Chora, Dilminha, chora, Eu tenho pena e sei que a saída lhe apavora, Chora Dilminha!"

Chora, Dilminha, chora,
Eu tenho pena e sei
que a saída lhe apavora,
Chora Dilminha!”

De verdade, eu não queria estar no lugar da Dilma nem que me pagassem a mega-sena de Natal inteirinha. A frustração deve ser de amargar. Mas quem mandou que metesse os pés pelas mãos acreditando que realmente lidava com uma republiqueta de banana? O Brasil é um gigante. Não se dobra um gigante com as técnicas do Comunismo nem  da Social-Democracia. Elas não funcionam e a Dilma está comprovando isto de modo muito amargo. É claro que fósseis como o ex-Ministraço do Fernando Henrique Cardoso e que, agora, a Globo News coloca no ar, pode, com certeza, bagunçar nosso coreto como já fez no passado recente. O que não consigo compreender é a razão de se bater com força na PREVIDÊNCIA SOCIAL. Todos os comentaristas concordam em que a pobre previdência “privada” é que está afundando ou vai afundar o Brasil. Como assim? Como é que isto pode ser explicado? No vídeo https://youtu.be/nkEK8cO3IbQ, um economista dá explicações que não me convencem. O INSS não é deficitário. Nunca foi. Ficou assim porque os Comunistas-Socialistas-Democratas (?) do PT dependuraram nele um exército de pessoas que nunca, mas nunca mesmo, pagaram um centavo sequer de contribuição previdenciária. Claro que tirar sem pôr é cavar um buraco sem fundo. Mas a necessidade de manter o maldito sonho do “Exército Popular” necessitava de dar segurança e vida sustentada aos camponeses pelo Estado às custas dos que, trabalhando na Indústria e no Comércio, logo, sem nenhuma contribuição dos empregados públicos, passaram a vida suando a camisa para se prevenir de morte inglória na velhice.

"Mas o INSS é deficitário e não é minha responsabilidade. Eu juro!"

“Mas como desvincular o INSS do Poder Público? Ele é deficitário e não é minha responsabilidade. Eu juro!”

Creio que se o INSS fosse justamente desvinculado do domínio do ESTADO, não estaria em condições tão precárias. Na verdade, até hoje me pergunto a razão de o ESTADO ter-se intrometido onde não era chamado. Como se justifica que ele se arrogue o direito de mandar e desmandar no dinheiro particular sem que tenha colocado ali dentro nenhum tostão público?

Creio que a razão está em que polititica não pode enxergar nada que  tenha uma montanha de dinheiro sem logo tratar de criar Leis que lhes permitam abocanhar aquele quinhão e o transformar em lucro pelo voto de cabresto. E o Comunismo-Socialista-Democrata (?) da dupla Cachacinha Maroto e Aloprada Furiosa seguiu à risca a idéia de meter a mão no bolo já açambarcado pelos seus antecessores. 

"Eu não tive nada com isto. Tanto que passei 5 anos sem governar, esperando que o Legislativo dissesse se eu governaria cinco ou quatro anos."

“Eu não tive nada com isto. Tanto que passei 5 anos sem governar, esperando que o Legislativo dissesse se eu governaria cinco ou quatro anos.”

Tudo bem. Suponhamos que em futuro próximo, coisa de 20 anos, como prediz o arauto do economês, venha a suceder uma defasagem entre idosos e jovens. Ainda assim, sem a interferência dos polititicas e se bem gerido, o INSS teria fundos de sobra para suprir a necessidade dos aposentados particulares sem qualquer problema. E tem mais: se os desgovernantes não fossem tão idiotizados por filosofias partidaristas espertas demais para o lado deles, daqui a cem anos o Brasil ainda teria um contingente de jovens trabalhando e contribuindo para a Seguridade Social sem que a tal defasagem viesse a suceder. MAS OS DESGOVERNOS SUCESSIVOS FEZ QUE A OFERTA DE EMPREGO CAÍSSE DESASTROSAMENTE A CADA TRAIDOR NO TRONO DO PODER e mais uma vez os brasileiros estão passando por este amargor. E isto redunda em menos gente pagando a contribuição previdenciária, mas não diminui as dentadas dos polititicas em nosso cofre. Esta lenga-lenga do economista do youtube só tem existência porque fomos estúpidos o suficiente para nos deixar engabelar pelos que, eleitos, só pensaram em encher os bolsos e trabalhar para elitizar a nova “Classe Social” a que completam com o designativo de Política. 

"Tá sobrando um pedacinho aí? Ninguém tasca! É meu!!!

“Peraí, gente! Vou voltar para consertar o que o doido de meu substituto fez com vocês!”

Vejam, por exemplo, as eleições para Vereadores e Prefeito que se aproximam. Aqui, em Goiás, o Tigre feroz conhecido como Iris Rezende saiu da toca. Ele estava encolhido porque, tendo deixado em seu lugar um petista desmiolado, Paulo Garcia, este esculhambou com sua boa administração. Goiânia, a capital, ficou às baratas e entregue aos ratos de duas pernas e continua assim até hoje.

