinos.

Inclusive aqui, no Brasil.

Não temos o “cacete atômico”, mas temos CORRUPÇÃO de sobra.

Pensem nisto.