ITAMAR FRANCO, o verdadeiro Pai do Real. Até isto o PSDB roubou de nós: a verdade.

ITAMAR FRANCO, o verdadeiro Pai do Real. Até isto o PSDB roubou de nós: a verdade.

Por doze anos, longos doze anos, tivemos em nosso Titanic chamado “brasil” os êmulos da Petralhocracia. Socialismo era a vacina contra o Capitalismo selvagem, desumano, protetor dos ricos e explorador dos pobres. O Brasil, endividado e sempre com o chapéu nas mãos, de joelhos e cabisbaixo, vivia pedindo empréstimos milionários ao F.M.I., o qual entrava em nosso país de libré e bengala, arrogância e ditatorialismo, para nos dizer como agir politicamente, segundo suas diretrizes. Era vergonhoso, revoltante, humilhante. E não víamos luz no fim do túnel. Aí veio um mineiro que, diziam as más línguas, era homossexual, e mostrou que para ser Homem não é necessário ter um pênis que funcione segundo os ditames tidos e havidos como certos. Homo ou não, o certo é que o mineirinho deu início à colocação da locomotiva de nossas vidas de volta aos trilhos. E se criou o o REAL em substituição ao fracassado Cruzado Novo. ITAMAR FRANCO era o nome do mineirinho, a quem devo ter sido recolocado na EMBRATEL, depois de ter sido demitido indevidamente pelas malfadadas listas criadas pelo aloprado e furioso Fernando Collor de Melo, um sionista praticante e, por isto mesmo, tremendamente arrogante. O mineiro não levou consigo a glória de ter criado o real, mas seu substituto, sabujo do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, sim. Este, raposa esperta, tratou de se assenhorear da iniciativa que deu certo e até hoje é tido como o pai do Real. Uma mentira solidificada pela repetição constante.

"Ih, o que diabo está havendo com o povão? Que negócio é este de ir pras ruas gritar?"

“Ih, o que diabo está havendo com o povão? Que negócio é este de ir pras ruas gritar?”

Zangados com a porcaria de des-Governo que tínhamos, começamos a estremecer contra a ingerência exterior e, pior, contra o capachismo de FHC e sua turma aos irmãos do Norte. O Brasil daqueles idos só conhecia um mercado: o norte-americano. Dependia integralmente dele. Se um manda-chuva norte-americano peidasse, os brasileiros eram obrigados a cheirar seus gases. Isto não era só humilhante, mas também revoltante. Por total falta de melhor opção, os brasileiros apostaram num sujeito duvidoso, que até então tinha sido recusado sistematicamente em suas pretensões, devido mesmo à sua doutrina-mór. Segundo ele, em suas falações pelo Brasil a fora, quando fosse eleito, todo brasileiro que tivesse dois bens seria obrigado a entregar um deles ao Partido dos “Cumpãeiros”. Era doido varrido e foi defenestrado, se não me engano, umas duas vezes, antes de se dar conta de que o buraco era mais embaixo.

Os áureos tempos em que Lula se julgava um Deus com o bastão da Verdade Socialista nas mãos.

Os áureos tempos em que Lula se julgava um Deus com o bastão da Verdade Socialista nas mãos.

Esperto, graças a longos anos controlando os ignorantes metalúrgicos do ABC paulista, conquistados e doutrinados na velha e caquética filosofia do Comunismo-Socialista de cunho cubano,  onde esta linha de pensamento político foi totalmente deturpada e aleijada; tendo atraído para sua órbita gente de gabarito, instruída e culta, graças mesmo à falta de lideranças sérias e capazes no meio político daqueles tempos, o esperto Lulaça “Metalurgicão” mudou de tom e passou a atacar furiosamente o modo de Governar do PSDB. 

A gangue que não se deu conta do perigo lulista porque estavam de boca na botija.

A gangue que não se deu conta do perigo lulista porque estavam, todos os seus membros, de boca na botija da Privataria Tucana.

