Estudos gráficos computadorizados concluem que a face de Jesus era assim...

“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Quem não vier por mim, não chegará ao Pai.”

Leio vetusto artigo na ÉPOCA sobre o terror Islâmico. Na revista desta semana, 23/11/2015, com a capa exibindo o título TERROR SEM ROSTO, na pg. 43, pincei alguns trechos de considerações analíticas das razões sobre a fuga de jovens europeus para se engajarem nas fileiras demoníacas do Estado Islâmico. Todo mundo sabe que esta luta é incerta. Não há terreno determinado. Acontece praticamente em toda a Europa e tem potencial de se espalhar pelo mundo todo. Mesmo que Rússia e França esmaguem totalmente os territórios sírios sob o domínio dos tresloucados desta coisa imoral e fratricida, não dará fim à doença virulenta que a Sociedade Moderna, Democrática, Neoliberal e de Livre Comércio, criou para si mesma. Não é somente uma questão Política, mas fundamentalmente psicológica. E enquanto não se atentar para isto; enquanto não se perceber que o Sistema Social Mundial está drasticamente DOENTE, FALIDO, a coisa só irá piorar.

Todos nós, um dia teremos de subir nosso calvário e sermos crucificados. Mas tal e qual o Filho do Homem, não devemos pensar nem sentir solidão. Devemos sempre lembrar que o Pai está conosco.

Deus, em seu Filho, está morto. E continua assim. Morto, crucificado na loucura humana.

Nietzsche dizia: Deus está morto! Deus permanece morto! E quem o matou fomos nós! Como haveremos de nos consolar, nós os algozes dos algozes? O que o mundo possuiu, até agora, de mais sagrado e mais poderoso sucumbiu exangue aos golpes das nossas lâminas. Quem nos limpará desse sangue? Qual a água que nos lavará? Que solenidades de desagravo, que jogos sagrados haveremos de inventar? A grandiosidade deste ato não será demasiado para nós? Não teremos de nos tornar, a nós próprios, deuses, para parecermos apenas dignos dele? Nunca existiu ato mais grandioso, e, quem quer que nasça depois de nós, passará a fazer parte, mercê deste ato, de uma história superior a toda a história até hoje!” Sim. A Humanidade Matou Deus dentro de si.

E por que fez isto? Como fez isto?

Primeiro: porque se perdeu no intrincado e feroz jogo capitalista. E ao se perder do Norte Social-Econômico, fez-se vazio por dentro. Não ha seres humanos. Há cascões humanos. E estes cascões vagueiam às tontas, em todas as civilizações, sejam elas adeptas do Comunismo, ou do Socialismo, ou do Capitalismo ou de qualquer outra ideologia Política.

"Falou em corrupção? A coroa é minha e ninguém tasca! Avisa aí!"

“Falou em corrupção? A coroa é minha e ninguém tasca! Avisa aí, ô!”

Quando a Política se perde, se desnorteia e envereda pela Corrupção dos mais comezinhos valores Morais e Éticos, sempre encontrando explicações floreadas para silenciar as consciências em desespero dos que receberam o delicadíssimo trabalho de zelar pela  paz e pelo bem-estar de todos, então, o terreno psicoemocional está pronto para o plantio. E o que nele as Ideologias Políticas ou Religiosas plantam não são coisas boas e seus frutos são sempre venenosos.

Vejamos nosso país. Ideologias ora Capitalista Neoliberal (PSDB), ora Comunista-leninista (PT) têm colocado nossa Sociedade em verdadeiro mar tormentoso.

Como Presidente, ele não valeu nada. Como escritor ele é muito bom.

“Tinha de se lembrar de mim, né?”

Da primeira herdamos a institucionalização do Crime de Colarinho Branco, que as segundas abraçaram com toda força e estatizaram em seus modos de pensar e agir Política. Da segunda herdamos a inovação de fazer a divisão de nossa sociedade em bolsões de “minorias” que, antes, jamais haviam sido tão radicalizados como agora. Até vocábulos simples e milenares da língua portuguesa estão sob censura, como o termo “negro”. Há que se ter exageros de cuidado ao se pronunciar este vocábulo porque os descendentes da Mãe África ficam com os cabelos transformados em cabeleira de porco-espinho quando o ouvem. Parece até que foram atingidos por uma pedra. Mas o que fazer se suas peles são verdadeiramente negras? Não é a cor da pele que vale, mas o CARÁTER da pessoa. Eu conheço negros que são seres humanos fantásticos.

