Em matéria de política eu sou um símio em dúvida com a Natureza.

Em matéria de política eu sou um símio em dúvida com a Natureza.

Sou o pior dos piores seres que vivem em Sociedade Humana para discorrer sobre tais correntes de pensamento que, no final das contas, azucrinam e infernizam nossas vidas. Portanto, se disser alguma bobagem – e provavelmente vou dizê-la – que me perdoem os doutos em tais assuntos e, principalmente os sectaristas. A meu ver, todo sectarista é cego por natureza justamente no assunto em que pensa ser o tal.

Comecemos introduzindo o significado para Burguesia, que encontrei em http://www.significados.com.br. Diz-se ali que “A palavra burguesia vem de “burgo”, nome dado às cidades medievais, habitadas em boa parte por mercadores, que foram chamados de burgueses. Essa burguesia comercial, enriquecida pela prática do comércio, foi aos poucos se infiltrando na aristocracia e passou a dominar a vida política, social e econômica a partir da Revolução Francesa, firmando-se no correr do século XIX.

Depois que inventaram o dinheiro a raça humana pirou de vez.

Depois que inventaram o dinheiro a raça humana pirou de vez.

Comércio, eis, para mim, a corda bamba sobre a qual a Humanidade nunca soube se equilibrar. Nos livros de História que andei lendo sei lá mais quando, sempre percebi que o Comércio foi o veneno da Pessoalidade humana (Pessoalidade no sentido que emprego na Teoria da Psicologia Sincrônica Ressonante, em substituição a Personalidade).

Comércio é um meio de troca de mercadorias através de uma coisinha danada de perigosa chamada dinheiro. A lide com o dinheiro trouxe à Pessoalidade humana o sentido de lucro. Em busca do lucro as Pessoas inventaram o jogo perigoso do Comércio Lucrativo. Ora, como nada há nesta terceira dimensão que só possua uma face, uma assertiva positiva, então, ao sentido de Lucro também veio o sentido oposto, de Prejuízo. Se as Pessoas tomaram Lucro como Positivo nas transações comerciais, deram, por sua vez, o sentido Negativo ao construto Prejuízo. E, a meu ver, foi aqui que a vida social humana se complicou, se perdeu e terminou na Dilma em nosso caminho.

Até hoje existem os burgos, ao redor dos quais os comerciantes se instalavam para se safar dos salteadores.

Até hoje existem os burgos, ao redor dos quais os comerciantes se instalavam para se safar dos salteadores.

Explico. Os burgueses dos antigos burgos foram os primeiros a introduzir a ação corrupção em suas transações. Os inúteis nobres aristocratas, que nada sabiam fazer senão fornicar com suas damas e se matarem em duelos, aprenderam rapidinho que, através das transações e das manobras ilícitas com os burgueses, podiam obter fabulosas quantias em dinheiro e, com ele, comprar mais terras, mais donzelas para exercer o direito da pernada e mais armas para se matarem estupidamente em guerras imbecis. Ora, trampolinagens sempre foram mal-vistas pela Igreja, a antiga guardiã da Justiça e da Lei. Então, foi preciso envenenar os prelados emproados e mais burros que portas (acreditavam, vê se pode, que a terra era plana e até mandaram assar alguns cabeças quentes que ousaram dizer o contrário) com a Cobiça (um dos mais hediondos pecados capitais). E a cobiça pegou feito sarampo nos êmulos da Santa Igreja. E aí a vaca foi pro brejo, pois a Igreja estava espalhada por quase todo o mundo (exceto entre judeus e muçulmanos). As guerras passaram a ser incentivadas pela Santa Madre Igreja com vistas à tomada de riquezas de nobres e de outras pessoas plebéias, mas burguesas, principalmente se praticassem outra religião. Saladino que o diga. Nos próprios burgos e nas cidades mais desenvolvidas da Idade Média, a Igreja se danou na Ganância. Mandou queimar e torturar centenas de inocentes pelo simples crime de serem ricos ou ricas. E temos a triste nódoa das Santas Inquisições praticadas por anos em países da Europa (não aconteceu por aqui porque Pedro Álvares Cabral só retirou o lençol que protegia as terras tupis, chamadas até então de Pindorama = Terra das Palmeiras, para quem ainda não sabe, lá pelos idos de 1.500 e os assassinatos pela Gula já vinham de vento em popa na Europa.  

Karl Marx: "Há dois ferros para vocês. A social-Democracia e o Socialismo. Ambos não prestam. Escolham!"

Karl Marx: “Há dois ferros para vocês. A social-Democracia e o Socialismo. Ambos não prestam. Escolham!”

