As nuvens de chuva sempre despertam um quê de perigo avoengo nas pessoas.

As nuvens de chuva sempre despertam um quê de perigo avoengo nas pessoas.

A noite seguinte chegou com ameaça de chuva. O vento noturno era forte e tempestuoso, fazendo que as chamas da fogueira dançassem incomodamente diante das mulheres que se encolhiam em seus agasalhos. Jeroboão chamou-as para dentro de casa, onde uma dezena de lamparinas dependuradas do teto fornecia uma luminosidade melhor que aquela da fogueira açoitada pelo vento forte da chuva que já começava a desabar com estrondo e cheia de raios e trovões.

Jeroboão mandou servir vinho quente a todas elas, surpreendendo-as com aquele gesto. Sabiam que o vinho não ajudava em nada o desenvolvimento das qualidades espirituais. Por que, então, queria que elas o bebessem? Segurando seu copo na mão, Martha fez a pergunta que bailava nos lábios de suas parentas.

— Jeroboão, dissestes-nos que o álcool do vinho era tremendamente prejudicial ao desenvolvimento das qualidades espirituais naqueles que desejam elevar-se acima dos mortais comuns e avançar no desvendamento dos segredos ocultos dos Yogues e Lamas. No entanto, dai-nos a beber vinho quente, hoje. Por que?

Na velha Caxemira fazia frio quase sempre.

Na velha Caxemira fazia frio quase sempre.

— Vai esfriar muito, Martha. E não tendes qualquer preparo para provocar vosso calor corporal pela pura força de vossa vontade atuando no corpo e em seus mecanismos. E hoje é meu desejo que a senhora prossiga narrando-nos sua interessantíssima história, a qual, mesmo que sendo suas filhas, vós também desconheceis. A senhora tinha parado quando nos narrava sua desorientação diante da recusa de seu futuro marido em aceitá-la, conforme o compromisso assumido. Ela nos disse de suas agruras e do desespero de seu pai, que já a antevia em grande perigo diante da comunidade. O Arcanjo Gabriel se comprometera a ir até Yoseph, o construtor carpinteiro, falar-lhe sobre o mistério da gravidez de sua futura esposa. Então, senhora, podeis retomar vossa interessantíssima narração?

Míriam, a mãe, pigarreou e ajeitou com as mãos o vestido ao redor dos joelhos, enquanto punha as idéias em ordem.

— Bom — disse ela —, como eu narrava, meu pai estava muito preocupado com a honra de nossa família diante da comunidade. A proposta que o Arcanjo nos fazia era a única saída, ainda que ele estivesse duvidoso de que viesse a surtir efeito, visto que conhecia bem o gênio de Yoseph e sua determinação, quando se decidia sobre algo. E ele se tinha decidido quanto a mim: não me queria como sua esposa.

No entanto, eu sentia grande ansiedade, pois de verdade, aquela era nossa única chance de não termos que mudar radicalmente nossas vidas para fugir à vergonha de um lapidamento em família. Se tal acontecesse, nunca mais os membros de minha família seriam bem-visto na comunidade.

— Muito rígidos, o vosso povo, não? — Cortou Jeroboão.

— Demais — concordou Míriam, a mãe, num quase sussurro.

— Perdoai-me a interrupção. Por favor, prossegui em vossa narrativa.

Os Mestres ou Rabinos Fariseus permanecem tal e qual eram nos tempos de Jesus. E pregam a mesma lengalenga de antanho.

Eles tinham Leis morais rígidas, onde a mulher não tinha vez.

O dilema, agora, — continuou Míriam, a mãe —, era ir convidar Yoseph a nos acompanhar na visita que devíamos fazer à minha prima, Izabel. Meu pai estava receoso, pois meu futuro esposo havia-lhe dito com todas as palavras que não mais retornasse à sua casa. E retornar seria, então, um insulto ao qual o injuriado Yoseph poderia tomar como afronta. Ainda assim, mesmo relutante e duvidoso, meu pai foi ter com Yoseph. Este o recebeu de má vontade e de modo rude. Meu pai, contudo, não se intimidou com as maneiras ameaçadoras de Yoseph e lhe disse que tinha ido até ele para convidá-lo, a mando do Arcanjo, a nos acompanhar na visita que eu pretendia fazer a Izabel, minha prima, que, apesar de contar mais de sessenta anos, tinha engravidado por obra e graça do Senhor. A discussão entre os dois homens tornou-se acre e Yoseph armou-se com um bastão para bater em Jaquim, meu pai. Este não era de fugir diante de ameaças e se preparou para a briga que, felizmente, os filhos de Yoseph conseguiram evitar a muito custo. Furioso, meu pai retornou e, em casa, gritou que arcanjo nenhum o convenceria mais a ir ter com o desmiolado rancoroso e falso amigo.

