AGORA FALANDO SÉRIO…

Deixe um comentário

O Cantareira está locando seu leito para invasão de sem-terras. Quem se habilita?

O Cantareira está locando seu leito para invasão de sem-terras. Quem se habilita?

Comecemos pela seca no Brasil. Há menos de 20 anos atrás ninguém acreditaria que nosso país, riquíssimo em águas, colocaria São Paulo em apuros porque o regime de chuvas birrentamente mudou de modo drástico (é claro que a eliminação da Mata Atlântica não tem nada haver com isto). E eis que, neste terceiro milênio, estamos na seguinte situação: a) Chove a cântaros no Estado de São Paulo e em estados do Nordeste brasileiro. As capitais destas regiões viram verdadeiros lagos, com peixe entrando nas casas e nas lojas e, com eles, urina de ratos, muita urina de muitos ratos. Mas no campo mesmo, nadica de nada. É seca de rachar. Por isto, os açudes nordestinos estão em petição de miséria, o cantareira está permanentemente na UTI e o São Francisco morre devagarinho. Mais

POIS É, CUNHA. AQUI SE FAZ, AQUI SE FODE…

Deixe um comentário

"Eu disse: sou fichinha. Me deixem em paz e corram atrás do tucanaço. Mas ninguém me ouviu. Agora, olha ele aí, olha! E é tucanaço mesmo. Vejam o narigão dele!"

“Eu disse: sou fichinha. Me deixem em paz e corram atrás do tucanaço. Mas ninguém me ouviu. Agora, olha ele aí, olha! E é tucanaço mesmo. Vejam o narigão dele!”

Cunhão (não é culhão, é Cunhão mesmo. É que “Cuninha” não cabe no sujeito de nariz tão grande quanto bico de Anu e cabeça tão descomunal quanto uma melancia), mas como comecei a dizer, Cunhão anda doido varrido. Está espadanando água suja pra todo lado e enlameando o Brasil de Norte a Sul. É que seu in-digno “nomão”, apesar de todo o rebuliço que fez na Câmara e das cacetadas que desceu sem dó nem piedade no lombo da Socorro-Que-Já-Não-Sei-Mais-O-Que-Fazer e, por extensão, no lombo de todos os brasileiros (ele não respeitou nem limites nem Leis nem nada que preste), não escapou do dedo-duro Júlio Camargo que, sem qualquer dó, disse que o Patifaço levou uma gorja de apenas cinco milhõezinhos de dólares, uma ninharia diante da roubalheira da famíla do Nove Dedos. Mais

O DILEMA NO CONCEITO DA FAMÍLIA (V) – É POSSÍVEL EVITAR OS DILEMAS?

Deixe um comentário

Você só pode apreender a complexidade dos Campos Dilemáticos se o observar a partir da posição da Psicologia Sincrônica Ressonante.

Você só pode apreender a complexidade dos Campos Dilemáticos se o observar a partir da posição da Psicologia Sincrônica Ressonante.

Um amigo, depois de me ler sobre a Teoria dos Dilemas em Nossa Vida, ficou espantado. Segundo ele, é tão simples a idéia e, no entanto, ainda que sendo formado em Filosofia, jamais lhe passara pela cabeça pensar a vida a partir dos dilemas. Então, em telefonema, me fez a pergunta acima. Eu lhe perguntei de volta: “É possível sobreviver sem água?”

Nós podemos perfeitamente viver sem problemas. Até porque os problemas são proposições matemáticas objetivas, com fórmulas que nos proporcionam chegar a uma ou mais respostas invariáveis para eles. Mas um Dilema, qualquer que seja, não tem resposta ou respostas. Um Dilema tem opções que podem ser adequadas ou inadequadas para uma melhor saída de sua teia.  Mais

CAP. XI – A OUTRA FACE DA REALIDADE QUE NÃO VEMOS (Continuação)

Deixe um comentário

Capítulo IV – O Ritual (Parte III)

O belo chalé onde ninguém esperava o que estava por vir.

O belo chalé onde ninguém esperava o que estava por vir.