No final do Sec. XVIII, segundo significados.com.br, surgiu a doutrina política conhecida como Socialismo que, em rápidas palavras, tinha como escopo a idéia da transformação da sociedade através da distribuição equilibrada de riquezas e propriedades, diminuindo a distância entre ricos e pobres. É que a zorra estava insuportável e os nobres andavam apavorados de acordar e verificar que seus pescoços já haviam sido picotados para o machado do carrasco, pelos ativos membros da Santa Madre Igreja ou coisa assim, não importa. Para quem vai morrer o pânico é o mesmo, seja pelo machado do carrasco do passado, seja pela injeção letal moderna. E aí surgiram “grandes pensadores” socialistas, como seu idealizador, Noël Babeuf, e como o aloprado Karl Marx, um dos principais filósofos do movimento. Este maluco danou a pregar que o socialismo seria alcançado a partir de uma reforma social, com luta de classes e revolução do proletariado, pois no sistema socialista não deveria haver classes sociais nem propriedade privada. Max cagou fora do pinico. Suas idéias tidas como revolucionárias causou mais mal à humanidade que o Diabo, desde quando esta coisa estranha foi parido pelas mentes doentias de religiosos esquizofrênicos.

Dilma contesta

“Não senhor! Eu sou cria de Che Quevara e meu mui amado Fidelzinho safadinho. “

Olha só, o pensamento venenoso de Marx impregnou tantas mentes que se supunham “brilhantes”, que terminou invadindo Cuba e atraindo para lá a ralé que dominou o PT e nele implantou o petralhismo, o qual nos deu de presente de grego um Lula e uma Dilma. Nenhum país como este já sofreu tamanha infestação danosa e o resultado é o que ainda aí está: Dilma na cabeça de todos nós. E como dói, diabo!

A Luta de Classes ainda infecta a mente atrofiada dos adeptos do petralhismo e escreveu não leu, lá temos nós, brasileiros da gema, de aturar Sem Tetos, Sem Terras, Sem Estudo, Sem Trabalho (= vagabundos socialistas), Sem Vergonha e Sem Nada a nos azucrinar a paciência. E na frente de todos eles, quem? QUEM? LULAÇA CACHAÇA e sua herdeira da Nação Brasileira: Dilmaça Destrambelhada! É demais, né não?

"Lula! Paredón nele! Que esperas, hombre?"

“Lula! Paredón nele! Que esperas, hombre?”

Levando ao máximo o ideal socialista, Lulaça se ferrou em suas duas primeiras tentativas de ganhar o Poder no Brasil. É que ele apregoou cedo demais aos quatro ventos e a muito berreiro que todos os bens e propriedades particulares seriam de todas as pessoas (filiadas ao PT, claro) e haveria repartição do trabalho comum e dos objetos de consumo, eliminando as diferenças econômicas entre os indivíduos. No Brasil na seguinte proporção: tudo para petralheiros e nada para inimigos do povo – os Zé Nings. Um ideal absurdo, impossível em um mundo dominado pelo endeusamento do Lucro. E mergulhamos de cabeça na zorra total que aí está, pois aqui, já o dissera muito bem Vaz de Caminha, a terra é boa e em se plantando, nela tudo dá. Só faltou, para ser profético, afirmar: Até doidos como Lula e Dilma, emprenhados de Socialismo tupiniquim cubano vai brotar. Agaranto.

"Caquético é a P.Q.P., para usar o chavão predileto do Furioso!"

“Caquético é a P.Q.P., para usar o chavão predileto do Furioso! E privada só é cabível na casinha, seu m…”

Enquanto o Brasil patina ainda num Socialismo caquético, anárquico e sem pé nem cabeça, o mundo já se vê às voltas, mais adiantado que está, com o Capitalismo. Este, diz significados.com.br, é um sistema econômico em que os meios de produção e distribuição são de propriedade privada e com fins lucrativos. Decisões sobre oferta, demanda, preço, distribuição e investimentos não são feitos pelo governo e os lucros são distribuídos para os proprietários que investem em empresas e os salários são pagos aos trabalhadores pelas empresas. O capitalismo é dominante no mundo ocidental desde o final do feudalismo. Mas esse negócio de o Governo não interferir onde tem o dim-dim não tem cabimento nas cabeças de gente como o Lulaça Cachaça, a cúpula petralhista e a Doidona Aloprada Desarvorada. Nem que vá tudo para o fundo do poço, aliás, como está indo.

"Eu não sou ladrão! Sou somente um mão leve e isto é outra coisa!"

“Eu não sou ladrão! Sou somente um mão leve e isto é outra coisa quando a gente entra para o mundo dos bilionários!”

Justamente a idéia de que os lucros não se destinam ao Governo, mas são distribuídos pelos proprietários das empresas foi que endoidou todos os adeptos do Socialismo no mundo. Eles logo encontraram o cano pelo qual a dinheirama capitalista deve escorrer para seus bolsos, suas contas no exterior, suas cuecas, suas meias, seus colchões (herança antiga das vovós brasileiras e ainda cultivada pela Desgovernada do Planalto que, parece, não tomou conhecimento de que a inflação que ela soltou das correntes, logo, logo, vai-nos levar de volta à criação de novas e novas moedas e, destarte, aquelas cedulazinhas adoradinhas escondidinhas sob o colchão vão perder todo e qualquer valor. Ficarão imprestáveis até para servir de papel higiênico).