E aí, totalmente cegos ao perigo lulista e absolutamente gulosos quanto às riquezas que descobriram poder surripiar à vontade, o PSDB, associado à eterna sombra política chamada PMDB, se soltaram. Entraram a furiosamente “vender” tudo o que tínhamos de bom sob o chavão da Privatização. Mas não houve uma privatização séria, digna, capaz de impulsionar nosso Brasil à frente. O que eles fizeram foi criar o primeiro maior escândalo político das Américas, que passou a ser conhecido como A Privataria Tucana, que deu até título a um livro pesadão de se ler. Tudo foi entregue escandalosamente de graça aos “compradores” do exterior. E, pior, embolsaram todo o dinheiro das privatizações. Nem uma única escola foi construída com aquele dinheiro; nenhuma rodovia foi seriamente pavimentada; nenhuma cidade foi beneficiada em saneamento urbano sério. A Segurança e a Saúde Públicas permaneceram na UTI do descaso. Mas, pior que isto, nunca se fez uma investigação séria sobre a roubalheira dos tucanos, pois eles tinham a PF manietada às escondidas, longe dos olhos do povão. 

Eis "O Furioso" que danou os brasileiros.

“Me esquece! Me esquece, diabo! Eu já gritei isto dezenas de vezes: ME ESQUECE!!!”

Os que mais se destacaram na gulodice foram FHC e o Furioso FCM. Diziam as más línguas que ele tinha comprado um apartamento cinematográfico lá nos EUA, onde até o vaso sanitário tinha sua tampa banhada a ouro. Não duvido. A dinheirama foi superior a esta do PETROLÃO. Mas sumiu “sem deixar rastro” porque ninguém jamais se dispôs a “seguir o dinheiro”.

E eles reinaram absolutos, mandando e desmandando, fazendo as m… que bem queriam, absolutamente certos da total impunidade.

Revoltados, os Zé Nings brasileiros, só de birra, pois a filosofia do Comunismo-Socialista era conhecida apenas pelos muito cultos ou integrantes dos sempre revoltados músicos e atores nacionais, votaram quase em peso na mudança do status quo político em que vegetavam. E deixando de lado a Roubalheiracracia, mudaram-se todos de mala e cuia para a nova filosofia “maravilhosa” do Lulismo – a Petralhocracria.

"É nóis na Presidença. Agora nóis vai botá pra quebrá, mossada!" Dito e feito: ELE BOTOU PRA QUEBRAR A PETROBRÁS".

“É nóis na Presidença. Agora nóis vai botá pra quebrá, mossada!” Dito e feito: ELE BOTOU PRA QUEBRAR A PETROBRÁS.

Com esperteza acima do bom-senso, Lula deu um pontapé na bunda do FMI, sonho dourado dos Zé Nings, que festejaram em alegria e carnaval, e praia, e mulata, e motel e muito samba. Mal sabiam que, para realizar esta façanha da noite para o dia, Lulaça tinha aberto um rombo daqueles na Dívida Interna. Mas isto era fichinha e ele esperava poder esconder este “detalhe” da gentalha que não integrava a Petralhocracia. E mesmo nesta, só os da cúpula tinham conhecimento do que ele havia feito (como acontece com todos os estadinhos mundiais onde imperam tiraniquinhos nanicos de cérebro). 

E fez mais. Abalou a certeza dos irmãos do Norte que acreditavam que, finalmente, o Brasil seria definitivamente transformado no quintal de seus concidadãos. Viriam para cá fazer a farra do boi como tinham feito em Cuba, antes da desgraceira chamada Fidel, cair como uma bomba na pobre ilha.

Turismo Sexual… Ah, que sonho para os irmãos do Norte, cujas mulheres são umas tábuas de passar roupa no quesito enchimentos corporais. Aqui encontrariam bundas à vontade, “pererecas” de montão e peitos à granel. Sem contar os rons-rons das nossas gatas que, quando deitadas nas camas dos motéis, ronronam e miam mais que gatos de estimação. Sonhavam repovoar o brasil com americaninhos refugados, mas que bem poderiam ser aproveitados como buchas para canhões nas guerras que os legítimos filhos do Norte alimentam pelo mundo todo.

Eles nos queriam (e ainda continuam querendo), mas deu zebra.

Eles nos queriam (e ainda continuam querendo), mas deu zebra.

