"Hummm... Quando será que ele vai reconhecer que ser petralha é o ó!..."

“Hummm… Quando será que ele vai reconhecer que ser petralha é o ó!…”

Vivemos a “Democracia da Mentira Petista” desde 2002. Mas ela atingiu o auge com a Dilma Rousseff que, com a maior cara de pau e o maior cinismo fez uma campanha moldada puramente na mentira bolada por seus marqueteiros. E deu certo! O resultado, agora, é a Saúde Pública morta e sepultada, depois de um ano de falatório e estrepolias em que só quem ganhou foi Fidel Castro e os seus “médicos cubanos fajutas”. Nossa “Saúde Pública” chama para uma consulta pelo SUS, em um estado do Sul do Brasil, uma senhora que morreu há 11 anos, esperando ser atendida. Mas o lugar dela na fila ficou garantido. Que bom, não é mesmo? Os administradores petralhas mostram que cumprem com o que podem fazer: NADA. E não fazem nada porque não sabem absolutamente fazer NADA de NADA. Minto: eles sabem vestir a camisa vermelha, colocar o boné vermelho, segurar o pau da bandeira vermelha e ir fazer claque para defender o legado da mentira de seu partido. Isto, sim, eles sabem fazer como ninguém. E são mimados pelo PT com transporte gratuito, um salário mínimo pelo serviço e mais alguns salamaleques, pois a molecada petralha não sabe trabalhar. Sabe, sim, ganhar dinheiro público. O responsável por aquele fiasco do Sul do Brasil se defende jogando a culpa no desgoverno passado e no anterior a ele. E assim, os brasileiros vão morrendo quietinhos, educadinhos, dentro da ordem democrática, que é o traste mais invocado nestes momentos de turbulência política.

E aí vamos para Brasília, a capital do Brasil.

"Brasília tá no sal grosso, meu!"

“Brasília tá no sal grosso, meu!”

Rollemberg, Prefeito da Capital do Brasil, colocou a Saúde Pública Municipal em estado de emergência, pois o caos é pouco para se falar sobre o estado final em que se encontra esta Prestação de Serviço Público pelos políticos brasileiros. Hospitais e postos de atendimento sem remédios, sem médicos, sem enfermeiros, sem aparelhagem, sem limpeza… Sem Nada! Mas não é que falte realmente a medicação. Ela esteve lá por anos, esperando ser colocada à disposição do povo, bastando para isto que os Prefeitos petistas agissem e tivessem a seu serviço gente realmente GENTE, não petralhas que só sabem desorganizar tudo em que botam as mãos. Rollemberg não faz parte do petralhismo que nos esculhamba. Ele é do grupo “do outro lado”. Mas herdou o inferno para administrar. Bem feito! Seu partido também não é flor que se cheire!

"Santana, vai sobrar pra você, quer apostar?"

“Santana, vai sobrar pra você, quer apostar?”

E a Dilma? O que diabo anda fazendo? Ah, sim! Li que ela ia aproveitar o recesso parlamentar e deitar falação – mentirosa, é claro – para convencer os Zé Nigs brasileiros de que tudo vai bem. Seu governo vai de vento em popa e o Brasil vai se danando em Oba! Oba! como deve ser. Nossa pátria é verdadeiramente uma “pátria educadora” (há educação petralhista comunista-socialista, sim. Basta que você se filie nas hostes do PT e terá de graça horas e horas de treinamento emburrecedor sobre as maravilhas de ser Social-Democrata-Comunista-Castrista-Madurista-Kirschinerista-Evista etctrista…).

Mas estamos na órbita astral do Carnaval Brasileiro, gente! Vamos cantar! Vamos dançar! vamos tra-lá-lá. Os hotéis vão-se encher e nós cantaremos de braços dados com os petralhas alegrinhos e burrinhos como o diabo:

"Vem pra farra do boi, vem!"

“Vem pra farra do boi, vem!”

“Este ano não vai ser igual àquele que passou/Eu me danei, você também se danou/A Dilma até criou a mulher sapiens, Mané!/E se não gostou, vá cheirar chulé/É a Presidenta, dos petralheiros/Quem mente é dela o primeiro/Se acaso você não é do PT/Azar o seu, não madurou/E agora em 16 você vai ver/ O que vai-lhe acontecer/Você vai morrer!/Lá-lá-lá-lá-lá/Lá-lá-lá-lá-lá-lá/Lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá-lá/Lá-lá-lá-lá-lá/Lá-lá-lá-lá-lá-lá/Lá na fila do SUS vai sofrer!”

"Por que discutir o cavalo branco do Napoleão, se meu alazão era mais bonito?"

“Por que discutir o cavalo branco do Napoleão, se meu alazão era mais bonito?”

Há uma coisa que é típica de nosso povo: FALAÇÃO. Como o brasileiro discute com acirramento a “cor do cavalo branco de Napoleão Bonaparte”. Jacques Wagner disse o que é óbvio para todo o mundo não brasileiro: “quem nunca comeu mel, quando come se lambuza”. Pronto. Botou fogo no estopim dos intocáveis do petralhismo. Agora, está sob um forte bombardeio dos que seguem a filosofia que a Dilma, nada míope, atribui aos berros que pertence aos que estão “do outro lado”: quanto pior, melhor. Sim, sim. No petralhismo a filosofia é esta: QUANTO PIOR, MELHOR. Para eles, é claro. Para o povo? Para este o cemitério já está de bom tamanho. E se possível numa cova rasa que é para não dar muita despesa ao dinheiro público do qual eles se assenhorearam.

E vamos cantar que é carnaval!

Mas é carnaval, não me fale o que faz o PT/ Amanhã tudo volta ao normal/ Deixa o povo falar, deixa o povo morrer/ Deixa o povo gritar, que hoje eu sou/Um bebum muito alegre de ser/ um perfeito idiota, meu bem/ igual a todo mundo/igual também a você/ igual a todo mundo/ igual também a você“.

É, é carnaval antecipado. O comércio precisa disto. A Rede Globo, também. Propaganda, gente. Se não há propaganda a Globo afunda. Então, cantemos, alegremo-nos. E, depois, com cirrose hepática de tanto entornar, vamos padecer e morrer sob lágrimas de nossos parentes e totalmente desamparados pela Saúde Pública Petralhista. Mas iremos com a certeza de que daqui a 20 anos, quando eles voltarem ao Poder (se o Brasil ainda existir), nossas almas serão convocadas à fila do novo SUS (igualzinho ao de agora) para, finalmente, receber a receita sem o remédio dado pelo Sistema, que este não é besta.

E vamos cantar, afinal, é carnaval!

“Hei! Você aí! Me dá um dinheiro aí! Me dá um dinheiro aí! (Bis)/Não vai dar! Não vai dar não!/Você vai ver, eu vou meter a mão/Eu sou PT e eu sou bom ladrão/Ou cê me dá dinheiro/Ou eu armo confusão!”