"Agora, sim, vocês entenderam o que nós queremos"

Agora, sim, vocês entenderam o que nós queremos”

Pagaremos pelos gastos irresponsáveis levados a efeito pelo desgoverno Dilma Petralha.

Pagaremos pelas malditas pedaladas que ela deu para levar a efeito seu desgoverno populista sem-vergonha.

Pagaremos pelos robôs campesinos, que nada produzem, mas vestem a camisa vermelha e põem o maldito boné também vermelho em suas cabeças ocas para aplaudir o… nada aliaado ao Crime Político Organizado.

Pagaremos aposentadoria para os vermelhos que nunca colocaram um centavo no INSS, mas foram nele dependurados descaradamente pelo petralhismo maldito.

"Que qui é isso, cumpãeiro! Nóis também é gente!"

“Que qui é isso, cumpãeiro! Nóis também é gente!”

Pagaremos auxílio presidiário, por conta de nosso INSS, a indivíduos que colaboraram com o terror e o assassinato à granel, sem jamais terem colocado um único centavo nos cofres de NOSSO INSS.

Pagaremos os gastos futuros que a desmiolada desorganizada e desorganizadora de nosso país vai fazer contando com o apoio imoral de seu ministro da fazenda, totalmente do agrado dos petralhas larápios – principalmente do larápio-mór, que ainda não entendo o por quê, não foi posto em cana incomunicável por no mínimo trinta anos.

"Vou mandar arrancar teu fígado, desgraçado! Onde já se viu me achincalhar deste jeito?"

Vou mandar arrancar teu fígado, desgraçado! Onde já se viu me achincalhar deste jeito?”

Pagaremos o enterro de milhares de irmãos nossos, que morreram e ainda vão morrer à míngua nos hospitais públicos do país por total descaso das “otoridades” polititicas, que já perderam o medo de nossas passeatas pacíficas, ordeiras, que lhes dizem que só estamos fazendo estrilos para inglês ver.

Pagaremos as doenças importadas da África e de outros locais e que aqui entram por absoluta falta de fiscalização em nossos portos e aeroportos.

Pagaremos os altos e indecentes salários e privilégios pecuniários que os polititicas se concedem cada vez mais, sem o nosso aval, porque simplesmente se assenhorearam do Poder que emana de nós, devia ser nosso, mas eles tomaram para si.

Pagaremos pelos crimes de lesa-pátria através da corrupção institucionalizada e pratica descaradamente pela “classe política”, desde o reles vereador até a Presidência da República.

"Amorzinho, você não quer ir se tratar no Mais Médico, lá no Brasil? O pessoa é bom mesmo. Afinal, são daqui, entende?"

Amorzinho, você não quer ir se tratar no Mais Médico, lá no Brasil? O pessoa é bom mesmo. Afinal, são daqui, entende? Se morrer, você terá morrido pelas mãos de seus conterrâneos, não pelas mãos incompetentes de médicos brasileiros!”

Pagaremos com lágrimas de desespero por termos deixado que um punhado de doutrinados por espertalhões elegessem os que, agora, nos esmagam em nome de uma crise que eles fabricaram.

Pagaremos com nossos salários suspensos ou pagos a perder de vista, sob a alegação de que o Estado não tem dinheiro, embora não se explique as razões pelas quais os salários e as benesses deles não sofrem qualquer abalo.

Pagaremos até quando nem podemos imaginar pela manutenção de um Sistema Político viciado, corrupto, mantido e alimentado pela nossa ignorância e pela nossa falta de interesse real e vigoroso em conhecer o que é Política, a fim de nos armarmos para derrubar os patifes entronados indevidamente em nosso Poder.

Pagaremos pela condução pública de má qualidade.

"Soy mui amigo del pueblo brasileño, pero si repetes isto te mando para el paredón!"

“Soy mui amigo del pueblo brasileño, pero si repetes isto te mando para el paredón!”

Pagaremos por um sistema carcerário para o qual jamais as verbas de remodelação dos presídios chegam verdadeiramente;

Pagaremos por rodovias “da morte” porque todo o Everest de impostos que nos é sugado pelo Poder Público não dá para pavimentá-las decentemente, como é a obrigação ignorada pelos governantes deste país de coitadinhos.

Pagaremos IPVA e TRU, mesmo tendo nossas estradas privatizadas para empresas afilhotadas de polititicas que cobram pedágio para, ironicamente, conservá-las, assumindo um dever que é do Estado.

Pagaremos os pedágios e, também, IPVA e TRU, sem reclamar nem exigir que se explique para onde vai este tributo duplamente recolhido pelos larápios entronados em nossas repartições públicas.

"Fudencinho! Fudencinho,Fa esse aposentado dos infernos sofrer um AVC fulminante!"

“Fudencinho! Fudencinho meu, faz esse aposentado dos infernos sofrer um AVC fulminante!”

Sim, nós pagaremos tudo. E vamos continuar mendigando favores de políticos da laia de um Eduardo Cunha, ou de um Renan Calheiros, corruptos de carteirinha e que não fazem qualquer favor se não levarem vantagem de alguma maneira.

Sim, pagaremos. Porque somos um país milionário; porque somos um povo trabalhador; porque somos um povo alheado de tudo, exceto das igrejas evangélicas e dos centros de candomblé; porque somos, enfim, irresponsáveis e falto de força de vontade para marchar sobre o Planalto armado de patriotismo de verdade e de lá só arredar pé quando os patifes forem enxotados pela POLÍCIA FEDERAL a cacete ou a gás lacrimogênio.

Até lá, sim, nós pagaremos com sangue, suor e lágrimas.