Ao surgir no horizonte, ele muda toda a paisagem.

Ao surgir no horizonte, ele muda toda a paisagem.

Todos foram colocados de pé antes do sol nascer.  Fazia grande frio e as mlheres tiritavam. José, Simão, judas e Thiago ainda bocejavam e não estavam totalmente despertos. Só Yehoshua parecia à vontade em sua roupa fina e leve.

A ninguém foi permitido alimentar-se. Tiveram direito apenas a um copo de água aquecida, que engoliram de má vontade. Depois da bebida, todos foram levados para fora e caminharam por mais de meia-hora por dentro da mata. Quando já saíam em uma clareira viram Cleto que vinha saindo pelo lado oposto à deles. Míriam, a irmã de Yehoshua, correu para o tigre que arreganhou as presas ameaçadoramente. A jovem, porém, não se intimidou e no impulso da corrida atirou-se ao pescoço do caçador das matas e o abraçou com alegria. Mas uma mão forte lhe segurou o ombro e a puxou para longe do animal.

— É o vosso tigre, Cleto, Jeroboão… — disse a jovem, apontando para a fera que a olhava com um olhar pesado, colmilhos ainda à mostra, secundado por um rugido baixo e ameaçador.

Esta expressão pode ser de susto. Mas aos nossos olhos parece de ameaça maldosa.

Esta expressão pode ser de susto. Mas aos nossos olhos parece de ameaça maldosa.

— Cleto não me pertence, minha jovem — disse o Yogue apontando a mata com o dedo indicador para o grande tigre, que rodou nas patas e se foi. — Eu o vi pela primeira vez ontem, tal e qual vós. Ele pertence à selva e deve voltar para ela sem ser perturbado. E este, a que impulsivamente abraçastes, é outro. A floresta tem centenas e centenas deles. Aqui, principalmente, pois estamos dentro de seu território de caça...

Míriam arregalou os olhos e mirou a face serena de Jeroboão. Ainda estava com dificuldade para apreender todo o significado do que tinha acabado de ouvir.

— O senhor está dizendo que eu… eu abracei… abracei um… um tigre… selvagem?

— Não. Digo que vós abraçastes um irmão da floresta. Apenas isto. Agora, vamos. Teremos muito que fazer, hoje. Sois absolutamente ignorantes nas verdades que tenho de vos ensinar.

Yehoshua e o Yogue se puseram a caminhar e não deram a mínima atenção a Míriam, que desabou desacordada nos braços de sua mãe.

Aquele dia ficou na memória de todos como marcado a ferro. Voltaram à noitinha, corpos moídos, mentes confusas, certezas abaladas. Tinham visto, entre outras coisas, Jeroboão flutuar no ar como se não tivesse peso. Tinham-no visto conversar com os pássaros e tinham assistido às cobras e aos escorpiões o obedecerem como se entendessem as suas ordens.

As nuvens de gafanhotos até hoje ocorrem nos campos e nas plantações.

As nuvens de gafanhotos até hoje ocorrem nos campos e nas plantações.

Sentados à volta da fogueira e comendo com avidez a parca e frugal refeição que lhes tinha sido servida pela esposa e filhas do Yogue, eles falavam em choque sobre tudo o que tinham visto. A chuva de gafanhotos que surgiu de repente sob o comando silencioso do Yogue os tinha deixado boquiaberto. Os insetos não estavam lá e o ancião lhes dissera que ia ordenar que viessem sobre eles. E pouco tempo depois eis que o ruído ensurdecedor de milhares de asas dos insetos os colocou em alerta. Não demorou nada e uma nuvem de gafanhotos caiu sobre eles e ao redor até onde seus olhos podiam enxergar. E quando estavam atordoados e tentando livrar-se dos bichos, eis que eles levantam vôo repentinamente e em um tempo espantosamente curto sumiram sem deixar rastro.

Moscas são insetos repelentes. Aos milhares, então...