Há um bando de Vereadores pouco éticos, que já estavam descoroçoados e considerando que a sujeira que fizeram foi tanta que os míopes eleitores goianos terminaram por enxergá-la e que, deprimidos, já davam como certo não mais serem reeleitos. Mas o Tigre saiu da toca. Tendo visto que o PT deu com os burros n’água e angariou o ódio de todo brasileiro que realmente é brasileiro da gema (e não os hipnotizados pela CUT e pelo Stédile), ele calculou bem: o ódio cega e, cegos, os eleitores vão se voltar novamente para mim e para meus correligionários de partido (PMDB). Assim, pensou, não somente vou reeleger 16 vereadores da velha guarda, como também vou-me reeleger e reconstruir a cidade. Sim, ele fez isto, antes do famigerado Paulo Garcia, mas não porque fosse Bom Político e sim porque estava com sua imagem mais por baixo que aquilo da cobra.  Foi vaiado em público quando tentou desfilar ao lado de sua esposa pelas ruas da capital. Perdeu o Governo do Estado para Marconi Perillo (que está todo assanhado para conseguir ser indicado para a Cadeira Quente, o que seria um desastre danado para o Brasil, considerando o histórico de arrepiar que ele tem). Mas Iris não é tigre à-toa. Fez-se eleger Prefeito da capital goiana e levou a efeito uma administração impecável. Transformou aquela capital provinciana e apagada em uma das mais bonitas e a elevou a um patamar quase igual às melhores do Brasil. Não se pode negar que fez isto. Mas, repito, não visando o bem-estar do povo e, sim, recuperar seus “votos de cabresto”.

"Eu não sou culpado, gente. O Partido é que mandou que eu fizesse o que fiz. Se há um judas a ser apedrejado é ele!"

“Eu não sou culpado, gente. O Partido é que mandou que eu fizesse o que fiz. Se há um judas a ser apedrejado é ele!”

Desesperados com as besteiras que o desmiolado Paulo Garcia fez, os goianienses estão saudosos do Iris Rezende e este, é claro, voltará com tudo. A capital com toda a certeza vai ganhar cara nova (não condução nova. Nisto ele não pode mexer, pois o contrato assinado com a todo-poderosa frota atual vige infinitamente. A cada 20 anos pode ser automaticamente prorrogada por mais 20 anos). Pobres goianienses. Se não partirem pro pau, como diz o “Coisa” do Quarteto Fantástico, vão continuar amargando ônibus velhos, quentes como fornos de assar frango, todos caindo aos pedaços e com horários de circulação totalmente voltados para a tortura dos infelizes que ainda não puderam comprar seu milzinho, com arzinho fraquinho para continuarem assando, agora individualmente, nos brutos engarrafamentos das estreitas ruas desta capital. Mas tem um consolo: o Rio de Janeiro e São Paulo, as locomotivas do Brasil, até hoje não conseguiram mexer com os poderosíssimos donos de empresas de transporte público. Quem é Goiânia, uma capital ainda nas fraldas, para almejar tamanha vitória?

"O Iris? Voltar nos braços do povo só para retornar ao Olimpo? Eu duvido muito..."

“O Iris? Voltar nos braços do povo só para retornar ao Olimpo? Eu duvido muito. No páreo está o esperto Perillo e ele apela pra qualquer expediente a fim de vencer..”

E por que o Iris fará isto? Ora, para cair nas graças dos donos atuais do PMDB. Com isto, galgará os degraus para a governança do Estado e, quem sabe? voltará ao Olimpo dos Larápios de Colarinho Branco, pois se você que me lê acredita que esta porcaria de polititica em que vivemos vai mudar só por causa da Lava-a-Jato está totalmente enganado. Ou nós também partimos pro pau (no bom sentido, não no sentido dos Petralhas), ou os calhordas polititicas continuarão a nos dar a volta.

E não é somente aqui, no Centro-Oeste, que há um estado emocional propício aos êmulos dos traidores do Brasil oriundos da Dupla Satânica PMDB/PSDB. É em todo o país. O ódio ao PT tornou a todos cegos o suficiente para votar em massa o retorno aos braços daqueles que não faz muito tempo nos “venderam” a preços de banana para empresas do exterior. E eis que urubus do passado, que estavam desaparecidos, retornam e voejam sobre nossas cabeças como abutres. É o caso do Maílson da Nóbrega. Quem não se lembra de sua assessoria traidora ao famigerado FHC, que redundou na venda de nossos bens mais caros aos empresários do exterior? Por causa deles é que temos a OI, a TIM, a CLARO etc… nos aporrinhando a vida e não investindo senão tostões no engabelamento de nosso povo. Nenhuma melhora nada, absolutamente nada, na imunda prestação de serviços de telecomunicações, que, por sinal, são os mais caros do mundo. E Maílson também jamais fez nada, absolutamente nada, para tirar o INSS do buraco. Ao contrário, atolou-o mais um bocadinho, pois o sonho dourado dos Capitalistas Aloprados e Puxa-Sacos é destruir o INSS para obrigar os brasileiros a fazerem a perigosíssima “Previdência Privada”. Nesta, os bancos vão se engasgar com nosso dinheiro e quando estiverem com indigestão dele, tratarão de engendrar uma “falência fraudulenta” e cair fora, deixando os velhinhos brasileiros em muito piores condições do que deixaram os velhinhos norte-americanos em passado recente.

Quantos, como eu, se fazem esta pergunta sem ter quem os ouça?

Quantos, como eu, se fazem esta pergunta sem ter quem os ouça?

Mas, para meu estarrecimento, nenhum movimento de jovens se faz nas redes sociais em defesa de seus pais e avós. Todos gritam com os desmandos imediatos, que os atingem diretamente, mas todos se esquecem de que vão fatalmente também se tornarem idosos e, se ainda houver, ficar na dependência de um Instituto falido ou agonizante, quando passarão a acender velas para o Santo dos Milagres Feitos – São Soubesse.

Por que aceitamos ficar como pêndulo de relógio, oscilando da direita para a esquerda eternamente? Por que não pugnamos pela criação de um PARTIDO POLÍTICO BRASILEIRO, com pensamento BRASILEIRO e adequado ao nosso modo de vida? Por que temos de importar modelos falidos ou tirânicos do exterior para jogá-los sobre nossos ombros?

Alguém me explique, porque até hoje não entendi isto.