Eis uma paisagem da Caxemira que ainda é muito similar àquela que os parentes de Yehoshua viram quando por lá estiveram com ele.

Eis uma paisagem da Caxemira que ainda é muito similar àquela que os parentes de Yehoshua viram quando por lá estiveram com ele.

Noventa dias se tinham transcorrido e aos parentes de Yehoshua eles pareciam séculos. Tinham estado todo este tempo em treinamento intenso na aquisição da habilidade de controlar a respiração e, com isto, dominar a dor. E haviam conseguido. Agora, todos eram capazes de deitar em tábuas cheias de pregos pontiagudos sem que se ferissem ou sentissem dor. Dormiam ao relento, sob frio intenso, e não se sentiam incomodados por isto. Os exercícios exaustivos com bastões de combate os deixavam exaustos, mas lhes reforçavam os tendões dos músculos, importantes para o domínio do PRANA no organismo. Tinham aprendido que os tendões não envelhecem, como a musculatura e, por isto, se exercitados sempre, mantêm a saúde física, emocional e psíquica da pessoa. Agora compreendiam a habilidade excepcional de Yehoshua com o bastão de combate.

Através de trilhas iguais a estas, a família de Yehoshua viajou a Mulbeck.

Através de trilhas iguais a estas, que cortam as montanhas da Caxemira, a família de Yehoshua viajou a Mulbeck.

Na nonagésima noite em que se reuniram como de costume para jantar a frugal refeição ao redor de uma grande fogueira, Jeroboão lhes comunicou que no dia seguinte iriam até a vila de Mulbek, onde seriam apresentados ao Salvador que o povo judeu esperava há tanto tempo. A notícia tirou o sono a todos eles e passaram a noite fitando o teto escuro da casa dando asas à imaginação. Alguns se perguntavam o que poderiam pedir ao Salvador: a expulsão dos kittins das terras palestinas? A iluminação dos rabis para que pudessem ensinar a Verdade aos fiéis? A glória do povo hebreu, tão esperada por eles por tanto tempo? A deposição do odiado e tirânico rei Herodes, um idumeu que ocupava o trono de David indevidamente? A confirmação do reinado de Yehoshua, o legítimo herdeiro do trono hebraico, e seu domínio sobre todos os povos? A glória tão esperada para o povo eleito, sobre todas as nações?

Bem cedo, no dia seguinte, tiveram a surpresa de encontrar oito elefantes para os levar através dos inúmeros riachos que cortavam a Caxemira e fazia dela um lugar belíssimo, onde as florestas eram vastas e o povo pacífico e trabalhador.

Subiram nas grandes alimárias e se puseram a caminho. Míriam de Magdala e Míriam, mãe de Yehoshua, iam no mesmo elefante. Thiago e Judas em outro. E assim, de dois em dois, todos se encarapitaram nas montarias e batalharam para serenar suas mentes e seus anseios. Era a ordem de Jeroboão e já haviam aprendido que o Yogue lia os pensamentos de qualquer um e, portanto, saberia qual deles alimentava idéias e sonhos impróprios para uma visita tão importante a um lugar muito sagrado para o povo indiano. Por isto, não conversavam entre si.

O Budha Maitréya Dourado. Com doze metros de altura ela representa o Buda considerado o Salvador dos Budhistas e o Senhor do Mundo.

O Budha Maitreya Dourado. Com doze metros de altura a estátua representa o Buda considerado o Salvador dos Budhistas e o Senhor do Mundo.

Chegaram a Mulbek no dia seguinte quase à décima hora (16 horas no nosso horário). Mas quando se viram diante de uma imensa imagem de quase 12 metros de altura, todos, com exceção de Ruth, ficaram decepcionados. Tinham imaginado FALAR com o Salvador e, não, contemplar uma estátua de pedra. A decepção se estampava no semblante de todos os demais e a de Thiago e Judas eram as maiores.

Ignorando a decepção que sentia haver nos seus discípulos, Jeroboão falou.

— Contemplais, agora, a representação do maior de todos os Budhas, o Senhor Maitreya, o Salvador de todos os povos, especialmente o povo budhista, como nós. Procurai não apenas ver a imagem de pedra, mas sim enxergar além dela, a Entidade Santa que se faz perenemente representada numa projeção astral sobre e além da estátua. Quem aqui chega e consegue abstrair-se de uma visão simplista e terrena, orando diretamente ao Santo dos Santos, com o coração puro e a mente limpa, receberá a graça solicitada, desde que ela não se volte para efeitos terrenos de quaisquer espécies. Então, sugiro a cada um que se concentre em Nosso Senhor e de todo coração peçam o que desejam em Evolução, Conhecimento e Sabedoria para a glória de vossos espíritos. O Senhor Maitreya não concede ajuda para fenômenos puramente humanos, puramente terrestres, ou de cunho puramente egoísta e mesquinho, portanto, não percais tempo pedindo que Ele atenda a desejos fúteis. Pedi a Ele que faça descer sua Paz sobre a estupidez humana e que esta Paz consiga, um dia, abrir os corações empedernidos daqueles que não sabem que são espíritos e, não, carne. Pedi com fé que a Piedade de Maitreya não somente perdoe a cega ignorância e selvageria da humanidade, mas também lhes abra os corações para uma adoração sincera do Sagrado.

As fantasias e as mentiras pregadas sobre Ele mais confundem e lhe escondem a Santidade que O revelam como Ele bem gostaria que assim fosse.

As fantasias e as mentiras pregadas sobre Ele mais confundem e lhe escondem a Santidade que O revelam como Ele bem gostaria que assim fosse.

