E eu que estava firme no propósito de não mais falar de polititica...

E eu que estava firme no propósito de não mais falar de polititica…

Tomaz de Aquino Pedreira era o nome de meu avô materno. Um negão milico, oficial músico da PM de Teresina. Muito bem. Sua prole era bem grande e o bate-boca ali começava desde as seis da manhã e ia até as 22 horas ou mais. Por causa disto, a vizinhança, de gozação, criou uma musiquinha que tinha a seguinte letra: “Na casa de seu Tomás/ Quem grita é quem leva mais/ A garotada quando é hora do almoço/Não tem um osso e ainda quer comer demais”. Isto deu muita muvuca e muita encrenca na rua da Estrela, em Teresina. Meu avô virava onça furiosa quando pegava alguém cantando a tal musiquinha. Pois bem, o Governo Michel Temer me lembra muito a casa de seu Tomás. Nele, quem grita leva mais. Foi o caso com o tal Ministério da Cultura. Os almofadinhas puseram a boca no trombone e Michel, que vergonha para um Presidente da República, deu marcha-a-ré  em sua primeira decisão – acertada, por sinal. A continuar assim, ele não vai conseguir nem dar um passo para fora do atoleiro em que a Peste do PT nos jogou. E olha que este partidaço jurou de pés juntos que vai danar a vida de Temer. E pelo que aconteceu com o tal ministério, os petralhas podem estar certos de que se gritarem alto, Temer se abaixa… E com ele, o Brasil. Que lástima!

"Quem? Eu? Quando? Desculpem, não me lembro. Nem conheço o talzinho. Sou honestíssimo! Sou PMDB!

“Quem? Eu? Quando? Desculpem, não me lembro. Nem conheço o talzinho. Sou honestíssimo! Sou PMDB!”

E eis que o Jucá desceu o jucá (=cacete) no pobre governo Temer que já começa mancando e tropeçando, pois o vício de priorizar partidos e não o país não mudou um  til. Temer não mirou o estado lastimável em que o PT nos deixou. Ele mirou prioritariamente ao bem-estar dos Partidos Políticos e escolheu seus Ministros com vistas ao agrado do toma-lá-dá-cá de sempre. E por isto, JUCÁ, por ser Presidente do PMDB. ganhou um Ministério. Mesmo que o Presidente Interino soubesse da situação nada cômoda do Presidente peemedebista diante do escândalo do propinovício que empesta nosso país, não titubeou: por ser dele amiguinho de alcova e convescote premiou-o com um Ministério. Parece até que o sujeito é o supra-sumo da sabedoria em Planejamento e que no país não há ninguém melhor que ele para trabalhar nesta área pelo Brasil. Acontece que Romero Jucá não é bom em Planejamento Verdadeiro. Aquele que se volta para a Economia, o controle das Obras Públicas, o controle do Saneamento Básico brasileiro, o controle das prioridades do Brasil em Saúde, Segurança Pública etc… Ele é bom mesmo é no planejamento polititica, onde seu intelecto está bem treinado e sabe perfeitamente como enganar, esticar e enrolar questões polititicas até terminar levando vantagem para seu Partido. Nisto, sim, o cabra é bom da peste.

"Tá se fudendo, Temer! Jucá já tá no papo. Agora, vamos papar o resto. E eu vou voltar!!! Se segura, Brasil, que eu tô na briga!"

“Tá se fudendo, Temer! Jucá já tá no papo. Agora, vamos papar o resto. E eu vou voltar!!! Se segura, Brasil, que eu tô na briga!”

E é tão bom que foi o arquiteto do impeachment da Doida do PT. Se não fosse sua ardilosidade, a Peste petralha ainda estaria lá em cima afundando nosso país. Por não saber separar amizades partidaristas e realidade do país; por não ter sido capaz de alcançar o verdadeiro alerta das ruas contra a Corrupção, Temer acoitou vários suspeitos de crime de lesa-pátria (e é isto mesmo, eles são traidores do Brasil) em seu incipiente presidencialismo. Sabemos que a dupla satânica PMDB/PSDB deseja ardorosamente implantar entre nós um tal de semi-parlamentarismo. Uma coisa assim como uma cobra semi-jacaré. Mas nosso país é eminentemente REPUBLICANO e esse negócio não pega bem neste ideal. E se parlamentarismo tupiniquim quer dizer contemporizar e agradar os safados cabeções de Partidos, então, que não vingue jamais. Chega de nossos Presidentes darem prioridade aos interesses de seus Partidos Políticos e descuidarem vergonhosamente das necessidades dos que verdadeiramente são os donos do Brasil: nós.

Nós, os Zé Nings; nós, os pé-rapados; nós, os operários que não militamos beociamente no petralhismo; nós, que vamos para nossos locais de trabalho espremidos como sardinhas em ônibus caindo aos pedaços, sem ar condicionado, velhos, barulhentos e fedorentos, aptos a nos deixar a pé no meio do caminho porque quebram a qualquer momento e sem aviso prévio. Sim, este povo sofrido, enganado, traído, tripudiado, zombado, pisoteado em seus direitos é que é o verdadeiro dono do Brasil. E já começa a descobrir isto, Temer. Vê se acorda, velhote. Ou você dá prioridade ao Brasil, ou irá ocupar o lugar que a Peste do PT está ocupando agora. Ela pode ser um m… como presidenta, mas tem águias lhe dando asas para que voe em direção ao Planalto, novamente. E vai ser aquele desastre hecatômbico se a Doida do PT voltar a colocar sua bunda mole de novo em nossa Cadeira Quente.

Acorda, Temer!

O povo brasileiro anda devagar, mas não costuma retroceder quando avança. E já avançou muito em matéria de se rebelar contra o sistema covarde e traidor do toma-lá-dá-cá.

Tanto assim é que nem você nem ninguém vai pôr freios na Lava-a-Jato. Sabe por quê? Porque os brasileiros estão de saco cheio com tanta traição imoral ao país que é nosso – não de vocês, os traidores contumazes deste povo sofrido. Moro não mais pode ser parado. Nem ele nem, muito menos, a Federal. Esta gente honra nossa bandeira; honra nosso hino nacional; honra as calças que vestem. Por isto, Temer, acorda enquanto ainda há tempo. E fica certo de que os tremiliques dos polititicas porque tu te resolveste a lançá-los fora de teu governo deixarão de existir quando o povo brasileiro sentir que és verdadeiramente aquele que veio para sanear a polititica e fazer que finalmente seja Política neste Brasil traído e maltratado.

E tenho dito.