"Eu sei que a porta dos fundos é pra lá. O Sarney já me mostrou. Mas daqui não saio, daqui ninguém me tira!"

“Eu sei que a porta dos fundos é pra lá. O Sarney já me mostrou. Mas daqui não saio, daqui ninguém me tira!”

O grito ecoou pelo salão verde da Câmara dos Deputados, em Brasília, quando o sujeito dava uma entrevista. Eu não sabia, mas o peste negra é evangélico.  Ou seja: ele comete duplo crime. Um, contra o país; outro, contra sua alma imortal. Coitado.

Segundo a FOLHA  ele, em sua Igreja, usava o bordão “O povo merece respeito!” Só não completava: “Exceto, de mim”, pois ficaria numa fria danada. (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/10/1696705-movimentos-sociais-protestam-contra-cunha-na-camara.shtml).

São uma hora e quatorze minutos da madrugada. Estou gripado, empanzinado com um sanduíche de ovo e um copo de água com própolis (minha janta), calor depois de uma lambada de chuva que quase nos leva o telhado da casa. Por isto vim para o CP, único amigo que me distrai quando passo mal à noite. E, logicamente, fui até a FOLHA DIGITAL, já que sou assinante dela, procurar as últimas. Sempre sei que vou sair dali horrorizado com o que leio, mas preciso de munição para este blog. Afinal, cutucar a onça com vara curta é muito divertido, ainda que perigoso.

"Fudencinho! Fudencinho, me salva deste apuro que eu te dou 50% de tudo que já ganhei no abafa dimdim"

“Fudencinho! Fudencinho! Me salva deste apuro que eu te dou 50% de tudo que já ganhei no abafa dindim”

Evidentemente colegas do maldito de Deus também aproveitaram a ocasião para fazer coro juntamente com as pessoas ali presentes, revoltadas contra o “Porca Gorda”. Mas não se pense que eles são limpos porque é besteira. Lá dentro, “se gritar pega ladrão! Não fica um, meu irmão!” Vai ser uma debandada geral. E é esta corja que dita nossos destinos. Até quando?

Queime-se a Dilma, queime-se Eduardo, queime-se o diabo-que-te-carregue, mas esqueçam de meu couro“. Este é o pensamento e a Lei Geral da infeliz Câmara dos Deputados brasileira. Neste momento de grande agonia, quando todos eles têm o rabo preso e a consciência doendo mais que meu estômago, o negócio é empurrar o vizinho pra fogueira e rezar a São Fudêncio implorando para passar despercebido do Moro e sua tropa de choque.

Se se tratasse de alguém que não fosse religioso, um ateu convicto, até dava para se relevar metade da culpa. Afinal, os ateus podem tudo, pois são cegos de espírito. A eles, creio eu, Jesus não acusaria nem os apartaria de si, quando a hora fosse chegada. Mas um sujeito que ensovaca a Bíblia; que tem uma Igreja Evangélica, cujos cânticos e brados de “Aleluia! Aleluia!” ecoam por toda a vizinhança. Um sujeito que se diz EVANGELISTA, ou seja, pessoa que preconiza uma doutrina, o Porca Gorda” não poderia servir-se do Cristo para agir por detrás d’Ele, negando Sua Doutrina – embasada acima de tudo na Verdade. A Sombra do Cristo é mais quente que o Fogo do Inferno para os Espíritos danados como o do coitado do Porca Gorda.

O juiz Moro é a Onça Pintada da Lei contra os crocodilos da Câmara e do Senado.

O juiz Moro e o Procurador Geral da República são as Onças Pintadas da Lei contra os crocodilos da Câmara e do Senado. O “Porca Gorda” já está na boca da onça e desta, jacaré não escapa.

