"Mais cinqüentinha, é? Que bom! De tostão em tostão eu encho meu buzão!"

“Mais cinqüentinha, é? Que bom! De tostão em tostão eu encho meu buzão!”

Você deve ter ouvido falar de Renan Calheiros, aquele que o Brasil quase em sua totalidade disse NÃO à sua pretensão de ser eleito PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL. Mas com a ajuda do PTzão e Vovozona, ele jogou ao lixo a Vontade de todos nós e sentou a bunda… desculpe, isto é pra Zé Ning. Senador não tem bunda, tem nádegas. Pois bem, até hoje as nádegas de Calheiros estão lá, na cadeira de Presidente do Senado Federal. Os que gritaram “NÃO” ao insulto nacional RENAN NO SENADO já se esqueceram do que foi que Renanzinho (ele pertence à gangue dos “inhos”!) fez, pois temos nossa memória fraquinha, gente, que dá pena. E é justamente por saber o quanto fraca é a memória dos Zé Nings que Calheiros faz o que faz. Por enquanto, já que as “Casas do Povo” (exceto, do povo brasileiro) está atravessando a fase mais negra de seu Inferno Astral, chegando a colocar Insolências atrás das grades (quase, mas a turminha tá lá), é melhor pisar manso e saltar de banda toda vez que ouvir um ronco estranho ao lado…

Eu estou com o jornalista Ricardo Noblat e lamento profundamente o que lhe fizeram. Deram mais azas a quem já voa bem perto do céu. Só desejo ardentemente que este céu logo fique nublado e uma tempestade de derrubar quem tem asas de cera desabe sem dó nem piedade sobre o Renanzinho (Tadim do bichim. Vai ser mais que uma queda, vai ser um quedaço). E com ele está este seu colega que, como nós dois, não tem papas na língua: http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=bqLUx9wcXos. 

Se deu bem. E põe bem nisto...

Se deu bem. E põe bem nisto…

Só pra chatear, vamos recorda o que “nosso” Presidente do Senado fez de errado e que lhe devia ter dado 15 anos de cadeia quebrando pedra em pedreira para purgar seus crimes. Em 2007, um lobista da Empreiteira Mendes Júnior, pagava mensalmente R$ 16.500,00 a Mônica Veloso, jornalista da TV GLOBO, com quem Renanzinho tinha um casinho “sem importância” (se fosse importante a propina seria no mínimo cinco vezes mais). É que Rananzinho era casado com Verônica Calheiros. O lobista, pois, pagava a quase gorda propina para que a jornalista ficasse quietinha e não estrilasse com a mudança de ninho de Renanzinho, tadinho. Afinal, feijão-com-arroz todo dia enjoa, né não?

Do bolso de Rananzinho nem um tostãozinho para a Moniquinha e sua filhinha. Em compensação… Perguntem à VEJA que ela conta “tudim” tim-tim-por-tim-tim. A Mendes Júnior lucrou uma baba às custas da “peludinha” da distinta socialaite”…

Eis uma Zé Ning dando duro e fabricando dinheiro para o Erário Público, mina inesgotável de recursos para os Polititicas...

Eis uma Zé Ning dando duro e fabricando dinheiro para o Erário Público, mina inesgotável de recursos para os Polititicas…

Claro que quem pagou isto fomos nós, os Zé Nings. Mas o que que tem? Para que servimos, nós, Zé Nings, além de dar o leite do voto de quatro em quatro anos? Para mais nada, ora!

Mônica se deu bem. Posou para a playboy (pois os brasileiros queriam saber como era o “terreno” explorado pelo Senador);  ganhou um contrato com a TV Globo, lançou uma auto-biografia (que vendeu pra diabo, visto que os secos por intrigas não perderiam uma coisa assim), brilhou nas Revistas de Celebridades, como a CARAS e outras e, finalmente, chutou o Renanzinho para escanteio. Tinha muita coisa melhor do que ele.

É… Tem lá suas vantagens freqüentar o leito de certos figuraças da nossa Polititica, né não?

Foi devido a este escândalo que Rananzinho, tadinho, teve de renunciar (que dor, gente, que dor) ao mandato que o Partidão lhe dera e sair pela porta dos fundos do Senado Federal, na trilha já percorrida por Sarneyzão, o dono do Maranhão. Mas quem bebe daquela água (não da água do Maranhão, mas da do Senado Federal) nunca mais deixa o pote. Renanzinho (devido à renúncia para escapar à cassação e frustrar quase todo o Brasil), uma saída safada que os polititicas criaram para todos os que são pegados com a mão no melado, voltou todo serelepe à sua “cadeira cativa” no Senado Federal.

Aqui pra você, ó! Se não está gostando, vem pro meu lugar, vem? Aí, quem vai meter o cacete em você, sou eu!

“Vai à merda! Vê se me esquece! Isto lá é hora de me malhar, diabo!”

Inicialmente procurou as frinchas para não ser atingido pelas farpas dos que ainda se lembravam dele. Mas quando percebeu que os Zé Nings já se tinham enchido e estavam satisfeitos no “Oba! Oba!”, botou as manguinhas de fora e tratou de brigar pela cadeira de Presidente. Mesmo que não seja aquela onde a Vovozona senta sua bunda murcha, é uma cadeira de Presidente e tem poder pra burro.

Quem ajudou Renanzinho a sentar as nádegas flácidas na Cadeira de Presidente do Senado Federal? A VOVOZONA e seu Padrinho, o Cachaça!

Preciso dizer mais?

O jornalista Ricardo Noblat saiu da cartilha do PTzão. Falou de quem está sob suas asas e isto é imperdoável. Está fora da Democracia dos Manos Petistas. Não pode. Democracia, Noblat, nos anos de PTzão, só acontece se você pensar, falar, comer, cagar e peidar o que os “Manos” petistas querem. Senão, é isso aí: a Lei cai matando em cima do desgraçado. E olha aqui, se eu fosse você, dava um jeito de pagar os cinqüentinhas  para não ter que ir até o STF. Ali tem 6 vendidos. Você vai perder, vai por mim…

Bom, mas como sei que sua fibra não vai deixar que abandone seu direito ao “jus sperniandis”, conforme bem o disse nosso “Bat-Man”, então, vá em frente e que Deus o abençoe.

Um abraço fraterno de quem não tem sua profissão, mas nem por isto deixa de descer o cacete nos lombos luzidios dos polititicas.

O.B.

Em Tempo: para que os brasileiros vejam que há quem resista à “Democracia PTZONA”: