Adalberto Cardoso - diretor  do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UER (foto da Folha)J.

Adalberto Cardoso – diretor do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ (foto da Folha).

“É essa imbricação entre o público e o privado que está sendo desvendada hoje. Infelizmente, pelo viés antigovernista dos agentes da PF, não se investigou nada da época do FHC. Sergio Moro é um juiz ligado de muitas maneiras ao PSDB. Sua esposa é assessora do PSDB. Por um viés da radicalização política, está se colocando na cadeia membros do PT. Esse processo vai ter um impacto de longo prazo no partido”.

Esta declaração não me agradou. Sérgio Moro age no combate ao Crime Organizado dos Partidos Políticos e só poderá mandar prender tucanos e pmdbistas quando a PF lhe trouxer provas do envolvimento deles nos crimes que ainda estão começando a investigar. Quanto à Privataria Tucana, é muito, mas muito difícil mesmo, alguém mexer numa caixa preta que está afundada no passado nebuloso de uma Quadrilha esperta pra cachorro.

(http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/04/1621134-entrevista-eleonora.shtml).

Eu não creio em Tucanocracia nem em Petralhocracia. Defendo uma Brasilcracia nossa.

Eu não creio em Tucanocracia nem em Petralhocracia. Defendo uma Brasilcracia nossa.

Não creio, eu particularmente, deixo claro, que haja viés antigovernista na PF. De meu ponto de vista, a ação da Polícia Federal está no sentido inverso da História, ou seja, começa de agora para retroagir aos antanhos. Há e haverá uma guerra feroz dos de antanho no sentido de blindar a qualquer custo a turminha “tucalheira” ou “pmdbrelha” que está quietinha, quietinha. Claro que sou dos que mais torcem para que a investida da Polícia Federal continue, sob o condão de Moro ou de outro Juiz corajoso, a ir fundo neste assunto escabroso que é a corrupção geral no nosso país. Sou dos que mais torcem para que FHC tenha o seu quinhão de amargor, juntamente com toda a sua corja de corruptos e salafrários da época em que tiveram a rédea desta nação de desorientados e manipulados em mãos e levaram a efeito a Privataria Tucana. A “Tucanocracia” é tão criminosa quanto a “Petralhocracia”. Ambos estes estados políticos deram sobejos prejuízos aos brasileiros enquanto Nação.

Eles têm muito a explicar aos brasileiros. Agora posam de mocinhos, mas no tempo deles havia podridão tão fedorenta quanto esta dos petralheiros.

Eles têm muito a explicar aos brasileiros. Agora posam de mocinhos, mas no tempo deles havia podridão tão fedorenta quanto esta dos petralheiros.

Que não foram os membros graúdos da “Petralhocracia” os inventores da Corrupção no Poder Público é óbvio até para os mais desavisados deste país de coitadinhos. Também este mau hábito não é apanágio dos “Tucanocratas”. Mas se estes se aproveitaram do sistema e lhe deram uma organizadinha sistematizante, ainda que tímida, os “Petralhocratas” exageraram na dose e estruturaram um sistema que boquiabriu até os russos. Como uma violenta infecção virótica, o Crime Organizado dos petralhocratas se infiltrou onde quer que houvesse a mínima brecha para sugar e enfraquecer empresas públicas ou investimentos dos dinheiros públicos. Nada, absolutamente nada foi feito em prol da EDUCAÇÃO, o ponto fulcral e o calcanhar de Aquiles da desordem civil nacional brasileira. Mas bilhões, senão trilhões de reais desaparecem ou são desperdiçados, sem temor dos incompetentes, em obras que são abandonadas ao Deus-dará, após fazer desaparecer a verba inicialmente prevista e geralmente multiplicada por 100 vezes mais através de aditivos e de negociações intermináveis, que só findam quando os larápios públicos e privados já estão entupidos com o nosso dinheiro.