Moscas são insetos repelentes. Aos milhares, então…

E as moscas? Estavam sentados sob uma figueira, fazendo exercícios respiratórios extremamente cansativos. Súbito, o Yogue lhes disse: “E eis que milhões de moscas descerá sobre nós e ao nosso redor, porque assim o quer Shiva”. E em instantes milhares e milhares daqueles insetos incômodos invadiu a figueira e toda a mata ao redor. Eram tantos que o dia escureceu. Alguns deles quase os engoliu, pois os insetos lhes entravam pela boca, e pelas narinas, e pelas orelhas e pelos olhos. Foram momentos de verdadeiro terror. Míriam de Magdala e Míriam mãe vomitaram de nojo quando fecharam as bocas e esmagaram um bocado daqueles bichos nojentos. E de súbito, quando todos se debatiam sem poder gritar porque abrir a boca era tê-la cheia daqueles insetos repugnantes, eis que eles voaram para dentro da mata e  desapareceram…

— Jeroboão repetiu duas das pragas que Moisés fez cair sobre o Egito — disse José, olhando um a um dos seus familiares. — Ele não invocou Jeovah e, no entanto, fez os mesmos fenômenos que nosso Legislador. Como podemos entender isso? Trata-se de um goin. Não devia ter tais poderes…

O Destruidor e Transformador da Forma.

O Destruidor e Transformador da Forma.

— Mas tem — Cortou Míriam, a mãe. — Ele se vincula a um Deus estranho, ao qual chama de Shiva. Canta o nome deste deus e em Seu nome faz os milagres que vimos. Diz que Moisés aprendeu aqui a dominar as criaturas da Natureza e seus fenômenos mais poderosos, como os vendavais e a força dos rios e dos mares. Estou confusa, mas não posso negar a verdade que vejo. Vishnu é um deus poderoso, talvez tanto quanto Jeovah, bendito seja seu nome. Garante que o Legislador morreu aqui e que seu túmulo está em Caxemira. Ele não teria subido aos céus com seu corpo carnal porque isto não é possível. Afirma que o que é da Terra na terra fica. Eu me confesso desorientada, pois tudo o que ouço vai de encontro ao que sempre aprendi desde criança. Nenhum ensinamento do Yogue vai ao encontro de qualquer ensinamento hebraico e isto me desorienta.

Ruth, a mais nova das irmãs de Yehoshua e que sempre guardava o silêncio, mais observando que falando, pigarreou e, olhando um a um de seus familiares, falou.

— Eu creio que não há mistério nenhum nesta viagem que nos propôs Yehoshua. Tenho aprendido muito sobre o verdadeiro Deus. Em nossa terra nos ensinam sobre um Deus rancoroso, vingativo, separatista e racista, que nos protege e só a nós e abomina todos os demais povos. Aqui, não se ensina sobre um Deus assim. Aqui tenho aprendido que o verdadeiro Deus não odeia Sua criação e nós fazemos parte dela. Aqui nos é ensinado que somos superiores aos animas, não para os desprezar, mas para os orientar e os amar, pois eles são como nós diante dos Olhos do Altíssimo, seja qual seja o nome que se Lhe dê. Aprendi que o Espírito, ao mergulhar na Matéria, por ela se torna dominado. Sua consciência divina se obnubila e a consciência da Alma Material predomina. E para esta, a realidade mayávica é a realidade que conhece. E é para esta realidade que a Alma Mortal se volta, pois nasceu dali e só conhece esta realidade.

Fantasiados como sempre no passado, eles vendem conhecimentos que não contêm nada de útil, senão de preconceituoso. E tudo em nome de Deus...

Fantasiados como sempre no passado, eles vendem conhecimentos que não contêm nada de útil, senão de preconceituoso. E tudo em nome de Deus…

Os nossos rabis estão mergulhados no Mâyâ e ninguém de nosso povo sabe disto. É por isto que os seguem em suas cegueiras aterrorizantes e aterradoras. Aconteça o que acontecer, eu ficarei ao lado de Yehoshua e de Jeroboão, pois sinto que com eles encontrarei a liberdade de meu Espírito e nunca abdicarei disto.

— Ruth! — Exclamou Míriam, sua irmã, espantada. — Estás dizendo que abdicas de nossa religião?

Ruth, séria, lançou um olhar para a face espantada de sua irmã e acenou afirmativamente com a cabeça.

