"Pai, dá um porradão neles por mim! Quando eu crescer vou descer o pau... Se ainda houver em quem bater."

“Pai, dá um porradão neles por mim! Quando eu crescer vou descer o pau… Se ainda houver em quem bater.”

Antes de abordar o tema escolhido, quero dar aqui um grito de alerta aos aposentados DO INSS (os aposentados polititicas não correm este perigo, ainda que um punhado deles dê mais prejuízos ao Brasil que todos nós, do INSS, juntos). Os cacicões do Poder já andam sonhando que o melhor é desmanchar o INSS e mandar para as cucuias os velhos do Brasil. Economizariam, assim, alguns milhões para semi-tampar os rombos da Desmiolada do Planalto. Ah, FHC vai ter orgasmos que jamais experimentou…

Bom, vamos ao que interessa. A Desgovernada do Planalto, mesmo estando mais tonta que barata em cima de veneno, deu mais uma de suas caquéticas cacetadas no escuro. As “coitadinhas” das montadoras de anzóis motorizados (anzóis porque servem indiretamente para que os Governos – Estaduais, Municipais e Federal – mordam mais um “tiquim” do minguado dinheiro dos brasileiros) como eu dizia, a Desgovernada do Planalto estendeu a mão com 8 bilhões de nosso dinheiro para as estrangeiras remeterem para seus acionistas no exterior.

Hoje, as revendedoras estão assim. Gente dentro delas só os desanimados vendedores.

Hoje, as revendedoras estão assim. Dentro delas só os desanimados vendedores.

A desculpa é que esta montanha de dinheiro é para incentivá-las a se manterem produzindo mais “anzóis motorizados” a fim de abastecer as milhares de revendedoras que já estão entupidas de “anzóis motorizados” em seus pátios, pois ainda não conseguiram se desfazer dos do ano passado e, até, dos do ano anterior a este.

Para que produzir automóveis se não há compradores para eles? Para que produzir automóveis se os pátios das montadoras estão abarrotados de “encalhados” e as revendedoras estão fechando suas portas às centenas pelo Brasil a fora?

Máquinas como estas não precisam de salários. Desligadas, dão lucro. Explica, Dilma!

Máquinas como estas não precisam de salários. Desligadas, dão lucro. Explica, Dilma!

Não, não. Não foi para ajudar a manutenção de empregos. Afinal, mais de 60% dos trabalhos de montagem dos “anzóis motorizados” é feito por robôs e estes não precisam de salário. Não há compradores? Desliguem-se estas máquinas e pronto. Economia de energia elétrica já é um ganho e tanto, pois as tais bandeiras vermelha, amarela e verde andam sugando uma barbaridade de todos nós, gente ou empresa. As Matrizes das subsidiárias montadoras de “anzóis motorizados” são estrangeiras e podem, muito bem, tomar dinheiro em bancos estrangeiros. Podem ser subsidiadas por empreendedores de fora, lá de suas santas terrinhas. Por que, então, a Desgovernada do Planalto tem de lhes estender a mão com 8 bilhões de reais, quando não a estende nem com dez centavos para os aposentados do INSS?

A capacidade das montadoras de obter financiamento no Mercado Internacional é muito grande. No entanto, suas Matrizes dão uma de João-sem-braço e deixam que centenas de empregados sejam despejados na rua da amargura (que todos – ou parte deles – já conhecem de sobra desde outros carnavais).

"Ô, inferno! Me esquece, velho azarento!"

“Ô, inferno! Me esquece, velho azarento!”

Meu diabinho não deixa de me infernizar o ouvido esquerdo com uma pergunta incômoda? “Quanto os cacicões dos Partidos estão levando nesta negociata sem-vergonha?” A pergunta tem fundamento, pois é justamente quando a poeira está no ar, como agora, no cenário polititica infernal que estamos vivendo e amargando, que os “espertos” tratam de se mexer e fazer valer a lei do “farinha pouca meu pirão primeiro”. Vejam o Lulaça. Ele anda apregoando aos quatro cantos do mundo que “vai voltar a voar”, ou seja, vai-se mexer, vai visitar novamente os bolsões de pobreza e deitar falação mentirosa e ardilosa para levantar os braços dos famintos contra o inimigo do PT – todos os que não dão apoio às desgraceiras que este partido aloprado vem fazendo no desgoverno petralhocrata. Em outras palavras: ele vai incrementar o chavão-mestre da Social-Democracia “nós contra eles”, onde eles somos todos os que ainda temos trabalho, ganhamos algum salário e, por isto, em tempos de destempero governamental, podemos ser transformados em “inimigos do povo”. Ele, Lula, que enricou monstruosamente da noite para o dia roubando o dinheiro que deveria ter sido empregado em benefício da Nação Brasileira, ele, repito, não é inimigo dos famélicos e desesperados. Por que? Ora, há uma única resposta: POLITITICA. 

Eles riem à-toa, enquanto suas nações choram em agonia. Até quando nós, brasileiros, ainda vamos repetir o bordão dos idiotas: "política não me interessa?"

Eles riem à-toa, enquanto suas nações choram em agonia. Até quando nós, brasileiros, ainda vamos repetir o bordão dos idiotas: “política não me interessa?”

É isto mesmo: POLITITICA, gente. Não adiante a ninguém dizer estupidamente que “política não me interessa”. É burrice (e eu digo isto de cadeira, pois sou da geração estúpida que disse isto a vida toda). Quem pensa assim abre um enorme espaço para que gente inumana, como Lula e Cia, tome conta do espaço e se assenhoreie de nossas vidas – e o que a Desgovernada do Planalto está fazendo é justamente nos mostrando nosso erro. Com muita dor, é claro, para nós. Mas talvez assim aprendamos a nos ligar em Política e compreender a diferençar entre esta e a Polititica que inferniza nossa existência e nos ameaça transformar em mendigos, a todos nós. 

Mulheres de Jacarezinho miando obrigam os desaforados vereadores da cidade a reduzir seus salários.

Mulheres de Jacarezinho miando obrigam os desaforados vereadores da cidade a reduzir seus salários.

Às ruas. Vamos às ruas, mas não apenas para bater panelas. Vamos agitar, gritar, e permanecer nelas até virar a noite em vigília por nossos direitos. Se as passeatas pacíficas e de poucas horas já estão sendo consideradas como palhaçadas pelos titicas do poder, então, vamos fazer uma vigília de 24 horas, preferentemente ao redor do quarteirão onde eles moram. Vamos bater não somente panelas, mas tudo o que puder fazer um barulhão danado a fim de lhes roubar o sono e lhes tirar o sossego. Miando, mulheres de uma cidadezinha do Sul nos mostraram que, sem armas, venceram a arrogância dos polititicas vereadores. Sigamos o belíssimo exemplo que deram. Apenas ampliando a barulheira até ensurdecer os pestes.

Ou lutamos sem armas, como é nossa tradição, ou nos encolhemos feito ratos e deixamos todos os espaços para que eles se espalhem.

E aí: vai encarar?