Exemplar não-polititica, mas polititiqueiro, da Sociedade Petralhocrata em que vivemos atualmente (por nossa culpa exclusiva).

Exemplar não-polititica, mas polititiqueiro, da Sociedade Petralhocrata em que vivemos atualmente (por nossa culpa exclusiva).

Adalberto Cardoso, o entrevistado da Folha neste final de semana, deve ser integrante ou torcedor da “tucanocracia”. E de carteirinha. Desconfio profundamente de quem afirma que “Seria ingenuidade imaginar que não há interesses internacionais envolvidos nessa questão. Trata-se da segunda maior jazida do planeta. Existem interesses geopolíticos de norte-americanos, russos, venezuelanos, árabes. Só haveria mudança na Petrobras se houvesse nova eleição e o PSDB ganhasse de novo. Nesse caso, se acabaria o monopólio de exploração, as regras mudariam. (…) Só petista ou próximo ao PT vai para cadeia. Há uma profunda revisão do que é o nosso capitalismo e o agente desse processo é o governo. Nenhum outro governo jamais fez isso. Está agindo sobre o coração do capitalismo brasileiro, que é inteiramente corrupto.”

Exemplar terrífico da Tucanocracia. Deus nos livre dele ocupar a Cadeira Quente.

Exemplar terrífico da Tucanocracia. Deus nos livre dele ocupar a Cadeira Quente.

Ou seja, voltaríamos ao sistema corrupto dos “tucanocratas”, que é elogiado pelo entrevistado acima. Seria saltar do caldeirão fervente e cair no braseiro ardente. Não adiantaria nada. Mas esta é a opinião de quem viveu a época áurea da “Tucanocracia” em nosso país e foi ferrado em verde e amarelo.

Leio vários emproados doutores comentaristas ou entrevistados, em duas revistas que assino, mas também em vários artigos publicados em sites de respeito. Todos se mostram ou simpatizantes da “Petralhocracia” ou simpatizantes da “Tucanocracia”. Alguns até assumem esta simpatia e a defendem com ardor. Seria melhor que estas pessoas defendessem uma idéia relativa à criação de uma “Brasilcracia” ou coisa que o valha. Na “Brasilcracia” a ênfase seria dada à EDUCAÇÃO prioritariamente. E em todo o território nacional. Na “Brasilcracia” pagar-se-iam salários dignos a professores e se exigiria disciplina rigorosa dos alunos em sala de aula. Nada de rebeldia contra o uso de uniformes escolares. Ao contrário, estimular-se-ia o orgulho de se vestir tal uniforme. Um orgulho maior do que aquele, inútil, de vestir a camisa do time de futebol predileto. Um orgulho equivalente ao que exibem os alunos das Escolas Militares da Marinha, da Aeronáutica ou do Exército.

Esta é a Educação Escolar disponibilizada para os futuros cidadãos e cidadãs brasileiras. Dá arrepios.

Esta é a Educação Escolar disponibilizada para os futuros cidadãos e cidadãs brasileiras. Dá arrepios.

O Uniforme Escolar é o símbolo de um centro de formação de bons cidadãos (coisa que há muito tempo as escolas brasileiras deixaram de ser) e os alunos deveriam ser treinados em compreender o quanto é significativamente nacionalista aquele que não somente se orgulha de seu uniforme escolar, mas também tudo faz para que sua escola seja a melhor entre as melhores, estudando com afinco e buscando as melhores notas nas matérias curriculares.

É lógico que o Estado teria de contar – e até cobrar – ativa participação dos pais na formação instrucional de seus filhos, exigindo deles presença nas aulas, cobrando boas notas, vigiando as atividades deles nas escolas, zelando, enfim, pela segurança de sua prole ante os apelos desordenados e vorazes do Mercado, tando o Regular e Institucionalizado, quanto o marginal e criminoso.

A coqueluche que avassala nossa gente, mas que só enriquece gente do exterior. Aqui, ficam as mazelas do uso abusivo destas geringonças.

