O avião morcego em pleno vôo. Invisível aos radares leva a morte pelo fogo em seu bojo.

O avião morcego em pleno vôo. Invisível aos radares, leva a morte pelo fogo em seu bojo. Pode transportar 135.000 kg de bombas, incluindo as atômicas.

Esta história já está cansando os que prestam atenção a ela. Há coisa de um mês, se não me engano, li (acho que foi na Folha, mas não estou certo), que o Brasil ia fechar a compra dos jatos supersônicos e “arrasa-tudo” dos russos. Esta decisão seria tomada pela PRESIDENTA Dilma porque ela estava mordidinha da silva com a espionagem do “negão” americano. Os russos, ao que parece, entusiasmados, se comprometiam vender-nos aviões ultra- avançados, inclusive com a tecnologia dos famosos “stealth” americanos, que se diz que são invisíveis aos radares. Fiquei entusiasmado, até porque a Rússia se comprometia a transferir para o Brasil toda a tecnologia de fabricação dessas “aves do Diabo” (desculpem-me, mas tudo que se relaciona à guerra, para mim, não é coisa de gente, mas do Diabo, mesmo que do ponto de vista religioso eu não creia na existência espiritual do coitado).

O novo Stealth aperfeiçoado na famosa Área 51, Nevada.

O novo Stealth aperfeiçoado na famosa Área 51, Nevada.

Bom, pode parecer paradoxal que eu abomine a violência e me entusiasme com a aquisição de “aves da morte” pelo Brasil. Mas acontece que também aprendi, com meu velho e falecido pai, que “quando se está em terra de sapo o mais sábio é ficar de cócoras com eles”. E o mundo é um grande charco de corrupção e insegurança, onde o Diabo e seus asseclas campeiam desenfreadamente. Não há mais honra; não há mais dignidade; não há mais hombridade; não há mais respeito ao próximo e ao que lhe pertence; não há mais fronteiras; não há mais culturas diferentes daquela que se impõe a todas a ferro e fogo ou pelo Mercado Canibal. Enfim, não há mais nada de valor espiritual entre homens e mulheres. Sobrou, para meus filhos, meus netos e, quiçá, meus bisnetos (acho que estes nunca nascerão, pois esta geração e a próxima que se lhe seguir vão dar fim a tudo que respira e se movimenta na face da Terra) apenas o que de mais podre a ralé humana pôde inventar: mentiras descaradas, ganância desenfreada, roubalheira sem limites e corrupção à granel. Isto é nosso legado para nossos filhos. O que eles poderão passar aos seus talvez seja algo muito pior. E o que estes herdeiros da derrota poderiam passar aos seus descendentes talvez jamais cheguemos a saber…

Eis o Stealth chinês. Todos se armam à sombra da corrupção...

Eis o Stealth chinês. Todos se armam à sombra da corrupção…

A corrida armamentista não sofreu nenhum freio. Mesmo o “Negão” tendo sido eleito pelos irmãos do Norte com a esperança de que viesse a pôr freio nos sonhos megalomaníacos dos Bushs, isto ficou só no terreno sutil da Esperança. Barack Obama não freou o apego às guerras, mas, ao contrário, manteve-o e até mesmo o tem alimentado. Por isto, a corrida armamentista continua à toda…

Claro está que os chineses, depois de terem as pregas de seus olhos alargadas na marra pelos Comunistas Russos, cresceram as vistas para as “aves do Diabo” e já trataram de fabricar as suas. A Maior Potência Mundial em contingente humano totalmente robotizado está quase pau-a-pau com os nossos irmãos do Norte. E como são apegadinhos que dá gosto ao derramamento de sangue, os chins podem, um dia, resolver se divertir invadindo os EUA. E aí…

Bom, antigamente, quem sacasse primeiro deitava seu oponente em terra definitivamente. Hoje, a coisa mudou totalmente. Em salões refrigerados, os gorduchos e idiotizados políticos mundiais decidirão quem será o mais rápido em apertar o fatídico botãozinho vermelho mais depressa que o outro. E aí não vai haver adversário deitado, inerme, ao sol do velho Oeste, mas sim um país inteiro em chamas inapagáveis…

O Brasil, por mais que repudie o derramamento de sangue, e sua História nos mostra que nosso país sempre foi avesso às guerras e nelas só entrou forçado por circunstâncias obscuras, como é a sua história na Segunda Guerra Mundial, não pode ficar à deriva como um pombo à mercê das garras dos abutres. Tem que se armar e tem de também roncar grosso, pois só os rosnados dos que possuem o cacete atômico podem, ainda, segurar os dedos de salsichas dos gordos militares estúpidos do mundo todo. Talvez que, pondo as mãos em aviões de guerra que o coloque entre os maiores do mundo neste assunto, o Brasil se torne mais respeitado até mesmo por nossos Irmãos do Norte (eles, até hoje, nos consideram uma republiqueta de banana). E se também, um dia, avançarmos para pôr as mãos no cacete atômico, então é que vamos ficar em posição de também rosnar grosso e, por isto, virmos a ser respeitados pelos cães de guerra. Quem sabe?

O assombroso Nimitz, o porta-aviões mais poderoso dos EUA e do Mundo.

O assombroso Nimitz, o porta-aviões mais poderoso dos EUA e do Mundo.

No início fiquei cético e decepcionado com a escolha feita pelo governo brasileiro. Afinal, os suecos não têm qualquer experiência de guerra. Mas depois, pesquisando, descobri que eles sempre foram mestres no fabrico de aviões de guerra para outros países europeus, como a Rússia e a Checoslováquia por exemplo. E são reconhecidos pelo mundo todo como “experts” neste assunto. Então, relaxei. Afinal, se tudo realmente se concretizar e o Governo Brasileiro decidir, finalmente, colocar um ponto final na dança da escolha, vamos terminar podendo nós mesmos fabricar nossas aves do diabo… Que lástima, não é?

Mas nosso país ainda está muito longe de poder realmente roncar feito pit-bull. Sua Marinha está mais arcaizada que fóssil de dinossauro. Não temos nenhum porta-aviões no mar, exceto aquele que flutua por ser teimoso. Quando pudermos dispor de pelo menos um do porte do que se mostra na figura ao lado, então, sim, podemos começar a treinar nossos rugidos.

Se ainda houver tempo para isto, lógico.