"O PT não é o Judas, imbecil! O PT é o Partido que mim criou! E tu vai ver a paulada que vai zoar no teu lombo, maldito!"

“O PT não é o Judas, imbecil! O PT é o Partido que mim criou! E tu vai ver a paulada que vai zoar no teu lombo, maldito! E mim não fala errado! Mim até mandou consertar a gramática! Agora, todos vocês têm de seguir a que mim mandou implantar!”

Pois é. Nós vamos que vamos. Para onde? Nem vou dizer, senão você não vai chegar ao final desta postagem. Mas malhar o judas, aprendi com o petralhismo, é uma delícia. Não como fazem os repórteres em geral, que ficam na periferia, sem se aprofundar na porcaria por medo da mordaça que a Peste Vermelha Brasileira (o PT é vermelho, não se esqueçam disto) pode enfiar em suas bocas. Todos eles sabem muito bem como é a maracutaia dos polititicas de carteirinha. Eu ventilei o assunto aqui, quando falei sobre as OS, os INSTITUTOS, as ASSOCIAÇÕES DE MORADORES e outras que tais, para as quais, agora mais que nunca, verterão nosso “dinheiro que devia ser público, mas não é”. Vejam vocês, um patife paulista, um sujeito que vive gritando “álcool em mim!” e ninguém faz esta caridade ao Brasil, agora anda de namorico com os “vermelhos” petralhas. Não a ralé, que esta não vale nada. São Zé Nings da pior espécie. Ele anda de namorico com os cabeções do petralhismo. Sabem a razão? Quer-se lançar a Presidente do Brasil Falido. Sendo do partido que é, vai ser aquela chuva de m… em nossas cabeças. Mas para quem já se acostumou com a que os petralhas espalharam desde 2002, vai feder pouco. Só um pouco mais.

"Eu... a...a...agüento! Eu a...a...aiiiiii!! Mas não saio! Não saio! Não saiooooo!!!"

“Eu… a…a…agüento! Eu a…a…aiiiiii!! Mas não saio! Não saio! Não saiooooohumm!!!”

Brasileiro agüenta, ora se agüenta. Brasileiro agüenta até ferro em brasa no fio-fó, pois tem fibra pra isto. E como tem! Pé-de-mesa? É palito de palitar dentes, podes crer. O brasileiro, depois de 14 anos de petralhismo precedido de 6 de psdbismo, tá todo dominado. Alkimin decidiu mandar às favas seu cocolega, o Mineirinho que está saltitando de banda desde que foi citado na lama do petrolão, e decidiu que quer a Cadeira Quente. Para isto anda todo de amores com OS SEM-TERRA. Dá pra acredita? A fofoca não é minha; é da FOLHA DE SÃO PAULO digital. Pensem, Zé Nings de meu Brasil. Se a coisa lá é horrível; se tira o sono e envelhece em 4 anos o que o sujeito envelheceria em 40, por que será que todos os polititicas de carteirinha sonham toda noite que estão sentando seus fundilhos naquela cadeira? Que mistério há no Palácio do Planalto que atrai os cabeções das intrigas da trambicagem para brigar por ela? Tem de valer a pena. Valer muito a pena, para alguém desejar ser a laranja madura na beira da estrada.

"Ele quer, mas não leva. Sou mineiro, uai!"

“Ele quer, mas não leva. Sou mineiro, uai!”

Tenho crises de risadas quando leio comentários “inteligentes” como o que saiu na VEJA de 13 de janeiro de 2016, Ed. 2060, pg. 46. O sujeito, uma vez que a VEJA é tendenciosamente “direitista” (quer dizer, defensora dos entreguistas do PSDB), tece uma comprida lengalenga sobre a razão da falta de dinheiro nos municípios. Fala bonito, o cabra da peste! Mas não diz nada que preste. Nada que se aproveite. Ele é o dedo do PSDB apontado para uma miragem, tentando fazer que os perdidos acreditem que ela é verdadeira. Devia dizer a nu e cru que todos, sejam de que partidos forem, ROUBARAM, ROUBAM, CONTINUAM ROUBANDO e PROSSEGUIRÃO SEMPRE ROUBANDO, pois o petralhismo está a favor de qualquer coisa que seja dilapidar o Erário Público. Devia era nomear a quase infindável lista de Organizações de títulos diversos dependuradas nos polititicas, para onde, agora mais que nunca, escorre o nosso dinheiro. Mas não. Faz um tremendo malabarismo para encher papel e enganar trouxas. Afe!!!

"Eu sou é boa, não sou não? Vou deixar todo mundo chupando aquilo!"

“Eu sou é boa, não sou não? Vou deixar todo mundo chupando aquilo!”

Enquanto isto, com o silêncio que reina na “CÂMARA DO EDUARDO CUNHA” (ainda é dele, não duvidem), Dilmona deita e rola. Tratou de aprovar a MP-7003/2015 que alivia pra caramba a cana dura sobre empresas larápias e seu larapiões comandantes. Estamos já com o pé não mais na impunidade, que isto é velho, mas na putaria total, absoluta, irrestrita. No escárnio pura e simplesmente das Instituições que ainda lutam por funcionar direito. Quem quiser ler a desgraça, é só entrar no site do governo. Ele não tem o mínimo pejo de citá-la e defendê-la. E se você tem algum mínimo, apenas um traço de patriotismo, talvez vá escarafunchar como eu escarafuncho, para descobrir as motivações cretinas por detrás da dita cuja MP.

Gente, alerta! Não votem nos caquéticos enrolões de sempre. É hora de negar-lhes o apoio. VOTO ZERO nos vereadores e prefeitos da velha guarda. Se algum vier a ser eleito, sabendo que receberam ZERO DE VOTAÇÃO, todos poderemos ir às barras da Justiça contra os PARTIDOS POLÍTICOS, pois são seus “donos” e suas gangues que manipulam nossos votos para eleger e reeleger os crápulas que obedecem roboticamente os ditames deles. Ninguém vota em alguém escolhido, embora pense que sim. E isto porque os partidos políticos podem distribuir os votos dados à legenda ou a um candidato desta, segundo suas conveniências e, assim, guindar ao ou manter no Poder os velhos patifes de carteirinha. E não deixe de votar, seu trouxa! Aí mesmo é que eles têm o espaço que desejam para deitar e rolar. VOTEM! Mas votem em NOVOS CANDIDATOS, nunca nos antigos. A estes, ZERO DE VOTOS. Elejam sangue novo. Ao menos eles entrarão com vontade de mudar alguma coisa. Não conseguirão, pois para tanto terão de bater de frente com as elites de seus partidos e estes, gorilas gordos, espertos e venenosos, tratarão de anulá-los. Mas se houver muita gente nova, ficará muito difícil fazer isto sem dar na vista. Assim, nós, Zé Nings, poderemos oferecer aos novos uma chance de desmantelar o SISTEMA.

E pelo Amor de Deus! Se entre os novos houver PETRALHAS INICIANTES, defenestrem-no já no primeiro passo. Chega de patifaria! Chega de roubalheira! Chega de traição ao Brasil e a nós, seu povo (e aqui os vermelhos não estão inseridos).