Não é apelação. É a única saída para nossa situação venenosa.

Não é apelação. É a única saída para nossa situação venenosa.

Não acredito. A Lava-a-Jato está demonstrando cabalmente que a doença não é só petista, mas infecta todos os partidos políticos brasileiros. Não escapou um. Em todos eles se encontra corrupto que de algum modo levou vantagem com a trampolinagem da traição impune ao nosso Brasil.

Venho insistindo que não devemos nos centrar no PT como sendo ele a causa de todos os nossos males. Não é. Pode parecer estranho que eu, um anti-petista visceral, pareça estar defendendo este partido. Não estou e dificilmente estarei. Mas acontece que a Operação Lava-a-Jato nos coloca a descoberto, mesmo diante de olhos que se recusam a ver e de mentes que se recusam a pensar, que o mal que infectou o PT e afundou o Brasil, está vivíssimo no PMDB, no PSDB, no PP, no PSOL, no DEM e em todos os demais Partidos Políticos Brasileiros.

Eu não vou parar de insistir em que nosso povo deve centrar sua atenção num único esforço: após defenestrar o PT do alto de NOSSO PODER, devemos pugnar sem descanso por uma CONSTITUINTE. Uma em que o POVO, que somos nós, possamos realmente dela participar. E participar fundamentalmente na defesa da separação total e inquestionável dos Poderes Republicanos. A prostituição constitucional do Poder Executivo pelo Poder Legislativo chega a ser mais que imoral. É tempo de acordarmos para isto. Não são os Chicos Buarques e seu comunismo de mentirinha (quem é rico pode dar-se ao luxo de ser comunista ou socialista, pois o peso não vai cair sobre seus ombros) que nos devem insultar em nosso patriotismo. É a prostituição institucionalizada, insisto, do Executivo pelo Legislativo.

Enquanto Deputados e Senadores estiverem infiltrados nos Ministérios do Poder Executivo, nada vai mudar. Como diz o ditado popular: mudam as moscas, masa m… é a mesma.

O maldito toma-lá-dá-cá continuará. Pode até ser que mais fraco um tiquinho e mais escondidinho também. Mas não será abolido do modus vivendi da Polititica Nacional Brasileira.

A feira-livre dos cargos de primeiro, segundo e terceiro escalões também seguirá de vento em popa.

A incompetência na Administração da Coisa Pública será a mesma, talvez até pior.

A Máquina Pública se manterá inchada como sempre e os impostos se manterão firmes, talvez até mesmo mais gordos, sugando tudo o que puder sugar do dinheiro dos empresários sérios e dos trabalhadores honestos.

As empreiteiras virão com tudo em novos ataques ao nosso Erário, pois os corruptores serão os mesmos, embora as caras corruptas, deles já conhecidas, tenham apenas trocado momentaneamente de lugar entre si.

Este círculo vicioso é terrível para nós, povo brasileiro. É preciso pararmos de bater panelas e, ao contrário, juntarmo-nos em associações voltadas para um único objetivo: MUDAR A CONSTITUIÇÃO, nela introduzindo artigo que impeça definitivamente que Políticos assumam quaisquer cargos no Executivo. Artigo constitucional que diga bem claro: Político eleito, em qualquer nível no Estado Brasileiro, fica restrito unicamente aos trabalhos que lhe competem executar no Legislativo e de modo algum poderá pleitear Secretarias Municipais ou Estaduais, Ministérios Federais e demais órgãos do Poder Executivo. Artigo constitucional que proíba terminantemente aos Partidos Políticos atuarem coercitivamente sobre os Políticos eleitos. A influência deles cessa tão logo o indivíduo passe a trabalhar PELO BRASIL.

Também deverá constar, na nova Constituição, Artigo que determine pena de prisão em regime fechado para político envolvido em qualquer tipo de crime contra o País ou o povo que o elegeu. Tais crimes devem ser constitucionalmente inseridos nos de Traição ao País, podendo o político ter seus bens arrestados pelo Estado e seus direitos civis cassados permanentemente. A nenhum político será permitida a prisão domiciliar. Uma vez preso pela P.F. permanecerá entre grades até que se prove sem sombra de dúvida sua culpabilidade ou sua inocência.

Finalmente, a nova Constituição deverá abolir todos os privilégios que os políticos da Velha e Corrupta Política que nos escraviza se deram. Deverá determinar especificamente que o trabalho eletivo é apenas uma tarefa em defesa da Nação e, uma vez terminado o prazo ao político eleito concedido, ele não poderá retornar a um novo pleito senão decorridos um prazo mínimo de 12 anos. E ainda: a aposentadoria do político deverá acontecer pelo INSS e, não, em organização federal à parte.

Assim, só se candidatará a cargo eletivo quem realmente desejar prestar serviço honesto ao mais belo país do mundo:

NOSSO BRASIL.