"Eu sou inocente. Eu declaro, sobre a bandeira do PT que sou absolutamente inocente. nunca vi um tostão desta história torpe"

“Eu sou inocente. Eu declaro, sobre a bandeira do PT que sou absolutamente inocente. nunca vi um tostão desta história torpe”

Orozimbo me olhava de través, com seu pito dependurado na boca. Alguém lhe tinha lido meus artigos e ele veio cobrar explicações de minha mudança de direção. O velho era assim. Se se dizia uma coisa e fazia outra podia contar que ele vinha saber a razão disto. E a explicação tinha de ser convincente, senão…

Sim, era minha intenção nem tocar mais neste assunto em 2014. Mas não dá. O país está cada vez mais polarizado ao redor dos acontecimentos. Este ano a batata de muita gente está assando. E gente que, malgrado nosso, é importante para nossos destinos nos próximos e decisivos anos. Como não ser picado pela vespa da intriga? Enquanto o Ministro Gilmar topa mostrar que não concorda com os petralhas, outro togado se levanta em defesa do “Dirceuzinho”, tadinho do bichinho. Quem é ele?

Eis o douto que declarou que doou dinheiro para Dirceuzinho e que vai continuar doando, doa a quem doer.

Eis o douto que declarou que doou dinheiro para Dirceuzinho e que vai continuar doando, doa a quem doer.

Nada menos que o jurista Celso Antônio Bandeira de Melo, cuja biografia na Wikipédia é supimpa. Mas ao lê-la uma pulga do tamanho de um elefante se postou atrás de minhas orelhas. O homem se destacou nos países onde impera a filosofia dos tiraniquinhos sulamericanos (Bolívia, Uruguai, Colômbia e Argentina). De todos estes, somente a Argentina não é chegada à filosofia da foice e do martelo.

Bandeira de Mello afirma que foi um dos muitos doadores na ajuda ao coitadinho do bichinho chamado Dirceuzinho (não estranhem. No Brasil, bandido que é bandido integra o grupo dos “inhos”). E diz a reportagem do JB de hoje, 14/02/2014, que já estão na internet os comprovantes das doações feitas pelos afiliados petralheiros. Pode ser. E se é, isto só esquenta a panela do cozido e remexido caldo de sacanagens que vem alimentando o Partidão e ferrando o Brasil-il-il-il!

O curriculum do homem não me impressionou. Também não me impressionou sua cara de nojo estampada no JB. Minha filha é formada em Direito e ela diz com todas as letras que juízes e advogados no Brasil são absolutamente e totalmente corruptos. Quanto mais enfronhados no Direito, mais tortos são. E se assim é, então, o distinto acima pode estar enterrado até o pescoço em algum momento de sua vida numa história nada bonita. Quem sabe?

Parece que esta novela vai dar panos para mangas. Vamos ver, né Orozimbo?