"Liberdade, Liberdade, Abre as Asas Sobre Nós..."

Negro e mulato criminosos. Uma praga gerada pelo Estado Falido.

E também os conheço que são umas pragas do Inferno. Assim como é com os negros, também é com os brancos, os mulatos e os amarelos. É a pessoa sob a pele que importa. Este procedimento político de enfatizar e mimar demais as “minorias” em detrimento da “maioria” que se encontra sempre coartada é o limite da desorganização social. Do mesmo modo é sinal de uma desorganização global o endeusamento da pederastia ou homossexualismo em nome de uma irreal “opção sexual”. E este cuidado com desvios sexuais foi transposto para um radicalismo macho-fêmeo em tudo. Assim, atualmente, se se diz “Os cidadãos…” tem-se de obrigatoriamente dizer também “e as cidadãs…”. Separaram-se os sexos até na comunicação vocabular. Onde vamos parar?

Democracia Neoliberal descobriu que pode ganhar muito com a exploração destas esdrúxulas condições da sexualidade humana. Condições no mínimo desequilibradas e tristes, para não dizer ridículas e, algumas vezes, até insultuosas para a grande maioria coartada.

A Dupla idealista do Comunismo Leninista. E o país foi parar aonde?

A Dupla idealista do Comunismo Leninista. E o país foi parar aonde?

Vejamos qual é o cerne da Ideologia do Comunismo. Este vocábulo, derivado de outro, latino, significa “coisa comum”; “coisa pública”, ao ser transposto para a Ideologia Marxista. Comunismo é uma ideologia política e sócio-econômica que defende a tese de que é possível criar-se uma Sociedade igualitária, sem classes sociais e apátrida. Ou seja: um bom comunista é um indivíduo que não tem o sentido de patriotismo. E para que se alcance este Estado Ideal é preciso incrementar e acirrar a luta do proletariado contra os burgueses. Traduzindo: a luta de classes. As classes pobres contra as classes das elites. Mau. Muito mau.

"Patriota a gente esgana assim, ó!""

“Patriota a gente esgana assim, ó!””

Nós somos seres sociais. E uma Sociedade Humana se distingue das demais por sua língua, seus valores culturais, sua religião, seus hábitos comunitários, suas tradições, suas organizações sociais etc… A identificação com tudo isto no grupo social pelo indivíduo o fará inexoravelmente se sentir pertencendo a este ambiente, a este meio. E ele fará tudo o que puder, inclusive ir para a guerra e arriscar sua vida ou perdê-la, para defender este ambiente especial para todos os integrantes dele. Um ambiente que o indivíduo aprende a conhecer como sua Pátria. Então, de saída, abolir o natural sentido de pátria numa pessoa é utópico. No entanto, isto pode acontecer se e quando a Política envereda pelos descaminhos da Corrupção, da Mentira, do Falso Testemunho, do Egoísmo Público, Político, e do assassinato em defesa de interesses criminosos. Nós temos vivido intensamente tudo isto e, para os que não atentam para a Política e dizem de boca cheia “eu não gosto de política”, a desgraceira reinante em nosso meio nos faz correr sério perigo de nos tornarmos celeiro ideal de grupos estraçalhados em seus valores e em suas auto-estimas devido mesmo aos destrambelhos dos políticos a quem entregamos nossos destinos.

"Faz isto não! Espalha não! Tô dando a alma pra impor uma ação Capitalista e você vem colocar água no meu mingau?""

“Faz isto não! Espalha não! Tô dando a alma pra impor uma ação Capitalista e você vem colocar água no meu mingau?””

