Vejam o que um maldito TALIBÃ fez com sua esposa (casou-se com ela quando a jovem tinha 12 anos!). Um monstro que faz isto merece ao menos falar de Deus?

Vejam o que um maldito TALIBÃ fez com sua esposa (casou-se com ela quando a jovem tinha 12 anos!). Um monstro que faz isto merece ao menos falar de Deus?

Quando eu era adolescente assisti a muitos filmes sobre a guerra entre os mouros islamitas e os cristãos. Naqueles filmes eles eram mostrados como moralmente superiores aos cristãos. Terminei sentindo grande simpatia pelo Islamismo. Mas na medida em que a máscara foi caindo, vi que o romantismo cinematográfico não passava disto: romantismo idiota.

Cedo, com apenas 14 anos, fui orientado por meu pai a ler vários livros – era uma coleção de 15 volumes – sobre A Santa Inquisição na Europa. Fiquei tão chocado que até hoje não consigo ver o cristianismo católico com respeito e a santificação de papas para mim não passar de um espetáculo tolo, que só tem valor para inflar o ego doentio dos líderes desta religião aleijada, que, certamente, não foi criada por Aquele em nome de quem se cometem tantas atrocidades.

Essas aberrações com forma de gente se arroga o direito de, em nome de Alá, decidir sobre a vida dos outros.  Desgraçados!

Essas aberrações com forma de gente se arrogam o direito de, em nome de Alá, decidir sobre a vida dos outros. Desgraçados!

De uns anos para cá outra “religião” caiu em minha repulsa visceral — o Islamismo. Não vi, ainda, algo tão absurdo, tão fora da realidade, tão retrógrado, tão estúpido e tão desumano quanto os preceitos defendidos por esta coisa que se diz adorar a Deus. A que Deus? Eu pergunto. Certamente não Aquele que é Amor Incondicional. Tanto Amor que permite que adeptos de uma coisa dantesca como esta viva sobre o planeta azul que criou com Sabedoria e Ternura. Por exemplo: a mulher não pode mostrar seu corpo. Nem mesmo seus cabelos. Por que? Somente porque algum idiota de antigamente, que não deve ter nascido de uma mulher bonita, mas feia como o diabo, destacou-se no meio religioso islâmico e tascou, em nome do tal Alá, um mandamento que ordena que todas as fêmeas islâmicas se escondam atrás de roupas horríveis, que mais parecem coisa de filmes de terror.

Abu Bakar Shikau, o responsável pelo sequestro de 300 jovens de 12 ou 13 anos para vender para "casar". Quem o vir, mate-o sem dó, pelo amor do diabo.

Abu Bakar Shikau, o responsável pelo sequestro de 300 jovens de 12 ou 13 anos para vender para “casar”. Quem o vir, mate-o sem dó, pelo amor do diabo.

Surge no cenário mundial uma tal de Boko Haram que tenta impor o fundamentalismo Islâmico na África. Este nome, “fundamentalismo”, já me causa arrepio na coluna vertebral. Significa radicalismo burro, estúpido e assassino. Esta Boko Haram (que a Wikipédia diz significar mais ou menos ““a educação ocidental ou não-islâmica é um pecado”) agora rouba meninas de 13 anos de idade para VENDER PARA ESPOSAS de tarados filiados à tal “irmandade”. Bom, o Mal também tem irmandade de Satanases. Vai ver que quem compra as pobres crianças integra uma destas malditas irmandades enraizadas na Terra.

Como se não bastasse o cortar o clitóris das meninas para evitar que tenham prazer orgásmico, eles, agora, sob a alegação idiota, estúpida e maldita, de que as mulheres são inferiores aos homens e a eles devem dar tudo que possuam, até e inclusive seus corpos, passam a legalizar entre seus adeptos o estupro a título de “casamento”. Malditos! Que o Satanás os leve a todos para as profundas. E, aproveitem, levem também os brasileiros que se deixam engabelar pela lengalenga de seus sheiks. Aqui, em nosso país, esta praga está vingado e isto me preocupa. Não nos esqueçamos que este é o país em que “em se plantando tudo dá”.

Os tarados do Boko Haram, DE FUZIL NAS MÃOS e agitando este presente do Diabo à humanidade enlouquecida, gritam histericamente em seu idioma alguma coisa que, certamente, é indecente para o que se deve entender como HUMANIDADE. Ainda bem que não sei falar a língua dos desgraçados…

Ele com certeza repudia com veemência esta doença chamada Islamismo.

Ele com certeza repudia com veemência esta doença chamada Islamismo.

Eu tenho repetido como um mantra sagrado a frase que Yehoshua, o Jesus cristão, disse diante de Pilatos: “Meu Reino não é deste mundo”. Quer Reza Aslam que se entenda o sentido desta oração como tendo sido proferida pelo Homem de Nazaré relativamente ao mundo corrupto e venal em que Herodes vivia e, não, como referência a uma existência além desta em que nós chafurdamos imoralmente e estupidamente…

Eu prefiro adotá-la no sentido transmaterial, aquele que se supõe foi emprestado à fala de Yehoshua pelos sectários cristãos. Eu sei que há outra vida além desta que conhecemos e que vivemos. Sei, com certeza, que o que chamamos de “morte” não é o fim para a Essência mesma da pessoa humana. O fim acontece somente para seu envólucro carnal, seu Elemental Físico. Este se acaba e retorna á Terra, de onde veio. Mas a Essência Divina que somos cada um de nós, inclusive e lamentavelmente os integrantes do tal Boko Haram, não morre.

Posso dizer, depois de quase um ano tornando aquela sentença um MANTRA para mim, que sua repetição íntima me tem sossegado de muitas de minhas angústias puramente sociais e materiais. Tem feito que alguma coisa bonita, calma, plácida, terna, me tome por inteiro e me dê a paz que procurei por anos e anos e jamais encontrei entre os homens de boa ou má fé.

Nunca, antes, eu me senti terno com meus semelhantes. Eles sempre me foram repulsivos e motivo de mágoa e raiva. Raros foram os que me deixaram boa impressão. Eu os conto nos dedos de uma única mão e ainda me sobram dedos. Mas depois de adotar o MANTRA de Yehoshua, tudo mudou para melhor, muito, muito melhor. Ainda assim, há duas espécies de grupamento humano que me despertam nojo e revolta: o dos polititicas brasileiros e os islamitas do mundo todo. A estes eu não consigo perdoar, assim como o Homem de Nazaré não perdoou Herodes, Pôncio Pilatos e suas cortes corruptas.

Meu Deus,por que tanta burrice e tanta maldade ainda são permitidas entre nós, que nos dizemos arrogantemente HUMANOS? Tarados e inumanos como os do grupo BOKO HARAM não merecem o nome de humanos, mas sim, de animais da pior espécie.

Que meu irmão Yehoshua me perdoe, mas não dá para eu aceitar essa monstruosidade.