Burgueses brasileiros na fila do INSS. O ESTADO se dá o direito de fazer o que quer com o dinheiro do trabalhador. Por que? Alguém pode-me responder a esta pergunta?

Burgueses brasileiros na fila do INSS. O ESTADO se dá o direito de fazer o que quer com o dinheiro recolhido por empresas e trabalhadores destinado à aposentadoria destes últimos. Por que? Alguém pode-me responder a esta pergunta?

Lê-se na WIKIPÉDIA que “O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é uma autarquia do Governo Federal do Brasil, vinculada ao Ministério da Previdência Social, e que recebe as contribuições  para a manutenção do Regime Geral da Previdência Social, sendo responsável pelo pagamento da aposentadoria,  pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente e outros benefícios para aqueles que adquirirem o direito a estes benefícios segundo o previsto em lei. O INSS trabalha junto com a Dataprev, empresa de tecnologia que faz o processamento de todos os dados da Previdência.

Além do regime geral, os estados e municípios podem instituir os seus regimes próprios financiados por contribuições específicas.

O INSS foi criado com base no Decreto nº 99.350, de 27 de junho de 1990, mediante a fusão do Instituto de Administração Financeira da Previdência e Assistência Social (IAPAS), com o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), mas algumas de suas funções contemplam direitos que já haviam sido estabelecidos desde os tempos do império.

Compete ao INSS a operacionalização do reconhecimento dos direitos da clientela do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que atualmente abrange mais de 40 milhões de contribuintes. O Instituto possui em seu quadro administrativo quase 40.000 servidores ativos, lotados em todas as regiões do País, que atendem presencialmente mais de quatro milhões de pessoas todos os meses. Conta com uma rede altamente capilarizada, de cerca de 1.200 unidades de atendimento, as chamadas Agências da Previdência Social (APS), presentes em todos os estados da Federação (NOTA: e que não funcionam ou, quando o fazem, fazem-no de modo precário, miserável).

Trata-se de um mecanismo democrático, que ajuda a minimizar as desigualdades sociais. A renda transferida pela Previdência é utilizada para assegurar o sustento do trabalhador e de sua família quando ele perde a capacidade de trabalho por motivo de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou idade avançada.

Eu sou contra o ESTADO usar o dinheiro do INSS para fazer benesses, quebrando nosso instituto e fazendo POLITITICA com ele.

Eu sou contra o ESTADO usar o dinheiro do INSS para fazer benesses, quebrando nosso instituto e fazendo POLITITICA com ele.

Eu me recordo perfeitamente de que, quando contava com 14 anos de idade, fui trabalhar de boy numa empresa de venda de peças para caminhão. O dono informou a mim e à minha mãe, que o pagamento do IAPAS para menores era opcional, tanto quanto para maiores de idade. E que se ela optasse por querer que ele fizesse o meu registro em carteira, ele não me aceitaria como empregado. Nós, minha mãe, meus irmãos e eu, necessitávamos demais daqueles minguados trocados equivalentes a meio-salário mínimo mensal (sem direito a vales nenhuns). Isto foi em 1954 e, como eu não fazia idéia do que fosse o tal de IAPAS, perguntei ao empregado sênior, aquele que era praticamente o gerente da empresa (Centro Automobilístico Piauiense), o que era isto. Ele me disse que se tratava de um fundo destinado a pagar uma aposentadoria aos empregados, quando estes ficassem velhos e não pudessem mais trabalhar. Bem, com a idade de 14 anos não há uma só pessoa que pense nos dissabores e incapacidades da velhice. Eu me desinteressei do assunto e perdi um ano importante de minha vida como empregado com carteira de trabalho assinada. Hoje, aquele ano sem registro me faz falta e deu azo ao maldito FHC de me incluir entre os seus “vagabundos da nação”.

Eles entregam os melhores dias de suas vidas trabalhando duro e poupando para a velhice, mas vêm os POLITITICAS e esculhambam com suas aposentadorias.

Eles entregam os melhores dias de suas vidas trabalhando duro e poupando para a velhice, mas vêm os POLITITICAS e esculhambam com suas aposentadorias.

Não sei, e creio que poucos são os que sabem, a partir de quando o ESTADO decidiu meter o bedelho no IAPAS e fundi-lo com o outrora chamado INPS, agora INSS. Mas sei com certeza de que desde quando macaco era o máximo de perfeição na evolução humana, o ESTADO jamais colocou um único centavo nos cofres do NOSSO INSS. Mas dispõe de nosso dinheiro, o dinheiro dos trabalhadores brasileiros, quando e como bem entende. E faz com ele o que quer apenas para ANGARIAR VOTOS. Não há outro objetivo. 

Foi e é o caso do PMDB/PSDB e PT. Estes partidos, com destaque para o PT, compostos de uma cúpula de pútridos ladrões traidores do Brasil, assim que se assenhorearam do PODER, trataram de lançar à conta de nosso dinheiro, de nós que trabalhamos e recolhemos nossas contribuições, o sustento de todos os que não pagaram um único centavo de contribuição ao Instituto, como é o caso dos que trabalharam anos no campo, empregados de fazendeiros que jamais lhes proporcionaram qualquer garantia para o futuro, entre outras classes de desamparados compatriotas. Muitos de tais fazendeiros, como é o caso dos Sarneys, nunca ligaram para eles, em que pesem serem os Senhores do Legislativo.

