"Todos juntos vamos, pra fente PT, PT,  Massacrar vocês"

“Todos juntos vamos,
pra fente PT, PT,
Massacrar vocês”

Quem ainda está sonhando com apenas um pequeno abalo na casa do vizinho e não na própria, está totalmente fora de compasso. O desastre ainda nem começou. Apenas se sentem os tremores de terra e o ronco surdo do desespero que vai bater na porta de muitos brasileiros irresponsáveis porque reelegeram a Aloprada do Planalto.

O PTzão, através de seus êmulos vampiros insaciáveis, caíram nas jugulares de todas as Estatais e arrastaram consigo ou foram arrastados, não importa, as grandes Empreiteiras Brasileiras (e algumas estrangeiras, também). Sugaram violentamente o sangue do Brasil e o fizeram cair sobre os joelhos e as mãos, exausto como jamais esteve em seus parcos quinhentos e poucos anos de existência. Mas a sugação não foi o maior desastre, nem de longe. O que vai resultar desta patifaria gorda é a onda de desemprego que vai vir como uma tsunami sobre gente que nunca, antes, passara por este estado desesperador que nós, das antigas, vivemos durante toda a nossa juventude.

Será que ainda vale a pena apoiar a estrela petralha?

Será que ainda vale a pena apoiar a estrela petralha?

Mesmo que o STF tivesse aliviado a banda dos executivos corruptores, liberando suas respectivas empresas para que voltassem a fazer contratos com as Estatais, os Municípios e os Estados etc e tal, ainda assim a população de agora não escaparia de ter de provar o fel amaríssimo da insegurança em qualquer lugar, não somente nas quebradas das noites e no ofuscamento do sol escaldante nas capitais do país, quando bandidos aloprados e drogados atacam por todos os lados, assaltando e matando à granel com o beneplácito de um Código Penal ridículo. Para se reajustar, depois de terem sido postas à luz em suas falcatruas, as Corruptoras terão de demitir mais da metade de seu “staff” executivo e admitir outros, de iguais conhecimento e capacidade. E é aí que a porca torce o rabo até doer. Onde encontrar executivos BONS, capazes de ler um parágrafo de Lei ou de qualquer outro assunto e compreender o que ali foi dito? Não nas Universidades brasileiras, com toda a certeza. Quando converso com universitários, aqui no Centro-Oeste, vejo que eles estão desdentados e com hálito gramatical fétido de se torcer o nariz. Não são capazes de escrever um parágrafo sem cometer erros monumentais, quer na grafia, quer nas regras gramaticais.

E se peço a qualquer um que disserte sobre um assunto, ainda quando dentro dos temas que estuda, é um desastre. Não sabem desenvolver logicamente uma argumentação e se perdem no meio da redação. Mas eles são produtos do modo de ensino petralha. Quanto mais burros, melhores para o partidão.

"Tadinhos, fala assim não que eu vou-me acabar de chorar... de rir, é claro!"

“Tadinhos, fala assim não que eu vou-me acabar de chorar… de rir, é claro!”

Só que estes burros ligüísticos fabricados não servem somente para dar votos ao PT a fim de eleger seus petralheiros ladrões, não. Estes burros lingüísticos são pessoas que pensam e anseiam por um lugar ao sol. Não são culpados por terem tido professores de péssima qualidade, mal pagos e desmotivados até o limite de suas forças. Eles sonham como qualquer ser humano. Eles pensam que, de posse de um canudo, podem correr para o abraço. Pensam que o canudo os salva da ignorância cultivada desde quando foram para a alfabetização. Eles sentem sono, cansaço, medo, desespero, angústia e tudo o que qualquer ser humano pode sentir. São brasileiros abandonados pelo Governo que ajudaram a eleger.

Mas, ainda que reconhecendo tudo isto, uma empresa não pode ter “coração de mãe”, pois no terreno onde nasceram e lutam por crescer o que vale é a COMPETÊNCIA e, não o COITADISMO generalizado.

"Carmen, eu estou preocupado. O que vamos fazer: vamos continuar aliviando a turma do PT?"

“Carmen, eu estou preocupado. O que vamos fazer: vamos continuar aliviando a turma do PT?”

