'Eu tenho de pagar a dívida com os empresários, caso contrário perco o apoio deles e nunca mais sou eleito..."

‘Eu tenho de pagar a dívida com os empresários, caso contrário perco o apoio deles e nunca mais sou eleito…”

Alegação do Haddad, que será adotada por todos os crápulas eleitos prefeitos no Brasil: “Já que as passagens estão congeladas devido aos protestos do povo, preciso aumentar o IPTU para subvencionar as despesas com o transporte coletivo”. OU seja: você foi às ruas por R$ 0,20 e, agora, vai ter aumento de 20% a 35% em seu IPTU para que o Prefeito possa continuar cumprindo o acordo “de gaveta” assumido com os empresários que bancaram as despesas de sua campanha. Eles, os empresários, não podem é perder nada. E os políticos têm um manancial de caminhos tortuosos para continuar alimentando-lhes a burra…

O brasileiro, aos poucos, vai percebendo que o jugo do empresariado sobre os políticos não é nada fácil de ser rompido. Por isto é que eu acredito que a OAB, a Igreja, a Federação Brasileira Contra a Corrupção e outras entidades que tais têm toda a razão de tentar obter no SUPREMO a proibição do ato vergonhoso e vil do financiamento de campanha eleitoral por empresários.

"Me bota pra investigar cada um deles e eu logo, logo, ponho todos na cadeia"

“Me bota pra investigar cada um deles e eu logo, logo, ponho todos na cadeia”

Não é só o Haddad que é escravo do empresariado, não. Todo político, do vereador ao senador, tem o rabo preso com um empresário. Como fazer uma política que seja voltada para o Zé Ning, se os interesses empresariais estão acima de tudo? Como fazer Leis que protejam o meio-ambiente se elas vão de encontro aos interesses dos empresários? Não dá. É preciso cortar as asas e as garras do empresariado brasileiro. É preciso acabar com seus “lobbies” nas casas legislativas. Só assim os políticos terão liberdade para realmente fazer alguma coisa boa pelos brasileiros que os elegem.

Mas também é preciso ir fundo nas razões pelas quais o empresariado se gruda feito carrapato nos políticos aos quais apoiam durante as campanhas eleitorais. E estas são facilmente encontradas na montanha de Leis idiotas, criadas ao Deus-dará por políticos que acham que fazer Leis é o único trabalho do Deputado. Não é. É seu trabalho-fim, mas não é só isso que o Deputado deve fazer. Nosso país tem uma biblioteca de mais de dez mil volumes cheios de Leis que jamais foram cumpridas. Foram feitas porque o Deputado X devia mostrar trabalho perante seus eleitores e perante, principalmente, seu Partido. E muitas destas leis oneram desnecessariamente tanto a empresa quanto o empregado. Neste emaranhado todo está a razão de o empresariado viver adentrando as Casas Legislativas de todos os níveis em busca da defesa de seus interesses em primeiro lugar.

"Ih! Isto não pode, cara. Como é que o PT, um partido do povão, vai conseguir emplacar seus candidatos?"

“Ih! Isto não pode, cara. Como é que o PT, um partido do povão, vai conseguir emplacar seus candidatos?”

Nosso sistema político tem de ser repensado desde o princípio. Por exemplo: devia haver um artigo na Constituição que proibisse iletrados ou semi-analfabetos serem eleitos para as Casas Legislativas. Como é possível colocar nas mãos de um semi-analfabeto como o Tiririca a responsabilidade de legislar sobre temas de crucial importância para o Brasil? Este é um erro intencional, pois um ignorante e burro no sentido de incapaz até de compreender o que deve levar em conta antes de criar um projeto de Lei, só serve para ser claque para espertalhões que os manipulam a seu bel-prazer. Isto é um absurdo.

Eu, particularmente, imporia que para se candidatar a cargo eletivo o indivíduo teria de ter no mínimo o terceiro grau completo. Além disto, teria de obrigatoriamente fazer um curso sobre POLÍTICA com duração mínima de dois anos, a fim de que não chegasse lá em cima totalmente cego e à mercê dos “cobras criadas” que lá já vegetam há séculos de forma inerme e à moda sanguessuga.

Também exigiria de todo candidato que fizesse reciclagem em língua portuguesa de dois em dois anos, a fim de melhorar a capacidade de se expressar bem, pois é uma vergonha ouvir um polititica falar em público.

Mas isto sou eu e eu apenas sonho…