1) VOTO DE CABRESTO

"Porra! Que merda! Esse Zé Povinho não tem gratidão. Dei emprego à metade desta população de mendigos e, agora, estão nos meus calos..."

“Porra! Que merda! Esse Zé Povinho não tem gratidão. Dei emprego à metade desta população de mendigos e, agora, estão nos meus calos…”

O que é isto? Bom, já falei aqui a respeito, mas é sempre bom repetir. Espalhou-se pelo Brasil, talvez desde o primeiro dia em que se diz que a República foi implantada entre nós, o vício horrível de a “Classe Política”, elitizada desde o início, desde mesmo o primeiro dia republicano, escravizar o eleitor por meio de um artifício totalmente anti-patriótico. E este meio é o que chamo de “voto de cabresto” e que se faz do seguinte modo: por obrigação legal, Municípios e Estados realizam concursos, mas procrastinam até o limite máximo a chamada dos aprovados. Neste meio-tempo, alegando falta de pessoal, Prefeituras e Estados tratam de consultar seus partidos e as respectivas “Lideranças” de bairros — e no Centro-Oeste isto é destacado nas Associações de Bairros — para assegurar para o Partido o maior número de votos possíveis. Tal manobra é garantida através da admissão de “indicados” para Contratação pela CLT a fim de preencher as vagas que, por Lei, deveriam ser dos aprovados em concursos. A escala é mais ou menos esta: salários maiores e comissões “gordas” são destinados àqueles indicados que com certeza podem garantir um determinado número mínimo, mas significativo, de votos para o candidato eleito pelo partido; salários altos, mas não comissionados ou com comissões “minguadas” são destinados aos que são “lideranças de bairros”, onde também o candidato pode conseguir respeitável número de votos (embora a ingerência política nas Associações de Bairro seja terminantemente proibida por Lei). O restante das vagas, geralmente de menos importância na hierarquia administrativa Municipal ou Estadual, como a de Assistente Administrativo, por exemplo, são destinadas às “massas de manobra”, gente sem títulos universitários, mas que precisa sobreviver, preferentemente “dependurada” num cabide de emprego municipal ou estadual. Estes são os puxa-sacos indispensáveis ao polititica. São obrigados a comparecer a todo evento em que o patife esteja presente e formar uma claque repulsiva, aplaudindo-o nas besteiras que vomite como se ele estivesse dizendo alguma coisa que preste. São constantemente ameaçados com a demissão caso não faça as piores e mais perigosas manobras destinadas a desviar o dinheiro do Erário Público para os bolsos dos polititicas seus senhores, para o Caixa Dois do partidão e para os cofres das eternas sugadoras de nosso sangue, as empresas sempre “clientes” das viciadíssimas “licitações públicas”.

"Mas o que eu posso fazer, gente? É o Sistema! Eu tenho de obedecer, senão eles me tiram minhas fazendinhas, que comprei com muito esforço (e muita maracutaia pública)..."

“Mas o que eu posso fazer, gente? É o Sistema! Eu tenho de obedecer, senão eles me tiram minhas fazendinhas, que comprei com muito esforço (e muita maracutaia pública)…”

 A propósito. Um exemplo tétrico e que todo o Brasil devia tomar conhecimento está aqui, em Goiânia. O atual Prefeito, PMDBISTA de carteirinha, PAULO GARCIA, “herdeiro” de Iris Rezende, inchou tanto a Prefeitura Municipal com “votos de cabresto” que, pasmem, a despesa com pessoal ultrapassa a receita municipal. Resultado: a Prefeitura não tem dinheiro nem para tapar os incontáveis buracos que se encontra em uma única quadra de qualquer rua da cidade. Coleta de lixo? Nem pensar!Recuperação das Escolas Municipais? Deus nos livre! Pagar as contas de luz? Para quê? A CELG que corte (como está fazendo) a energia de todos os órgãos municipais. Que importância tem isto? E o caos é quem faz a festa na administração goianiense. E o Paulão? Vai muito bem, obrigado. Afinal, ele é êmulo PMDBISTA e com esta raça de víboras ninguém é besta de mexer. Certamente que no próximo pleito ele será eleito GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS  e aí…

2 – CRIAÇÃO DE MINISTÉRIOS EM SUBSTITUIÇÃO DE OUTROS – TROCA DE MEIA-DÚZIA POR SEIS.

Até o ano passado, por aqui corria o mais bonito rio do Brasil - O Velho Chico...

Até o ano passado, por aqui corria o mais bonito rio do Brasil – O Velho Chico…(www.igafolia.com.br)

 

Esta é a proposta de Aécio Neves. Que vantagem danada para nós, né não? Trocará meia-dúzia por seis, o Sistema ficará danado de satisfeito, os Zé Nings não entenderão nada, a Máquina Administrativa continuará paquidérmica, os membros de seu Partidão ganharão mais vagas para dependurar “gente bem” etc, etc, etc… Que maravilha! Só não sei pra quem, arre égua!

