"Quem vai pra lá é o Moro. Este desgraçado não tem mais o que fazer que não seja perseguir meu PT?"

“Quem vai pra lá é o Moro! E Cachacinha Maroto é aquela vaca que te pariu! Vocês dois, desgraçados, não têm mais o que fazer que não seja perseguir o meu PT?

Se vocês pensam que estou querendo o Cachacinha Maroto de volta à Cadeira Quente estão redondamente enganados. Meu Lula lá significa que estou torcendo para que o sujeito com pés ao contrário, juntamente com o Infernando Colorido de Merda, vá parar ao lado do “herói revolucionário e larápio de pai e mãe” mais conhecido como José Dirceu. Em outras palavras bem simples: quero que os dois vão pretos pro inferno, e fiquem por lá até serem esquecidos pelo mundo todo.

E por falar no Cachacinha Maroto, não é que o peste do ABC paulista também está enrolado com a ladroagem levada a efeito em Portugal? Lá, na Santa Terrinha, também há uma turma da pesada. E adivinhem só: são polititicas portugueses!!! Será que nossa gente mestiça herdou dos branquelos da Terrinha Santa o vício da corrupção quando Pedro Álvares Cabral foi obrigado a trazer suas caras-velhas prá cá? Eu não sou bom em História do Brasil (que aprendi a detestar quando era obrigado a decorar as mentiras plasmadas em livros secos, cheios de nomões e datas que nós, infelizes estudantes do primeiro e segundo graus de meu tempo, tínhamos de decorar), mas pelo desenrolar dos capítulos cheios de emoção do PETROLÃO BRASILEIRO, vou descobrindo que o Socialismo é podre em qualquer lugar e apodrece a Política tão logo se instale em um país.

O pois-pois bonitão (?)

O Pois-pois bonitão (?)

O “Cachacinha Maroto” andava de namoricos com o “Pois-pois Bonitão”, Miguel Horta. Era um tal de visitar um ao outro que espantava. E tome cochichos por detrás das portas palacianas. Tititi daqui e tititi de lá, a polícia portuguesa pegou firme no pé do encrencado Miguel Horta e adivinhem que mão encontrou segurando na canela do Pois-pois? Pois é…

Mas enquanto a “desgraçada” da Polícia não chegava até os dois, o ex-proletário e agora riquinho socialista, também conhecido como Taiguara Rodrigues, ganhou dos padrinhos uma empresinha simples, simples, mas que lucrava rios de dinheiro em negócios “camaradas” com a empresa mais coração de mãe do mundo: a Odebrecht. Aliás, esta empresa é a cara do Brasil. Nela, em se plantando tudo dá. Até riquinho imitador de Guevara!

"Yo soy el Guevara Brasileño, che!"

“Yo soy el Guevara Brasileño, che!”

O BES (Banco Espírito Santo) e a Portugal Telecom (OI) andam enroladas com as polícias portuguesa e brasileira. E no meio desta história enrolada está o imitador de Che Guevara.

O charutão saindo da cloaca imoral (será que tem alguma mulher que tenha “peito” bastante para beijar esse negócio aí?) que ele usa como boca, é o 2º premiado da gangue do Chefão. A pose de bandido mafioso lhe caiu bem pra cachorro. Afinal, todo Socialista, quando abocanha de vez o Poder em qualquer país, fica assim, com esta aparência repugnante. Será porque o Chifrudo passa a moldar a cara que ele vai ter quando chegar lá em sua “hospedaria”? Sei não…

"Olhaí, é o meu filhão, meu filhão! Olhaí, ele é bonitão!"

“Olhaí, é o meu filhão, meu filhão! Olhaí, ele é bonitão!”

