Romances que não sejam voltados para melifluidades, ou que não se refiram a textos científicos, “firulares” e semelhantes, não despertam interesse. Não faz mal. Esta narrativa não é um romance, em si. É a descoberta acidental que fiz sobre um ramo de minha ancestralidade. E fiquei muito satisfeito em saber que descendo de verdadeiros heróis, mesmo que esquecidos nas prateleiras de bibliotecas bolorentas…

PENSANDO BEM...

Eis a Casa de Câmara e Cadeia, onde se estabelecera o Governo da província de São José do Piauí.Eis a Casa de Câmara e Cadeia, onde se estabelecera o Governo da província de São José do Piauí.

Raimundo e Luis cruzaram a pequena e simpática pracinha onde imperava a Igreja Matriz de Oeiras, a Catedral de Nossa Senhora da Vitória, concluída em 1733, e avançaram a passo firme para o Palácio do Governo. Este se estabelecia na Casa de Câmara e Cadeia, mandada construir por Carlos Cesar Burlamaqui, e ficava ao lado da praça da Igreja Matriz.

Foram recebidos por um criado de libré, emproado, que, após receber as identidades dos dois visitantes, conduziu-os sem delongas à presença do Major João José da Cunha Fidié, Comandante das Armas.

O cenário mudou pouco, na velha Oeiras. A Igreja, a praça e os casarões continuam de pé, dando testemunho da História.O cenário mudou pouco, na velha Oeiras. A Igreja, a praça e os casarões continuam de pé, dando testemunho da História.

A sala onde se encontrava o Comandante era sóbria, mas mobiliada com o que de melhor podia ser encontrado…

Ver o post original 1.880 mais palavras