Paciente pobre espera atendimento em hospital público estendida no chão por falta de macas, salas específicas e, principalmente por falta de profissionais médicos.

Paciente pobre espera atendimento em hospital público estendida no chão por falta de macas, salas específicas e, principalmente por falta de profissionais médicos.

A sobrecarga, enorme, exorbitante, já que o Brasil sempre foi mantido na miséria propositadamente pelos POLITITICAS feudalistas, a fim de poderem manter o sistema repugnante de escravização social do povo brasileiro, esvaziou nosso dinheiro e fez que o nosso Instituto ficasse deficitário. Pudera! Nossas contribuições de anos e anos de labor duro é distribuído graciosamente pelos políticos entre os pobres e miseráveis com um único objetivo: GANHAR OS VOTOS DAS CLASSES MISERÁVEIS E POBRES. Nada mais que isto.

É a este comportamento que chamo de fazer mesura com o chapéu dos outros.

Paciente pobres aguardam socorro médico em corredores infectos de hospitais públicos. Aonde está o dinheiro que devia estar aqui?

Paciente pobres aguardam socorro médico em corredores infectos de hospitais públicos. Aonde está o dinheiro que devia estar aqui?

No meu entender, se o Estado deseja proteger os que não tiveram condições de o fazer por si mesmos, devia criar um Órgão Público Federal, outro Estadual e outro Municipal com esta destinação precípua: dar sustentação às famílias desvalidas, pobres e miseráveis do Brasil. Mas não. A dupla dinâmica diabólica, PMDB/PSDB, teve a idéia infernal de distribuir bolsas-esmola à imensidão de miseráveis e pobres brasileiros. Vieram os ladrões do PT e se esbaldaram nesta idéia, levando até o exagero de ajudar a nossa falência econômica-social com a farta distribuição de nosso Dinheiro Público aliada à roubalheira sem freios que institucionalizou não só na PETROBRÁS, mas em qualquer lugar onde houvesse dinheiro público; além disto, lançaram à conta de nosso INSS a aposentadoria de todos os que jamais contribuíram para com ele. E assim, os miseráveis do campo (hoje baderneiros a serviço do Stédile) passaram a usufruir também do nosso dinheiro economizado no INSS. Um dinheiro que, diga-se de passagem, os miseráveis e pobres baderneiros não ajudaram a amealhar através de seu mísero esforço trabalhista de sobrevivência, mas só por que são humanos deviam receber a proteção do ESTADO. Afinal, mesmo sendo miseráveis e pobres, eles votam nos patifes que nos governam.

Eu sou contra. Não aprovo de modo algum o modo como os polititicas dispõem do que é nosso, do povo mesmo.

Eu sou contra. Não aprovo de modo algum o modo como os polititicas dispõem do que é nosso, do povo mesmo.

Eu sou contra, absolutamente contra, o Estado fazer falir nosso INSS usando e abusando de NOSSO dinheiro PARTICULAR, jamais ESTADUAL-FEDERAL-MUNICIPAL, em um reprovável jogo de interesses politiqueiros. Para o socorro às classes miseráveis e pobres nós passamos a vida pagando impostos escorchantes, que nos roubam o direito ao mais mínimo alívio através do lazer. Eles bem poderiam contar com um atendimento na SAÚDE PÚBLICA (Dever do Estado) de primeira linha; na INFRA-ESTRUTURA SATISFATÓRIA (Dever do Estado) das cidades; na EDUCAÇÃO (Dever do Estado) através de escolas bem conservadas e com professores motivados e justamente pagos; no TRANSPORTE PÚBLICO (Dever do Estado);  na SEGURANÇA e ALIMENTAÇÃO, assim como no direito à CASA PRÓPRIA sem a abominável transformação destas OBRIGAÇÕES ESTADUAIS em atos de generosidade partidária ou política através de NOSSO DINHEIRO JUNTADO NO INSS. Mas não. Chega-se ao absurdo de permitir que politiquinhos evangélicos transformem os parlatórios das Casas Legislativas em púlpito para elogiar o trabalho humanitário levado a efeito por pastores, que, sem nenhum conhecimento de seus direitos como cidadãos, executam os trabalhos que são DEVERES DO ESTADO.

A Wikipédia diz que: “Trata-se de um mecanismo democrático, que ajuda a minimizar as desigualdades sociais. A renda transferida pela Previdência é utilizada para assegurar o sustento do trabalhador e de sua família quando ele perde a capacidade de trabalho por motivo de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou idade avançada”.  Não é não. É roubalheira descarada e uso indevido do bem que o cidadão trabalhador amealhou visando sua segurança na velhice. Nenhum político, nenhum partido político tem direito de usar e abusar de NOSSAS ECONOMIAS.

Por isto é que peço aos meus leitores que passem adiante artigos que escrevo, como este, em que cobro dos polititicas o cumprimento de suas obrigações e parem de nos enrolar. Se algum de meus leitores ou de seus amigos for às passeatas, que, pelo Amor de Deus, leve uma faixa cobrando mais respeito para com nós, os aposentados do INSS, exigindo a retirada do maldito Fator Previdenciário dos cálculos de nossas aposentadorias e, ainda, exigindo que o poder aquisitivo de nossos proventos sejam recompostos para atender uma EXIGÊNCIA DA PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL.

Muito Obrigado.