Esperto, danado de esperto, o Aecinho, vendo que a mamãe Natura anda danada de ranzinza com a água e conhecendo a desgraceira que sofrem os rios brasileiros, onde os peixes estão morrendo por falta de oxigênio nos minguados córregos em que se transformam rios volumosos, como o São Francisco, no Nordeste, ele mais que depressa pôs como meta de seu futuro e pouco provável “desgoverno” psdbista eliminar o Ministério da Pesca, agora uma inutilidade e, pelo visto, um tremendo dinossauro em poucos anos, se Dona Natura não abrandar seu mau gênio, por outro, mais idiota, já morto e sepultado vários mandatos passados, intitulado “Ministério da Infraestrutura”. Infra, é certo que ele será. Infra em trabalho verdadeiro; infra em organização; infra em planejamento e metas; infra em honestidade, enfim, um INFRA de marca. Mas é só o que será, visto que, ressurrecto, ele não mudará nem um cabelo na sua estruturação inicial, que somente serviu para o abarrotamento dos bolsos, cuecas, meias, sapatos, camisinhas etc… de polititicas do passado.

Qual é, Aecinho, será que com toda esta pompa de bonitão você não sabe pensar em nada capaz de entusiasmar os Zé Nings? Nem que seja para enganá-los mais uma vez, mas seria vantajoso para seu PARTIDÃO, visto que, segundo as pesquisas de intenção de votos, você está na rabeira. E põe rabeira nisto, bonito!

"Em meu Governo eu porei de lado os Ministérios que não servem mais para enganar ninguém..."

“Em meu Governo eu porei de lado os Ministérios que não servem mais para enganar ninguém…”

E tem mais. O quase-esperto deu uma dica aos gulosos do agronegócio: afirmou que é preciso fortalecer o Ministério da Agricultura. É preciso dizer mais? Que panaca, meu! A agricultura e o agronegócio brasileiro, com boiadas e mais boiadas de peidões herbívoros estão estufados. Mesmo assim, os agricultores e os fazendeiros querem o direito de continuar desmatando o Pará, a Amazônia, e o Mato Grosso (este, já quase totalmente pelado), não importando o quão danoso seja para todos nós, inclusive para eles, tamanho despautério. 

E é esta a classe de candidatos que estão aí, mais uma vez, buscando iludir os Zé Nings para se manterem eternizando o Sistema que nos avilta e nos sufoca. Sufoca, sim, porque temos de trabalhar duro durante cinco meses e meio do ano para sustentar a horrível máquina tributária, na qual, nenhum deles, dos candidatos, ousa mexer. Nem mesmo citar como meta de seu governo, se eleito, atacar e desmantelar este Sistema de Arrocho Legalizado da Nação Brasileira.

Que vexame!

3 – ECONOMIA EM LUGAR DE EDUCAÇÃO.

"Sossega, cangaceirinha de araque. Eu sou mulher e evangélica. Esse negócio de sapatão não cola comigo"

“Sossega, cangaceirinha de araque. Eu sou mulher e evangélica. Esse negócio de sapatão não cola comigo” (foto de exame.abril.com.br)

Entra ano e sai ano e a Educação continua escondidinha nas gavetas dos polititicas. Agora, Marina Silva desponta como a única alternativa à Aloprada do Planalto.  Mas a pobre e feia candidata (sua religião castra seu orgulho de mulher e ela não cuida da aparência porque é pecado… Cruz Credo!) está às voltas com uma armadilha cruel de seu destino (mais uma, dentre as muitas que já enfrentou quando era pobre): é candidata por um partido recheado de “gente bem”, que só pensa “naquilo” (não é nisto em que você está pensando, meu caro. Eles só pensam na bufunfa).

O que resta aos Zé Nings brasileiros? Ela, é claro. PMDB/PT são dois desastres anunciados (um deles, mais do que anunciado). Mas a coitada evangélica vai ter de rebolar (e ela não parece ser capaz disto, visto que rebolar é pecado entre os evangélicos) para agradar a gregos e troianos. No entanto, dizem as más línguas, os índios ainda não aculturados (estes já estão terrivelmente corrompidos) rezam a Tupã que lhe dê forças para enfrentar os poderosos do Agronegócio, que a olham como o abutre olha o animal agonizante…

Vejam só o que anda fazendo o PSDB para assegurar o apoio da elite de gananciosos, segundo reportagem de Exame.com: ” a campanha do PSB pôs em campo assessores econômicos da candidata para dar entrevistas procurando mostrar que ela vai tocar a economia de forma conservadora. Falaram recentemente Neca Setubal e o Eduardo Giannetti.

Forma Conservadora. Isto quer dizer que os sonhos de Marininha deverão ir por água abaixo, pois sustentar o conservadorismo econômico é a mesma coisa que afirmar que Marina vai cair de quatro diante do Poder Econômico dos Polititicas associados com o Agronegócio. Êta capeta!

NOTA: antes de terminar deixo claro que escrevo sobre a polititica do momento a pedidos de amigos próximos que, não sei porquê, gostam de meu estilo acre e agressivo. Mas este assunto me vira as entranhas. Ainda bem que acabei.