Limoeiro carregado de limões.

Limoeiro carregado de limões.

Ele chegou justamente quando eu, desconfiado, atendia um sujeito estranho, que tocou minha campainha alegando querer ver minha casa porque lera em algum lugar que eu a estava vendendo. Eu pensava, justamente me lembrando do conselho de meu velho amigo, em desancar o sujeito a socos e pontapés, quando o velho chegou. E chegou já com dois quentes e três fervendo. Ele parou ao lado do estranho e lhe deu um olhar tão carregado que o desgraçado, sem graça, se desculpou pelo incômodo e voltou ao seu carro rapidinho, sumindo no braquiara.

— Que qui aquele peste quiria? — Perguntou Orozimbo, depois que o automóvel do desconhecido dobrou a esquina ao longe.

— Levar uns tabefes. Mas você chegou e atarpalhou meu exercício. Vamos entrar, antes que apareça mais outro deslumbrado querendo comprar minha casa.

Meu amigo foi direto para a cozinha e desembrulhou um pacote grande que trazia a tiracolo. Vi limões galegos e uma porção de outras tralhas da flora natural. Ele abriu um dos limões e o espremeu em um copo com água.

— Tome. Beba. E de hoje em diante tome um suco de limão com água morna todo dia de menhã, chova ou faça sol. Tá intendido?

— Para emagrecer? — Perguntei.

— Sim. E véio sabe bem qui vancê já cunhece os efeitos do limão, num é? Se vancê tumasse ele todo dia, tar e quá quem reza cuma carola, vancê num teria probrema cum seus rim nem com sua gordura interna. O limão dissorve a gordura interna. Inté seu humor melhorava. E tombém sua disposição pru trabaio e pru amô. E véio fala de amô na tarimba, intendeu?

— Estou dispensando isto aí.

— É? Mas a tar de Maca Peruana, disserum pra véio, é afrodisíaca. Liás, munta gente percura pelo troço justamente pruqui num tá mais dando no couro. E pru falá nela, vancê já tomô?

—Tomei

— E quá foi o resurtado?

— Disfunção intestinal, cólica e diarréia. 

Orozimbo soltou uma gargalhada e entre risos perguntou:

— E vancê vai continuá cum esse troço?

— Nâo mais. Vou jogar fora…

Vagem do jatobazeiro.

Vagem do jatobazeiro.

— Cuma jogô seu dinhêro comprando o negóço sem se informá premero. Bem feito. Um dia vancê aprende a vivê, home. Impurso nunca é bom pra vida de ninguém.  Tome o limão e vancê nunca vai morrê de enfisema, cuma seu pai morreu. O limão teria evitado qui vancê perdesse sua vesícula, pois ele limpa ela todinha. E limpa seu fígado. Mas é preciso cultivar o hábito de tomá-lo diariamente, em jejum, pela manhã. Mas tombém pode ser tumado a carqué hora, pois ele agem sempre, intendeu?

— Sim. Eu se disso.

— Mermo ansim, feiz bestera, o qui me diz qui vancê é um orelhudo, home.

Ele falava enquanto abria outro pacote e de lá retirava muitas cascas de jatobá. Lavou-as e as estendeu nm pano de prato limpo. Foi até a varanda e colocou as cascas para secar.

— A casca do Jatobá, home, tumada como chá todo dia, a carqué hora, mas de perferença pela menhã, meia-hora antes do armoço e do jantá, evita a doença do açúcar no sangue, a tar de diabetes. Basta uma xícara de chá bem quente depois das refeição, num sabe? Pena que quem sofre disto num sabe deste remédio naturá e abundante no Brasil. Mas tome com cuidado, pois o jatobá fortifica, rejuvenesce inclusive a força sexuá em home e mulher e abre um apetite daqueles.

Orozimbo se despediu e se foi tão rápido quanto tinha chegado. Fiquei olhando para seus remédios naturais. Sim, ele era realmente um amigo em quem eu podia confiar. Já outros, como o Sensei de Karatê-dô que foi meu aluno de Tai-Chi, não mereciam minha confiança. Em todos os momentos em que pedi ajuda a ele, fiquei a ver navios. Mas “amigos” são para essas coisas, não é mesmo?