Mas deu barbudão na roleta dos norte-americanos e o Tio Sam ficou a ver navios. E brasileiros, o que é um desastre. É que um barbudão beijador da bunda russa através das filosofias fracassadas social-comunistas das republiquetas sul-americanas foi escolhido pelos ignorantes que sempre resistiram, não se sabe como, ao tacão do Tio Sam. E de cara eles perderam a “Barreira do Inferno”, desejada há muitos anos pelos militares americanos que planejavam instalar ali uma base militar à moda das que espalharam pelo mundo, isolando aquele pedaço de Brasil para eles, para a elite militar americana, colocando os naturais da terra para os serviços “terceirizados” de limpadores de latrina, cozinheiros, babás, lixeiros e em outros trabalhinhos assim, sem valor, desprezíveis,  depreciados e indignos dos branquelos “xerifes do mundo”; trabalhinhos listados como de terceira categoria e indignos de serem executados pelos branquelos do Norte. Só não dispensariam de modo algum, como é o costume dos que moram nas bases americanas, os prazeres do concubinato com as filhas da terra. As “bichinhas” são boas porque são “descartáveis”. Coisa com que sonham os israelitas para todos os goins do mundo, sendo eles, e não os norte-americanos, os bajulados, adulados, paparicados e adorados pelo resto do mundo, pois, afinal, Deus lhes deu a Terra e tudo o que nela há. Inclusive os “goins”. Quem duvidar do que digo, encontre um sionista e pergunte a ele, depois de lhe aplicar o soro da verdade, se minto. Sem o soro não adiante. Eles morrem com os dentes trincados, mas não confessam nada.

A nossa Base de Alcântara, na Barreira do Inferno, era assim...

A nossa Base de Alcântara, na Barreira do Inferno, era assim…

E entramos na era da Petralhocracia. Tudo parecia uma maravilha. O “brasil” abriu seu comércio para países jamais imaginados antes, como a China, a Índia, a Rússia, os árabes, os paisecos asiáticos e por aí a fora. E deu de ombros para o todo-poderoso norte-americano que, enraivecidos, mandaram sua famosa CIA detonar nossa “Barreira do Inferno”. E eles o fizeram. E muitos cientistas brasileiros, de ponta, subiram mais cedo e nosso programa espacial levou um atraso do qual, até hoje, não se recuperou.

Mas isto foi fichinha. O que são as miseráveis vidas de cientistas de terceiro mundo em comparação com a contrariedade dos poderosos militares xerifes do mundo, norte-americanos? Afinal, o desgraçado Barbudão do ABC paulista deixou muitos deles a se consolarem sozinhos nos banheiros militares, sonhando com bundas e… aquilo das brasileirinhas, tadinhos…

Mas terminamos ficando assim...

Mas terminamos ficando assim…

Nada, não somos absolutamente nada para as forças armadas norte-americanas. E não somente nós. Todo o mundo, com exceção, claro, da insuportável Rússia. Somos do terceiro (e agora descemos para o quarto) mundo. Por que ter consideração com gentalha, gentalha, gentalha?

Lulaça logo descobriu que no Poder quem manda não é patriotismo coisa nenhuma. Quem manda é quem tem dinheiro. Se não se tem dinheiro para comprar apoio político, pode-se ter as mais altas aspirações patrióticas que os “Insolências” engavetam rapinho qualquer iniciativa de implantar melhorias para os Zé Nings. Então, ainda sonhando em fazer do Brasil o celeiro econômico-financeiro dos “tiraniquinhos de m…” sul-americanos, Lulaça não mediu esforços e pôs os cabeças da Petralhocracia a trabalhar “duro” a fim de obter numerário para rechear os bolsos, as cuecas, as meias e as contas aqui e no exterior de suas “Insolências”. E não é que funcionou que foi uma maravilha? Os Bandalhocratas (PSDB/PMDB/DEM/PP/PPS/PSP/PQP etc, etc, etc…) puseram-se todos a tecer loas e a aplaudir Lulaça. E este se embriagou de Poder. Até o Obama afirmava para o mundo todo que o Barbudão brasileiro “era o cara!”. Em vez de estrebuchar pelo assassinato em massa de nossos cientistas, não. Lulaça mergulhou fundo no lamaçal da bajulança e se entupiu de sonhos mirabolantes. E foi sonhando que ele inoculou o veneno da corrupção até à alma do Brasil.

Roberto Jefferson era assim: bonitão, arrogante, Insolência. Mas as mandingas dos Petralhocratas acabaram com sua pose...