Aquilo me jogou por terra. Porém, ainda que contrariada e cheia de sentimentos desencontrados, mantive-me firme na disposição de ir visitar minha prima e comprovar a verdade das palavras de Gabriel. Minha mãe Ana desistiu de me acompanhar para ficar ao lado de meu pai e seu marido Joaquim. Temia que ele, zangado como se encontrava, terminasse por retornar a Yoseph para exigir dele desculpas pelos insultos que lhe tinha dirigido. Meu pai, desde que retornara do encontro fracassado, estava inquieto, nervoso e irritadiço. Ele não era homem de engolir desaforos, embora fosse, quase sempre, pacífico e avesso a querelas.

Zacarias quase morre de susto ao ver o Arcanjo Gabriel no Santo dos Santos.

Zacarias quase morre de susto ao ver o Arcanjo Gabriel no Santo dos Santos.

Eu não sabia, mas o marido de minha prima, Zacarias, sendo sacerdote do templo, fôra sorteado, naquele ano, para entrar no Santo dos Santos e ofertar o incenso sagrado a Jeovah, bendito seja Seu nome, de conformidade com o que era o ritual do Templo em Jerusalém. E quando Zacarias estava dentro do Santo dos Santos, onde só uma vez ao ano um sacerdote sorteado podia entrar para fazer a oferenda ao Senhor, eis que Gabriel lhe apareceu ao lado direito do altar do incenso. Zacarias quase morreu de susto e, trêmulo, questionou a aparição. Sorrindo, Gabriel lhe disse a que viera, com as seguintes palavras: “Não temas, Zacarias, porque tuas preces foram ouvidas e Izabel, tua mulher, te dará um filho, ao qual porás o nome de Yahia. Seu nascimento te encherá de gozo e de alegria, e muitos também se alegrarão pelo seu nascimento, porque Yahia será grande diante do Criador Todo Poderoso. Ele não beberá vinho nem qualquer bebida que possa embriagar e embotar os sentidos espirituais, assim como não comerá a carne de nenhum animal de sangue vermelho, pois este mau hábito é repugnante ao Vosso Criador. Yahia, já desde o ventre de sua mãe, tua esposa Izabel, será cheio do Espírito Divino. Ele virá para converter muitos dos filhos transviados de Israel — filhos que se perderam e mergulharam nos caminhos da perdição —, ao Senhor e Verdadeiro Deus, o Criador Incriado. E o Deus de todo o Universo irá adiante dele no Espírito e na Virtude de Elias para reunir os corações dos pais aos filhos, e reduzir os incrédulos à prudência dos justos, para preparar para o Senhor um povo perfeito”.

Isabel e Zacarias eram velhos e já não mais podiam gerar filhos. Mas ela engravidou poque assim o quis o Criador.

Izabel e Zacarias eram velhos e já não mais podiam gerar filhos. Mas ela engravidou poque assim o quis o Criador.

Zacarias, tremendo de medo, questionou Gabriel, dizendo: “Por onde conhecerei eu a verdade dessas coisas que me dizes? Sou velho e minha mulher é avançada em anos. Nem ela nem eu podemos mais gerar descendência”. Houve uma pausa durante a qual o Arcanjo permaneceu olhando escrutadoramente a face pálida do Rabi Zacarias. Então, falou e disse: “Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, o Criador de todas as coisas. E fui enviado para te falar e te dar esta boa nova, mas como estás em dúvida de mim e não dás crédito às minhas palavras, para que compreendas que foste honrado pelo Deus Criador determino que percas a voz e fiques mudo até o dia em que estas coisas se sucedam.

O povo esperava pelo Sacerdote que demorava demais em sair do Santo dos Santos. Mas quando Zacarias veio para fora, não podia dizer-lhes o que lhe tinha acontecido. Sua voz sumira. Por gestos o rabi informou que tinha sido visitado por uma aparição lá no Santo dos Santos.

Izabel engravidou e guardou segredo disto até o quinto mês, com medo de que seu marido se enfurecesse contra ela. Além do mais, não sabia dizer como aquilo lhe tinha acontecido, pois há muito tempo não coabitava com Zacarias.

O Arcanjo Gabriel ordena a Míriam que vá visitar sua prima Izabel.

O Arcanjo Gabriel ordena a Míriam que vá visitar sua prima Izabel.

Foi ao final daqueles cinco meses que Gabriel veio a mim e nos ordenou fôssemos visitar minha prima. Estávamos nos preparativos, quando Yoseph mandou um mensageiro avisar que ele não iria e que devíamos deixá-lo em paz. Não tomaria parte em nada que fizéssemos. Então, minha família decidiu ficar para vigiar os passos e as notícias sobre Yoseph e seus filhos. Papai desconfiava que ele bem podia aproveitar nossa ausência para espalhar boatos, principalmente porque seus dois filhos mais velhos, um rapaz de 15 anos e uma garota de 14, andavam desconfiados sobre o estremecimento na amizade que papai e o pai deles mantinham há muitos anos. Eram os garotos o perigo maior, segundo meu pai.