A coqueluche que avassala nossa gente, mas que só enriquece gente do exterior. Aqui, ficam as mazelas do uso abusivo destas geringonças.

Como Psicólogo eu sei que ao leigo é muito difícil não se deixar levar pelo Marketing e pela Propaganda traiçoeira. É muito difícil segurar as rédeas de quem tem os shoppings, o FACE e milhares de outras “páginas de relacionamento” à disposição. Mas não é impossível. Tudo se resume a uma coisa que está faltando, está-se tornando raridade, nos lares brasileiros: presença dos pais junto a seus filhos.

A criança, o púbere (ainda existe isto?), o pré-adolescente (???) e o adolescente necessitam, até mesmo exigem, que seus pais estejam ao lado deles. É natural que nestas fases a pessoa em crescimento e formação de Identidade busque em primeiro lugar seus genitores. Esse negócio de criança não querer ser beijada pela mãe ou pelo pai diante de seus amigos é coisa importada dos americanos (que têm de se manter rigidamente machos, caso contrário caem de quatro e aí…). É preciso colocar um freio no Mercado Desenfreado, desesperado por lucro a qualquer custo e ao preço de qualquer mentira. É preciso formar cidadãos conscientes de seus limites, sejam educacionais, sejam econômicos e financeiros. É preciso formar cidadãos civilizados; cidadãos que não joguem o lixo nas ruas e, depois, dengosos, vão gritar contra o Governo porque este está sobrecarregado dos irresponsáveis que acham que quem tem a obrigação de zelar pela comunidade é o outro, não eles.

A expressão de uma revolta justa, mas sem eco junto aos Polititicas.

A expressão de uma revolta justa, mas sem eco junto aos Polititicas.

Eu não tenho dó dos que estão sofrendo dores horríveis com a dengue. Não tenho dó dos familiares chorosos diante dos caixões daqueles que não resistiram à epidemia. E não jogo a culpa toda nos Prefeitos, embora saiba que a maioria esmagadora, principalmente os integrantes da Petralhocracia, como é o caso do Prefeito de Goiânia, merece apanhar em praça pública com relho de dar em burro.

“Cada população tem a peste que merece” e eu acredito nisto. E os brasileiros fazem jus ao mosquito da dengue e à própria dengue. E logo, logo, farão jus também à tal chikungunya, que, dizem, faz sofrer por dois ou mais anos dores atrozes.

"Mas você não vai-me perdoar por ter dito aquela verdadezinha sem importância!!!"

“Mas você não vai-me perdoar por ter dito aquela verdadezinha sem importância!!!”

Somos adultos remanescentes de gerações que relaxaram até o absurdo com a Educação Moral e Cívica de nossa geração, quando éramos crianças. Hoje, só os velhos, como eu, mantêm alguma coisa daquela Educação de antanho, isto é, de antes dos irresponsáveis que a nós se seguiram (os da geração rock’n roll, drogas e sexo). Mas nós, os de antes destes, estamos sendo extintos pela Natureza, que manda que se recolham no além os que já deram o que tinham que dar aqui em baixo e não fiquem parasitando a Nação, conforme mal-afirmou o desgraçado FHC.

Parece que vou embora sem ver neste país maravilhoso – exceto no que tange a seu povo atual, o lançamento das fundações de uma Brasilcracia realmente voltada para a Nação Brasileira. Mas ainda assim, se nossos intelectuais e emproados professores etc, etc, etc… deixarem de lado torcidas organizadas mal-educadas, petralha ou tucanalha, e se voltarem para infundir nas mentes dos Zé Nings e difundir por todos os meios a idéia de se criar algo nosso, com as nossas boas características (modificando as más tendências através de uma Educação Escolar Exemplar), este povo mostrará ao mundo que é o melhor de todos.

Mas enquanto isto não acontecer, estaremos fadados a dançar sob o chicote dos integrantes da Petralhocracia ou da Tucanocracia. E isto é uma droga, eu garanto.