Eis José Mujica, Presidente do Uruguai. Caquético, ele capitulou diante do  Crime Organizado.

Eis José Mujica, Presidente do Uruguai. Caquético, ele capitulou diante do Crime Organizado.

E, é claro, nossos governantes vão bater palmas e abrir as pernas… do povo, lógico. Os Zé Nings idiotas, tanto os que vivem nos guetos chamados “comunidades” quanto os que vivem no Leblon e Barra, em condomínios caríssimos, vão cair de ventas na fumacinha fedorenta.

Eis o que leio na Folha de São Paulo, neste sábado, 19/07: “este mês, ele (José Mujica) anunciou que a implantação completa da lei que permite plantar, vender e consumir maconha será apenas em 2015, já durante o mandato de seu sucessor no comando do Uruguai. Ele não crê em recuo, mesmo se um opositor vencer.(…) E por que não colocar em vigor já? Por causa de uma questão agrícola: “É necessário plantá-la [a maconha] e produzi-la. As plantas têm o seu próprio ciclo. É necessário fazer estufas. Estamos fazendo as mudas. Fazendo a reprodução vegetativa. Poderão começar a florescer em janeiro, fevereiro”.

Este gesto, realizado por milhões de brasileiros, trás, consigo, uma bala escondida...

Este gesto, realizado por milhões de brasileiros, trás, consigo, uma bala escondida…

Bom, a gente já recebe maconha às toneladas de outras “republiquetas de banana”, como bem dizem os irmãos do Norte. Por que não a do Uruguai? Esta, ao menos, é “legalizada”. Lá, é claro. Aqui, finge-se que ela é censurada. A Polícia prende os traficantes, alguéns levam as propinas de praxe, eles são imediatamente soltos e tudo fica na maior paz e tranqüilidade. Não para os que são mortos pelos viciados que, desempregados, precisam de dinheiro para alimentar seu vício. Mas isto é de somenos. Afinal, o trânsito no Brasil mata À VONTADE. Vejam o que diz uma estatística mostrada no JUS BRASIL:

“Em 2014, de acordo com projeção feita pelo Instituto Avante Brasil, o número de mortes no trânsito estimado é de 48.349. Sendo assim, este ano, estima-se que ocorram 4.029 mortes por mês, 132 mortes por dia e 6 mortes por hora, ou seja, uma a cada 10 minutos”.

A maconha não causa a morte de uma pessoa a cada 10 minutos. No máximo, a cada trinta minutos, logo, não é significativa na estatística macabra e pode perfeitamente ser também legalizada no Brasil. Os Zé Nings, da alta e da baixa camada social, vão agradecer aos berros e “viagens” psicodélicas à granel. Não psicodelismo da maconha, que a coitadinha não tem isto. Mas aquele de suas drogas associadas, como a cocaína, o crack, e outras um tantinho assim pior, como as drogas que apodrecem o corpo em vida. Mas isto é de somenos. Afinal, estamos vivendo uma “Democracia”. A Demonocracia PETRALHA e nesta, tudo o que não presta para o povo, é bem-vindo. Vejam a reunião do BRICS em Fortaleza e a alegria da Aloprada do Planalto junto ao Presidente da Rússia e aquele da China. Todos comunistões doentes! Todos imperialistas e tiranos a mais não poder! Então, que venha a Maconha do Uruguai. Afinal, não recebemos, já, os Fidéis de Cuba? Não lhes demos até dinheiro gratuito para a construção de seu porto marítimo? Somos irmãzinhos dos patifes, logo, aceitemos a patifaria da maconha.

Aqui há até deputados que não somente usam a droga como ainda defendem há anos sua liberalização. “É a treva”, como diria certa personagem de telenovela.

Acho que os donos de restaurantes, hotéis e outros ambientes públicos já devem começar a pensar nos espaços “maconhódromos” para seus clientes viciados. Afinal, ainda resta uma grande massa que teimosa e burramente se recusa ao trampo.

Eu, inclusive.