Qual é o cerne da Ideologia Democrata Capitalista? É o Livre Comércio. Segundo os defensores da Ideologia Política da Democracia Capitalista, o Comércio, livre do controle regulador do Estado, se auto-controla através da concorrência. É esta que impedirá que os investidores e os empreendedores se lancem como urubus sobre carniça em cima dos cidadãos (e cidadãs). Nada de fiscalização. Nada de órgãos reguladores. Nada do Estado metendo o bedelho onde não é chamado. O povo é somente o CONSUMIDOR. Ele deve consumir, consumir, consumir, pois sem o consumismo incentivado ao exagero, a Economia pára. Um desastre… Será?

A Democracia Capitalista Neoliberal Globalizada só investe em quem lhe apresenta potencial para gerar lucro. Por exemplo: aposentado, idoso, com artrite ou cardiopatia, que já deu de si para a Democracia tudo o que tinha em saúde e trabalho, não vale para nada, na óptica da Democracia Capitalista Neoliberal. Então, deve ser jogado aos cuidados do Estado. A ele caberá cuidar das sobras humanas que já não mais podem ser sugadas para dar lucro. Eis o sistema defendido pelos sectários das siglas PMDB/PSDB. Mas quando o Estado se encontra dilapidado por roubalheiras que lhe enfraquecem os cofres públicos, para os quais os Democratas-Capitalistas-Neoliberais não querem de modo algum contribuir com impostos, por menos que sejam, então, o que sucede é o que qualquer brasileiro enxerga ao seu redor: penúria em tudo; abandono dos serviços públicos na Saúde, no Transporte, Na Instrução, na Infra-Estrutura… E desrespeito político para o cidadão que ainda pode votar. 

O que redunda desta desgraceira toda?

Vazio Existencial também é tristeza e depressão.

Vazio Existencial também é tristeza e depressão.

Redunda algo tremendamente perigoso: O VAZIO EXISTENCIAL. A pessoa, quando não se sente de alguma forma respeitada e valorizada, se não tem uma Religião Verdadeira, que prega a Crença Cristã real, aquela pregada pelo Cristo, sem sectarismos  e sem submissão covarde e burra à falação vazia de pastores ignorantes do que ensinam ou pregam, então, o
Ser da Pessoa se esvazia. E é a isto que se denomina de Vazio Existencial.

E chegamos ao que eu pincei na entrevista concedida a ÉPOCA por Nikita Maliki, da Fundação Quilliam. Segundo ele: “Essa retórica radical (dos extremistas islâmicos) é particularmente persuasiva e sedutora para jovens muitas vezes criados em famílias não religiosas, tomados por sentimentos de inadequação, alienação e busca por  identidade em sociedades com problemas para integrá-los”. Nikita quase chegou lá. A busca do indivíduo não é por uma Identidade. Isto, ele tem. Ainda que não tão firme quanto seria o ideal. O que os jovens atuais, franceses ou não, não têm é a percepção de seu valor para o Estado corrompido pela busca incessante de Poder ou de Riquezas, sem a mínima atenção para com aqueles sem os quais ele não existiria nem existirá jamais: o cidadão. Mas além disto, muito além, falta aos jovens de todas as partes do mundo o Respeito pela Fé, bem como a prática sincera e pura de uma Religião que não minta, que não pregue o Mal e que o leva a pensar profundamente no mal que é a Injustiça e o Crime. A prática de uma Religião que lhes ensine o respeito a si mesmo e a seu próximo; que lhes ensine a respeitar o direito dos outros; que lhes ensine que se doar ao outro e à comunidade é muito melhor que exigir que os outros se doem a si. O que todo cidadão necessita ardentemente é de um Estado que lhe dê o amparo que ele, cidadão, merece, pela doação que faz diariamente para o Bem Comum. RESPEITO! Eis do que os jovens sentem profunda falta. E isto os desespera. O Estado descura de seu dever sagrado de DEFENDER OS VALORES FAMILIARES. O Estado, em qualquer país da atualidade destrambelhada em que vivemos, não se volta para amparar o Lar e incentivar os pais a criar, em casa, lares verdadeiros. Um lar não é uma casa. Um lar é o Amor aprendido e exercitado diariamente entre aqueles que geraram outros e os que por eles foram gerados. Amor é um bem que o Estado atual, em qualquer parte do mundo, não sabe como administrar. E isto é o Mal do Século. O Estado devia zelar pela Família, a célula fundamental da boa estrutura Estatal. Mas não. O Estado olha para o supérfluo e o passageiro. E deixa de lado o Lar do cidadão que lhe alimenta o Poder.

