E alguém fala sobre o que se mantém ferreamente oculto por interesses "comunistas".

E alguém fala sobre o que se mantém ferreamente oculto por interesses “comunistas”.

Saiu na FOLHA DIGITAL. O Sr. Henning Jr, hoje com 74 anos, declarou que seu pai foi assassinado com 25 tiros na cabeça, disparados por terroristas de esquerda. Por que a CV não incluiu este crime no seu Relatório? E se tivesse incluído este e outros ainda nem conhecidos, mas chorados assim mesmo, será que a Dilma teria derramado lágrima por estas vítimas? D U V I D O! Ela chorou pela culpa que deve carregar dentro da alma (quem mata fica para sempre marcado pelo sangue derramado. Nada é fácil como parece nos filmes norte-americanos) e pelo ódio de ter perdido, juntamente com seus comparsas, a luta pela entrega do Brasil aos Comunistas Russos.

Eu espero – e torço por isto – que mais pessoas vivas que tiveram seus parentes assassinados por terroristas de esquerda (como Carlos Marighella) se manifestem. Afinal, são brasileiros que sofreram a mesma dor dos parentes dos comunistas “de araque” daqueles idos e têm direito a uma COMISSÃO DA VERDADE que mostre a realidade oculta ou ocultada propositadamente.

Se os petralhas tivessem ido com menos sede ao pote, talvez, hoje, estivéssemos com esta figura nos livros de História de nossos netos como Herói Nacional.

Se os petralhas tivessem ido com menos sede ao pote, talvez, hoje, estivéssemos com esta figura nos livros de História de nossos netos como Herói Nacional.

Marighella foi militante renitente do PCB – Partido Comunista Brasileiro. Foi preso diversas vezes por seu extremismo em ações violentas. Contra ele a Polícia cometeu o crime de tortura, pelo menos por duas vezes. Não adiantou, pois tortura só aumenta o ódio na pessoa. Ele voltou a lutar pela implantação do Comunismo no Brasil. Foi eleito Deputado Federal, mas perdeu o mandato quando seu partido, agitador e violento nas caladas da noite, foi colocado em proscrição. Marighella não desistiu. Na cladestinidade ocupou vários cargos na direção do partido. Foi convidado pelos chineses comunistas para ir conhecer de perto a Revolução Chinesa (mas, pelo visto, não aprendeu muito. Continuou comunista burro pró-CORTINA DE FERRO). Segundo se pode ler na Wikipédia, “Em agosto de 1967, participou da I Conferência da OLAS (Organização Latino-Americana de Solidariedade), realizada em Havana, Cuba, a despeito da orientação contrária do PCB. Aproveitando a estada em Havana, redigiu Algumas questões sobre a guerrilha no Brasil, dedicado à memória do guerrilheiro Che Guevara e tornado público pelo Jornal do Brasil em 5 de setembro de 1968. Foi expulso do partido em 1967 e em fevereiro de 1968 fundou o grupo armado Ação Libertadora Nacional. Em setembro de 1969, a ALN participou do sequestro do embaixador norte-americano Charles Elbrick, em uma ação conjunta com o Movimento Revolucionário 8 de Outubro(MR-8)….

Este gesto de Carlos Marighella lembra muito aquele dos petralhas presos, não?

Este gesto de Carlos Marighella lembra muito aquele dos petralhas presos, não?

Nem mesmo um santo poderia acreditar que o santarrão acima foi uma doçura de pessoa. Nem mesmo um santo poderia acreditar que ele não tinha as mãos manchadas de sangue de pessoas que se opuseram aos seus sonhos tresloucados. Tendo andado de braços dados com os chineses sanguinários e truculentos, na época da implantação do Comunismo na China, bem como de perdidos amores com Fidel Castro e seu herói de pés de bode, Che Guevara, que também na época matavam, os dois, centenas de cubanos revoltosos no famigerado “El Paredón” sem jamais terem sido punidos por isto, é absolutamente impossível acreditar que o Marighella tivesse sido um coitadinho injustiçado pelos Militares Demoníacos que o caçaram “impiedosamente”.

Mas certamente nossa Madama Presidenta o terá como um herói nacional, embora não do verdadeiro Brasil. E talvez por ele ela derrame copiosas lágrimas… de crocodila. Ao ser morto na Alameda Casa Branca, uma rua no centro de São Paulo, Marighella tinha, além de pistolas, duas cápsulas de cianureto (típico dos agentes secretos da época, tanto russos quanto americanos). Resquício dos agentes alemães da segunda guerra, que também, quando sem saída, se matavam mastigando as cápsulas de cianureto. 

Esse e outros de mesmo calibre são os heróis que os caçados de outrora querem impor ao “brasil” petralha e “comunistalha” como santos “do pau oco”.

Quem quiser que acredite nas lagriminhas da Aloprada do Planalto. Eu, não. Definitivamente não.