Eu avancei muito ou será que a Instrução Escolar brasileira é que andou pra trás? Eis a questão...

Eu avancei muito ou será que a Instrução Escolar brasileira é que andou pra trás? Eis a questão…

Gente, deixa eu falar sobre um acontecimento que me deixou espantado. Uma pessoa que me conhece, me disse que lê todas as minhas publicações, mas não faz comentário por vergonha. Aí, curioso, eu lhe perguntei a causa de sua vergonha. E para meu espanto ela me respondeu: “É que o senhor escreve tão bem, tão bonito… E eu sou uma droga escrevendo. Meu português é uma droga, reconheço. Aí, fico com vergonha… Será que o senhor não pode escrever mais no popular, mesmo?”

A que nível descemos. E esta pessoa é, pasmem, advogado…

Eu lhe respondi que não. Eu não saberia escrever “no popular” mesmo. Há erros gramaticais de todos os feitios no tal “popular”. Se há pessoas que só sabem se comunicar através do “português popular”, então, para estas, serei sempre alienígena. Que lástima!

Agora, vamos ao que interessa.

Ai, como eu amo esse gordinho safadinho da vovó!"

“Ai, como eu amo esse gordinho safadinho da vovó!” Uma pena, né vovó? O Gordinho safadinho tá numa fria danada…

O que você sabe sobre o Partido Político? Que diabo de bicho “legal” é esta coisa que está afundando nosso país? Eu sei que só em ler o título deste artigo muitos leitores “passarão adiante” (minha querida mana inclusive), tal é a repulsa que temos – e aí eu me incluo – com toda e qualquer coisa que fede a POLITITICA. Mas a merda é nossa, então…

Bom, há uma Lei, de nº 9.096, de 19/09/1995, que diz taxativamente (como não poderia deixar de ser, visto que se trata de Lei):

Art. 1º O partido político, pessoa jurídica de direito privado, destina-se a assegurar, no interesse do regime democrático, a autenticidade do sistema representativo e a defender os direitos fundamentais definidos na Constituição Federal.”. já de começo vamos dar uma paradinha aqui, pois é aqui mesmo que começa o rolo. Perguntemos:

"Hummm... O peste vai falar de mim..."

“Hummm… O peste vai falar de mim…”

O que é Pessoa Jurídica de Direito Privado? Acho que qualquer beócio brasileiro sabe responder a esta pergunta. Ao menos, mais ou menos. A resposta imediata de qualquer ser pensante brasileiro (que não vista a camisa vermelha com a estrela amarela e não ocupe cargo eletivo) é: “Pessoa Jurídica de Direito Privado é aquela que não pode ter, na constituição de seu capital, dinheiro público”. Tá bom. É isto mesmo. Um supermercado, como o Carrefour, conhecido nas grandes capitais brasileiras, não pode ter dinheiro público em seu capital. E assim como é com o Carrefour, também é com o botequim de seu Joaquim. Deu pra entender ou tá difícil? Se ainda está difícil, então, meu amigo, você não tem jeito mesmo…

Agora, eu o convido a ler o Art. 1º da Lei dos Partidos Políticos, de novo. Note que ele afirma com todas as letras que um Partido Político é Pessoa Jurídica de Direito Privado. Ou, trocando em miúdos, um Partido Político é uma Empresa. Sacou, ou ainda tá difícil?

Então, mais uma vez, para frisar bem, um Partido Político é uma Empresa igual ao Carrefour, no entendimento da Lei e do Código Civil (lá, também, se afirma esta definição). E, também para frisar bem, a uma Pessoa Jurídica de Direito Privado é vetado o uso de dinheiro público em seu capital. Excelente!

"Eu num tô nessa não, tô?"

“Eu num tô nessa não… Tô?

Por que excelente? Ora, porque há um partido político que nos dá um exemplo claríssimo de que para uma determinada nata (podre) de Políticos (os Presidentes ou Donos dos Partidos), a Lei não vale. Veja você: em 11 de novembro, a Folha digital trouxe uma reportagem escandalosa. Seu cabeçalho é: “O PARTIDO ‘X’ gasta R$ 2,4 mi de dinheiro público com helicóptero”. Devido a um compromisso assumido com alguém superior a mim (e põe superior nisto), declino aqui do nome do Partido, mas se você quiser conhecer qual é ele, basta consultar a Folha digital de 11/11/2015, no título PODER, subtítulo “Brasil em Crise” – PODER A7. Ou seja: o Presidente Nacional do partido, usando de dinheiro público, aprovado por uma “Lei” que se conflita diretamente tanto com artigos da que cito quanto com o próprio Código Civil, a “Lei” do Fundo Partidário – entre aspas porque se você procurar por esta Lei no Google não vai encontrá-la, mas sim a Lei com a qual comecei este artigo -, comprou um helicóptero para se transportar de Planaltina de Goiás para Brasília, um percurso de somente 60 km. Uma distância que pode ser percorrida confortavelmente num Fiesta com ar refrigerado, como todo bom cidadão que trabalha e paga impostos… É, quem pode, pode, né não? E pode porque você e milhões de outros brasileiros nem leram a tal reportagem e os que a leram apenas bocejaram com enfado, já que estão calejados pelos constantes desrespeitos dos Polititicas para com todos nós. NOTA: (o tal Fundo é atualmente de R$ 311 milhões de reais, mas vai passar para R$ 911 milhões em 2016, graças à gula insaciável dos donos de partidos políticos; e todo esse dinheiro é oriundo de nosso Erário Público, logo, indevidamente usado para encher as contas dos donos dos Partidos). Eu dei uma bronca danada em um manda-chuva do Partido. E estou esperando a resposta, pois não fico ao lado de polititica nem sob a mira de uma glock.

Em nível municipal um “inocente útil” diz a quem quiser ouvir que “o partido é novo e ainda não tem dinheiro”. Imagine quando for velho e dispuser de bilhões, em vez de milhões… O Petralhismo será pinto diante do que o Presidente do citado Partido poderá vir a fazer, se uma providência séria do Terceiro Poder não lhe puser freios agora.

Eis um "ilegítimo" representante do Terceiro Poder. Neste momento, quase todo ele "vemelho".

Eis um “ilegítimo” representante do Terceiro Poder. Neste momento, quase todo ele está “vermelho”.

Quem é o Terceiro Poder? Ora, cara, falo do Legislativo. Acho que você não sabe, mas a República (e o Brasil se define como tal) é constituída por três Poderes ideologicamente independentes entre si (o que não é o que acontece entre nós, mas tudo mal…). No atual momento, o Terceiro Poder está “vermelho”, porque seus membros, erradamente, são indicados pelo ocupante da Cadeira Quente do Planalto. Como todos sabemos, esta pessoa é uma velha coroca destrambelhada e nada burra, quando se trata de maracutaia. Mas quando se trata de Brasil, aí a coisa muda…

Pois é. Tamos “maus”… Mas vamos que vamos. Eu só não sei pra onde, mas que vamos, aí vamos sim, ora se vamos!

Eu ainda vou voltar a falar de Partido Político, pois este assunto, arrepiante, pior que os mortos-vivos tão em voga na TV por assinatura, ainda tem muito pano pra manga. Que me desculpe a mana, mas é necessário. Afinal, tenho um de meus braços enterrados nesta história…