No momento atual, não parece que o SUPREMO esteja estimulado a permanecer ao lado de um barco que faz água de montão – falo do PTzão. Por isto, não acredito que qualquer togado esteja disposto a se deixar enlamear em defesa de algo que, de tão podre, põe a correr até os fanáticos do Estado Islâmico. Desconfio que os togados do Supremo não vão aliviar o lombo luzidio dos corruptores e, possivelmente, até de alguns graúdões do PTzão e afins. Muitos deles vão tomar uma cadeiazinha que, por menor que seja, vai fazer um estrago danado em suas vidas de polititicas. Muitos até serão obrigados a ou se afastar definitivamente da polititica, ou a ficar de molho um tempo muito grande, a fim de que o povão os esqueça. Como é o que está acontecendo com a turma braba do Mensalão. Eles vão retornar, mas não agora que a fedentina de suas ações ainda rescende a cadáver em nossos narizes.

Nas ruas, nos campos de futebol, o que já surge são faixas deste naipe. Segura, Aloprada, que o bicho vai pegar.

Nas ruas, nos campos de futebol, o que já surge são faixas deste naipe. Segura, Aloprada, que o bicho vai pegar.

Então, como já dá pra desconfiar, uma onda de desemprego está para desabar sobre nosso povo desorientado. E veremos, nos próximos dois anos – senão em mais tempo – levas de desesperados em passeatas inúteis pelas ruas das grandes cidades brasileiras. E, para meu temor, é aí que a turma do Crime Organizado vai encontrar terreno fértil para contratar “guerreiros” do Crime. Prevejo um “brasil” perdido, sem rumo, com assaltos a qualquer momento e morte à granel. Com o desrespeito total por qualquer coisa que seja Moral e Ético. Minha alegria é que até os patifes engravatados dos polititicas vão começar a se ver caçados pelos abandonados da Política brasileira. Fome, falta de teto, doença, desesperança, tudo junto forma um grupo de tempero da mais alta qualidade para alimentar a Criminalidade Nacional Brasileira de rés do chão. Aquela da Alta Cúpula não vai escapar do lodaçal em que transformaram nosso país. Vai sobrar para eles, mas, como ainda pensam alguns idiotizados, basta fazer as malas e fugir para a Europa e pronto. Para eles e suas famílias tudo estará resolvido. Mas vão quebrar a cara porque, quando a farinha é pouca todos partem para o meu pirão primeiro. E a farinha está escassa para os europeus. O desemprego por lá anda amargando a vida há muito tempo. E por causa disto, pela falta de oportunidade e de esperança, a juventude européia anda tendo crise de xenofobia e aceitando matar e morrer por uma religião aloprada na qual não crêem, mas com cuja violência não se importam.

Uma ferida cancerosa na grande floresta amazônica. Culpa dos fazendeiros e dos que os manipulam por detrás das cortinas.

Uma ferida cancerosa na grande floresta amazônica. Culpa dos fazendeiros e dos que os manipulam por detrás das cortinas.

Coroando-nos com fogo celeste, a derrubada de nossas matas, jamais freada pelos “nossos” (de vocês, não meus) polititicas, continua de vento em pôpa. A Amazônia vai sumindo depressa para dar lugar a quilômetros e quilômetros quadrados de capím, de braquiara. Miseráveis desdentados (eles nem ganharam uma dentadura para posar em favor dos petralhas) aceitam o sub-emprego e até o trabalho escravo para os monstros que mandam desmatar a torto e à direita.

E a camada de ozônio vai desaparecendo sob o ataque dos gases que se desprendem dos incêndios criminosos. E os ultra-violetas e os infra-vermelhos caem como o Martelo de Thor sobre todos nós, polititicas ou não. Mas isto, por enquanto, não impressiona. Afinal, ainda temos filtros solares que nos defendem do câncer de pele e outros males oriundos destes raios perigosos. No entanto, a Natureza está danada da vida conosco e já nos ameaça com a sede desesperadora. Falta água na maioria dos reservatórios brasileiros e os paulistas e cariocas que o digam, pois entre eles já começa a surgir o desespero nordestino de centenas de anos passados.

Mas isto não vem ao caso, não é? O que interessa, neste momento, é o desemprego que vem sobre todos como abutre. Agora, leitor, imagine você, sedento e fedendo a suvaqueira por falta de um bom banho, falando mal e compreendendo poir ainda qualquer texto escrito, redigindo de modo desastrado, em uma língua desconhecida, tendo que se apresentar para um teste admissional numa das Empreiteiras pegadas com a boca na botija e a mão no melado. Acha mesmo que vai ganhar uma vaga?

Tadinho, gente, tá delirando, né não? Há um grande contingente de brasileiros jovens que, ou vão morar debaixo dos viadutos e pontes, ou vão ficar enfunados nas casas de seus velhos pais aposentados, tremendo de medo de ir à luta.

E viva o PARTIDO DOS TRABALHADORES.