Aqui repousa o futurto do Brasil. E viva oPTzão!

Aqui repousa o futurto do Brasil. E viva oPTzão!

O preto é a cor do luto entre muitos povos, inclusive no Brasil. Pois bem, este artigo é em letras pretas para mostrar que eu me considero de luto pela morte definitiva da Vergonha dos Polititicas Nacionais Brasileiros. Eles passam os quatro anos que a Nação (a maioria de imbecis mal-informados) lhes concede trambicando e gastando tempo em planejar os mais sem-vergonhas meios de roubar o erário público. No fatídico ano da “Democracia dos Zé Nings” surgem na TV com os mesmos discursos velhos, tão velhos que estão cheios de teias de aranha. Mas, desgraçadamente, os brasileiros ainda lhes dão crédito. Será que jamais vamos aprender que votar nos títeres políticos é sufragar o poder negro e traiçoeiro dos PARTIDOS POLÍTICOS?

Eis um lídimo representante do coronelato que  ainda vige com força entre "nossos" polititicas.

Eis um lídimo representante do coronelato que ainda vige com força entre “nossos” polititicas.

A estratégia dos velhos coronés do século recém-findo ainda vige com força. E esta estratégia é e sempre será a de manter o povo no mínimo de conhecimento, no mais baixo patamar escolar, preferentemente nem mesmo com a possibilidade de frqüentar uma escola. Assim, quando lhes dão uma miserável “bolsa-esmola”, os desgraçados abrem aquele sorriso sem dente ou com uma infinidade de dentes careados, cheios de alegria porque vão poder comprar cem gramas de carne e um quilo de feijão com mais um quilo de arroz. Pra que mais? Isto basta para os miseráveis que nunca tiveram nada antes, do esmoler (NOTA: esmoler é aquele que dá esmola, não o que mendiga a esmola. Este é o mendigo – a grande maioria dos sustentados pelas bolsas-esmola do PTzão).

Eis o Loki do Centtro-Oeste. Pena que para lhe dar combate não há umThor...

Eis o Loki do Centro-Oeste. Pena que para lhe dar combate não há umThor…

Ronaldo Caiado fica 4 anos na moita, trabalhando furiosamente em prol dos grandes latifúndios. Os miseráveis brasileiros até se esquecem de sua existência. Ele derruba toda e qualquer iniciativa que venha com a intenção de preservar os rios, os lagos e as lagoas, pois seu grupo partidário defende a derrubada da mata para a plantação de gramínias pelos empanturrados de $$, os latifundiários (como ele mesmo é, diga-se de passagem). Agora, no vergonhoso período pré-Dia Nacional da Democracia dos Zé Nings Brasileiros, eis que ele surge na TV metendo o pau na atual Aloprada do Planalto e falando “bunitim” para os desdentados e retardados votantes. 

"E daí,que eu sou o atual arraso da Polititica Nacioal? Vocês acham que eu vou voltar a meter o pé na bosta? Nem morto, nêgo! Já fiz meu pé de meia..."

“E daí que eu sou o atual arraso da Polititica Nacioal? Vocês acham que eu vou voltar a meter o pé na bosta? Nem morto, nêgo! Já fiz meu pé de meia…”

É de dar engulho nos que têm um mínimo de consciência do quanto de falta de vergonha grassa entre os “deuses de pés de barro”, ouvi-lo dando saltinhos esquisitos diante da câmera de TV que lhe lança a emproada figura no ar para milhões de aparelhos de imbecilizados eleitores.

E não é só o Caiado, não. São centenas deles. Todos emproados e com uma cara-de-pau feita de pura maçaranduba, a madeira mais dura do Brasil. Tão dura que, fincada no solo, não dá cumpim ainda que ali fique por mil anos.

Eis Tranca-Ruas,  Exu que é madeira que não dá cupim. Como as caras-de-pau de "nossos" polititicas...

Eis Tranca-Ruas, Exu que é madeira que não dá cupim. Como as caras-de-pau de “nossos” polititicas…

É… Se não estou enganado, há um ponto do Exu Tranca-ruas que diz que “ele é madeira que não dá cupim”. Acho que é porque ele é o padrinho de todos os sem-caráter que estão com as bundas aparafusadas nas cadeiras das Casas do Poder Brasileiro pelo voto idiotizado dos que pensam que votando vão coseguir mudar alguma coisa.

Ô, acorda, mendigo de polititica. Para mudar alguma coisa a briga tem de ser diretamente contra os Partidos Políticos. Não é só os fichas-gordas que são corrompidos por eles, não. Se um cidadão honesto e cheio de bons propósitos se filia a uma desgraça destas, de imediato lhe dão a beber o vinho da corrupção e ele capota já na primeira curva.

A Democracia, tal como é aceita e praticada no mundo todo, embasa-se na pluralidade partidarista. Por isto ela, de saída, nasce fadada ao fracasso. E eu me pergunto: será que há outra forma de se fazer Democracia sem que ela tenha seus alicerces em partidos políticos? Eu, sinceramente, não sei. E você?

Provavelmente, um dia, no futuro, o povo brasileiro, se ainda existir, cuspa com noje e raiva nesta bandeira.

Provavelmente, um dia, no futuro, o povo brasileiro, se ainda existir, cuspa com nojo e raiva nesta bandeira.

Talvez a doença não esteja precipuamente no Partido Político, mas sim no sistema econômico-financeiro que sustenta tudo em uma Democracia. Até a corrupção. Aliás não devo dizer “até”, mas sima corrupção em primeiro lugar.

Porque?

Porque somos basicamente venais. Nosso caráter, desde mesmo o berço, é formado na venalidade. A criança, desde cedo, aprende o jogo do toma-lá dá-cá. Ela é “comprada” com bonequinhas, com Coca-Cola, com sorvetes, com quinquilharias e aprende, desde cedo, a agir bem apenas quando leva alguma vantagem. Isto é a prática da venalidade máxima.

Mas este também é o jogo Democrático. Como derrubar esta tradição nacional herdada de outros países com idades superiores a mil anos de existência?

Quem souber a resposta que a escreva aqui.