Eles vêm sempre em dupla e "armados" com uma Bíblia.

Eles vêm sempre em dupla e “armados” com uma Bíblia.

Recebi a visita de um casal de protestantes Testemunhas de Jeová que nunca desiste de tentar me convencer a entrar para sua igreja. Gosto deles e, por isto, nunca “engrossei”. O dia está frio e um jovem capina e limpa o espaço diante de minha varanda que anda entupido de “pé-de-galinha”.

O homem tem, segundo ele, 59 anos. No entanto, visto que é branco como banana descascada, aparenta ser mais velho que eu. A mulher, cabelos castanhos claros, olhos azul aguado, pele encarquilhada, diz ter cinqüenta e um anos. Também parece ser bem mais velha. Ambos se vestem ao rigor evangélico. Ele de mangas compridas e calça social. Ela, com roupa fechada até o pescoço e blusa de manga também comprida, com uma saia que lhe desce até abaixo dos joelhos mais ou menos um palmo. O tempo está frio e aquela roupa não incomoda. Mas em dia de calor…

Para eles, o reino dos céus só depende de se decorar a Bíblia e cumprir com o que ali é dito.

Para eles, o reino dos céus só depende de se decorar a Bíblia e cumprir com o que ali é dito.

Eles me pedem licença para ler um trecho do Evangelho para mim. Pacientemente eu concordo e eles voam para antes do nascimento de Jesus, coisa de uns cem ou mais anos. Ele escolheu um trecho do livro “Reis” e leu 20, 2-11. Em resumo a historinha fala do rei Ezequias que sofria de uma úlcera (uma ferida exposta). O Profeta Isaías foi visitá-lo e, ao ver a ferida que estava feia, disse ao rei aflito: ” O Deus Eterno diz: ponha suas coisas em ordem porque você não vai sarar. Apronte-se para morrer”. Quando, porém, deixando o pobre rei a chorar e a se lamuriar diante do Deus Altissimo, Isaías se retirava, eis que o Deus Eterno muda de idéia diante do pranto do rei e manda outra mensagem para ele através de seu profeta. Ele diz: Volte e diga a Ezequias, o Governador de meu povo: “Eu, o Eterno, o Deus de seu antepassado David, ouvi sua oração e vi suas lágrimas. Eu vou curá-lo e daqui a três dias você irá até o Templo. Vou deixar que você viva mais quinze anos. Livrarei você e esta cidade de Jerusalém do rei da Assíria. Defenderei esta cidade por causa de minha honra e por causa da promessa que fiz ao meu servo Davi”. Obediente, Isaías voltou à cabeceira do rei, deu-lhe o recado e mandou que colocassem uma pasta de figos sobre a úlcera do rei Ezequias e com isto ele ficou curado. E para que Ezequias tivesse prova de que o Deus Eterno o curaria e dentro de três dias ele iria ao Templo, Isaías disse que o Deus Eterno faria a sombra da escadaria voltar dez degraus. No natural, com o declinar do Sol, a sombra sobre a escadaria do palácio avançava até o solo, cobrindo toda a escadaria. Diz a Bíblia que Isaías orou ao Deus Eterno e este fez a sombra da escadaria regredir dez degraus.

Todos temos este pestinha sempre atento a tudo que se passa conosco.

Todos temos este pestinha sempre atento a tudo que se passa conosco.

A partir daí ouvi aquela preleção cheia de clichês pastorais que incitam à adoração cega ao tal Deus Eterno. Meu diabinho, que, sentado sobre meu ombro esquerdo ouvia atentamente a preleção dos dois devotos do Deus Eterno, olhou para meu anjinho que, descuidado, relaxava dorminhoco sobre meu ombro direito. O diabinho mais que depressa saltou para meu ombro direito e aplicou um “kotê-gaeshi” de Aiki-dô no coitado, lançando-o direto sobre o solo. Aí, pronto. Eu não mais me segurei e, rindo maliciosamente, ataquei.

— Vocês sabiam que, até hoje, a pasta das folhas do figo ou da própria fruta é usada para curar ferimentos externos? Não lhes contaram que o profeta Isaías também era membro da Comunidade Essênia, que já existia em seu tempo? E não lhes contaram que os essênios eram médicos fitoterapeutas muito bons? Eles conheciam as propriedades medicinais não somente da figueira, mas de umas centenas de outras árvores e arbustos da época. Sabe, creio que o tal Isaías não passava de um espertalhão que, usando o nome do Deus Altíssimo, induzia os poderosos a realizar coisas que naturalmente eles não fariam. Não os cesuro, pois tinham em mira manter a nação hebraica dentro de um determinado modo de comportamento altamente controlável – coisa que ninguém conseguiria por outros meios que não o medo ao desconhecido. Se nosso povo fosse reduzido à ignorância, coisa com que sonham todos os nossos partidos políticos, muitos “profetas” surgiriam entre nós, cheios de superstições ou de manobras espertas visando controlar os “poderosos” atuais. 

