"Tão estrebuchando, é? Vocês ainda não viram nada!"

“Tão estrebuchando, é? Vocês ainda não viram nada!”

É urgente tirar duas figuras diabólicas das cadeiras presidenciais de nosso Poder. A primeira, Eduardo Cunha, a Porca Gorda Cabeça de Melancia Nariz de Anu Preto e Andar de Shrek. É inconcebível que o Legislativo todo fique dançando feito marionete segundo a batuta de um LADRÃO COMPROVADO PELA POLÍCIA DE OUTRO PAÍS. Todas as provas foram enviadas para cá, mas não são consideradas pelos que não têm vergonha na cara. Todos ficam fazendo firula, falando firulas e dançando a música da firula. E a Porca Gorda vai ficando e fazendo m… às carradas. O pior é que faz isto em nossa cara. Claro está que merecemos isto. E muito. Quem mandou sermos burros e deixarmos o exercício da Política para os mau caráter brasileiros? 

A outra figura maldita chama-se Dilma Rousseff, mais conhecida aqui como A Aloprada do Planalto. E põe alopradismo nisto, gente. A bicha quando abre a boca todo brasileiro de vergonha mete a cara debaixo do sovaco e tampa os ouvidos para não ouvir. Em 97% dos casos, vai sair besteira. Nos 3% restantes sai asneira pura.

"Meu Deus me dai paciência, senão mando torrar num braseiro quem fala mal de mim."

“Meu Deus me dai paciência, senão mando torrar num braseiro quem fala mal de mim.”

Neste momento de agrura brasileira, a nenhum político do Legislativo Nacional importa a situação calamitosa a que fomos jogados pela Aloprada do Planalto. Todos buscam afanosamente um “gênio” capaz de livrá-los de apuros por se terem locupletado na roubalheira do Petrolão. Começo a crer que “se gritar pega ladrão, não fica um safadão”. Vai ter deputado tendo ataque cardíaco fulminante se o grito for dado próximo às suas orelhas pontudas. São azes na arte de montar esquemas para sugar nosso Erário, mas, como vampiros, a Luz da Justiça não pode brilhar perto deles que endoidam de vez. E é o que está acontecendo lá nas duas cumbucas do Planalto. Uma parte significativa dos deputados petralhas tenta desesperadamente um acordo com o Porca Gorda com a finalidade única de salvar os pescoços imorais de todos os criminosos, inclusive dos que ainda não foram citados pelo “bendito” Moro. Nunca um juiz meteu tanto medo em tanta gente boa nesta terra de Vera Cruz. 

Enquanto isso, em vez de realizar cortes no paquiderme em que o Partido dos Trabalhadores, com a prestimosa assessoria da dupla terrífica PMDB/PSDB, transformou a Máquina Pública, a Aloprada tenta por todos os meios possíveis e impossíveis empurrar a conta de suas malditas pedaladas para cima da gente. Briga e grita e esbraveja que quer a volta do impostão criado pelo FHC e chamado de CPMF. Nenhum brasileiro aceita isto, mas que importam os brasileiros? Ela tem as nádegas flácidas na Cadeira Quente e pronto. É deusa! Pode e Manda e a nação que se ajoelhe a seus pés. E tem mais: quer uma Lei que obrigue os que fizerem consultas pelo SUS a pagarem uma taxa de contribuição (sempre este nominho irritante) ao Poder Público. Logicamente para tentar tampar o rombo do Petrolão, que não pára de crescer, pois se você pensa que eles pararam de meter a mão no melado está redondamente enganado. Mesmo na prisão, a grana continua pingando em suas contas. Arre égua!

"Renan, que porra é essa de Moral Seletiva, você sabe?"

“Renan, que porra é essa de Moral Seletiva, você sabe? – Não. Consulta o Aurélio ou o Google!”

Diz um articulista da Folha de São Paulo que estamos na Síndrome da Moralidade Seletiva, no nosso Podre Poder. Refere-se ao discurso cínico do PSDB que procura preservar a Porca Gorda e desancar o governo. Isto é mais que vergonhoso. É revoltante!

O toma-lá, dá-cá já não mais funciona. A Aloprada deu tudo aos PMDBISTAS/PSDBISTAS, mas eles, agora, querem suas calcinhas, senão… A ignomínia é tamanha que não há palavra nem em português nem em qualquer outro idioma que expresse o que acontece estarrecedoramente lá em cima.

E nós, os berdoéguas que somos obrigados a votar neles? Bom, nós pagamos caro essa mania de torcer a cara e fazer careta quando se fala de Política. Queremos é muié, futebór e praia. Mas os berdoéguas brasileiros já começam a ver que, pelo menos a praia e o futebór estão ficando difíceis, graças mesmo à inflação que despertou com uma fome danada. O quesito muié, bom, este está sobrando até nas estatísticas. Há mais muié que home no Brasil petralha, graças ao Crime Organizado que leva a juventude brasileira a morrer cedo com um pombo sem asa entre os olhos.

E a Polititica vai bem, obrigado.

"Cumpãeira, nois vamo vencê!"

“Cumpãeira, nois vamo vencê!”

O desemprego vem a galope e Lula e Petralhas temem que isto derrube a Aloprada, coisa que a Porca Gorda, até agora, tem impedido. Pudera! Se ela cair, ele cai em seguida. É o sujo sustentando o mal lavado. Coisa que só podia acontecer nesta Terra de Vera Cruz. Janot bem que se esforça, mas o STF treme nas pernas e não leva adiante nenhuma denúncia contra o peste do Legislativo. E se ele não cai, por força da pressão Lulista sobre seus filhotes entre os Togados, o que vai mesmo derrubar a danada é o desemprego em massa.

Só falta o “Exército do Stédile” se voltar contra a mama mia noelzona. Não está longe, pois as terras para serem invadidas estão virando poeira, graças à péssima administração pública a esse respeito. Lá de cima desce a canícula de fritar ovo em asfalto. Cá em baixo nenhum polititica se mexe para trabalhar seriamente no tema desmatamento e falta d’água. Ambos, cruciais para o tremendo dilema que se agiganta sobre nós. Dilema que requer um tempo muito grande, coisa de cinco décadas ou mais, para começar a se recompor. Eu creio que não teremos mais este tempo. Os rios secam depressa demais. As chuvas se descontrolam e chove demais em lugares onde não deviam cair com tanta abundância e escasseiam onde deviam cair com fartura. Os incêndios, a maioria criminosos, se espalham fazendo o complemento da desgraceira que nos agonia. Mas no Palácio a briga é pela salvação de patifes. É isto o que interessa neste momento. O resto que se dane!

E nós? Ir para as ruas numa canícula destas, nem pensar! Então, o que nos resta?

Quem souber diga aqui. E depressa, pois nosso tempo está acabando.