          Milena não se deitou. Tomou demorado banho de imersão, enxugou­-se, penteou-se e sentou-se em confortável sofá, lado oposto à cama e de costas para a janela. Tinha uma xícara de chá de tília que preparara para si mesma na elegante chaleira de prata sobre a cômoda de pau-brasil e cedro-do-líbano. A bebida quente lhe revigorava o corpo. Em sua cabeça turbilhonavam as memórias daquele dia atabalhoado e sinistro. Sua vida, a ilha, tudo fora virado pelo avesso desde que aquela estranha repórter viera com ela. Milena meditou em como se haviam encontrado. Nas conversas e nos acontecimentos insólitos que lhes tinham acontecido durante o dia. A corcova no mar ainda lhe trazia forte emoção.  O que teria sido aquilo? A milionária começava a achar que não fora uma boa idéia ter convidado Ma­ra a vir até a ilha. Aquele seu cantinho paradisíaco nunca mais seria o mesmo depois daquela tarde macabra. Pobre e querido amigo Khamal, que fim trágico. Mais

CAP. XI – A OUTRA FACE DA REALIDADE QUE NÃO VEMOS

Deixe um comentário

Cap. XI – O Mundo Vira de Cabeça Para Baixo (Parte II)

Uma visão destas é de embevecer qualquer um. Menos quando surge do nada em uma ilha misteriosa.

Uma visão destas é de embevecer qualquer um. Menos quando surge do nada em uma ilha misteriosa.

Em sua suíte, Damastor acabara de tomar um banho e estava com o roupão ainda úmido, deitado na deliciosa cama de colchão de água. O carrilhão na parede soou as 23h e 45min. De olhos abertos e fixos no teto, o detetive pensava em tudo o que acontecera ali. Os lençóis aconchegantes e a cama deliciosa o relaxavam. A suíte era maravilhosamente bem ornamentada, puro bom gosto em tudo, desde as estatuetas de marfim e jade, até a pintura em cores pastéis das paredes e do teto. As cortinas escureciam a suíte e a luz indireta dava a tudo um ar mágico de imponderabilidade. Mais

“CORAGEM E SABEDORIA PARA NOVAS ESCOLHAS E DECISÕES”

2 Comentários

Coragem. O que é isto?

Coragem e Sabedoria. O que é isto?

O tema acima me foi sugerido por uma leitora, Marly Meirelles. Tenho estado um tanto enrolado com afazeres e missões que me surgiram de supetão e me engolfaram numa batalha nova, totalmente nova, em minha existência. Por isto fiquei fora do ar por estes dias. O susto me causou um “black out” mental, mas creio que já posso retornar.

Marly veio lendo ao que acredito, com muito interesse, meus artigos sobre algumas partes de minha Teoria Psicológica à qual denominei de Teoria da Psicologia Sincrônica Ressonante.

Em atenção ao seu pedido, vou tentar abordar o tema que ela me sugeriu a partir desta Teoria. Mais

O DILEMA NO CONCEITO DE FAMÍLIA (IV – COMPLEMENTO)

Deixe um comentário

Como se Formam o “Indivíduo” e o “Caráter”?

Karl Gustav Jung. Ele muito contribuiu para a compreensão do que realmente somos.

Karl Gustav Jung. Ele muito contribuiu para a compreensão do que realmente somos.

Segundo Jung, toda a produção Mental de qualquer pessoa integra o que ele denominou de Inconsciente Coletivo. Este Inconsciente Coletivo não contém produções passageiras, tolas, fúteis, mas sim aquelas aquisições mentais que são compartilhadas por um grupo de pessoas durante muito tempo. Assim, imagens como Deus, Pai, Mãe etc… são comuns a todas as culturas humanas e integram o Inconsciente Coletivo como Arquétipos. Estes Arquétipos são comuns a toda a humanidade e seu conjunto é como o ar que é igual em qualquer lugar da Terra.

Quase sempre a tomada de decisão dissonante com sua Identidade gera DILEMAS posteriores que você terá de enfrentar buscando novas tomadas de decisão para safar-se deles do modo menos traumáticos e conflituosos possível. Mais

Older Entries

%d blogueiros gostam disto: