Ninguém escapará. Nenhum Papa; nenhum Pastor; nenhum Babalorixá. Nenhum Mulá. Todos enfrentarão a Ira do Pai pelos pecados e crimes cometidos em desobediência às Suas Leis Perfeitas.

Ninguém escapará. Nenhum Papa; nenhum Pastor; nenhum Babalorixá. Nenhum Mulá. Todos enfrentarão a Ira do Pai pelos pecados e crimes cometidos em desobediência às Suas Leis Perfeitas.

Assisto, absorto, o noticiário da TV. E no meu íntimo me revolto contra o que ouço e vejo. Em um quadro, fala-se da guerra implacável de um Juiz contra toda uma “classe” de homens imorais, sem caráter e sem patriotismo. Já no quadro seguinte, fala-se da tremenda seca que se abate sobre o Brasil, de Norte ao Centro-Oeste e ao Nordeste de um lado; e de outro, sobre a incontrolável chuva que leva calamidade a toda a população do Sul do país. Caos. Mudam-se os cenários. Muda-se o quadro. Fala-se de Economia. No Brasil a coisa vai de mal a pior. As previsões para o próximo ano são nigérrimas. Penúria e ameaça de falta de água em todo o país. Mas os políticos estão engalfinhados numa luta maldita, em que buscam não trabalhar pelos brasileiros, mas sim salvar seus couros gordurentos das garras da Lei do Moro. Fala-se de uma velhota aloucada, mentirosa contumaz, que NINGUÉM TEM CORAGEM DE APEAR DO PODER, ainda que ela conduza o país para o abismo do desespero. Agora, é o cenário europeu. Imigrantes. Milhares deles. Sem nada de seu. Atolados na lama e recusados por nações e mais nações. Motivo? Loucura religiosa entre países e no próprio país de origem. Mortes e assassinatos que os assustam e apavoram.

Os novos judeus não vagam pelo deserto, mas pela Europa. Sem lar, sem pátria e recusados por todos.

Os novos judeus não vagam pelo deserto, mas pela Europa. Sem lar, sem pátria e recusados por todos. Mas serão realmente coitadinhos? Ou deviam muito, como os judeus do passado e de hoje?

Mas emigram para a Europa com toda aquela carga maldita de uma Religião incontrolável porque escravagista de Mentes. Os europeus os temem porque, uma vez enraizados numa terra, tratam de ressuscitar seus costumes perigosos de fanatismo religioso e segregacionista. O terrorismo vem latente neles. Não adianta tentar iludir meio mundo, porque desde milênios que a religião muçulmana causa estrago por onde quer que passe. São retrógrados, machistas até o inferno e cruéis em sua essência. Jogam a culpa em Alá, mas seus Mullás é que são a praga na Terra. E surge o conflito entre a Caridade e a auto-defesa. Onde termina a primeira e começa a segunda? Nem o cristianismo pode dizer isto, mesmo recorrendo ao Rei dos Reis.

Bombardeiro russo no ar. A provocação é imbecil, mas quem se importa com isto? Vivemos de imbecilidades...

Bombardeiro russo no ar. A provocação é imbecil, mas quem se importa com isto? Vivemos de imbecilidades…

A Rússia, liderada por um louco retrógrado que ainda vive o tempo da Guerra Fria e sonha ressuscitá-la, danou-se a despejar centenas de bombas sobre os sírios. Desculpa? Acabar definitivamente com os doidos endemoniados do Estado Islâmico. E os EUA embarcam na mentira e fazem o que deseja o aloprado russo: ressuscitam o Vietnã. Agora, no Oriente Médio. O louco russo tem, novamente, o cenário de guerra ressurrecto para retomar a luta contra os odiados capitalistas que os venceram no passado, no Vietnã. E vamos mergulhar de novo no perigo iminente de uma chuva torrencial de fogo atômico.

Esta dupla exige que o Brasil fique de olho nela...

“O Brasil está no buraco? Ótimo! É assim que a gente implanta a Social-democracia-comunista. E viva Fidel!”

E penso na Dilma e no Lula. Os dois devem estar com os corações em festa. Afinal, não é só o Brasil que eles lançaram para o passado. É o mundo que dois líderes desarvorados fizeram retrogredir aos tempos do terror.

Mas em algum lugar invisível, um ser poderosíssimo toma providências para mostrar aos seus filhos amaldiçoados que Ele é quem realmente manda e desmanda e aqui em baixo se faz o que Ele quer e nada mais.

E Ele quer limpeza em regra.

Ele não quer mais dar oportunidade. Não quer mais continuar perdoando. As 70 X 7 vezes definidas por Seu filho já se esgotaram. É o tempo da “colheita”. E Ele está tomando as providências para isto. E eu me lembro do que Seu Filho disse, quando, pregando o Evangelho em uma sinagora, os escribas e os príncipes dos sacerdotes se uniram para o estugar. E entre as muitas coisas que lhes disse, em resposta às suas provocações, estão estas, que começou quando Ele falou sobre a futilidade das pedrarias e do luxo das sinagogas hebraicas:

Alguém enviou um comentário cheio de clichês vazios. Entre eles, a afirmativa de que ninguém é dono da Verdade. Esta pessoa esqueceu-se d'Ele.

Alguém enviou um comentário cheio de clichês vazios. Entre eles, a afirmativa de que ninguém é dono da Verdade. Esta pessoa esqueceu-se d’Ele.

“No tocante a estas cousas que vêdes, virão dias em que não ficará pedra sobre pedra, que não seja demolida”. E quando lhe perguntaram em que tempo tal coisa se daria, Ele respondeu:

“Tomai cuidado os que ouvirão minhas palavras, quando eu já não mais estiver convosco. Muitos hão-de vir debaixo de meu nome, dizendo: Eu sou quem devia retornar, pois sou seu enviado. E farão milagres em meu nome. E farão maravilhas e espantos para convencer os incautos. Mas chegado o tempo da ceifa, eu lhes direi: Afastai-vos de mim, malditos de meu Pai, pois não vos reconheço. E este tempo está próximo; mas eu vos advirto: guardai-vos de ir empós eles. E quando ouvirdes falar de guerras e tumultos, não vos assusteis; estas cousas sim devem suceder primeiro, mas não será logo o fim. Antes, vereis que se levantarão nação contra nação e reino contra reino. Pais contra filhos e filhos contra pais. E haverá grandes terremotos por várias partes; e epidemias, e fomes, e aparecerão cousas espantosas, e grandes sinais do céu. E haverá sinais no Sol e na Lua, e nas estrelas, e na terra consternação das gentes, pela confusão em que as porá o bramido do mar e das ondas. E os homens mirrarão de susto, na expectativa do que virá sobre todo o mundo. Porque as Virtudes dos céus se abalarão. Quando começarem estas cousas, sabei que está próximo o Reino de Deus, mas ainda não é ele. E eu vos digo com toda minha Verdade: passarão céus e terras, mas minhas palavras não hão de passar. Velai, pois, por vós, para que não suceda que os vossos corações se façam pesados com as demasias do comer e do beber, e com os cuidados desta vida e para que aquele dia não vos apanhe de repente, porque ele, assim como um laço, prenderá a todos os que habitam sobre a face de toda a Terra. Vigiai, pois, orando cada um em seu coração pela sua paz e sua salvação. Fazei isto para que sejais dignos de serem salvos de todas essas dores e sofrimentos. Fazei vigília constante de vossos pensamentos e de vossos sentimentos, para que, quando vos apresentardes diante do Filho do Homem sejais por Ele reconhecidos e acolhidos como seus irmãos”.

Suas palavras foram misteriosas e propositadamente atemporais. Dizem que Lucas teria colocado em seu Evangelho que o Mestre fazia uma referência àquela geração de gente perdida de seu tempo (Lucas, 22; 32). Mas não foi bem assim. Ele jamais falava para tempos determinados e finitos. Ele falava para todos os tempos e de modo infinito para a existência humana.

Brasil - RS - cidade afogada por semanas de chuvas torrenciais.

Brasil – RS – cidade afogada por semanas de chuvas torrenciais.