E seu desespero já começou. Ele luta como um jacaré na boca de uma onça, mas sua luta é perdida tal como a do sáurio. Mesmo um partido nanico como o PSOL se arvora em “Cavaleiro da Triste Figura” e, malandramente, tira sua casquinha do condenado à lapidação política. Seus “êmulos”, fazendo coro com os civis presentes, também trataram de atirar pedras no sentenciado. Embora, como partido, não tenha este direito, pois partido político é a Caverna de Ali Babá. Nele estão todos os larápios prontos para o bote no Erário Público. A bem da Justiça, não são as pessoas que são inatamente criminosas, em matéria de Política. São os Partidos em que se engajam que as forçam ao crime, pois todos os partidos brasileiros, sem exceção, visam um único benefício: estufar sua conta bancária com o dinheiro público. Os políticos que elegem são seus dedos criminosos. Se tais dedos ainda não afundaram com vontade no dinheiro público pode crer que é porque o Partido é nanico. Tão logo se torne um gigante, como o PT e o PSDB já o demonstraram de sobejo, enlouquecem e perdem o controle da ganância.

"Político brsilerio? Bah!"

“Político brasileiro? Bah!”

É certo que somos todos corruptos e nenhum brasileiro (ou brasileira, como querem os separatistas) pode atirar pedra em algum compatriota. O crime deste poderá ser o daquele, na primeira oportunidade. No que toca a dinheiro, eu não me incluo. Já passei pelo teste quando era funcionário público do Ministério da Fazenda e não caí em tentação, apesar de o suborno ter sido, em valores atuais, muito, muito tentador. Principalmente para quem ganhava somente um salário mínimo e meio. E também tornei a vencer a tentação, quando fui funcionário da Secretaria sem Pasta, no Governo do Rio de Janeiro. E novamente venci a tentação, quando trabalhava na EMBRATEL. Então, minha resistência à ganância é forte. Mas eu tenho um bem que os políticos não têm: não sou escravo de partido político nenhum. E jamais o fui nem o serei. Detesto, visceralmente, os Partidos Políticos e se entrasse na Política não seria para ser um ladrão a serviço do Partido. Com certeza, criaria as maiores encrencas dentro do infeliz Partido que me aceitou e seria defenestrado pelos meus pares na primeira oportunidade.

Mas se não sou facilmente corruptível, sou fácil vítima impotente dos que não têm nem consciência nem vergonha na cara e… no bolso.

Quanto a mais este triste episódio na vida do Porca Gorda, tão logo ele escapou do azorrague do “populacho infame”, a portas fechadas foi homenageado pelos seus pares e puxa-sacos do PMDB/PSDB. Repulsivo, não?

"Santa Trepada sou eu? Ora, vai-te f..."

“Santa Trepada sou eu? Ora, vai-te f…”

E o Brasil? Ora, vai-se danando, graças a São Fudêncio e Santa Trepada. Desemprego em massa; aperto geral; perda do valor do real; inflação que já começa a trotar; ladrões presos, mas com pouco tempo para o xilindró, graças às benesses das Leis que eles mesmos criaram e aprovaram em Plenário etc e tal.

Bom, depois desta desgraceira toda, quando e se o Brasil mais uma vez se safar do apuro, não vote inconscientemente. Saiba nas mãos de quem vai depositar o destino de sua família e o seu, também. Faça como a onça que mergulha fundo nas águas do rio para pegar o jacaré. Filie-se a um Partido Político para conhecer bem de perto, olho no olho e ouvido na boca, os que se aprontam para serem eleitos. Aguente o tranco, pois lhe garanto que será forte. Veja-os de perto, mormente os novos, os que estão sendo oferecidos pelos partidos em substituição à corja podre que já não mais serve para a ladroagem. Avalie sua capacidade cultural, instrucional e retórica, pois a maioria deles são como o Tiririca: não sabe de nada, além de fazer palhaçada. Fique atento aos rebeldes, que já no começo mesmo batem de frente com as diretrizes partidárias que não se voltam para o bem da Nação Brasileira. Só assim é possível começar a corroer a árvore fétida chamada Partido Político.