— Pelo Santo dos Santos — gritou Joseph —, isto é a mais alta traição que se poderia fazer. Tu és digna da lapidação em praça pública. Nunca digas isto lá na Palestina ou jamais sairás viva de onde quer que estejas.

Ruth apenas deu de ombros com indiferença e sem falar pôs-se de pé e se retirou, deixando a todos atônitos.

— Vêde, mãe — exclamou Joseph inflamado— Esta aventura a que meu irmão nos submeteu está tirando nossa pequena Ruth do caminho. Não podemos…

— Por que temes a verdade, Joseph? 

A voz de Yehoshua, sempre forte, clara e firme, calou a todos e todas as faces se voltaram para ele com curiosidade.

— E onde está a Verdade, Yehoshua?  Perguntou Míriam, sua mãe, desafiadoramente.

— Ao vosso redor. Dentro de cada um de vós. Lá em cima, no céu, tanto quanto aqui em baixo no minúsculo grão de areia. A Verdade, mãe querida, não está escondida de ninguém, só que todos não a querem enxergar.

— A Verdade está em nossos livros — rugiu Thiago, apoiado com vigorosos acenos de cabeça pelos demais— Tudo o que vimos até agora são magias tolas, de uma pessoa inculta e adoradora de deuses pagãos. Eu não quero…

Um feroz rugido sustou-lhe a palavra e todos se voltaram para a orla da mata, de onde um grande tigre surgia. Ele tinha as fauces arreganhadas e dentes pontiagudos e ameaçadores surgiam de dentro da bocarra assustadora. As orelhas deitadas para trás, os olhos faiscantes fixos no grupo, a fera deitou o ventre no chão  e avançou abaixada, pronta para o bote.

— É Cleto! — Exclamou Míriam, a irmã de Yehoshua. — Mas ele está estranho…

— Não é aquele Cleto que tu conheceste, irmã — disse Yehoshua, pondo-se de pé e segurando com força um cajado quase de seu tamanho. — Aquele ali é um comedor de homens e está disposto a escolher um de nós para a sua refeição.

— Chama o Yogue! — Gritou Joseph, faces pálidas e corpo trêmulo.

Yehoshua olhou-o com um sorriso divertido nos lábios.

— Ora essa! — exclamou, rindo. — Ainda agorinha mesmo tu invectivavas contra  o venerando Yogue e agora gritas por ele? Lamento informar-te que, infelizmente, ele foi à cidade atendendo a um chamado e estamos por nossa sorte.

— Vamos morrer… — choramingou com um fio de voz, Thiago.

— Onde está a tua fé, meu irmão? Por que te julgas inferior ao tigre que avança sobre nós?

Thiago não conseguia olhar para seu irmão. Tinha os olhos arregalados de terror e fixos nos do tigre que avançava com cautela e buscando a melhor posição para dali saltar sobre suas presas. Míriam levantou-se e deu dois passos em direção ao matador, mas a poderosa mão de seu irmão mais velho susteve seu impulso.

— Nem penses em ir abraçá-lo como fizeste ao outro. Aquele ali, eu já vos disse, é um comedor de homens. Ele te mataria tão logo chegasses à distância de um salto. Pára e senta. Deixa o tigre por minha conta.

Ato contínuo, Yehoshua caminhou em direção ao tigre, que sustou seu avanço e fitou-o atento.

— Vai-te, irmão da floresta, ou terei de te bater. Não trouxe minha família para que tu a devorasses. Vai-te, então!

O tigre, que se tinha abaixado até quase tocar o solo com a barriga, sustou os movimentos da cauda e saltou como um raio sobre o intrometido. Mas Yehoshua escorou-o pela barriga, bem onde terminavam suas costelas. Ali ele fincou uma das extremidades de seu cajado, apoiando o outro no solo, ao mesmo tempo em que se acocorava para se colocar a salvo das garras afiadas que riscavam o ar acima de si. A fera passou por cima dele, levada pela ponta do cajado habilmente manejado por Yehoshua, e caiu sobre as quatro patas no solo, logo à frente, onde rodou como um raio e se atirou de volta contra o atrevido com aquele pauzinho ridículo. Mas foi surpreendido com uma bastonada dolorosa em sua ilharga direita, o que o fez esturrar e saltar de lado. Yehoshua levantou-se girando o bastão à sua frente como pás de moinho. 