E hoje, vendo e, pior, sentindo a fúria da Natureza que explode em ira por toda a Terra, vem-me à recordação suas palavras e sua figura excelsa. E pareço ouvi-Lo vaticinando: “E eu vos digo com toda minha Verdade: passarão céus e terras, mas minhas palavras não hão de passar”. E tudo se cumpre conforme Ele disse em advertência. E levamos três mil anos sem, contudo, compreender e apreender aquele aviso direto, claro e terrífico. 

E veio a guerra, mas as gentes da terra não atentaram para a fala do Senhor, nosso Mestre;

E veio a chuva, as enchentes e as tempestades e tremores de terra. Mas as gentes continuaram sem atentar para a fala do Senhor, nosso Mestre;

Mar de fogo pelo mundo todo. Alguns, naturais; outros, criminosos. O mundo arde e a vida some.

Mar de fogo no Centro-Oeste brasileiro e pelo mundo todo. Alguns, naturais; outros, criminosos. O mundo arde e a vida some.

E, agora, vem a seca e o fogo. O fogo das guerras cada vez mais terríveis e o fogo do Sol que, tendo o homem destruído a camada protetora da Terra (seu Corpo Etérico ou Duplo Etérico), chove impiedosamente sobre todos. E nos queima. E faz que velhos e crianças tombem agonizantes nas ruas, sem que a Ciência Médica alguma coisa possa fazer por seus corpos já combalidos. E seca rios e lagos. E faz esquentar e quase ferver as águas dos oceanos. E derrete as calotas de gelo e os gelos das montanhas. E destrói a vida que sobrevive à sanha assassina dos homens enlouquecidos pelo materialismo absoluto e a falsidade estarrecedora. E vai pondo fim à alimentação dos povos sem que estes atentem para a desgraça que se aproxima velozmente. Peixes morrem às toneladas e os rios vão ficando sem vida neles. E o sol os seca sem clemência. Seus leitos bonitos e verdejantes, tornam-se desertos feios e ameaçadores. Nosso rio São Francisco, outrora belíssimo com suas águas azuis-anil, morre sem que os políticos atentem para o perigo terrível que sua morte representa para milhões de brasileiros.

Ponte Mal. Hermes sobre o que já foi o Rio São Francisco.

Ponte Mal. Hermes sobre o que já foi o Rio São Francisco.

E é assim também nos oceanos, com o homem furiosamente matando os peixes numa caçada inumana e impiedosa. Tudo por um retângulo de papel sem qualquer valor real e imortal. E nos campos as sementeiras não mais conseguem vingar devido ao calor infernal que esturrica a Terra. E os grãos rareiam cada vez mais e mais. E os animais tombam em silêncio e esquecidos, nos campos, nas matas, e nos criadouros. Morrem de fome e sede e, com eles, se vai a alimentação de bilhões de seres humanos desarvorados. E os pássaros rareiam nos campos e nas matas. O silêncio substitui seus trinados alegres e estimulantes. Matam-nos os homens. Matam-nos a Natureza em fúria. Estes são os sinais previstos por Ele. Mas os homens “os explicam” e, em os explicando, não atentam para o perigo que representam. E brigam por picuinhas sem nenhuma importância. E se atiram ferozmente sobre pedacinhos de papéis sem qualquer valor real e significativo, senão no sistema ilusório dos bens materiais e das bolsas de valores, um jogo que só os viciados entendem e a ele se atiram ferozmente.

Um dia chegará que a vida encarnada deixará de ser. E este dia aproxima-se com uma velocidade irrefreável. Já não mais há como escapar, senão pela oração contrita, orada em silêncio por cada um de nós, como Ele orientou. Não adianta as orações e os hinos cantados aos brados nas igrejas de pedra, pois estas não são nem mesmo notada pelo Criador. A oração que vale é aquela cujas palavras são compostas por ações boas, caridosas e construtivas. Mas o tempo para isto findou. Já não mais há espaço para a ajuda mútua e a prática do Bem. Agora, é o tempo da colheita e cada qual deve buscar a consciência de todo o Bem que fizeram em sua caminhada na Terra. E devem orar para que Ele, o Filho do Homem, se apiade de suas almas imortais, pois mesmo estas sofrerão a condenação do Pai.

“Ouça quem tem ouvidos de ouvir. Veja quem tem olhos de ver”.