Roberto Jefferson era assim: bonitão, arrogante, Insolência. Mas as mandingas dos Petralhocratas acabaram com sua pose…

E nascia, assim, o MENSALÃO. Mas antes que a coisa terminasse sabe-se lá onde (talvez até nos banheiros dos Três Poderes com um “SANITARIOZÃO”) um deputado carioca, Roberto Jefferson, revoltado rebelde porque tentaram não lhe dar o que ele dizia ser seu, deu com a língua nos dentes nos negócios escusos dos Correios (2005). O “bicho” ficou lelé da cuca e não mediu as desastrosas conseqüências de seu ato “imundo” para os membros da cúpula da Petralhocracia. E a terra tremeu debaixo dos império dos Petralhocratas. A coisa começou ali e logo avançou feito o câncer que desgraçou o Robertinho, tadinho. Mas ele aprendeu dolorosamente que a Mandinga dos Petralhocratas não é de brincadeira. Tarde demais, mas aprendeu…

Ainda assim, Lulaça e toda sua gangue não conseguiu impedir que a maldita PF fosse fuçando, fuçando e fuçando até estourar o MENSALÃO. Pronto, a fedentina explodiu antes mesmo que se criasse o “SANITARIOZÃO”.  

Eis o que sobrou de Roberto Jefferson, depois que cessaram os tambores de mina contra sua "excelsa" figura....

Eis o que sobrou de Roberto Jefferson, depois que cessaram os tambores de mina contra sua “excelsa” figura….

Foi aquele corre-corre desesperado. “Não fui eu não, foi ele!” ou “É mentira! Eu sou santo!” e ainda “Devo, não nego e não pago porra nenhuma!” eram os gritos mais altissonantes entre os mensaleiros. Alguns, olhos arregalados de espanto, miravam as meias recheadas de dinheiro e diziam pálidos de susto: “Não é meu não, eu juro! Eu não sei como é que isso foi parar aí! Tirem isto de mim, que eu não sou ruim!”. O pavor da Rainha Vermelha baixou no Congresso Nacional. Como todos sabemos, a Rainha Vermelha, das aventuras de Alice no País das Maravilhas, vivia mandando cortar cabeças. Pois a doida desceu no Legislativo e danou a gritar: Corta a cabeça dele!” Foi um “Salve-se quem puder!” Mas não adiantou. Pra todo lado havia gente querendo cassar polititica, que horror! E chovia propostas de criação de CPI’s. Todas vindo dos aliados traidores, pode? Lulaça dançava, pinotava, saltava de banda, dava esquivas de fazer inveja a mestre capoeira. Foi a época em que mais consultou a “branquinha”. Mas conseguiu chegar ao fim de seu mandato ainda a salvo dos sabujos da PF enlouquecida.

A Nata do Mensalão pagou mico diante do mundo todo. Não adiantou a ajudazinha do STF. Eles estão sujos para sempre.

A Nata do Mensalão pagou mico diante do mundo todo. Não adiantou a ajudazinha do STF. Eles estão sujos para sempre. Mas, como vocês podem ver, não perderam a classe…

Claro que com uma contribuiçãozinha do SUPREMO, as penas  para os “cumpãeiros”foram amaciadas até quase o rés do chão. Mesmo assim, muitos cabeções da Petralhocracia foi mofar alguns meses numa cadeia. Sim, cadeia. Pode uma coisa destas? Insolências Petralhocratas vendo o sol nascer quadrado? Só neste país esculhambado. Na Venezuela, ali na esquina, os Petralhocratas de lá nunca foram e jamais serão enviados para um lugar tão impróprio para a alta elite polititica. Mas no “brasil” nada se respeita, arre diabo! Os pobrezinhos foram presos, mas o dinheiro que conseguiram colocar em contas de parentes e laranjas ficaram por isto mesmo. Assim, terão um pé-de-meia para recompensá-los do vexame que pagaram por conta do danado do Jefferson, que o diabo carregue sua alma pras profundas!

