"Tô avisando! Eu vou voltar!"

“Tô avisando! Eu vou voltar!”

Baderna nas ruas. Blac Blocks quebrando tudo a torto e a direito. Um cinegrafista é morto  e a Imprensa logo o transforma em mártir da informação. Agitação nacional por causa do cinegrafista morto.

Culpados são encontrados, presos e… libertados (a Lei é pra isto). Mas vão em cana de novo, afinal, é descoberto que os dois são protegidos por um patife dos grandes, um desgraçado que se deixou apanhar com a boca na botija, o tal Garotinho que, no duro, no duro, de garotinho ele só tem o nome.

O peste anda pagando a agitadores para espalhar a zorra pelo país todo. Não uma grana digna, não. Só uns míseros trocados que, ainda assim, são chorados amargamente pelos sacanas da gangue do Garotinho. Mas vá lá. Pela Vitória tudo vale. Quando finalmente os cariocas babacas o reelegerem, ele cobrará tudo do erário público com juros e correção monetária.  

"Putzgrilla! O qui eu vô fazê agora? Será que na Copa o bicho vai pegar?"

“Putzgrilla! O qui eu vô fazê agora? Será que na Copa o bicho vai pegar?”

Eis quando surge no cenário nacionl o impávido (e pífio) Ministro da Justiça, o Polititica premiado: José Eduardo Cardozo. Ele tenta fazer “Caras e Bocas”, mas não consegue e é reprovado para os testes da Globo. Pudera! Ele é somente um títere do grande Teatro Bufo da Polititica Nacional Brasileira.

José Eduardo não está ali para fazer que alguma engrenagem da Dona Justa, bastante enferrujada nestes anos de Petralhas no Poder, funcione a contento. Ele foi indicado para “empurrar com a barriga”. Afinal, ele é ou não é polititica? E de tanto viver empurrando com a barriga para não resolver nada, absolutamente NADA, eis que, agora, ele tenta aparecer com cara de mau na revista ÉPOCA (edição 820), mas o que resulta de sua tentativa é hilário.

Reza, Eduardinho (ih! Ele cabe direitinho na gangue dos “inhos”!), reza. E reza com fé, pois a batata está queimando…

"Será que aquela roupa de presidiário me cairá bem? Não posso aparecer mal diante de meus eleitores!"

“Será que aquela roupa de presidiário me cairá bem? Não posso aparecer mal diante de meus eleitores!”

Segundo “Eduardinho”, conquistamos a democracia e a liberdade de Expressão no Brasil a duras penas”. Conquistamos, ‘cara pálida’? Onde estão elas que até agora a gente não viu? O que conquistamos mesmo foi o direito ao “jus sperniandis” sem punição severa, mas não porque nos corações dos polititicas não viceje a flor do ódio aos que criticam suas atuações crminosas neste ‘país de coitadinhos’. Haja vista como o Lulão e sua gangue de larápios estão furiosos com o “Bat-Man” que se opôs ferozmente aos seus êmulos no SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Até hoje eles jogam pedras na Dona Justa com uma raiva que beira a insanidade. Isto, sim, é DEMO-CRACIA. Uma Demo-cracia onde o Legislativo desrespeita solene e impunimente o Judiciário. E por que? Só porque uns poucos (dois ou três) lutam para que se tenha ao menos um arremedo de Justiça neste mar de lama que invadiu nosso território.

"Quando você for assaltado, não resista. Entregue tudo ao assaltante. Por que gritar, se o assalto é diário? É estrangeiro?A saída é por ali, ó!"

“Quando você for assaltado, não resista. Entregue tudo ao assaltante. Por que gritar, se o assalto é diário? Ah! É estrangeiro?A saída é por ali, ó!”

Quanto a Copa do Mundo os brasileiros e os estrangeiros que nos visitarão podem ficar tranqüilos. Nosso plano de segurança é muito bem feito. (…) Com diretrizes claras e respeto à hierarquia”. E ele pensa que o povo acredita nisto! Quanta inocência, gente! É até demais para um polititica tarimbado… Ou será caradurismo mesmo? O palavreado é totalmente moldado segundo as diretizes do Legislativo: muitas palavras e pouco significado. Desde quando, para bandido, importa respeitar hierarquias legais? No Brasil, somos todos corruptos e badidos. Não gostou? Você se enquadrou? Lamente à nossa Históia, toda ela feita de corruptos e bandidos. E se quer prova concreta, tente reservar uma hospedagem na rede hoteleira para os dias da Copa. Verá que os preços subiram astronomicamente, sem qualquer razão lógica para isto, senão a obediência cega à Lei de Gerson. E vá à praia e tente comer um cachorro quente. Já agora, no carnaval, você terá indigestão por causa do susto com o preço que os ambulantes cobrarão do pão com um pedaço de lingüiça dentro dele. Peça uma garrafinha de água gelada e se prepare para pagar R$ 10,00 por ela. E são AMBULANTES, gente que não paga impostos. Somos ou não somos corruptos de nascença?

Por que atacar os que não se podem defender? Os criminosos todos sabemos onde estão...

Por que atacar os que não se podem defender? Os criminosos todos sabemos onde estão…

“Como assegurar, na prática, que as manifestações ocorram sem violência, por parte de black blocs, ou abusos de força policial?” Esta pergunta da ÉPOCA foi de pura malícia. Ninguém é inocente para acreditar que se consiga, dentro da Lei, fazer que os adeptos do quebra-quebra, pagos justamente para isto pelo Garotinho e sua guangue, vão-se comportar cidadãmente. Mas a resposta do MINISTRAÇO foi digna de um excelente polititica. Ei-la: “(…) definimos um protocolo, uma espécie de regramento comum para as atuações das polícias nessas situações (…) Um regramento que diga quando se podem ou não se podem usar certas armas. Que parta do princípio da proporcionalidade…”  Vejam que beleza de falatório inócuo, típico de polititica. E onde está escrito, nesse tal protocolo, que os black blocs não devem usar pedras de grande porte para ferir policiais; não podem depredar os bens particulares; não podem virar e queimar carros; não podem atirar rojões contra policiais etc…?  Quem vai ficar na berlinda e no ridículo são os policiais. Armados, prontos para agir, eles serão obrigados a recuar com o rabo entre as pernas, pois os olhos dos DEFENSORES DOS DIREITOS DOS BANDIDOS E ARRUACEIROS estarão sobre eles como abutres e qualquer reação será imediatamente explorada à exaustão contra “os cidadãos criminosos de farda”. 

Nâo dá para continuar. Vou vomitar.