O Estado atual, independentemente da Ideologia Política que abrace e tente pôr em prática, está falido em qualquer região do mundo humano. Está bem que o Estado tem de ser laico, para poder equilibrar o tremendo jogo de interesses e sectarismos de religiões exotéricas, a maioria delas criada em função de delírios histéricos de pessoas que se arrogam o título de emissários de Deus entre a plebe, à qual deve salvar (?).

"Estado laico? Onde? Om que parte do mundo? Aqui no Brasil é que não é, trouxa!"

“Estado laico? Onde? Em que parte do mundo? Aqui no Brasil é que não é, trouxa!”

O Estado mouco para as necessidades espirituais de seus cidadãos, como os estados Comunistas, Socialistas ou Capitalistas, incrementa um forte sentimento de vazio em cada um. O ideal de um Estado igualitário, absolutamente laico, com fartura e oportunidade para todos, como defende o Ideal Comunista, só existe na fantasia. Na realidade, em havendo dinheiro, haverá sempre a corrupção, a ganância, a mentira, a concorrência feroz, desleal e traidora. O que menos conta enquanto ser humano, é a pessoa neste jogo voraz.  E é aí que entram os Políticos. A eles cabe a duríssima tarefa de não só zelar pelo Erário Público, mas também e com muito mais exigência, defender a Fé dos indivíduos no Bem, na sua Família e na prática positiva do Patriotismo. Aos Políticos verdadeiros compete equilibrar o jogo perigoso das religiões exotéricas. A eles cabe vigiar atentamente a ganância que se apodera de padres, pastores, chefes de terreiros etc… que aprendem rapidinho que, não tendo de pagar absolutamente nada ao Estado pelo(s) Templo(s) que possui(em) e não sendo obrigados à prestação de contas do dinheiro que retira dos seus seguidores, se espraiam na criatividade criminosa de seitas e mais seitas com os apelidos mais idiotas, a fim de criar igrejas e as espalhar pelo território nacional do país, qualquer que seja ele, a fim de enricar até apodrecer em vida.

Aglomeração como esta, contém um percentual muito grande de pessoas que sofrem de Vazio Existencial.

Aglomeração como esta, contém um percentual muito grande de pessoas que sofrem de Vazio Existencial.

Enganado pelo Estado corrupto; enganado pelo Pastor mentiroso e ganancioso, Despido de qualquer oportunidade justa em uma sociedade onde se incentiva a qualificação ao máximo e se paga o mínimo – filosofia que impera atualmente tanto entre capitalistas quanto entre socialistas – , o indivíduo se esvazia da Esperança e da Fé. E o que lhe resta neste mundo dito “civilizado”? O vício das drogas; o vício do sexo pelo sexo; o vício das noites vazias preenchidas com shows de músicas agressivas, ruidosas, mas sem melodia e sem poesia.

Mas o que o Mundo lhe oferece não é suficiente ao jovem que precisa de Amor e de Família. Precisa de se sentir possuído por e possuindo algo. Precisa saber que é amado porque é quem é e não porque pode oferecer tal ou qual vantagem.

Quando os bares e os “inferninhos ” das metrópoles se encontram apinhados de jovens em profusão e em busca de meteóricos “sucessos” musicais ou outros quaisquer, entupindo-se de bebidas alcoólicas ou de drogas as mais perigosas para sufocar o pranto da solidão, é sinal de que o Estado está doente, mortalmente doente.  Quando meninas com menos de 15 anos freqüentam os motéis em companhia de homens que têm a idade de serem seus pais ou, até mesmo, avós é sinal de que o Estado está falido.

Fraçois Hollande não é um estadista, como diz a ÉPOCA. Ele é o “cavaleiro da triste figura” de que nos falou Cervantes. Sua França faliu e ele nem se deu conta disto.

É, O Estado no mundo humano está falido. Não somente entre nós, brasileiros. Também na França, na Rússia, na Alemanha, nos EUA, na China, na África e na Índia.

A raça humana faliu.

Fim.