Desculpem. Prometo que voltarei a ler com atenção suas mensagens, desprezando os Q.I. de minhoca.

Desculpem. Prometo que voltarei a ler com atenção suas mensagens, desprezando os Q.I. de minhoca.

Aos meus leitores, meus sinceros pedidos de desculpas. Houve uma época em que eu lia todos os comentários e até os respondia com prazer. Mas aconteceu de me encherem de spans, uns até estúpidos, burros, para não dizer coisa pior. Então, como sou comodista pra danar, decidi não mais ler os comentários. Mas hoje recebi um que me chamou a atenção. E resolvi dar uma olhada na Página onde a maioria esmagadora escreve suas opiniões. E fiquei espantado com a grande quantidade de pessoas que não somente fazem comentários sérios, como também me tecem elogios pelo meu estilo de escrita. Escolhi este comentário para comentar: 

Estou feliz por ser um dos vários visitantes neste site internet impressionante. E o que mais me chamou a atenção foi a designação de “Elemental Humano” que o senhor utiliza para o corpo humano. O que é um elemental? Par que serve? Li, em alguns livros, que a Natureza Natural possui uma quantidade assombrosa de vidas elementais e até asseverava, o autor, que as fadas, os gnomos e outras entidades da imaginação folclórica humana realmente existem. O que o senhor acha disto? Eu, particularmente, não acredito, mas gostaria de saber sua opinião.

O "Pai da Psicanálise", Sigmund Freud.

O “Pai da Psicanálise”, Sigmund Freud.

Caro amigo, primeiro quero lembrar-lhe do que asseverou um dos gênios que já pisaram este planeta, conhecido mundialmente pelo nome de Sigmund Freud. Segundo ele, “da mente humana nada sai sem que, antes, nela tenha entrado deste ou daquele modo, deste ou daquele jeito”. Também lhe chamo a atenção para o que disse outro gênio, este, inglês: Existem mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia”. William Shakespeare.

Dito isso, vamos à sua pergunta. Elemental, segundo a Teosofia e o Ocultismo, é um tipo de vida primitiva, instintiva em sua maioria, que vive em nosso planeta. Muito destas vidas não se reveste de matéria densa, como é o caso das fadas, dos gnomos, dos djins, dos anjos, dos arcanjos e de tantos e tantos outros seres “invisíveis” aos olhos físicos dos que ainda não despertaram para a Vida além da vida. 

Um elemental denominado de Fada. Geralmente cuidam das árvores de todas as espécies.

Um elemental denominado de Fada. Geralmente cuidam das árvores de todas as espécies.

Os Elementais em sua esmagadora maioria funcionam na Natureza do mesmo modo como funcionam os Devas Cinzentos ou Anjos Guardiães para os humanos encarnados. Na Religião Católica, tais anjos são denominados de Anjos da Guarda. Tudo o que se reveste de matéria densa na Natureza Natural tem um Elemental específico para lhe prestar assistência. Os elementais conhecidos como fadas têm diversas divisões. Umas, cuidam da floração; outras, da frutificação; outras, ainda, da germinação das sementes e assim por diante.

Quando falo de Elemental Físico, a respeito de nós, humanos, é porque nosso Espírito, ele mesmo, não tem condições de viver diretamente no mundo denso. Seria, grosseiramente comparando, como se você tentasse sobreviver a mil metros de profundidade no Oceano Atlântico sem ter uma roupa especial que lhe protegesse e lhe desse meios de sobrevivência em temperatura e oxigênio. O espírito é como você, neste exemplo. Para conseguir chegar aqui “em baixo” e permanecer ativo por anos ele necessita de uma roupagem capaz de aguentar o peso terrível não somente da gravidade como também da densidade material de que o planeta se constitui. Há planetas gasosos e há “glóbulos” planetários de matéria bem mais sutil que esta densa que conhecemos através de nosso cérebro elemental. Nós, enquanto espíritos, naturalmente temos vida em muitos destes glóbulos, pois eles existem em todos os níveis de matéria sutil, desde o Etérico, passando pelo Superetérico e pelo Subatômico, até o Nível de matéria sutilíssima conhecida no Ocultismo como Matéria Espiritual ou Devacânica.

Assim como aconteceria com você, se descesse revestido com roupas especiais até à profundidade de mil metros no Oceano para ali viver e trabalhar, quando sua capacidade visual e perceptiva geral estariam tremendamente reduzidas em função do ambiente, também acontece com o Espírito quando se reveste do Elemental Físico, que é o corpo em que temporariamente tem de habitar. Se você permanecesse cinqüenta ou mais anos debaixo da água perderia com certeza a lembrança do mundo da superfície. O espírito também passa por esta experiência. Ele perde a memória do mundo mais sutil de onde desceu até que para lá retorne com o fenômeno que chamamos de “morte”.

O Elemental Físico humano, que é o corpo orgânico, tem vida própria. E tendo vida própria, ele também tem desejos próprios. Só que estes desejos se manifestam na forma de reações impulsivas. E como o Elemental Físico é nascido da Terra, todo ele, do fio de cabelo à unha do dedo mínimo do pé, ele só tem vibração com o que é da terra. Ele anseia pela Terra e por tudo o que dela nasce. Desconhece totalmente o Espírito que o habita e sempre luta contra o que, para ele, é uma força intrometida, que o submete a situações que detesta e tenta, por todos os meios, evitar.

A maior luta que o Espírito tem de travar com seu Elemental Físico diz respeito à delicada área da cópula. O Elemental Físico não tem senão o sentido da sensação. Emoção, Sentimento, Pensamento, Ideação etc… são fenômenos que ele desconhece totalmente, pois não é preparado para reconhecê-los e compreendê-los. Assim, sendo o dono da sensação, o Elemental Físico busca sempre, em qualquer situação, obter PRAZER (sexo) e evitar ao máximo o DESPRAZER (sofrimento).

Lamentavelmente nossa Sociedade prima pela estimulação ao máximo do sentido da sensação e embota todo e qualquer esforço objetivo do desenvolvimento das reações mais espirituais, como a Emoção e o Sentimento.

Sua pergunta me foi enviada em 28 de fevereiro de 2013. Espero que me perdoe o relaxamento e se ainda me lê, aqui está a reposta que pediu.

Um abraço do amigo Orisval.