Ele ajudou a vender o Brasil aos estrangeiros. E hoje é Vice-Presidente do país ao qual traiu. Culpa de quem? Dos Zé Nings, que, tomara, devem ter aprendido a lição.

Ele ajudou a vender o Brasil aos estrangeiros. E hoje é Vice-Presidente do país ao qual traiu. Culpa de quem? Dos Zé Nings, que, tomara, devem ter aprendido a lição.

Durante a “farra do boi entreguista” levada a cabo pela dupla satânica PMDB/PSDB, a EMBRATEL foi desmantelada e vendida aos norte-americanos que, uma vez retirado todos os mais de quatro bilhões de reais que a empresa tinha em cofre, na época da pantomima das privatarias tucanas e colegiados, logo a passaram adiante. “Hoje”, diz um artigo do Estadão, “o País está numa situação vulnerável. Comunicação de dados, telefonia, sinais de TV paga e até comunicações militares passam pelo satélite da Embratel (?), empresa que já foi estatal mas foi privatizada em 1997. Hoje, está nas mãos do empresário mexicano Carlos Slim, dono da operadora Claro”. Coloquei o nome da EMBRATEL seguido de uma interrogação porque na verdade verdadeira, a EMBRATEL não existe mais desde quando foi vendida pelos americanos para os espanhóis e destes para os mexicanos. Apenas o nome foi mantido para enganar os brasileiros tolos e perdidos em sua História, principalmente a mais recente, em que seus pais desempenharam papel importante.

É uma estratégia demoníaca levada a efeito milimetricamente no nosso país: apagar sua História, principalmente a recente. Deixar nela ou nela introduzir apenas o que é de interesse do PARTIDO que estiver comandando no Poder Central. Neste momento há uma força hercúlea trabalhando acirradamente para denegrir de vez a memória dos Militares. Parece que estão conseguindo, mas como eu conheci de perto a força moral, ética e de determinação dos Militares brasileiros (afinal, sou de família de militares), acho que os coitados estão redondamente enganados se pensam que apagando a História estão quebrantando a Moral Militar. Se pensam assim cometem um erro monumental e a continuar a patifaria e o des-governo que grassa por todo o País, logo, logo, verão em que camisa de onze varas se meteram.

"Putzgrila! Esse velho é danado de vivido. Acho que devíamos atentar para o que ele diz..."

“Putzgrila! Esse velho é danado de vivido. Acho que devíamos atentar para o que ele diz…”

Desde quando PMDB/PSDB tomou conta do Poder que o período de governo militar vem sendo demonizado com toda a força da Imprensa, liderada, principalmente, pela TV Globo. Alegam que os militares cometeram os maiores crimes de tortura que já houve nesta país e criaram uma “Comissão da Verdade” que, de verdade mesmo, só há aquela que não aparece: instilar no coração dos brasileiros a aversão aos Militares. Uma política nada harmoniosa, pois todos os Estados têm suas “Forças Armadas Particulares”, a Polícia, que, por si só, já se desgasta diante do povo.

Foram os Militares (com letra maiúscula  sim senhor), que tiraram de cima do pescoço dos brasileiros o tacão da Gaham Bell, senhora da telefonia brasileira e que aqui não investia um único centavo, mas levava todo o lucro para o exterior. Foram os militares que criaram a EMBRATEL verdadeiramente brasileira, contra todos os esforços dos norte-americanos que fizeram de tudo para impedir que a empresa fosse criada. E posso falar de cadeira porque vivi os momentos mais cruciais da independência das Telecomunicações no Brasil. E esta independência não veio de ação política, não. Foi da ação de militares decididos e corajosos.

Teríamos telecomunicações independentes e, talvez, não tivéssemos de pagar o vexame internacional de ter sido monitorado até no banheiro pelos nossos irmãos do Norte, se os êmulos da dupla satânica PMDB/PSDB não tivessem sabotado o Brasil com as tais privatarias que até agora ainda não foi seriamente investigadas. Nem sei se um dia o serão, pois não sei se há a previsão, no Astral, de o Brasil vir a se livrar dos seus dois maiores males de todos os séculos já vividos: PMDB/PSDB e PT.

"Hummmm... Acho que vou discutir o assunto com a Vovozona..."

“Hummmm… Acho que vou discutir o assunto com a Vovozona…”

Só agora, parece, apenas parece, talvez por um momentâneo “orgulho ferido”, os donos do Poder reconhecem que “alugamos satélite de uma empresa estrangeira”, assim o disse o atual Presidente da Telebras  Caio Bonilha. “Hoje, se tivermos algum problema, não temos controle nenhum sobre ele. Assim, numa situação de guerra, por exemplo, o satélite pode ter sua posição alterada e inviabilizar as comunicações no País”. A tomada de consciência de que fizeram uma merda daquelas ao dilapidar o patrimônio que os Militares legaram ao Brasil, fez que os polititicas atuais se voltem todo cheios de brios para refazer o caminho já percorrido. Só que, quando da primeira vez, o trabalho foi sério e levado a efeito em tempo recorde. Agora, sendo uma decisão política tomada pela vergonha do achincalhe norte-americano e pelo medo, talvez nem comece de verdade. Mas, segundo li no Estadão, “o governo quer comprar o satélite e a tecnologia. No mês passado, foi escolhido um grupo franco-italiano, o Thales Alenia Space, para fornecê-los. O satélite vai ser construído pela Visiona, uma joint venture entre a Telebrás e a Embraer, que será uma montadora de satélite. A tecnologia ficará com a Agência Espacial Brasileira (AEB), que vai irradiá-la a partir de um polo em São José dos Campos”. Vejam só: o Governo quer “comprar” tecnologia. Nós já a tínhamos nas décadas de 80/90. Mas a dupla satânica acabou com tudo. Tudo, mesmo. Agora, vamos comprar o conhecimento que já possuíramos há poucos anos. Que vergonha! Que insulto!

ACORDA, BRASIL! BRASILEIROS NAS RUAS, JÁ!

“Ou ficar, a Pátria livre,

“Ou ‘matar’ pelo Brasil

Ou ficar a pátria livre

Ou ‘matar’ pelo Brasil”

Bom, me perdoem, mas morto a gente não pode fazer nada. Então, em vez de se deixar morrer pelo Brasil, como diz a letra do hino, é melhor matar defendendo-o. Que me perdôe o Rei dos Reis, mas neste ponto Ele e eu discordamos. 

Vejamos até onde o falso orgulho patriótico dos polititicas vai durar. Eu acho que pouco, mas milagres acontecem…