O tigre atacou e atacou várias vezes, rodando e rodando ao redor do homem que não fugia e lhe aplicava estrondosas bastonadas nas ilhargas. A dor finalmente venceu a ferocidade e o tigre parou os ataques, ventre no solo, bocarra escancarada e olhos fixos no temível adversário. Então, com um grande rugido a fera rodou sobre si mesma e sumiu por entre a folhagem.

E o silêncio caiu sobre todos.

Yehoshua voltou aos seus e ignorando os olhares de espanto e admiração, sentou-se, deixando o bastão ao seu lado, no chão.

— Sentai-vos.

Quando todos o tinham obedecido, ele falou.

— Eu vos trouxe aqui para que aprendais coisas que nunca aprenderíeis lá na Palestina. Aqui, aprendereis a ser livres convosco mesmos e aprendereis a como me ajudar quando eu vier a necessitar de vossa ajuda. Crede no que vos digo: está próximo o dia em que tereis de me socorrer em um momento de grande agrura e sofrimento. Só poderei contar convosco e com ninguém mais. Então, se me tendes amor, não resistais ao que deveis aprender. Ao contrário, atirai-vos com denodo à aprendizagem, pois vosso tempo é pouco. Pensais ter visto maravilhas, quando tudo o que aconteceu diante de vossos olhos é comum e deveria ser a regra entre os homens. Mas infelizmente eles se entregaram ao Medo e ao Egoísmo e isto os tornou cegos a tal ponto que criam fantasias nas quais estupidamente se apóiam como cegos em muletas rachadas. A qualquer momento, caem. Viveis temendo os poderes daquele a quem chamais Ievé, quando tais podres estão à disposição de qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. Tais poderes estão dentro de cada um. Basta que a pessoa se volte para eles para os despertar. Vêde, olhai para aquela pedra. Eu lhe digo: mova-se. Vá colocar-se sobre aquela rocha. E ela vai.

— Não foi não — disse Ruth, séria.

Yehoshua riu e rebateu.

— Era só um exemplo, mas como precisais de ver para crer, então, agora falo sério. Pedra! Vai para cima daquela rocha!

E sob o olhar aturdido de sua família, a pedra flutuou no ar e foi pousar sobre a grande rocha, adiante.

— Pelo Santo dos Santos… — Murmurou Míriam, a mãe. — Como podes fazer uma coisa dessas?

Um Deus não tem necessariamente corpo desenvolvido. Seus poderes não estão nos músculos...

Um Deus não tem necessariamente corpo desenvolvido. Seus poderes não estão nos músculos…

— Não somente eu, mãe. Vós todos o podeis. E não somente vós, mas todas as pessoas. No entanto, enquanto viverem mesquinhamente, sujando o trabalho digno dos outros por inveja ou incompetência; roubando, mentindo, matando e realizando todas as ações mesquinhas indignas do Espírito, então, todos sereis fracos e crentes em milagres que não existem. Não há milagres no Universo. Há Leis que podem ou não ser ativadas pela Vontade Humana. Não me compreendestes ainda? Sois, todos, independente da nação em que nascestes, deuses em miniatura. Tudo podeis aqui, neste mundo. Podeis, até, deixar vossos corpos e partir para outros mundos mais sutis sem necessariamente sofrer a agrura da morte corporal. É só uma questão de auto-domínio e é isto que deveis aprender com Jeroboão.

— Tu falaste de grandes agruras para ti. O que quiseste dizer com isto? — Perguntou Míriam, a esposa, e sua voz traía grande aflição.

— Não é o momento para comentar isto. Chegará o dia em que deveis saber tudo sobre mim. Até lá, peço-vos, a todos vós: aprendei. Deixai de lado vossas certezas fúteis e aprendei. Este é vosso trabalho no momento.

Yehoshua se levantou e entrou em casa e logo, apressados, todos também fizeram a mesma coisa.

Ninguém queria ficar ali fora à mercê dos Cletos da floresta…