"Fala não! Fala não que vão se lembrar de mim e as coisas tão pretas pro meu lado, cara!"

“Fala não! Fala não que vão se lembrar de mim e as coisas tão pretas pro meu lado, cara!”

E aquele cano de escoação de dinheiro surripiado do povo é feito de aço-titânio, uma liga infernalmente dura para se destruir. Chama-se, ao tal cano, de CORRUPÇÃO. E adivinhem onde este cano se firmou com toda a força e toda a engenharia? No novel Brasil, um país que ainda nem saiu das fraldas (e talvez por isto mesmo). Aqui, atualmente, o vendaval de corruptos e corruptores boquiabriu todos os países da Europa que, aos gritos de “cruz credo!”, chegaram a entrar em pânico, como aconteceu com a fechadíssima Suíça, onde, todos sabiam, as fortunas de gatunões como os Cappo das Máfias e tiraniquinhos de banana, como Fidel Castro e afins, mandavam esconder seus dinheiros sangrentos e roubados. Pois bem, até a Suíça está fazendo o que pode para se livrar dos depósitos de brasileiros, corruptos ou não, pois está difícil saber quem é mamador na Teta do Erário Público brasileiro e quem não é.

Esta figura encarna à perfeição o pensamento e o "way of live" do Governo Secreto que age dentro da América do Norte e é desconhecido pelos cidadãos americanos.

“I want your money! Fast, son of gun!”

O Capitalismo dominou ferozmente nosso mundo dito civilizado e exagerou criando o que apavorou o mundo – o monstro capitalista denominado Neoliberalismo e sua filhota, a Globalização. O Socialismo não foi páreo para ele e, então, eis que alguém idealizou um tal de Comunismo. Segundo significados.com.br, Comunismo é uma doutrina social, segundo a qual se pode e deve “restabelecer” o que se chama “estado natural”, em que todos teriam o mesmo direito a tudo, mediante a abolição da propriedade privada. Nos séculos XIX e XX, o termo foi usado para qualificar um movimento político. De certo modo, o Comunismo é uma forma diferente de se dizer Socialismo. Eu, pelo menos, entendo assim.

As pessoas alopraram pelo mundo todo. E se dividiram entre os que ganham e os que produzem. Estes, explorados pelos Capitalistas que, segundo alguns, lhes remuneram mal e lhes exigem o máximo de produtividade, adotaram a rebeldia sob a forma de outra filosofia política. E é aí que mergulhamos de cabeça numa tal de Social-Democracia. A coisa é diabólica. É preta (com licença dos negões brasileiros que não mais aceitam ser chamados de pretos, mesmo que a sua cor não negue). Os operários adotaram uma tal de Social-Democracia, radicalíssima no apelo ao confronto entre burgueses e proletários. Segundo o www.marxists.org, que para mim complicou sobremodo a compreensão do que diabo vem a ser a tal Social-Democracia, esta mistura de diabo com Belzebu é uma zorra danada e, lê-se no http://www.marxists.org, “em sua luta pela transformação da sociedade, o proletariado, como a única força capaz de realizá-la, depara-se com inúmeros obstáculos. Um dos mais resistentes e enganadores, por suas características peculiares, é a social-democracia, corrente política de longa atuação nos meios operários. Com designações várias social-democrata, trabalhista, socialista e, mais recentemente, comunista-revisionista –, tem como fundamento o reformismo, a colaboração de classes, em última instância, a preservação do sistema capitalista”… Entendeu? Pois eu, não.

"Putz! Onde é que eu entro nessa?"

“Putz! Onde é que eu entro nessa?

Pra mim isto é o samba do crioulo doido na polititica nacional mundial. Eu nunca me voltaria para bisbilhotar nestes campos nebulosos se nosso Brasil não tivesse sido afundado pelo PT e seus oponentes, PMDB/PSDB DEM, PP etc…, nesta panela de Hades.

No duro, no duro, eu só queria era ser um aposentado pacífico, esquecido do mundo e cuja história já se desmanchou toda, pois por onde vivi e onde trabalhei não há mais nem poeira de meus passos ou memória de minha existência.

Mas desgraçadamente me caíram na vida PT com Lula e Dilma, e PMDB/PSDB com FHC e camarilha, PC do B, PCB, DEM, PSOL, P VERDE etc, etc ad infinitum. É demais.

Ei, vocês aí de cima, o que diabos estão fazendo que não se lembraram ainda de me puxaram daqui debaixo? Isto aqui está uma zorra que nem o Zorro agüenta, diabos!