Viajei com o coração nas mãos. Temia o pior. O que eu não sabia é que na noite mesma em que parti o Arcanjo visitou Yoseph em sonho. Ele lhe disse que não temesse tomar-me por esposa e que a criança que eu gestava era muito especial. Yoseph despertou perturbado e deu o sonho por resultado de sua perturbação com a armadilha que meu pai, Joaquim, lhe tinha armado. Mas o dia não terminara quando, retornando ele para casa, depois de um dia de trabalho duro, dirigiu-se a uma fonte para beber. Ali, sentou-se numa pedra à beira do poço de águas cristalinas e bebeu da caneca de cabo longo com o qual alcançara a água do poço. Depois, ficou descansando e vendo o pôr do Sol. Foi quando notou um homem que descia de dentro da mata, à sua esquerda, e caminhava diretamente em sua direção. Acompanhou-o com os olhos, intrigado com a sensação de que já o conhecia. O homem era jovem e muito alto. Tinha cabelos cor de ouro e sua pele era muito alva. Seus olhos eram azuis, de um azul profundo. Seu semblante era belo, embora aparentasse dureza ao fitar o rosto de meu futuro esposo. Suas vestes eram alvas como o linho imaculado e seus pés calçavam alpargatas novas. Seus passos eram decididos e firmes e seu corpo era musculoso, forte. Ele cumprimentou Yesoph e lhe pediu água. Yesoph tirou a água do poço e estendeu o recipiente para o jovem. Este tomou-o nas mãos e bebeu. Depois, devolveu o caneco a Yeshoph e com voz profunda lhe perguntou:

— Por que me desobedeceste? Por que não foste com Míriam na viagem que fez para visitar sua prima, Izabel?

Yoseph reconheceu instantaneamente o Arcanjo e deu um salto, pondo-se de pé num susto. Estava sem fala e olhava sem acreditar no que via. Havia um Arcanjo diante dele e em nada se diferenciava de um homem comum. Não tinha asas; não tinha nenhuma luz ao seu redor; não flutuava sobre nuvens. Nada. Apenas era um homem muito, muito bonito. Muito másculo e com uma autoridade natural, que emanava de toda sua figura.

— Yoseph — disse o jovem, sério —, este é um tempo especial, onde coisas especiais vão acontecer e tu, queiras ou não, tomarás parte ativa na trama que o Criador teceu para esta época e para esta humanidade. Este é um momento crucial no destino cósmico da Terra e os fatos que agora se iniciarão repercutirão por séculos e séculos depois, mudando radicalmente os destinos dos homens, que enveredam para a barbárie, a idolatria e a feitiçaria descontroladamente. Muito do que hoje se sabe neste terreno de feitiçarias as mais diversas será propositadamente escamoteado, escondido dos homens e o pouco que sobrar será contaminado por crenças tolas e rituais vazios. É necessário para que se possa lutar pela salvação da raça humana. A partir deste tempo, o Bem e o Mal terçarão armas no coração da humanidade e guerras terríveis sobrevirão sobre os homens. Miséria, Fome, Desespero e muita, muita injustiça e corrupção hão de grassar entre os homens de má vontade e de mente escurecida pela Matéria. Os filhos do Criador descerão até o fundo do poço da miséria e da escuridão; encontrarão o desespero e o arrependimento e é por este que serão resgatados pelo que virá do ventre da mulher que tu rejeitas estupidamente. Ele é o Maior dos Enviados a este mundo. O Filho mesmo do Criador. Sua missão, contudo, só será possível se tu te humilhares e aceitares com bom coração o que o Criador de Todas as Coisas e Seres deseja que aceites. És um homem justo e de bons princípios e foi isto que te fez grande perante os olhos d’Aquele que não tem nome. Não me faças retornar à tua presença, pois se tal acontecer, haverás de te arrepender amargamente.

O jovem deu as costas ao boquiaberto e espantado Yoseph, andou sete passos e sumiu numa luminosidade cegante. Mas o assustado construtor-carpinteiro ouviu que no ar ficou ecoando uma ordem: “Não comentes nada do que aqui aconteceu com ninguém. Nem com teus filhos”.

Uma coruja piou algures. Jeroboão suspirou fundo e bateu palma três vezes, pondo fim na grande expectativa das que ouviam o relato da Senhora.

— Boa-noite, senhoras. Amanhã será outro dia e trará outra noite e nos reuniremos novamente.

Ele se afastou e elas ficaram fitando as chamas da fogueira. Ardiam de vontade de conversar entre si, mas temiam o castigo de Jeroboão ou do Lama, se quebrassem a ordem recebida. Aquele lugar era muito estranho, misterioso, mágico e complexo. Era melhor não tentar nada além do permitido. Aos poucos se ergueram e se dirigiram para seus aposentos.

A noite passou insone para quase todas…