Yehoshua desceu de sua montaria e foi até a base da enorme estátua e para total estupefação de seus irmãos, ali se ajoelhou e postou a testa no chão, com as mãos espalmadas ao lado do corpo. Eles se entreolharam revoltados com aquela demonstração de ímpia adoração a uma estátua, em total confronto com a sagrada Lei de Moisés e de Ievé. Os olhares deles se voltaram indignados para a mãe, Míriam, que, no entanto, olhava para seu amado filho mais velho com uma expressão de êxtase. O mesmo sentimento parecia inundar suas irmãs e a esposa de Yehoshua. Thiago voltou-se para Judas e para Yoseph e viu neles a mesma revolta que lhe inundava o coração.

— Mãe! — Trovejou Thiago, o mais revoltado com aquela demonstração de heresia por parte do irmão mais velho —, por que tu não o repreendes? Não vês que…

Sua voz foi cortada pelo que logo se seguiu. Yehoshua foi envolvido por uma luz dourada muito intensa, mas não cegante. Seu corpo foi elevado até à cabeça da grande estátua e lá, ele tomou a posição sentado. Sob ele, um trono de ouro, que girou e o colocou de frente para a espantada família que, boquiaberta de admiração e susto, nada dizia nem se movia. Uma voz tonitruante se fez ouvir e ela dizia: 

— “Eis meu filho muito amado, em quem me comprazo. Os que seguirem seus ensinamentos estarão comigo e serão salvos das grandes dores que virão sobre a humanidade, não como punição, mas sim como resultado de suas ações perversas e más. Eu vô-lo enviei como um cordeiro entre lobos, mas ai dos que o ferirem,  pois amargarão por séculos e séculos o crime cometido. Ai dos que, por intrigas e falsidades, o fizerem sofrer, pois estes, até o final dos tempos, não mais terão sossego. Ai dos que, explorando Seu Santo Nome pregarem mentiras e falsidades. Melhor seria que jamais tivessem nascido na Terra, pois a estes Eu não reconhecerei diante de Mim. Esta é minha sentença. Esta é minha palavra”.

Então, o trono de ouro se desfez, Yehoshua tomou novamente a posição de quem está com a testa encostada no solo e seu corpo baixou até os pés da grande estátua, onde permaneceu por um tempo em adoração. Quando se pôs de pé novamente, uma intensa aura dourada lhe envolvia todo o corpo e só se dissipou quando ele, olhando para Sua Mãe terrena, sorriu com alegria. Em todo Ele se espelhava enorme amor…

Seus olhos se voltaram para Ruth e ele sorriu para ela com ternura. Pelas faces rosadas de sua irmã lágrimas de felicidade e alegria desciam sem que a jovem pudesse controlar. Mas quando aqueles olhos cor de mel pousaram sobre Thiago, Joseph e Judas, o olhar se tornou duro como o aço e a expressão facial de doçura foi substituída por outra, de censura e acusação.

— Seja esta a última vez que me insultais e a meu Pai — Trovejou, irado. — Eu vos trouxe aqui para vossa libertação e, no entanto, teimais em vos apegardes a cegos e incompetentes. Aviso-vos: sereis condenados com eles se não mudardes vossos corações. Limpa-vos da mentira e da covardia e ousai ir além da aparência, pois toda a opulência do Templo de Jerusalém e das vestes de seus sacerdotes não valem mais que o pó da pedra que forma esta estátua.

Voltando-se para os caravaneiros, ordenou peremptoriamente.

— Apeai-vos. Vamos passar esta noite aqui. Armai as barracas. Jeroboão, Ruth, minha mãe e minha esposa faremos uma vigília de adoração ao meu Pai. Vós outros ficareis em vossas barracas buscando limpar vossas mentes e vossos corações de todas as sujeiras que abrigais neles. Não sois dignos de nossa companhia. Obedecei-me, pois ai daquele que sair da barraca enquanto durar a escuridão da noite.

Trêmulos e totalmente confusos, os irmãos de Yehoshua apearam dos elevantes e trataram de ajudar os servos na armação das barracas. Entre si e em voz baixa murmuravam: “Quem é ele? Será que a magia de Jeroboão nos faz ver coisas? E se estivemos sob o domínio do yogue, como faremos para nos libertar?”

A noite desceu, densa, escura, sem lua. Os irmãos de Yehoshua ardiam de curiosidade de ver o que acontecia lá fora, pois não se ouvia senão o som dos insetos e dos seres da noite. Todos os demais dormiam a sono solto, exceto eles. Então, pondo-se de pé, Thiago disse:

— Fomos proibidos de sair da barraca, mas não de olharmos de dentro dela. Portanto, eu vou arriscar um olho. Quem me segue?

Nenhum dos outros se encorajou a fazer a mesma coisa. Thiago, então, aproximou-se da porta da barraca e abriu uma fresta por onde olhou para fora. Tão logo o fez e recuou com uma exclamação de susto. Estava pálido e trêmulo.

— O… O que foi? — Perguntaram Yoseph e Judas ao mesmo tempo. A ansiedade neles era grande e seus corações estavam disparados.

— Vejam vocês mesmos. É inacreditável!

Os dois, tremendo de medo, achegaram-se até à fresta e também olharam lá para fora. Tal qual Thiago, recuaram assustados e pálidos. Yehoshua, Jeroboão, Ruth, Míriam mãe e Míriam a esposa flutuavam numa nuvem cor-de-rosa bem diante da face de pedra da estátua. Estavam brilhantes como estrelas azuladas e tinham expressão de grande júbilo nos rostos.

— Magia… — murmurou Thiago.

— Não. O Poder do Salvador — disse Yoseph caindo de joelhos com a testa no chão, no que foi seguido por Judas. Thiago hesitou um pouco e, então,devagar, deixou-se cair de joelhos também. 

Lágrimas de arrependimento lhes rolavam pelas faces...