Lulaça colocou uma Aloprada em seu lugar. Imaginava que poderia continuar no Poder atrás da dona. Uma espécie de Eminência Parda que controlaria quaisquer ameças a ele, visto que deixou uma história bastante negra e ainda oculta no Palácio do Governo. Mas errou desgraçadamente na escolha. A Aloprada, rancorosa até o extremo contra as Forças Armadas, insubordinada até à loucura, tratou de ir à forra e fez do Poder seu bunker para contra-atacar os milicos de hoje, em vingança contra os milicos de ontem. Quase que ela consegue fazer os atuais milicos saírem dos quartéis de novo. Mas o perigo ainda não passou, não. Eles só esperam a hora. Ela devia saber que um bicho que sabe esperar é militar.

Vermelho é também sua cor; seus gestos não foram imitados pelo Lulão, pois este não conseguiu impor um regime totalitarismo. Mas este parece continuar sendo o sonho "vermelho" de nosso operário retrógrado.

“A compãeira Dilma vai sustentar nossa farra. Podem se esbaldar. O brasil garante!”

E como se não bastasse, a doida mandou que os ratos infiltrados na PETROBRÁS doassem dinheiro a todos os tiraniquinhos sul-americanos e, pior, autorizou, por debaixo dos panos e atrás da coxia, os Tesoureiros do PTzão a montar um eficiente sistema de canalização de dinheiro da Estatal para os cofres dos partidos, do PTzão aos aliados. A coisa foi feita abertamente, pois ela não sabe, por não ter traquejo, esconder os mal-feitos. Hugo Chavez e outros tantos bandidões sul-americanos soltaram foguetes de felicidade. O “brasil” tinha dinheiro para a farra do boi de todos eles, que maravilha!!!

Mas nenhum fez tanta festa quanto o caquético Fidel, que ganhou de volta um porto novinho em folha, o Mariel, todo reconstruído com o dinheiro da PETROBRÁS e sem qualquer compromisso de ressarcimento à empresa. Nem Papai Noel conseguira dar um presentão deste ao Múmia Paralítica.

Lula conseguiu ser beatificado. E conseguiu aliviar o peso da mão da Justiça sobre os mensaleiros como São Fudêncio, o beato.

Lula conseguiu ser beatificado. E conseguiu aliviar o peso da mão da Justiça sobre os mensaleiros como São Fudêncio, o beato.

Logo, logo, Lulaça aprendeu que a dona era mouca aos seus gritos de “Pára, Dilma!”. A doida não parava. Lulaça foi a Roma e conseguiu ser canonizado. Virou Beato São Fudêncio, primeiro passo para a canonização do primeiro Santo Ladrão do mundo (excluindo aquele que Jesus levou consigo). Talvez, assim, não somente ficasse fora das encrencas que estavam cada vez mais engrossando, como também virasse o Santo Protetor da Petralhocracia.

Foi Pior.

Os tesoureiros do PTzão se deram mal. Dedos-duro surgiram por todos os lados e o pobrezinho do Vacarinho (gozado, ele entra meio de banda na gangue dos inhos…) está amargando uma cana incômoda. Mas São Fudêncio, agora já definitivamente santificado, está correndo como pode e mexendo com todos os paus da cangalha que jogou no nosso lombo. E conseguiu aliviar a cana dura que um juiz aloprado fez cairo sobre os corruptores e corruptos. Os primeiros foram devidamente aliviados das grades e o Vacari está com a esperança de também se safar, pois a fé em São Fudêncio é inabalável entre os Petralhocratas.

Mas ainda assim, com a proteção do maior Santo Ladrão de todos os tempos, o bicho anda danado nos calcanhares dos cabeções petralheiros. É que eles não querem largar o osso. O sistema administrativo dentro da quase falida PETROBRÁS não mudou nadica de nada. Na cúpula ainda sentam suas bundas corruptas e corruptoras serviçais dos Petralhocratas. E enquanto eles estiverem lá dentro; enquanto a POLITITICA não for totalmente erradicada da coitadinha, ela continua ameaçada de vir a sofrer uma recaída. Pode não ser mais por ação de gente da Petralhocracia, mas com certeza será de êmulos da Bandalhocracia.

PMDB/PSDB estão na corrida para ver quem vai pôr a mão no butim.

É… A novela ainda tem muitos capítulos pela frente. Será que a PETROBRÁS não vai morrer durante o desenrolar desta história macabra?

Quem viver, verá.