"Ô, porra, me erra! Que negócio é este de me meter nesse saco de gatos em que você vive batendo?"

“Ô, porra, me erra! Que negócio é este de me meter nesse saco de gatos em que você vive batendo?”

Leio na Folha de São Paulo que “o pré-candidato do PT ao governo de São Paulo Alexandre Padilha prometeu aumentar, caso eleito, o subsídio à tarifa do sistema de trens e metrô no Estado”. Aumentar subsídios quer dizer não procurar uma solução para o dilema cruciante em que todos vivemos. A Aloprada do Planalto nada fez senão seguir o pensamento dos PMDBistas que se fundamentou todo no “compre carro-compre carro-compre carro”, pois sem montadoras não haverá emprego e sua família vai passar fome. Alkimin deu continuidade a este pensamento horrível e também não moveu um dedo para buscar uma solução definitiva para o horror em que não somente os paulistanos, mas também todos os moradores das cidades brasileiras, desde a mais pequena até à gigantesca megalópole, vivemos: as ruas, as artérias das cidades, vivem entupidas de carros fabricados para pifar em cinco anos. 

"E o Brasil vai pro buraco, êêêêê-ah!"

“E o Brasil vai pro buraco, êêêêê-ah! Sem a PETRÔ! Brinca, brinca, brinca torcedor-Ô! Que eu vou jogar no ventilador”

E a falta devergonha (não de planejamento, mas de vergonha na cara) não pára na questão dos subsídios, os quais apenas servem para forrar o caixa das empresas embutidas eternamente nas maracutaias dos jogos sujos das licitações. Estende-se, ainda, à incapacidade de planejamento, um mal que se prolonga sem horizontes de limite na Administração Pública Nacional. Assisto no BOM-DIA BRASIL que no NORTE centenas de livros pagos com o dinheiro público foram parar no lixo (não é a primeira vez que isto acontece neste país de coitadinhos) absolutamente sem uso. Serviram tão-só para que uma licitação qualquer gerasse dinheiro para que os políticos do NORTE comprasse mais alguns tratores para derrubar a mata e substituí-la por gado peidão e envenenador de nossa atmosfera, piorando o que já está um horror. É curioso: NINGUÉM, nenhum polititica f.d.p. se lembrou e oferecer R$ 50.o00,00 para o cidadão que indicar o polititica envolvido neste crime de lesa-pátria. Que coisa, não?

Eu digo o mesmo, senhores. Aqui pr'ocês, ó!

“Aloprada do Planalto é tua mãe, desgraçado!”

O pior de tudo é o caradurismo dos candidatos, com destaque absoluto para a Aloprada do Planalto. Esta, garante que a inflação está sob controle. A pergunta é: ONDE? Em que país? No Brasil é que não é. Pior: ela afirma que não haverá apagões e que a COPA vai bem, obrigado. Só que a peste foge das “arenas” como o diabo foge da cruz.

E Alkimin deu mais uma tacada safada: anuncia prêmio de até 50.000,00 para quem denunciar bandido fujão (não cobre indicação de polititica ladrão). Mas que cara de pau, gente! Prender bandido no Brasil? Tá de gozação com nossa cara. Em quê cadeia, se mais de 90% delas estão abarrotadas e são verdadeiras faculdades do Crime? Como manter o bandido preso, quando a Lei lhe facilta ao máximo a liberdade? Mais fácil é prender policial e delegado. Estes, sim, ficarão presos, pois os Direitos dos Manos já fizeram suas caveiras junto ao povo. Com uma ajudazinha do PCC nas favelas cariocas e paulistanas, claro.

E por incrível que pareça, a GLOBO está denunciando o desperdício de nosso dinheiro com os descasos e a total falta de planejamento (entenda-se: VERGONHA) dos polititicas totalmente envolvidos nesta história macabra, a COPA, o que ainda vai dar muito pano pra manga, mesmo que a Aloprada do Planalto vença as eleições – o que é um desastre anunciado, pode crer.

"O cidadão está com toda razão. Eu, por exemplo, já perdi a conta dos anos que passei apanhando em lugar dos partidos para onde fugi, quando a coisa ficou preta."

“O cidadão está com toda razão. Eu, por exemplo, já perdi a conta dos anos que passei apanhando em lugar dos partidos para onde fugi, quando a coisa ficou preta.”

Eu já disse que o polititica é um empregado destacado dos verdadeiros monstros do Brasil: o Partido Político. Eles são “os bois de piranha” e são eleitos já sabendo que devem dar a cara a tapa, ainda que este tapa seja violento, pois o Partido estará por trás dele e o manterá “lá em cima” para continuar apanhando até que morra. A gente, eu inclusive, batemos furiosamente na cara de pau dos polititicas, mas na vedade nossa guerra devia ser contra os Partidos Políticos. E como fazer isto? Pressionando a Caverna de Ali-Babá (O Congresso Nacional) a mexer radicalmente na estrutura política que vige no nosso país. Um golpe mortal seria a proibição CONSTITUICIONAL de qualquer político ocupar cargos no EXECUTIVO. É preciso que ajudemos nossos Presidentes a se verem livres dos grilhões aos partidos, através de seus êmulos, os polititicas. Nenhum político, desde o Vereador, poderia mais exercer o comando dos órgãos da administrção pública (Secretárias e Ministérios). Estes devem ser entregues a empregados públicos DE CARREIRA, com longa experiência no órgão e, por isto, capazes de realmente ajudar a Presidência (o Governador e o Prefeito) a administrar corretamente este gigante chamado Brasil.

"Faz-me rir, velhote! Tás desacanagem, é? Tirar de nossas pobres familias o arrimo que temos nos Ministérios e Secretarias? Faz-me rir, idiota!"

“Faz-me rir, velhote! Tás desacanagem, é? Tirar de nossas pobres familias o arrimo que temos nos Ministérios e Secretarias? Faz-me rir, idiota!”

Mas se contra o polititica foram precisos 4 séculos para o povo começar a reagir, contra o partido político quantos séculos mais serão necessários? Talvez isto só chegue quando for deflagrada a campanha da “demissão incentiva da nacionalidade brasileira”, coisa que, aliás, já começou com o des-Governo de Fenando Collor de Melo.

E por falar em demissão incentivada, o PTzão vai conseguir vender a PETROBRÁS para grupos estrangeiros. Foi assim com a VALE e foi assim com a EMBRATEL. Tudo começou com a fatídica “demissão incentivada” dos seus empregados. Quando a cúpula foi, finalmente, substituída, as empresas foram entregues aos estrangeiros numa pantomima execrável de uma venda que jamais houve. A EMBRATEL foi entregue por R$ 2.100.000.000,00, mas levou em seus cofres a quantida de 5 bilhões. E assim foi com todas as privatarias tucanas. O caminho foi aberto: demissão incentivada dos empregados da PETROBRÁS. Assim esvaziada de seu pessoal competente, a empresa passará a capengar muito mais fortemente do que já capenga e, então, é preciso que o Governo se livre dela para fazer economia… Os de meu tempose lembram bem desta alegação sem-vergonha, não?

Arre! São oito e quarenta e eu tenho muito o que fazer. Chega de polititica. Por hoje.