A mulher me olhou com olhar de estupor e totalmente escandalizada. Para ela eu blasfemava com a maior desfaçatez e estava na beira do precipício que me levaria direto à galhada do infeliz Satanás. Creio que não se persignou horrorizada porque sua seita não adota a cruz como símbolo sagrado, como fazem os cristãos católicos. Mas sua expressão facial e corporal era de todo repúdio às minhas palavras.

Elas são os hotéis do Criador...

Elas são os hotéis do Criador…

— Vocês sabiam — continuei, impiedoso — que nossa Galáxia não é a maior dentre o mais de bilhão de outras gláxias criadas pelo Deus Altíssimo e que ela é igual ao grão de areia quando comparada a outras conhecidas até agora? Ela é como um minúsculo grão de pó perdido no Espaço Sideral. E sabiam que nosso planeta Terra é tão ínfimo, tão ínfimo, que o furo feito em uma folha de papel pela ponta de uma agulha muito fina é mil vezes maior que ela? Sabiam que nós, sobre este ínfimo pedacinho de pó, somos ainda muito menores que o menor vírus existente, talvez sejamos apenas a ducentésima milionésima parte da unha deste vírus? Sabiam que todo tempo de nossa existência sobre a Terra, desde quando deixamos de ser algo semelhante a um macaco, é tão fugaz quanto o brilho de uma fagulha no escuro?

O micro-grão de poeira mais belo que podemos conhecer no Espaço.

O micro-grão de poeira mais belo que podemos conhecer no Espaço.

Meus amigos, depois de ter terminado seu gigantesco e incomensurável trabalho de Criação, o Deus Altíssimo levaria um tempo muito precioso para Ele se quisesse mesmo enxergar essa coisa chamada de ser humano que vive num planetinha ínfimo e cuja vida tem a duração milhares de vezes menor que o brilho de uma centelha no escuro. Então, me diga, por que razão Ele, o Supremo Criador, perderia tempo vigiando essa coisinha arrogante e metidinha a besta? Não é aceitável qualquer historinha que afirme que o Criador perdeu e perde Seu tempo brigando para proteger um povinho qualquer de outros povinhos quaisquer.

Meu conselho: usem seus cérebros e a capacidade lindíssima de poder pensar por si mesmos e tratem de empregar o pouco de tempo que ainda lhes resta de vida em algo melhor que decorar as historinhas judaicas. Elas foram válidas nos tempos da ignorância quase absoluta, quando o escuro apavorava as mentes ainda cheias das recordações subliminares das feras paleológicas. Nós avançamos em conhecimentos e continuamos avançando. O Deus Eterno está cada vez mais e mais distante do alcance de nossa compreensão e infinitamente mais distante ainda de vir a ser controlado por nossa ínfima imaginação egoísta e gananciosa. Façam algo mais objetivo em suas vidas. Por exemplo, interesem-se pelo que o PT anda fazendo com nosso país, com nossos filhos e netos. Isto, sim, é importante e imediato para todos. Deixem as historinhas judaicas descansar entre as folhas das Bíblias, pois de há muito perderam suas validades.

— O senhor não crê em Deus? — Perguntou o homem, insistente.

— Ah, sim. Creio n’Ele, sim. Mas não no que está descrito aí, neste livrinho preto. Aquele em que creio está cuidando de Sua Criação e não tem tempo a perder com alguns minúsculos vírus arrogantes que infetam um minúsculo grão de poeira chamado planeta Terra. Ele cuida dos macro-dilemas. Em como gerenciá-los na medida em que avançam, se modificam, se aglutinam para gerar novos elementos ou seres ou sóis ou galáxias… Em como devem ser destruídos ou reconstruídos… 

— E nós não somos também Sua criação? Não merecemos Sua atenção?

— Sim, somos Sua criação, mas apenas um ínfimo corolário dela. Talvez nem mesmo devêssemos ter tido existência e sejamos um incidente ao qual Ele não deu qualquer importância. Algo assim como a geração espontânea, entendeu?

— No trabalho de Deus não há incidentes…

— E em que o senhor se embasa para dizer isto, se entre nós este fenômeno acontece a todo momento? Para isto, há Leis que Ele criou e a elas deixou o encargo de gerir fenômenos de somenos, como é o caso de nossa existência. Simples, não?

— Senhor — cortou a mulher —, vou pedir ao nosso pastor que façamos oração por sua alma desesperada por, pelo menos, um mês, a fim de tentar salvá-la da condenação — disse a mulher, dando a visita por encerrada e puxando seu companheiro pela manga da camisa.

“Veja quem tem olhos de ver; ouça quem tem ouvidos de ouvir” pensei, lembrando do Homem de Nazaré. Verdade, ainda hoje, três mil anos depois, há milhões que não têm nem olhos nem ouvidos…

E fechei meu portão.