Bochechudinho, cara de bebê chorão, o filhote que é o dengue do “Cachacinha Maroto” só tem a expressão de garotinho mimado. Quando bebe fica valente pra cachorro. E diz que quem manda neste país é seu pai e se você lhe encher o saco vai mandar a turma lhe bater, pois tem meios de saber onde você mora. Não é uma gracinha? Por ser tão “fofinho” ganhou a OI de presente do papi (claro, comprada com o suado dinheirão tomado à força, de todos nós, através de impostos imorais), além de milhares de quilômetros de terras amazônicas que, desmatadas e enchidas de capim pra boi comer, deu uma belíssima fazenda. A mata? Que mata? Ah, a tal mata amazônica… Ora, pra que serve pé-de-pau? Pra derrubar, é claro! Mas tu é besta mermo, né cara? Como é que Bochechudinho do papi ia poder criar bois e vacas num lugar cheio de pé-de-pau? Vai estudar, imbecil!

"Ô, Marotinho, eu só quero ouvir de você a confissão. Faça isto e a gente vai ficar um longo tempo sem se ver, eu garanto!"

“Ô, Marotinho, eu só quero ouvir de você a confissão. Faça isto e a gente vai ficar um longo tempo sem se ver, eu garanto!”

Tudo ia às mil maravilhas quando o Moro (sempre ele…) pediu licença ao Supremo para “convidar” o “Cachacinha Maroto” para uma conversa ao pé do ouvido. Ora, justamente o Moro, do qual o “Cachacinha Maroto” quer mais é pôr uma distância lunática (não é doida, não. É a distância da Terra à Lua) entre ambos. Imaginem só: o “Cachacinha Maroto” estava anunciando aos quatro ventos que ia voltar a voar e deitar falação confundidora por todo o Nordeste, até fundir as cucas amolecidas dos nordestinos devido à seca desgraçada que azucrina os miolos daquela gente. Depois, voaria para o Centro-Oeste e continuaria sua pregação automática: “Proletários cumpãeiros! Agora somos nóis contra os malditos burgueses. O Exército do Stédile virá em nosso socorro e a Venezuela nos dará cobertura. Vamos vencer! A cumpãeira Dilma vai permanecer no comando de nosso plano salvador. O Minha Casa, minha vida vai continuar custe o suor que custar dos malditos burgueses. E não se esqueçam: ganhou mais de um salário mínimo por mês é burguês”.

"Lula, manda destripar este entrometido de un higo!"

“Lula, manda destripar este entrometido de un higo!”

O “Cachacinha Maroto” se esquece de seu, agora, ricaço filhinho bochechudinho que, antes, era um pé-rapado cumpãeiro como os nordestinos e que, graças aos “poderes mágicos econômicos” de seu papi, anda nadando numa baba de meter inveja ao Ali-Babá. Como é que vai classificar o “Bochechudinho da mamãe” e seu comparsa, o “Guevara Brasileño” perante os futuros membros do Exército do Stédile? Em tempo: aqui não vai haver o tal Exército do Povo, que já é manjado pra burro. Vai haver é o Exército do Stédile, bem-nutrido e que anda pelas ruas das cidades e capitais “brasileñas” azucrinando toda gente. Nada de andar pelas matas e selvas. Isto é coisa para paraguaios e outros similares atrasados. No Brasil, a revolução do Povo é moderna e sem estresse, ora esta!

Lama preta do Tietê invade rua de Salto, SP.

Lama preta do Tietê invade rua de Salto, SP.

Bom, a novela Petralhismo brasileiro-lusitano está neste pé. O “Cachacinha Maroto” está pulando de banda, saltando de lado, fintando à direita e gingando à esquerda, berrando e zurrando adoidado. Até já apelou para ele mesmo, São Fudêncio, em busca de socorro. Dizem as más línguas que ele correu para um Terreiro de Candomblé no Sertão atrás de Seu Tranca Ruas (que foi se esconder da turma lá nas poeirentas terras nordestinas), mas o Exu quase cuspiu fogo pelas narinas e o botou pra correr, ameaçando se pôr ao lado do Moro. Que azar, meu!

Vamos esperar a semana que entra. Muita água preta vai rolar por cima do PT e deixar aquela lama cinzenta com que São Paulo foi premiada na semana passada…